31 March 2008

SOBRE MIM




A http://soepormomentos.blogspot.com/ desafiou-me a fazer um post falando sobre mim. Embora goste destes desafios, entendo que já falei o quanto baste sobre mim neste blog. Em desafios ou em posts e até em imagens.
O essencial já aqui foi dito.
Portanto, acrescentarei só umas pequenas notas:
Sou uma pessoa de Afectos, para utilizar um termo que está muito na moda, ou, como diz um dos meus filhos, assim como os carros são movidos a combustível, eu sou movida a Amor, Amizade, carinho, miminhos e outros sentimentos da mesma família.
Penso mais com o coração do que com a cabeça e isso já me trouxe muitos dissabores.Sou transparente e não sei mentir. Percebe-se logo, mesmo se tentar.

A pior coisa que alguém me pode fazer é trair-me.Trair a minha confiança. Ao contrário de certas pessoas ( que não condeno), à partida eu confio até prova de que não posso confiar. Uma vez perdida a confiança, dificilmente é recuperável.
Trair a minha amizade.
Trair o meu amor.
Sei utilizar 3 palavras que muitos esquecem: por favor, obrigada e desculpe, e não me coíbo de o fazer.

Pauto a minha vida por valores dos quais não abdico, pese embora pareçam estar fora de moda: respeito pela Família e pelos mais velhos, solidariedade para com os que sofrem, sinceridade, honestidade, frontalidade, generosidade e sobretudo gosto muito de estar em Paz com a minha consciência.

Vários poetas, cantores e escritores poderia escolher para descreverem aquilo que penso e sou.
Mas hoje vem-me à cabeça uma canção da Maysa:
"Eu só digo o que penso, só faço o que gosto e aquilo que creio. E se alguém não quiser entender e falar, pois que fale, eu não vou importar-me com a maldade de quem nada sabe"


DIA INTERNACIONAL DE SOLIDARIEDADE PELO TIBETE

A quem me lê:

Em apenas 7 dias, 1 milhão de pessoas assinaram esta petição pelos direitos humanos e diálogo no Tibete, tornando-se a petição on-line que cresceu mais rápido na história! Depois de décadas de injustiça, o povo tibetano está pedindo mudanças e esta petição mostra que o mundo está a responder com uma solidariedade surpreendente a esse chamado.
Foi declarado o Dia Internacional de Solidariedade pelo Tibete nesta segunda-feira dia 31 de março.

Em apenas 4 dias, milhares de pessoas em várias cidades do mundo irão protestar em embaixadas e consulados da China, mostrando esta petição já com 1 milhão de assinaturas. Esta mensagem global e simultânea com certeza chamará a atenção do governo da chinês.
Restam somente 4 dias até à entrega da petição, por isso está a fazer-se um esforço para duplicar esse número: será que podemos conseguir 2 milhões de assinaturas?

Esta mensagem já deu a volta ao mundo e com a vossa ajuda podemos chegar ainda mais longe. Por favor, cliquem no link para assinar a petição e em seguida encaminhem por email para todos os seus amigos e familiares:



Texto adaptado do site da Avaaz

30 March 2008


DÚVIDAS?








QUESTÕES?








PERGUNTAS ESTÚPIDAS?





É AQUI.


Era assim, dizem, que o emérito Professor Joel Serrão, recentemente falecido, acabava as suas aulas de filosofia. Enjoy!

29 March 2008

20 ANOS OS SEPARAM, MAS A HISTÓRIA REPETE-SE



As minhas noites de sexta-feira são, desde há uns meses, passadas de forma muito original: depois do jantar, rumo a casa da minha melhor amiga, irmã, comadre e agora mais um qualquer parentesco que nem sei como se chama: sou madrinha do neto.
Tudo para assistir a um sacrosanto programa de televisão feito por uma amigo arranjado nestas andanças blogueanas, que passa num canal que a minha televisão não possui
Nessas noites, de prémio, encontro a minha sobrinha e o bébé a quem carinhosamente apelidei de Sássá.
Com o programa passa a horas pouco próprias, 00.30, vou mais cedo e gozo o prazer de ver e brincar com o Sassá.
E pasmo, deliciada, com as suas graças, a sua evolução e todas as inovações que a técnica põe agora à disposição dos bébés, desde a mais tenra idade. Embora, a fonte onde vão beber seja a mesma.
Ontem, a excelência, mal cheguei, foi a correr buscar o comando da televisão, ele que mal se aguenta nas suas rechonchudas pernas e apontou frenéticamente o dito para a televisão.
Sem perceber bem o que se passava, ou não querendo acreditar no que os meus olhos viam, ( é bom dizer que o Sassá tem 15 meses ), olhei para a minha amiga e perguntei-lhe:
-Mas o quê que ele quer? Ver televisão?
-Não, respondeu ela rindo, quer ver o malfadado vídeo das galinhas!
-O quê?
-Já vais ver.
E pôs o vídeo a passar.
E de repente, de vinte e muitos anos atrás, vieram as recordações de um tempo feliz. Comecei a ver um desenho animado, com uma música que tenho gravada numa cassete, com a vózinha do meu filho, na infantil:
O nosso galo é bom cantor
É bom cantor
tem boa voz
Está sempre a cantar
Có-có-ró, có-có-ró
Está sempre a cantar
Có-có-ró, có-có-ró
Está sempre a cantar
Có-có-ró, có-có-ró-có-

Se quiserem ver o vídeo em questão, é só clikar no link abaixo e depois na 5ª canção. http://www.emusic.com/album/Escolinha-de-M%C3%BAsica-Escolinha-De-M%C3%BAsica-MP3-Download/10960583.html

E enquanto sorria enternecida olhando o Sassá, uma lágrima de saudade rolou enquanto lembrava a vózinha do meu filho.



