30 April 2008

NEW YORK NEW YORK ... OBRIGADA


Nova Iorque é como as mulheres: ou se ama, ou se odeia.
Não há aquela coisa de: Ah, gosto, mas...
Eu amo Nova Iorque sem mas, talvez por não a conhecer como turista, embora conheça todos os locais obrigatórios de passagem turística.
Mas, por exemplo, exactamente porque a amo e a sinto um pouco como minha casa, impressiona-me imenso ver no local das Twin Towers, magotes de turistas a tirarem fotografias .
Ainda se pelo menos se limitassem ao local... Mas não. Encostam-se ao gradeamento onde estão os nomes de todos os que morreram e sorriem para a câmara.
Logo após o atentado fui lá e levei o meu filho mais novo. Ele ia de máquina em punho e preparava-se para me tirar uma fotografia quando viu os meus olhos marejados de lágrimas. Olhou para mim, e sem uma palavra meteu a máquina no bolso.
É que eu já tinha jantado no restaurante no alto das Torres, com a vista única de Manhatten aos meus pés.
Já me tinha sentado nos jardins que rodeavam as Torres, comendo um gelado e vendo os apressados corretores da bolsa correndo para os bancos.
Já tinha apanhado, perto dali o barco que nos leva à Estátua da Liberdade.
De repente, ver tudo desaparecido, uma cratera gigante no chão e aquilo que foi em tempos um imenso globo terrestre em ferro ou aço, não sei bem, todo negro e deformado pelo calor da tragédia, dói.
Ali, mais do que em qualquer outro lado, tem-se verdadeira noção do que pode a maldade dos homens, seja quem for o culpado de tamanha barbaridade.
Mas enfim, este não é um post triste.
A cidade fervilha de gente, os dog-sitters passeiam 5 e 6 câes cada um, muitas lojas estão abertas 24 horas por dia, e a cidade, de facto, nunca dorme, como cantava Francis Albert Sinatra.
Chegada de uma aula de yôga, não resisto a contar-vos uma que me deixou a pensar.
Antes de sair do ginásio perguntei se 5ªfeira estavam abertos.
Responderam-me que sim.
E eu retorqui: Mas, em todo o Mundo estão fechados. É o Dia do Trabalhador!
WE ARE THE WORLD, DEAR. THE OTHERS, ARE THE REST OF THE WORLD...
Assim, daqui desta cidade que tanto amo e onde me sinto tão feliz, vos digo:
Eu amo os Estadou Unidos, mas...



A minha querida amiga e maravilhosa artista Fa, ofereceu-me este quadro pintado por ela como sinal de Boas Vindas.
Bem hajas, amiga.
A fotografia é aquilo que os meus olhos viram do alto do Empire State Building, com as feéricas luzes de Manhatten, o rio, e a lua cheia. É um presente meu, para todos.
E façam o favor de ser felizes, como eu estou agora.

29 April 2008

VOLTEI!!!!!


AMIGAS E AMIGOS! A vida dá voltas!

Se há umas semanas alguém me dissesse que eu ia mudar o meu blog ou que o ter fechado tanto tempo, ou mesmo que o iria reabrir estando em Nova Iorque, eu diria que estava tudo doido.

Pois é, mas aconteceu assim.

Tenho, no entanto, que explicar algumas coisas:

1º Esteve fechado tanto tempo, porque como poderão ver este layout é completamente diferente, e demorei uns dias até com ele me adaptar. E aprender a mexer à primeira não foi fácil.

Aliás, ainda não consigo muito bem, mas com o tempo lá irei... :))))

2º Abro-o sem estar completamente pronto, porque embora com ele fechado, alguém entrou nele, roubou uma gravura que lá estava e publicou-a no seu próprio blog, o que, além de ir contra toda a ética, constitui um crime.

Assim, antes que roubem algo mais, decidi pô-lo no ar e os pequenos ajustamentos que faltam, serão feitos aos poucos.

3º Pela razão atrás exposta, o blog está agora protegido contra cópia. Lamento, mas as bonecas que dele constam têm dona, que pagou por elas e que têm uma licença de utilização.

Mas, qualquer coisa que queiram, excepto as bonecas, é só pedirem por mail que eu envio com todo o gosto.

NOTA EXPLICATIVA: Quem fez o layout do blog foi a Grace Olsson, uma blogger que saiu da net recentemente, deixando apenas o endereço EU e O RENASCER DAS CINZAS com algumas fotos de viagens dela.

