7 July 2009

SILÊNCIO SOFRIDO


Aprendi a língua do silêncio.
Alguns dos meus pensamentos são grandes demais para o mundo, e o que compõe o mundo é pequeno demais para os meus pensamentos.
Mas só um metro e setenta como eu tem dificuldade em guardá-los bem.
Já fiz o teste de rabiscar numa folha de papel e depois deitá-los fora, mas até os mais absurdos e mais insignificantes não merecem ir para o lixo.
Quando tentam escapulir-me, aperto os olhos e cerro os dentes ou então, deito-os a dormir mesmo que não haja sono no meu corpo.
E de repente, eles surgem no sonho, alguns com cenários bonitos e coloridos, outros em forma de pesadelo, trazendo com eles a angústia, a taquicardia e a vontade de cobrir o corpo dos pés à cabeça com um lençol, como se fosse um escudo.
Por isso... aprendi a língua do silêncio.
Apesar de ter a sensação que a qualquer momento irei explodir.

39 nhận xét :

Sunshine said...

Querida Velvet,
aí está uma língua que não consigo aprender. Mesmo que impeça que os pensamentos saiam cá para fora através da minha boca, eles fazem ruído, cá dentro. Este barulho é o pior de todos. Acabo por os deixar sair, nem que seja por escrito e incompletos. Não aprisiones os teus...
beijinhos com raios de sol

mjf said...

Olá!
Como eu te entendo:=(
Há momentos de silêncios que dizem mais do que 100000000000000 palavras....
Nem sempre boas...nem sempre alegres!!!!


Beijocas
ps- estás bem????

Emigrante said...

BLUE

Porque calar a voz dos pensamentos?

Os sons do pensamento e especialmente dos teus são para serem espalhados e ouvidos ao longe e por muitos.

Não cales.

Beijinho

Teresa

Pitanga Doce said...

Quando isso há de passar?

boa noite Blue

C NARCISO said...

A grandeza de uma pessoa não se mede em cm; mede-se pelo tamanho do seu coração, pelos seus feitos e pela capacidade se suportar as tempestades da vida. Mede-se ainda pelo bem que faz aos outros.
A BLUEVELVET é enorme!!!
Óptimo Verão para si.

Gata2000 said...

Pois eu, mesmo que eles sejam os mais estupidos deixo-os saltar, percorrer a estrada entre o cerebro e a boca e deixo-os sair mesmo qe ninguem me ouça, porque se há coisa que aprendi é que se ficam cá dentro moiem.

sagitario said...

olá velvet.
deite tudo ca para fora e viva as suas emoções, por vezes é preciso parar de calar.
Os meus votos de boas energias e que o sol sorria para si e derreta o gelo que a aflige.
um abraço de amizade.

Filoxera said...

O silêncio; ainda no meu último pst me referi a ele. Embora haja silêncios e silêncios...
Beijos.

Carminda Pinho said...

Fiquei a saber que tenho menos 14 cm do que tu. É muito centímetro já viste?
És uma grande mulher, ou uma mulher grande, Blue?
Não te cales, não te isoles do mundo, os dias que vão já não voltam...
Bora lá gritar ao mundo que é bom estarmos vivos...:)

Beijos

Si said...

1,70 m, mas é sem os saltos dos sapatinhos que criou lá para o meu desfile!!
Faça o favor de sair da toca e vir ouvir os aplausos, sim??

Beijinhos!

de dentro pra fora.... said...

Aprendi com um amigo que o silêncio é bom quando partilhado...

Partilha o teu ,nunca deixes que te faça mal

Beijinhos sussurrados, para não atrapalhar :)

anamar said...

Há muito que a não visitava...
coincidiu com uma sua ausência longa...
e vejo que continua sofrida...
Acontece... mas não se deixe envolver pela triteza e se é de sil~encio que tem vontade, obedeça-se!
Passe a visitar-me... Mar á Vista...é a minha "casinha"...
:))

pedro oliveira said...

fez-me lembrar um spot publicitário de há uns anos atrás: Marantz, só o silêncio é mais puro.
bjs

Sonia Schmorantz said...

A língua do silêncio é universal, a mais abrangente que conheço...
beijos, ótimo final de semana

Grace Olsson said...

Blue, aprendi essa linguagem a duras penas. Nao sei se percebestes, mas nao ando a escrever no blog..Posto só meus trabalhos. E desta foram, seiq uem sao ou nao meus amigos.bjs e dias felizes

Nilson Barcelli said...