25 anos os separam

28 March 2008

DA CASOTA DA ANNA




Não é que eu seja bem Visitante, sou mais inquilina, embora às vezes seja despejada :)))), mas não resisti e roubei-o.

Este caracol está demais.

Bravo @nn@ et merci.

A MORTE TEM OS NOSSOS OLHOS


Nunca gostei de Lobo Antunes.
Gostei dos primeiros livros de Lobo Antunes.
Não gosto dele, nem como pessoa nem como escritor.
Descobri o Lobo Antunes.
Gosto dele.
Confusos? Também eu.
Descobri Lobo Antunes, como quase todos nós, quando ele escreveu Memória de Elefante e depois Os Cús de Judas. Com esses livros fiquei fã dele.
Depois ele começou a escrever livros e eu não conseguia passar da pág. 10 e quando isso acontece, não há nada a fazer.
Entretanto casado com a prima da minha melhor amiga, comecei a privar com ele.
E não conseguia gostar dele. É um homem triste, calado, arrogante, sempre deprimido, difícil.
As crónicas que escrevia e escreve na Visão eram execráveis. Para mim. Obrigava-me a lê-las, sabendo de antemão que ia odiar, que não ia perceber uma linha e que invariavelmente ia ficar deprimida. Mas era um exercício que fazia, semanalmente, quanto mais não fosse para dizer que tinha odiado.
Tendo-se separado, perdi o contacto com ele, porque com os livros já tinha perdido.
Só nos ligavam as crónicas que escrevia.
De repente, soube através da minha amiga, que ele tinha um cancro e que estava mal.
Continuei a ler as suas crónicas e comecei a achar que ele estava a escrever de uma forma diferente.
Começava a vislumbrar-se uma espécie de humanização que não lhe conhecia anteriormente.
Comecei a ler os seus livros, começando pelo último. Comecei a tentar ler.
Em Fevereiro deste ano, deu uma entrevista à revista/suplemento do jornal Sol, a Tabu.
Se quiserem, podem lê-la aqui
http://www.ala.nletras.com/entrevista.htm.
Eu já a li dezenas de vezes. Tenho-a no meu Pc e de vez em quando leio. Descubro sempre uma coisa nova.
Praticamente, cada resposta a cada pergunta que lhe fazem, é uma pérola.
Nada é dito ao acaso. Não tem pudor em afirmar coisas que a maior parte de nós só pensa, e mesmo assim, baixinho.
Por isso mesmo, e porque são várias páginas, não poderia transcrever aqui tudo o que disse.
Também por isso deixei o link, para quem quiser ler.
Mas não resisto a reproduzir aqui, duas ou três respostas:
E nunca se sente sózinho?
Não, não. Por que é que havia de me sentir sózinho? Raras vezes na minha vida, desde que me lembro de mim, tive um sentimento de solidão. E não me sinto mal na minha companhia, divertimo-nos muito os dois, eu e eu.
Àcerca da doença e da morte:
O que mudou em si depois?
Muito. Há coisas que eram importantes e deixaram de ser e coisas que não eram e passaram a ser. Como estar aqui sentado, poder andar; sentir-me bem fisicamente. Foi importante para mim passar por isso. Foi uma lição de humildade. Foi também importante dar-me conta da minha imensa precaridade.
Foi uma surpresa?
Nós pensamos sempre que somos imortais. Vamos vivendo para uma eternidade de 30, 40 ou 50 anos. Seis meses que sejam. A Maria Antonieta no cadafalso pedia ao carrasco que lhe desse mais um minuto e aquele minuto para ela era eterno. Vivemos em função de eternidades. Se tenho 20 anos penso que vou viver mais 50. A minha mãe vive em função de uma eternidade de um ano, estou a supor. E no entanto esse ano é tão comprido como os 50 anos das pessoas que têm 20. E de repente a morte está ali à frente. Ninguém está preparado para isso. A morte tem os nossos olhos. Não se passa impunemente por isso.
Dou graças por não ser uma pessoa que não muda de opinião.
Humildemente tenho a dúvida, se não seria minha a culpa de não entender os livros dele.
Para já dei um passo em frente: gosto dele, das suas crónicas e da sua poesia.
Os livros esperam-me.

Eu que me comovo
Por tudo e por nada
Deixei-te parada
Na berma da estrada
Usei o teu corpo
Paguei o teu preço
Esqueci o teu nome
Limpei-me com o lenço
Olhei-te a cintura
De pé no alcatrão
Levantei-te as saias
Deitei-te no banco
Num bosque de faias
De mala na mão
Nem sequer falaste
Nem sequer beijaste
Nem sequer gemeste,
Mordeste,
abraçaste
Quinhentos escudos
Foi o que disseste
Tinhas quinze anos
Dezasseis,
dezassete
Cheiravas a mato
À sopa dos pobres
A infância sem quarto
A suor,
a chiclete
Saíste do carro
Alisando a blusa
Espiei da janela
Rosto de aguarela
Coxa em semifusa
Soltei o travão
Voltei para casa
De chaves na mão
Sobrancelha em asa
Disse: fiz serão
Ao filho e à mulher
Repeti a fruta
Acabei a ceia
Larguei o talher
Estendi-me na cama
De ouvido à escuta
E perna cruzada
Que de olhos em chama
Só tinha na ideia
Teu corpo parado
Na berma da estrada
Eu que me comovo
Por tudo e por nada
BOLERO DO CORONEL SENSÍVEL QUE FEZ AMOR EM MONSANTO
poema de Antóno Lobo Antunes

OBRIGADA, EU!