Sem eu pedir, com a sua imensa generosidade, ela fez o blog, que lhe deu um trabalho imenso, e ofereceu-mo.

Ela comprou todos os lotes das bonecas para todos os blogs dela e a licença está registada sob o nome de AMIOLSSON.

A boneca com o nome BLUEVELVET foi presente de uma amiga da Grace que tem direito de uso. Se entrarem no site www.gorjuss.co.uk verão que os TUBES são vendidos.

Animated-Gifs


Para todos os que me acompanham desde o início, o meu muito obrigada pelo carinho com que sempre me trataram, e daqui do coração de Manhatten envio a todos os veludinhos azuis do costume.
Bebam uma flute de champagne enquanto espreitam a caixinha dos comentários novos. ( Há duas ). Não é linda?
ENJOY!

23 April 2008

A TODAS AS AMIGAS E AMIGOS QUE ME LÊEM



Há quem não ligue a Dias disto e daquilo, quem não festeje os Aniversários, quem não ligue a certas datas.

Eu não sou assim.

Quando há 7 meses iniciei este blog não me passou pela cabeça atingir em tão curto espaço de tempo 10.000 visitantes.

Sei que para muitas pessoas é um número modesto, mas para mim é importante.

Assim sendo, o meu bloguezinho e eu estamos muito contentinhos.

Para comemorar resolvi fazer obras no meu blog, tanto mais que há uns certos refilões, como o querido FM, a engraçada Patti e a refilona Maria que deixam reclamações a dizer que sempre que entram no meu blog, caiem.

Ora, não quero que ninguém se magoe nessas quedas, e por isso vou fazer um layout mais levezinho.

Quer dizer, vou fazer não, porque não pesco nada destas coisas.

Alguém o fez por mim. :)))))

Só que tenho que aprender a mexer nele, por isso amanhã, quem cá vier, vai encontrar aquele sacrosanto sinal de BLOG PRIVADO.

Mas não se assustem.

Não há privatização nenhuma, que eu não acho graça a blogs privados, embora compreenda as razões de quem os tem.

De quem tenho os mails, avisarei também por mail.

Voltarei renovada, e espero continuar a contar convosco.

Afinal, é para todos vocês que escrevo.

Beijinhos e veludinhos para todos, e....

ATÉ JÁ




22 April 2008

RENUNCIANDO


Esta noite eu tive um sonho estranho.
Nele, acordava atrasada de manhã e olhando para o relógio, percebi que ao contrário de números informando as horas, havia letras que formavam as palavras “eu renuncio”.
Estranhando aquilo, levantei-me e fui até a cozinha beber um copo de sumo para despertar. O chão molhado denunciava que o frigorífico havia renunciado, derretendo todo o gelo. Agarrei no leite, mas ao tentar aquecê-lo, vi que o microondas também renunciara a par com o gás. O cão, que costumava fazer festas, simplesmente olhava para mim com cara de mártir de alma lavada. Se pudesse falar, certamente teria dito que tinha renunciado. Tomei um banho gelado, pois o chuveiro... já adivinharam, não?
Após tentar ligar o carro, já nem me surpreendi: a bateria e motor também haviam fugido da raia.
Saí a pé mesmo.
Caminhando, pude perceber que naquele dia todos os humanos, animais, vegetais, minerais e máquinas haviam renunciado, lavado as mãos quanto às funções para as quais haviam nascido, sido preparados, eleitos ou construídos.
O oxigênio renunciou ao ar.
Os semáforos renunciaram às ruas, porque os motoristas renunciaram aos carros, que renunciaram ao trânsito.
Os trabalhadores renunciaram às empresas, que renunciaram aos empresários, que renunciaram ao lucro.
As mães renunciaram aos filhos, que renunciaram aos pais.
Os namorados renunciaram-se.
A padaria renunciou ao pão, que renunciou à mesa, que renunciou às cadeiras, que renunciaram aos rabos.
A polícia renunciou aos bandidos, que não disseram muito bem porque tinham renunciado e a quê.
As crianças renunciaram às brincadeiras.
Os professores renunciaram aos alunos, que renunciaram às escolas, que renunciaram ao ensino. E os que não tinham mais forças para viver, renunciaram de vez à vida.
Em alguns, a estupidez alimentava a certeza de que, uma renúncia assim, motivada por forças ocultas, certamente levaria multidões a clamar por sua volta.
Lerdo engano.
Esses também já tinham renunciado.

