1 March 2008

PALAVRINHA HORROROSA: TALVEZ II


Da mesma forma que prefiro emoções a paisagens, não gosto do quase, do talvez, do se...
Para mim tudo isto é ficar a meio caminho.
Entre o sim e o não, temos que escolher. E as escolhas não são fáceis, como diz a minha sábia mãe: não existem almoços de graça. Pagamos um preço pelas escolhas que vamos fazendo ao longo da vida.
Em tempos desejei ser um barco à deriva, e que me aparecesse um capitão que pudesse conduzi-lo, seja lá pra onde fosse, desde que eu não tivesse que decidir que rumo tomar. Mas, não há capitães perdidos nos mares das dúvidas e indecisões.
Sim ou não.
Binário.
Digital.
Algorítmico.
Mas não é tão fácil, bem sei, daí o desejo da deriva e de deixar que alguém decida por nós...
De qualquer modo, há que escolher.
Há que se agarrar a vida e na vida, mesmo que seja para cometer erros e voltar atrás e pagar um preço alto por dizer um sim ou um não.
Vitor Hugo escreveu que toda a nossa vida depende de 2 ou 3 sins e dois ou três nãos.
A questão é quando os dizemos!
Por isso o quase não basta. Quase é muito pouco.
Como diz uma música brasileira, é sempre bom lembrar que um copo vazio está cheio de ar.
Ficar a meio caminho é não caminhar de todo.
Gosto da imagem do mergulho.
Do ousar.
Por isso gosto de Clarice,de Vinícius, de Quintana, de Ary... daqueles que com suas palavras afastaram toda e qualquer possibilidade do talvez...

Pintura de João Carita

19 nhận xét :

amigona avó e a neta princesa said...

Concordo em absoluto!!! É assim como "nem é carne nem é peixe"!!! Ou se é ou não é!!! Ou SIM ou NÂO! Não gosto do NIM!!! Beijos...

Luís Galego said...

prefiro emoções às paisagens...

não obstante, ainda do que mais gosto são das pessoas (convêm é não as conhecer muito bem, passe a ironia)

um abraço enorme e consegui ser o primeiro...

nuvem said...

Concordo plenamente contigo e com Vitor Hugo... Escolheste bem os teus parceiros neste texto :)

Mil beijos, querida.

Templo do Giraldo said...

http://templodogiraldo.blogspot.com/


Passem por aqui.

SAUDAçÔES.

Manuel Damas said...

Não!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Tudo menos Gershwin!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Está aqui um homem a tentar dar uma de esforçado cronista, a tenatr malhar forte e feio no discurso socrático no "Fórum Novas Fronteiras" e, tentando desopilar resolve espreitar pelas janelas das amigas e o que acontece????
Leva com Gershwin!
Não há pachorra!
Que maçada, Blue...que maçada!!!
É que eu adoro Gershwin...mas adoro mesmo, de paixão, como diz a outra!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Ainda por cima a rapsódia....
E agora????
Como vou conseguir aterrar de novo para escrevinhar a crónica de amanhã?

Blue Velvet said...

Amigona avó e a neta princesa: tb não gosto de nim.
Seja bem vinda!
Bom fim de semana

Blue Velvet said...

Luis, querido,
mesmo que o comentário não tenha saído em 1º lugar, no meu coração, foi.
Mil beijinhos e veludinhos

Blue Velvet said...

Nuvem Linda,
mil beijos para ti também

Blue Velvet said...

Prof.
só tem um remédio: dance.Dance até que as pernas lhe doam.
Beijinhos e cetins dourados

Jotabê said...

Chiça! Que sisma com o desgraçado do ‘talvez’. O talvez tem tantos direitos como os definitivos sim e não. Um talvez também tem os seus sentimentos, também sente e sofre, ele também é necessário, habitam no mesmo andar, o talvez mora no frente, o sim é esquerdo e o não é direito.
Sem o talvez, erravas muitas mais vezes, sem o talvez, o teu futuro seria um rol de compensações e remedeios.

- Blue, vais amanhã ao cinema?

Três respostas estão à tua disposição: sim, não ou talvez.
Sem o talvez, se respondes sim e depois não podes, tens uma explicação para dar, se ao contrário respondes não, mas depois apetece-te e vais, tens outra explicação para dar.
Com o talvez fica tudo muito mais simples, livras-te das explicações, retardas o stress, as rugas e os cabelos brancos, que as explicações coladas aos definitivos sins e nãos provocam.

Portanto vamos lá a não enxovalhar o coitado do talvez, ok menina?

Talvez tenhas exagerado. Ou talvez tenha exagerado eu.


:)

beijoca e bfs

Outonodesconhecido said...

Blue andas muito inspirada...gosto!
E sim, nada de decisões. por favor toma a teu rumo e que seja oq ue deus quiser. Boa sorte
Virei mais tarde buscar o teu prémio; vou de viagem.
bjs

Maria said...

E o preço que pagamos às vezes é tão alto....
Voltaria a pagar os preços todos que já paguei. Mais altos ainda. Só pelo gozo superior de ter vistol tantos mil hoje. Juntos!!!!

Beijos.

samuel said...

Na mouche!

Abreijo

Ana said...

Querida Blue,também sou assim.Gosto de ousar,pisar o risco e por vezes ultrapassar os limites!Também acho que os quase ou os talvez não são o caminho a seguir.As indecisões acabam sempre por não nos deixar tirar os pés do chão,e é preferível tirá-los, ainda que não consigamos tocar o céu!
E como já dizia Charles Chaplin
.."BOM MESMO É IR À LUTA COM DETERMINaÇÃO, ABRAÇAR A VIDA E VIVER COM PAIXÃO, PERDER COM CLASSE E VIVER COM OUSADIA. POIS O TRIUNFO PERTENCE A QUEM SE ATREVE, E A VIDA É MUITO BELA PARA SER INSIGNIFICANTE.."
E é mesmo!!!

Beijinho doce,:))))
Bom domingo

No said...

Blue

tambem não gosto da postura "em cima do muro", concordo com a amigona que NIM não é "são"... rsrsrs.
Por isso me lembrou aquela música ... "SE" do Djavan você conhece? [[ http://letras.terra.com.br/djavan/69400/ ]]

CoRa
www.cora.festim.net

beijos

Carminda Pinho said...

É assim mesmo..."trabalho é trabalho, conhaque é conhaque".:)
Também prefiro o "ou sim ou sopas", detesto ficar na indecisão do, quase...

Beijos

Carminda Pinho said...

Pronto, enganei-me na palavra, mas vai dar tudo ao mesmo...quase ou talvez são práticamente sinónimos.:)

f@ said...

Olá Blue.. tb gosto de mergular das nuvens...
Semana de mtas certezas beijinhos

Oliver Pickwick said...

O que disse para o "quase", vale para o "talvez", assim, não há o que comentar. Contudo, admito que do seu ponto de vista, cara Blue, vende bem o seu peixe. O texto está ótimo.
Beijos!