O blog Escrito a Quente foi dos 1ºs que visitei quando me meti nesta aventura.
Gostei logo, e achei muita graça ao termo Filoxera, porque desde pequenina que quando me dá uma fúria, digo: " Deu-me a filoxera":)))
Muito pouco tempo depois, já nem sei porquê, mandei-lhe um mail, ao qual ela me respondeu, toda despachada, explicando-me que Filoxera é uma praga que dá na batata.
Umas semanas depois apareceu em minha casa, com 2 crianças maravilhosas e ficámos amigas.
Assim, simples.
Pois, mas o que está por trás disto é que a Filoxera é uma Mulher absolutamente fantástica: verdadeira, corajosa, Mãe, Filha, e a melhor Amiga que alguém pode querer.
Pensa sempre primeiro nos outros e não é por falta de ter em que pensar.
Sem mais nem menos, ontem enviou-me por mail esta imagem, com um obrigada. Ainda por cima, feito por ela!
Não sei o porquê do obrigada.
Talvez só porque sim!
E ainda temos dúvidas que a net não seja uma coisa boa.
Depende só de quem a faz.
Aproveito para o partilhar com quem gosta de mim.
Obrigada, Amiga.

27 March 2008

DIA DA POESIA


Confesso aminha confusão, pois passando pelos blogs amigos, cada dia encontro um Dia da Poesia.
E de entre Pessoa, Torga, Drummond, Florbela, Eugénio de Andrade, Neruda e tantos, tantos outros que enchem as minhas prateleiras e a minha cabeça, como posso escolher um ?
Mas como para ler poesia qualquer dia é bom, tanto faz ser ontem ou hoje.
E, ao calhas, só porque sou mulher, aqui fica Ary, no seu melhor:


Mulher
A mulher não é só casa
mulher-loiça, mulher-cama
ela é também mulher-asa,
mulher-força, mulher-chama
E é preciso dizer
dessa antiga condição
a mulher soube trazer
a cabeça e o coração
Trouxe a fábrica ao seu lar
e ordenado à cozinha
e impôs a trabalhar
a razão que sempre tinha
Trabalho não só de parto
mas também de construção
para um filho crescer farto
para um filho crescer são
A posse vai-se acabar
no tempo da liberdade
o que importa é saber estar
juntos em pé de igualdade
Desde que as coisas se tornem
naquilo que a gente quer
é igual dizer meu homem
ou dizer minha mulher
Ary dos Santos

26 March 2008

POR AMOR À LÍNGUA PORTUGUESA...

http://www.petitiononline.com/acor1990/petition.html

HAPPY BIRTHDAY FRANCISCO

O Francisco Faz Hoje Anos!

Não me lembro como fui parar ao blog do Francisco: o Essências. Mas fiquei cliente. É um dos meus obrigatórios diários.
Mistura humor com assuntos muito sérios e ainda entremeia com textos da sua autoria sempre lindos e profundos.
Francisco, de coração, os meus Parabéns, e neste ano que vai ser o da grande aventura de ser Pai, aqui lhe deixo os meus desejos de que realize todos os seus sonhos.
Beijinhos e muitos Veludinhos, Amigo!