21 April 2008

NOITES DE PAIXÃO



em meu colo ........todos os sonhos do mundo
em tuas mãos eternos carinhos........entre os dedos
em minhas coxas ........delírios infindáveis
em tuas costas vive .......um arrepio escondido
em minha barriga o beijo..... ofegante
em teu pescoço a ......mordida apavorante
em minhas coxas a mão que aperta......suculenta
em meus seios a luxúria.....descabida
em tuas pernas ........o desejo ir sempre mais longe
em meus pés as cócegas de .......alegria e prazer
em teus lábios a....... paixão
em meu sorriso a.......vontade
em tua face ...........a beleza das auroras
em teus olhos
o abismo

novamente
despido
da vergonha
do mundo

(13) NÃO RESISTI

Indo trabalhar 2ª Feira...

video

20 April 2008

CONTO FÊMEA


Enquanto saía da cama parecia-me meio distante, apesar dos olhos fixos em mim.
Notei-lhe um certo desconforto confirmado pela sua incapacidade de falar alguma coisa... qualquer coisa.
Esbocei um sorriso, mas naquele momento ainda estava adormecida demais para qualquer gesto. Ele continuava parado na porta, olhando fixamente para alguma parte do meu corpo pouco coberto. Mas eu não conseguia captar bem a direcção daqueles olhos que pareciam mirar os meus, e num instante pareciam procurar as minhas mãos, mas bem poderiam ser as minhas coxas.
Isso, eram as minhas coxas.
Mas não dizia nada, olhava -me e o seu rosto eram olhos, olhos, olhos.
Olhei à volta e cobri-me quanto pude. Fui puxando o lençol do chão e da ponta da cama desfeita.
Nesse instante, eu já meio corpo para fora, ele gritou ao lado, para que eu parasse e ficasse naquela exacta posição.
Parei, desconcertada. Pensei que aquela era nova.
Ele foi-se aproximando, foi chegando perto, muito perto, quase dentro. E percebi os seus olhos fixos na posição que as minhas coxas ocupavam ainda há pouco.
Entrecoberta pelo lençol de riscas claras lá estava, reluzente, a gravata de seda estampada com pequenos brazões, presente da mulher no último aniversário. Não podia voltar pra casa sem ela, já tinha gasto mais de ¾ de hora à procura dela.
Se ela desse pela falta, já se sabe como seria...
Acabei de deslizar pelo lado da cama, puxei o artefacto e entreguei-lho. Ele já estava atrasado, tentava escapar há algum tempo, mas não tinha coragem de cortar o clima vendo-me espreguiçada entre os lençóis.
Com os olhos já bem abertos pude observar aquela figura com a camisa devidamente abotoada, meias e sapatos nos pés e umas calças pretas numa das mãos, posicionada na frente do seu corpo.
Levantei-me e enquanto vestia o meu roupão de seda, pensava que as boxers tinham bolas, mas ele não.

"As palavras são como os patifes desde o momento em que as promessas os desonraram. Elas tornaram-se de tal maneira impostoras que me repugna servir-me delas para provar que tenho razão.
William Shakespeare

19 April 2008

CONTO MACHO



Vou escrever um conto macho.
Daqueles que só homens sabem escrever. Uma história que me valha uns bons diálogos e nenhuma abstração.
Porque o homem é realista, não enrola e não chora.
Isso, vou escrever um conto que não chora.
Em vez de metáforas, vou usar um pouquinho de pornografia, fica mais selvagem.
Porque o amor, quer dizer, o desejo, é animalesco mesmo. Não há por que maquilhar nada.
E homem que é homem só fica por cima, em tudo (em tudo).
Ah, fica bem descrever detalhes da anatomia também. Uma ou outra consideração audaciosa sobre o empinado dos bicos dos peitos da mulher, o rubor das suas bochechas, a pele ficando toda ouriçada, enquanto o homem entra e sai, em vezes incontáveis e ofegantes.
Mas muito viris!
Não faz mal salpicar alguns defeitos que o próprio homem – na sua voz, claro - admite para a história não parecer tão presunçosa uma vez que mesmo os mais imperfeitos homens são capazes de proporcionar protecção, zelo e prazer a qualquer mulher.
E convém alguma frase de efeito, lida num livro, que funcione para que o conto retome o seu caminho:
"Aparece, então, o amigo, para quem o homem conta as suas glórias e destila respostas espirituosas e sábias sobre as agruras da vida".
E termina...
O conto macho termina vaidoso.
Afinal, pode haver alguma mulher que o leia, não é verdade?
É fácil escrever um conto macho!

