4 March 2008

NÃO TENHO MAIS OLHOS DE MENINA

Não tenho mais os olhos de menina.
nem corpo adolescente (...)
O que te posso dar é mais que tudo o que perdi:
dou-te os meus ganhos.
A maturidade que consegue rir quando em outros tempos choraria,
busca te agradar quando antigamente quereria apenas ser amada.
Posso dar-te muito mais do que beleza e juventude agora:
esses dourados anos me ensinaram a amar melhor,
com mais paciência e não menos ardor,
a entender-te se precisas,
a aguardar-te quando vais,
a dar-te regaço de amante
e colo de amiga,
e sobretudo força — que vem do aprendizado.
Isso posso te dar:
um mar antigo e confiável cujas marés
— mesmo se fogem —
retornam,
cujas correntes ocultas não levam destroços
mas o sonho interminável das sereias."
Lya Luft é uma poetisa que trata as palavras com uma delicadeza parecida com a de um cirurgião tocando com pinças num órgão vital. Diz, como eu nunca conseguiria dizer estas coisas doces e aparentemente sábias.
Tornou-se vox populi que a idade e o sofrimento nos amadurecem.
Mas eu não penso assim.
Não sinto assim.
Ganha-se experiência, mas à custa de sofrimento. Porquê?
A felicidade não ensina nada de bom?
O passar do tempo traz-nos muitas perdas. De toda a espécie.
E ganhos! Dizem os mais velhos. E mais sábios. Do que eu.
Hoje, sou mais segura, escuto melhor os outros, sou menos impulsiva.
Mas continuo de feitio apaixonado, irreverente, com um imenso amor para dar e um regaço de amante.
E é este imenso amor que precisa transbordar das margens para que não seque a fonte e possa desaguar num mar imenso, para que não fique amarga, e para que ele não seque.
Por isso, eu quero ser virgem, ser alva, ser intocada e continuar a ter olhos de menina…
E definitivamente, não amadurecer à custa de sofrer…




PINK ELEPHANTS DO EXIST ( what nobody knows is that they depend on their wings to subsist)

18 nhận xét :

Sol da meia noite said...

Mas estamos condenados ao sofrimento... algo indissociável do ser humano no seu percurso.

Beijinhos, amiga

parvinha said...

A maturidade é a melhor coisa que temos minha querida! Não te esqueças disso!

Dá-nos outro "estar", outra forma de pensar sem perder a originalidade, a sede de viver, de saber, conhecer, sentir...

Querida, muitos beijinhos!

Miudaaa said...

"O que te posso dar é mais que tudo o que perdi:
dou-te os meus ganhos."

Aiii que coisa bonitaaa, li agora aqui. Ameiii. Ainda estou enternecida, com a magia das palavras.

Ainda tenho olhos de menina e beijos de menina. deixo um beijo de miudaaa.

Spectrum said...

Bastam/te/lhe as marés que retornam. E a incondicionalidade.
Um beijo, Blue

samuel said...

Estamos sempre a crescer... como tudo. Por vezes dói.

Abreijo.

melgadoporto said...

Sofremos porque queremos!
Gostamos de sofrer!
Só quem sofre sabe!
Até parece que no sofrer é que está o ganho :)
Mas é muito assim…
Mas terá que ser?
??

Olá!! said...

A felicidade depende mais do que temos na cabeça e no coração do que nos bolsos....
Quero amadurecer sendo criança, mas ter sempre essa noção...
Beijossssssss

Maria said...

O que é o sofrimento?
E que tipo de sofrimento?
Acredito que o sofrimento provocado por doenças e percas importantes seja idêntico para todos. Mas há sofrimentos por outras razões, que me excuso de enunciar, e que para mim não são sofrimento...
... ao contrário, dão-me "pica" para alterar a situação...
Tu entendes, blue.

Beijinhos

Manuel Damas said...

Estou farto de amadurecer, mas ainda me falta amadurecer tanto.
Um beijo "Blue", meu anjo complicado!

Xana said...

Quando penso que o sofrimento me amadureceu tanto, que já nada altera... volto a sentir os medos de criança... e o rumo modifica o estar...

Beijinhos, linda!

:( não me visitas....

Filoxera said...

Amiga:
É bem verdade também no meu caso que "Hoje, sou mais segura, escuto melhor os outros, sou menos impulsiva.
Mas continuo de feitio apaixonado, irreverente, com um imenso amor para dar e um regaço de amante."...
Aprende-se tanto com a vida!
Mas não vou divagar agora.
Beijos e saudades.

Oliver Pickwick said...

Acredito que o sofrimento nos amadurece, assim como, a felicidade também. Em ambos os casos, no sentido de nos tornarmos mais experientes, por conseqüência, melhor preparados, até mesmo para relevar dissabores menores, e minimizar os maiores. O estado de ventura é um companheiro imprescindível, capaz de nos deixar em muitas circunstâncias, com olhos de menino.
Beijos, e dias felizes, querida Velvet!

Carminda Pinho said...

Blue,
dizem e, parece que é verdade, que todos os dias crescemos, amadurecemos, sei lá que mais...
Às vezes, dou comigo a pensar que os anos trouxeream-me mais sabedoria, isso sim. Claro que não vou falar de rugas nem nada desse género. Sofrer, claro que toda a gente sofre, uns duma forma outros doutra...
Coração de menina? dizem que sim.:)
Magnifico post.

Beijinhos

Capitão Merda said...

Bom dia!

Luís Galego said...

poetisa que trata as palavras com uma delicadeza parecida com a de um cirurgião

gosto particularmente desta frase e subscrevo na integra que não precisamos de sofrer TANTO mara sermos felizes...

Sérgio Figueiredo said...

A pouco e pouco vou navegando e visitando blogues. Hoje é dia de estar neste teu espaço. Gosto do blog, das palavras directas, dos desejos, maturidade e infância. Concordo com o que dizes. Porquê sofrer para se ser feliz ou, sou feliz mas...porque tive de sofrer tanto. Na verdade a maturidade dá-nos essa experiência, o sofrer em busca da felicidade. Mas...também é verdade que quanto mais sofremos mais felizes somos ou podemos ser. E... quanto mais velhos mais capacidade de recordar (sempre) os momentos passados, agora sem sofrimento, mesmo sendo eles bons ou maus. Eu chamo-lhe aprendizagem e se concordas, então vamos sofrer até morrer. "Felizes para sempre".
Sê feliz
até

f@ said...

Talvez olhares de menina...
mto bonito beijinhos

FM said...

(Blue, desculpa a pergunta mas a mim acontece-me diversas vezes que passo por cá, ninguém se queixa de ficar bloqueado neste teu cantinho? É que acontece-me imensas vezes, tendo mesmo que fechar todas as páginas)
Beijos.