SEDUÇÃO




Não gosto de falar dos meus afectos pelo muito que me expõe, mas, em contrapartida, decidi falar aqui de um tema que me interessa sobremaneira: a Sedução.
E, quando se aborda este, lembro-me logo do verso do David Mourão-Ferreira (um Mestre nesta disciplina!):
"Ai da sedução que não é uma arte! Ai da arte que não é sedução!".Tenho de definir o conceito de "sedução" que me interessa:
Sedução (do latim “se ducere”- conduzir, inclinar para si) para mim é encantar, envolver, cativar (o “apprivoiser” a que a raposa convidava o Petit Prince) e, nesse sentido, é inerente a qualquer estado de enamoramento (mesmo que este seja unilateral).
Sedução, contudo, também tem um significado de encenação, de jogo, de artifício para conseguir o fim visado, que é, em regra (pelo menos, no campo masculino) a consumação sexual.
Neste sentido, o sedutor tem como arquétipos as figuras de Don Juan e a do Vicomte de Valmont, do livro de Choderlos de Laclos, “Les Liaisons Dangereuses” (teve, pelo menos, duas adaptações cinematográficas).
Ora, com estes sedutores “predadores” eu tenho muito pouco que ver (“não faz o meu género”, para usar um francesismo).
Comecei a ler muito cedo, e tive a sorte de estar rodeada de gente muito culta. Se do meu pai herdei o jeito para escrever, (não direi talento, por pura falsa modéstia), da minha mãe herdei a curiosidade pela vida, pelas pessoas, pelos comportamentos, filosoficamente falando, e muitos têm sido ao longo da vida, os escritores que sobre isto tudo se têm debruçado, e a eles tenho ido beber a informação que me ajuda a compreender os outros.
Confesso que já pouca coisa me espanta.
Como disse alguém, com alguma graça” Depois de ver um porco a andar de bicicleta, já nada me espanta”.
Ora, eu já vi muitos.
Há, no entanto perguntas que continuam a acompanhar-me, porque tenho a absoluta necessidade de compreender o sentido da nossa existência.
Porque um dia a pergunta surge. Nalguns casos mais cedo que tarde.
Noutros tarde demais.
Noutros ainda, a pergunta fica e andamos anos à procura da resposta.
O que nos move? Qual o verdadeiro sentido da vida? Para que damos vida a seres que amamos acima de tudo, quando sabemos que inexoravelmente, eles começam a morrer no dia em que nascem?
Tenho poucas certezas na vida (aliás, acho que quem as tem, é de certeza, uma pessoa muito limitada), mas acredito que estamos mal programados. Na medida em que só aprendemos o caminho quando erramos, quando nos enganamos. Aí sim, ficamos aptos para passos mais firmes.
Mas nesse caminhar, vamos aprendendo, e, em princípio, evitamos trilhar caminhos que já fizemos antes e nos provaram não ser os certos.
É claro que este sinuoso caminho nos conduz à transformação pessoal. Pelo meio, haverá necessidade de revermos crenças e modos de vida. Seremos levados a equacionar se vale a pena certas coisas. Então colocamos tudo em causa. Separa-se o trigo do joio, clarificam-se valores, traçam-se objectivos. Estimula-se a criatividade, abrem-se novos caminhos para nos aperfeiçoarmos como seres humanos.
Mas na Sedução, quando entramos por esse caminho, muitas vezes percorremos caminhos já percorridos e usamos exactamente o mesmo artifício para construir a teia.
E falamos de pele, de química…
Que pele? Que química?
Se nem nos tocamos!!!!
E os perigos da Sedução são muitos, porque:
Se se trata de um jogo e só nós conhecemos as regras, inevitavelmente o outro sairá magoado, depois de seduzido e abandonado.
Se a intenção é seduzir para capturar alguém e levar esse alguém a amar-nos, vamos mostrar só a nossa face boa, mostrando as qualidades, escondendo os defeitos e um dia, quando a fase de sedução e do encantamento acabar, tudo cai por terra, e as mais das vezes, só sobra desamor e raiva por nos sentirmos enganados.
Assim, só há duas formas de sedução de que gosto:
A que dura uma noite, porque não uma Noite de Verão, como num Sonho, com luxo, com perfume, com beleza…
Ou a do Príncipezinho:
O Principezinho pede ao aviador que lhe desenhe uma ovelha, mas nenhuma das ovelhas que ele rabisca, por mais cuidados que tenha, o satisfazem: ora parece doente, ora é velha, e quantas mais ovelhas o aviador continuasse a desenhar, mais defeitos o Principezinho lhe poria.
A única solução foi fazer uma caixa e dizer: o que tu queres está lá dentro.
Este acto de deixar à consideração do outro, de o fazer adivinhar como será o que está dentro da caixa, torna o seu conteúdo "perfeito" ou pelo menos interessante/apaixonante aos olhos da pessoa que não sabe o que está guardado; e a chave muitas vezes está não só na forma como vamos desvendando o que está escondido da vista, mas também o facto de a pessoa ter de "abrir a caixa".
Por vezes, descobrimos depois que o conteúdo da caixa não é bem o que queríamos à partida, mas afinal até nos dá mais jeito, outras que afinal não nos interessa mesmo nada... Mas a nossa disponibilidade para tentar está muitas vezes condicionada pelo facto de nos ser apresentada a priori uma ovelha com todos os seus defeitos e virtudes declarados, ou uma caixa fechada, onde pode estar qualquer coisa.
Só que acho que hoje em dia, já ninguém lê o Príncipezinho, porque ninguém se sente responsável por quem cativa (seduz).

25 March 2008

CATIVA-ME


"Eu sou uma raposa", disse a raposa."Venha brincar comigo", propôs o Pequeno Príncipe. "Eu estou tão triste".
"Eu não posso brincar com você", a raposa disse. "Eu não estou cativada".
"O que significada isso – cativar?"
"É uma coisa que as pessoas freqüentemente negligenciam", disse a raposa. "Significa estabelecer laços".
"Sim" disse a raposa. "Para mim você é apenas um menininho e eu não tenho necessidade de você. E você por sua vez, não tem nenhuma necessidade de mim. Para você eu não sou nada mais do que uma raposa, mas sem você me cativar então nós precisaremos um do outro".
A raposa olhou fixamente para o Pequeno Príncipe durante muito tempo e disse: "Por favor cativa-me."
"O que eu devo fazer para cativar você?" perguntou o Pequeno Príncipe.
Você deve ser muito paciente". Disse a raposa. "Primeiro você vai sentar a uma pequena distância de mim e não vai dizer nada. Palavras são as fontes de desentendimento. Mas você se sentará um pouco mais perto de mim todo dia."
No dia seguinte o principezinho voltou.
“Teria sido melhor voltares à mesma hora, disse a raposa. Se tu vens por exemplo, às quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz. Quanto mais a hora for chegando, mais me sentirei feliz. Ás quatro horas, então, estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade! Mas se tu vens por exemplo a qualquer momento, nunca saberei a hora de preparar o coração...É preciso ritos.”
Então o Pequeno Príncipe cativou a raposa e depois chegou a hora da partida dele – "Oh!" disse a raposa. "Eu vou chorar".
"A culpa é sua", disse o Pequeno Príncipe, "mas você mesma quis que eu a cativasse".
"Adeus", disse o Pequeno Príncipe.
"Adeus", disse a raposa. "E agora eu vou contar a você um segredo: nós só podemos ver perfeitamente com o coração; o que é essencial é invisível aos olhos. Os homens têm esquecido esta verdade. Mas você não deve esquecê-la. Você se torna eternamente responsável por aquilo que cativa."