Devemos dominar o maior número de línguas possível.
A do silêncio é mais uma... e eu nunca tinha pensado nela... vou ver se sei e, se o souber, digo-te em silêncio o que aprendi.
Gostei imenso do texto querida amiga. Muito criativo.
Bom fim de semana, beijo.

Justine said...

É um priviélio, ter aprendido a linguagem do silêncio. Mas também é preciso aprender a gerir essa linguagem...sem explodir!
Abraço

Pitanga Doce said...

Huuum, a porta da loja está só meio levantada...ou meio descida. Tudo depende da maneira como se vê a coisas, ora bolas!

Donagata said...

A língua do silêncio é uma linguagem que nada mais faz do que te impedir de verbalizar (de forma oral, escrita ou qualquer outra)o que te vai no coração. Os medos, as angústias, as tristezas, mas também as alegrias, os carinhos, as boas recordações...
Porém tudo está lá. E precisas soltá-lo de forma despudorada. Em conversa, em berros, em gritos, em choro... sei lá. Mas solta. O que lá ficar vai, devagarinho, sorrateiramente, minar-te a alma.
Não deixes. Luta.

Um beijo soprado daqui, do norte. Espero que o recebas como a brisa dos nossos ventos.

FM said...

Raramente o Silêncio consegue melhores resultados do que a Acção.
Beijos de Energia.

Carlos Barbosa de Oliveira said...

Que bom regressar e vê-la de novo no activo!
Quebrei o meu silêncio com música, mas só eu sei os silêncios que ela também me provoca. Seja bem regressada, minha cara amiga.

Maria Clarinda said...

Esqueçe a língua de silêncio...sabes, embora por vezes seja absolutamente necessária...é preciso doseá-la!
Jinhos mil

salvoconduto said...

Deixo-te aqui uma rosa, acabei de a colher agora.

Abreijinhos.

~*Rebeca e Jota Cê *~ said...

Adorei!

Pitanga Doce said...

"ACOOORDA PATATIIIVA VEM CANTAAR""!!!



ACOOOOOOOOOOOOOOOOOOORDA MULHER!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Pitanga Doce said...

Eu vou fazer entrar por aqui uma manada de bois e vacas com aqueles chocalhos no pescoço e tu vais acordar, que ver???

Pitanga Doce said...

Agora bem baixinho:
Anda que já está na hora de refazermos o botox.

Oliver Pickwick said...

Em estados de espírito mais tormentosos, ser consciente da necessidade de se preservar os pensamentos é o melhor sinal da proximidade do tempo de muitas luzes no fim do túnel.
Um beijo!

Antonio saramago said...

Andas muito escondida, andas!!!
Eu, então barafusto por tudo e com tudo em alto e bom som..

BC said...

Venho aqui tantas vezes e está tudo em branco e hoje já aconteceu com duas pessoas, do branco aparecem montes de coisas como é possível.
Eu não sei como se faz, mas é possível escrever e depois "esconder os textos"????. de contrário não aparecia tanta coisa de repente, mas isso não importa, apareceste, também tenho andado nestes últimos meses bastante atarefada e com problemas num braço que poderei ter que ser operada, nem deveria vir para o computador porque é das coisas mais
prejudiciais.
E falando no teu texto, os silêncios dizem tanto nalgumas situações e percebo pelas tuas palavras que continuas tristinha, vamos lá a lutar ok.
Beijinhos

Mar Arável said...

é verdade

por vezes o silêncio

é insuportável

AnaMar (pseudónimo) said...

Quisera eu ter esse saber...

Bj

salvoconduto said...

Eu sei que isto não são horas para me lembrar de ti, mas que hei-de eu fazer? Saudades.

Abreijos.

Pitanga Doce said...

...e retocar a tinta do cabelo. Até as loiras naturais fazem isso.

Sofá Amarelo said...

OLá, esperava que com esta visita já tivesse direito a ver a ... explosão... no bom sentido, espero que ela aconteça!!!

Muitos beijinhos!!!

Antonio saramago said...

Setora,então? Perguiçosa? Ou consequências desagradáveis?
Faço votos para que o pior tenha passado.

Filoxera said...

Continua a língua do silêncio...
:-(

Pitanga Doce said...

Ó Ana! Levanta a porta que o Sol quer entrar!

samuel said...

É uma língua perigosa, por vezes bem mais ruidosa e violenta que a das palavras...

Abreijo.