RECEITA PARA BLUEVELVET




The Recipe For Bluevelvet



3 parts Daring
2 parts Attractiveness
1 part Allure

Splash of Sensitivity

Sip slowly on the beach

24 March 2008

7 MORTOS NA MANIFESTAÇÃO PRÓ TIBETE




Pelo menos sete mortos durante manifestação pró-Tibete em Sichuan, avançam ONG.
Polícia nega que tenha ocorrido qualquer incidente
16.03.2008 - 15h39 AFP
Pelo menos sete tibetanos foram mortos hoje durante uma manifestação desmobilizada pela polícia em Ngawa, num distrito tibetano da província de Sichuan, sudoeste da China, segundo duas organização não-governamentais pró-Tibete. A polícia de Ngawa nega que tenha ocorrido qualquer incidente.
“A manifestação foi violentamente dispersada. A polícia disparou para a multidão. Há sete mortos”, contou à AFP Kate Saunders da Campanha Internacional para ao Tibete, citando testemunhas no local. Saunders acrescentou que “muitas pessoas ficaram igualmente feridas” e que a “polícia se retirou” depois de desmobilizada a manifestação.
O Centro Tibetano para os Direitos do Homem e a Democracia avança, por sua vez, que há 13 mortos confirmados, entre os quais monges do mosteiro Kirti, em Ngawa, situado a cerca de mil quilómetros a nordeste de Lhasa.
"Tivemos a confirmação da morte de 13 pessoas", indicou o porta-voz do centro, Lobsang Tsultrin.
Segundo o relato dos acontecimentos que a organização avançou no seu site, a manifestação começou quando “milhares de monges se reuniram para a oração”.
“Pouco depois, gritaram espontaneamente slogans a apelar à libertação do Tibete e ao regresso do Dalai Lama, acompanhados por milhares de civis de Ngawa, que se dirigiam para a sede do governo local”, escreveu ainda a organização.
Uma testemunha ouvida pela AFP indicou que três pessoas morreram durante a manifestação que se seguiu à oração em Kirti, que abriga perto de 2800 monges tibetanos.
“Os manifestantes atacaram a sede da polícia, incendiaram viaturas e a polícia disparou. Vi três pessoas mortas”, acrescentou a mesma fonte.
Um porta-voz da polícia de Ngawa negou que tivesse havido qualquer ataque. “Tal não aconteceu”, reforçou o mesmo responsável à AFP.
O incidente foi igualmente relatado pela Campanha pela Libertação do Tibete, que citou testemunhas no local. A organização com sede em Londres contabilizou em cinco o número de mortos na manifestação de “centenas de tibetanos”, indicando também que entre os manifestantes se enontravam monges de Kirti, estando um deles entre as vítimas.
“Trata-se da primeira manifestação em Sichuan de que tenho conhecimento”, sublinhou o porta-voz da campanha, Matt Whitticase.
A manifestação dos monges budistas de hoje segue-se a outra registada ontem na província chinesa de Gansu, no Noroeste, segundo grupos de defesa dos tibetanos. Nos últimos dias os monges budistas têm-se manifestado contra o Governo chinês. Anteontem, manifestações contra a administração chinesa degeneraram em violência no centro de Lhasa, provocando pelo menos dez mortos, segundo Pequim, e perto de cem, de acordo com o Governo tibetano no exílio, que já pediu a abertura de um inquérito junto da ONU sobre estes episódios de violência.

Deixei passar o Domingo de Páscoa para publicar este post embora lá não haja Páscoa...
O texto acima foi retirado do Público de ontem.
É sabido, porque já aqui o escrevi, que não morro de amores pelo regime chinês nem, aliás, por nenhum regime totalitário, onde por definição, os Direitos Humanos são violados a todo o momento.
Lamentavelmente, estão sempre a dar-me razão naquilo que defendo... infelizmente!
Gostaria de estar enganada e ter de engolir o que digo acompanhando esse gesto com uma educada vénia chinesa...
Mas não! O monstro é cruel, como o são todos. E, mais uma vez nem o faz às escondidas.
Todos os genocídios foram feitos, quase sempre à vista de todos. E isso preocupa-me!
Preocupa-me que a ONU ainda não se tenha pronunciado sobre isso.
Preocupa-me que se invoque o árduo trabalho dos desportistas para se qualificarem para as Olimpíadas para que os Jogos não sejam boicotados.
Preocupa-me que a comunidade internacional não tome nenhuma atitude.
Preocupa-me que o Sr. Presidente da República invoque" compromissos de agenda" para não estar presente na China na altura dos Jogos em vez de afirmar que não assiste por outras razões.
Será que todo este silêncio tem a ver com o facto de ainda não terem descoberto petróleo na China?
Ou será que acham que o Tibete é muito longe, e estas coisas só acontecem aos outros?
Já tivemos muitos Monstros na História...
Será que o Mundo vai permitir que a História se repita?

Aqui deixo uma Petição a favor da aprovação pela Assembleia da República, de uma moção que condene a Violação dos Direitos Humanos e da Liberdade Política e Religiosa no Tibete, a que o MIL: Movimento Internacional Lusófono, se associou e apela a que a subscrevam.

23 March 2008

PARA AS AMIGAS E AMIGOS

Como prometido, aqui fica, com
Imagem roubada à má fila e com todo o descaramento do Blog da Xana.

O FOLAR DA MINHA MÃE.
DELICIEM-SE

22 March 2008

SÁBADO DE ALELUIA

Recados Para Orkut

Terminou a Semana Santa e hoje é sábado de Aleluia.
Sou católica praticante, ( não tanto como devia) e tenho uma relação muito especial com Deus. Falo com Ele mais do que rezo, zango-me com Ele e às vezes ficamos mesmo de relações cortadas, não me confesso desde que o meu confessor de toda a vida morreu mas continuo a comungar...
Foi ele que me baptizou, casou, baptizou os meus filhos, e sempre foi um Franciscano especial. Desalinhado como eu, nem poderia ser de outra maneira, era já Bispo de Santarém quando me casou. Confessava-me por carta ou pelo telefone e combinamos que os pecados cometidos de que não me arrependesse, ajustaria contas directamente com Ele.
Sim, porque de nada servia eu confessar-me, dizer-me arrependida quando não estava, ele absolver-me e eu repetir tudo de novo.
Quando partiu, perante a minha recusa de me confessar a um estranho, ficou decidido que me confessaria directamente a Ele. Daí os meus filhos dizerem que eu tenho uma linha directa com Deus.
Uma vez, na Catedral de Milão, na Piazza Duomo, peguei num dos vários telefones que têm na entrada com gravações em várias línguas descrevendo toda a Catedral, quando o meu filho mais velho me puxou para me dizer qualquer coisa. O mais novo, bem pequenino, interrompeu-o e disse-lhe:- Chiuuu, a mãmã está a falar com Deus.
Foi a risota geral.
Bem, mas dizia eu que como católica fico um bocadinho enxograda porque todos sabem o que é o Natal e conheçem os seus símbolos, mas pouco ou nada sabem da Páscoa.
Se procurarem na net vem lá tudo explicado, excepto alguns pormenores que considero muito importantes.
Por exemplo, que se um católico só conseguir comungar uma vez no ano, o deve fazer no domingo de Páscoa e não no Natal.
É mais importante a Ressureição de Cristo do que o seu nascimento.
Enfim, não tornarei este post numa aula de catequese, mas sempre direi que a Páscoa é renascimento, renovação e que o símbolo do coelhinho e dos ovos tem a ver com a data em que se comemora, que é no início da Primavera. Como os índices de mortalidade durante o período frio do ano eram altíssimos na Europa antiga, os símbolos que hoje adoptamos, como o coelhinho e os ovos de chocolate, representam vida nova.
O coelho lembra a fertilidade, pela sua ampla e rápida capacidade de reprodução, e os ovos são a própria vida que surge.
A Páscoa na minha família segue a Tradição que já vem dos antepassados:
Missa pela manhã, cabrito assado ao almoço e várias sobremesas, além da troca de ovos ou pequenas lembranças.
Em criança, a minha mãe e as minhas tias preparavam-nos para eu e os meus primos os pintarmos e depois elas escondiam-nos e nós íamos à procura deles nos sítios mais esquisitos da quinta da minha avó.
Desse tempo ficou um maravilhoso Folar que a minha mãe confecciona e onde coloca, no meio, ovos que ela própria pinta.
Amanhã deixo aqui a fotografia para todos se lamberem e em homenagem aquela que continua a ser um elemento aglutinador de toda a família: a minha mãe.
Recados Para Orkut

Para todos que esta Páscoa seja um novo recomeço, de Vida, Sonhos e Amor.

Eu já recebi hoje o 1ºOvo de Páscoa. Veio com a antecedência de um dia, mas é normal. Amanhã não há correio e as cegonhas não trazem nada de Paris.

PÁSCOA FELIZ PARA TODOS

Recados Para Orkut

ALGO ESTÁ PODRE NO REINO DA DINAMARCA



Eu não seria quem sou, se num dos poucos sítios onde posso gritar a minha indignação, não o fizesse.
Aqui.
Nem somos um reino, nem estamos na Dinamarca e está tudo podre.
A começar pela paz podre em que vivemos.
Com um ano mais, esta "espécie" de aluna, de jovem, de rapariga cometeu mais do que um crime previsto e punido no C´digo Penal.
Assim, como coitadinha só tem 15 anos a coisa fica por isso mesmo, ou seja, nada.
É nestas alturas que me pergunto, se as nossas mentes abertas não se abriram demais.
Não contrariamos as criancinhas para não ficarem traumatizadas.
Não dizemos "porque não", porque temos que explicar aos filhos as razões do não.
Vivemos em democracia, e à luz disso, qualquer um pode insultar impunemente uma qualquer figura de Estado, e o atingido tem que sorrir, sob pena de ser acusado de não ter fair play.
Os ricos estão cada vez mais ricos, os pobres são cada vez mais, e mais pobres.
O desemprego aumenta.
A inflacção é o que se sabe.
A Educação está como está.
Da Saúde nem vale a pena falar: são doentes que caiem das macas, são parturientes que dão à luz nas ambulâncias, são bombeiros sonolentos que atendem chamadas do Inem...
A criminalidade urbana aumenta em flecha.
Meti tudo no mesmo saco?
Pois meti.
Haja RESPEITO, senhores.
Respeito pelos pais.
Pelos professores.
Pelos mais velhos.
Haja VALORES.
A família, base de qualquer sociedade quase não existe.
São divórcios.
São trocas de casais.
São relações sexuais começadas absurdamente cedo.
A TRADIÇÃO. Um povo que não respeita as suas tradições e que não as vive, prolongando-as, é um povo com tendência a perder a sua identidade.
Esta aluna, se é que se lhe pode chamar isso, que espécie de educação teve?
Que exemplos viu em casa?
Que família tem?
Vai-se abrir um inquérito?
Mas que inquérito? O que falta saber e ver, depois de ver estas imagens?
Já que não pode ser punida pela lei, porque não expulsá-la e não permitir que se matricule, durante uns anos, num estabelecimento de ensino?
Porque uma coisa é certa: ela não quer aprender e não quer estudar.
Faça-se a sua vontade e dêem lá o telemóvel à menina, não vá ela ficar traumatizada.

Recados Para Orkut


BOA PÁSCOA PARA TODOS


20 March 2008

FOREVER YOUNG






Ainda de ressaca das emoções de ontem, porque todas as imagens e recordações que tenho do meu pai, não encaixam no corpinho frágil onde hoje habita. E o pior, ou melhor, sei lá, é que a cabecinha continua boa, para não falar no coração que embora batendo a meio-compasso, continua cheio de amor para dar.
E vem-me à ideia um dos medos com que lido desde sempre: o medo de envelhecer. Confesso que, quando penso nisso, não me agrada nada a perspectiva. A força da gravidade a fazer descair as peles menos firmes, as rugas que já não se podem apelidar “de expressão”, o peso que é mais difícil de manter e que teima sempre em aumentar, tarefas que nos custam cada vez mais a desempenhar, a memória e a rapidez de raciocínio a diminuir, as insónias a aumentar, a vista a piorar, a agilidade a desaparecer, a resistência física a escassear, as contas com médicos e medicamentos a abundar... Por outro lado a medicina e os seus avanços, prolongam a vida, mas na maior parte das vezes, sem qualquer qualidade.
Envelhecer com qualidade é apenas mais um dos “temas da actualidade”. Mas o que é isso exactamente? Será que basta chegar aos 70 anos, sãos como peros? O que me assusta realmente não é apenas a debilidade física, mas sim a solidão em que alguns idosos vivem e, principalmente, a vulnerabilidade que apresentam.
Nos jardim, não faltam reformados sozinhos... simplesmente à espera que o tempo passe. Nas ruas, caminham lentamente e, por vezes, algo desamparados, estando não raramente sujeitos a atropelamentos e assaltos. Assustador...
E lido tanto pior com isso, quanto é verdade que adoro pessoas de idade! Tirando algumas que têm a mania que “idade é um posto”, admiro a sua experiência e não perco uma possibilidade de ouvir histórias do passado, directamente da boca de quem as testemunhou. São, na sua grande maioria, crianças grandes, com birras e gracinhas e aprecio este tipo de convívio quando é saudável. Mas a incapacidade que acompanha quase sempre a velhice... essa não gosto nem de pensar. A dependência de outros (muitas vezes estranhos) para o dia a dia mais básico. O abandono a que são votados, por vezes, pelos próprios familiares.
Depositados em lares, como trapos velhos, inúteis e que só servem para complicar a vida.
Faz-me sempre lembrar que há anos atrás, em algumas tribos índias e na China, quando um velho se tornava pesado para a família era levado para o alto de uma montanha, onde ficava, sozinho, à espera de morrer.
Embora se diga que nascer e morrer são os actos mais solitários do mundo, continuo a acreditar, que assim como as mãos do médico nos amparam à chegada é preciso que uma mão aperte a nossa, na partida.

HÁ MAIS COISAS....



"And therefore as a stranger give it welcome.
There are more things in heaven and earth, Horatio,
Than are dreamt of in your philosophy."
William Shakespeare

NEM SABEM O QUE PERDERAM!



É a 1ª vez que faço um post assim:)))
Sei que às vezes não apetece ver os vídeos que encontramos nos blogs por onde passamos.
Mas não sabem o que perderam por não terem visto o que pus um pouquinho abaixo, chamado: Ou amamentam ou fazem yôga...

( 1 ) TOU DANADA

APARTAMENTOS NO CAMPO PEQUENO

No Campo Pequeno estão a ser construídos uns apartamentos que só custam 1 milhão de euros nos pisos inferiores, e vão subindo conforme a altura, terminando em 4,5 milhões de euros nos pisos superiores.
Os apartamentos dos pisos superiores já estão todos vendidos o que é natural dado que têm piscina na cobertura.
Ora, era um desses que eu queria!
Tou danada.!



Ps: Dizem que há para aí uma crise. Estou farta de chamar por ela e não tenho resposta...

19 March 2008

DIA DO PAI


Fiz em Novembro um post sobre o meu pai.
Hoje é um dia complicado: muitas amigas minhas já não têm o seu pai e hoje, mais do que nos outros dias lembram-se dele.
É o mal dos dias de.....
Portanto, por amizade também, não faço grande alarido por aqui.
De qualquer forma, faltam as palavras para descrever o meu pai e o que ele sempre significou para mim, de amor, calma, colo, compreensão, generosidade, sacrifício, amor.
Está ligado a todas as boas recordações da infância, da juventude e da fase adulta.
Assim, faço-me de criança e escrevo:
O meu pai é o meu pai.
O meu pai é doce.
O meu pai é um abraço.
Eu amo o meu Pai.

18 March 2008

ELES E ELAS



















Ela, ele, a "cosmolanguage" e as poeiras cósmicas




Ela atrás do sonho dele, ele atrás do sonho dela, ela olhando o seu corpo, ele olhando o corpo dela

Ela e o corpo dele, ela e a sua religião, elle avec son amour, ela e o cosmos.











Ele e o seu cosmos







Ela e o seu Cosmos




Ele e o sonho dele

Ele e o sonho dela

Ela sem ele

António Costa Pinheiro nasceu em Moura, em 6-6-1932. A importância da obra de Costa Pinheiro, iniciada em finais da década de 50 e pouco depois integrada na acção do Grupo KWY – a que foi dedicada uma exaustiva retrospectiva no Centro Cultural de Belém em 2001 –, destacou-o como um dos mais significativos artistas da segunda metade do séc. XX em Portugal.

Não é o estilo de pintura que mais me atrai, mas vendo agora uma retrospectiva da sua obra, chamou-me a atenção esta exposição, que foi a última, até hoje, pelo elo que parece ligar a mulher ao Mundo, o homem ao Mundo e os dois ao Mundo, ainda que cada um deles, tenha o seu próprio Mundo.

Do Catálogo:"... esse serem um para o outro, ou o afastarem-se um do outro, ou o refugiarem-se cada um no espaço da respectiva subjectividade, consoante os movimentos internos da sua própria narrativa, podendo parecer à partida um acto que nos seria absolutamente indiferente, na medida em que não teria qualquer projecção na história, desde logo remete para essa outra narrativa do mito, talvez do mais universal de todos depois do mito da criação, de que é continuação directa, e que é o mito do encontro (ou do desencontro) entre o feminino e o masculino.”

Sem qualquer cinismo, porque gostei mesmo muito, mas na procura a que sempre me leva a curiosidade de entender o processo criativo de um artista, gostava de perguntar a Costa Pinheiro, o porquê de só ter pintado a Mulher sózinha.

OU AMAMENTAM OU FAZEM YOGA.......


video

:))))))))))

17 March 2008

BETTY BOOP ST PATRICKS

Glitter Graphics

ST.PATRICKS BLESSINGS






ST PATRICK'S PARADES IN THE STATES


ST.PATRICKS DAY

DITADO IRLANDÊS: There are only two kinds of people in the world … the Irish and those who wish they were."



St.Patrick viveu entre 389 e 461 DC e é o patrono da Irlanda. Foi o responsável pela conversão dos Irlandeses ao Cristianismo. Quando tinha 16 anos foi raptado por piratas que o venderam como escravo na Irlanda. Durante o seu cativeiro dedicou-se à religião. Esteve preso 6 anos e depois de ser libertado começou a Evangelização.

free myspace layouts




O Saint Patrick's Day é uma festa anual, celebrada a 17 de Março, em honra de St.Patrick, um dos Santos patronos da Irlanda.
Além da Irlanda, é celebrada em vários Países do Mundo, entre eles nos Estados Unidos.
Foi celebrada pela 1ª vez, em
Boston
em 1737
Nova York em 1756
Chicago em 1843
Savannah em 1813
Pittsburgh em 1869

OS SÍMBOLOS DO DIA DE ST. PATRICK são:

The schamrock, um trevo só de 3 folhas e não de 4 como se pensa e representa a Santíssima Trindade.

myspace graphics

A Cerveja Verde

Photobucket






O ARCO-ÍRIS COM UM POTE DO TESOURO
cool myspace layouts






LEPRECHAUN

O Leprechaun é, segundo a lenda, um duende, pequenino e velhinho, vestido de sapateiro, com uma cartola verde e um avental de pele. Descobre-se onde ele está pelo barulho do seu martelo de sapateiro.
Encontrado, não se pode perdê-lo nem um segundo de vista, e assim ele levar-nos-á até ao pote do tesouro que escondeu no fim do arco-irís.


As Celebrações de St. Patrick's Day nos Estados Unidos nos dias de hoje



Em Nova Iorque, um grupo de emigrantes Irlandeses, cheios de saudades da sua terra, marcaram a primeira Parade com um desfile a 17 de Março de 1762.
Hoje em dia, a parada que desce a 5ª Avenida é a maior celebração no Mundo com cerca de 250 mil participantes e vários milhares de espectadores
Em Chicago, os trabalhadores encarregues de controlar a poluição e descargas ilegais no rio, descobriram que o produto usado para isso poderia ser usado para comemorar o dia de uma forma muito original.
Todos os anos, os canalizadores usam 40 toneladas de corante para colorir todo o Chicago River de verde.
Saavannah, Ga.: A população desta cidadezinha do Sul tornou as comemorações as 2ªs maiores do País.
Boston: Acredita-se que a 1ª Parada do Dia de St. Patrick aconteceu em 1737, organizada pela Sociedade de Caridade Irlandesa.