DESAFIOS

O CONHECIMENTO de http://conheciment.blogspot.com/, além de me oferecer este miminho pediu-me que respondesse a este desafio. Aqui fica.

Qualidades - transparência, honestidade, sinceridade, solidariedade

Defeitos - os meus?

Gostos - mar, praia, verão, champagne, viajar, ler, animais

Não passarei - sem os meus filhos

Detestas - a mentira sob todas as suas formas

Pessoa - Fernando

Familia - a minha

Homem - O meu Pai

Mulher - A minha Mãe

Sorriso - o das crianças

Perfume - Destiny

Carro - BMW

Paixão - uma arma mortífera

Amor - aquilo que me move

Olhos - azuis

Sal - o do mar

Chuva - odeio

Mar - amo

Livro - impossível escolher um

Filmes - Out of Africa

Músicas - Tantas

Dinheiro - um mal necessário

Silêncio - o do deserto

Solidão - tristeza

Flor - rosas Akito

Sinceridade - algo que escasseia

Sonhos - os de Natal

Cidade - Nova Iorque para viver; Rio de Janeiro para sempre; Florença para amar

País - Brasil

Nao viver sem - os meus filhos

Nunca deixar de - ser eu própria

E segue para:

CARMINDA
FILOXERA
MARY
MACAW
PATTI
PROF
XANDA

Uma coisinha para fazerem neste dia de chuva.

18 April 2008

A PAZ DA PAIXÃO



Só sei viver um amor se antes passar pela cegueira da paixão. Não entregaria minha vida a outro de caso pensado, sou defendida e controladora demais.
Ou seja, pelo intelecto a coisa não vai. Só mesmo a paixão, que é do reino da loucura, me põe entregue e besta, com as patas arriadas no chão. E eis a contradição outra vez: nada me descansa mais que um amor insensato – quanta paz e conforto há naquele punhado de instantes em que se vislumbra o paraíso!
Maitê Proença

Não sei se dá PAZ, mas a tremedeira nas pernas, o aperto na boca do estômago, o galgar as escadas em vez de subir no elevador, os arrepios na espinha, o calor da paixão na hora do amor... ah sim, isso é o Paraíso!


ANALFABETISMO


Ser analfabeto é estar cego para o Mundo.

(12)NÃO RESISTI


17 April 2008

DE LUTO POR GISBERTA

Este blog hoje não tem música.

Este País devia estar negro de vergonha.







Caso Gisberta: arguido condenado a oito meses de prisão efectiva por omissão de auxílio Público on-line 14.04.2008 - 16h12 Ana Cristina Pereira, com Lusa

"Foi condenado a oito meses de prisão efectiva. Se quiser, pode cumpri-los em casa. O juiz-presidente lamentou que o jovem Vítor S., agora com 18 anos, tivesse assistido impávido ao "definhar de um ser humano" motivado por uma "agressão selvática e desumana". A sua culpa é, no entender do magistrado, "intensa" e "merecedora de censura ética elevadíssima".
O Tribunal de São João Novo, Porto, condenou ontem, um dos jovens envolvidos na morte de Gisberta – transexual, imigrante, sem-abrigo, seropositiva, toxicodependente, em Fevereiro de 2006 agredida com paus, pedras, pontapés por um grupo de rapazes e atirada a um poço.
O Ministério Público não pedira tanto.
A procuradora Maria José Fernandes queria que o jovem fosse condenado a acompanhar o trabalho de uma instituição de apoio aos sem-abrigo, todas as sexta-feiras, durante meio ano, em alternativa ao cumprimento de meio ano de prisão.
Contudo, à pena aplicada - o máximo permitido para aquele crime praticado por jovens - são descontados dois meses e cinco dias de prisão preventiva que Vítor S. já cumpriu.
O tribunal "não acreditou nos menores", mas o certo é que, "face à míngua de prova" "não foi possível apurar a actuação concreta do Vítor" no que toca a eventuais agressões a Gisberta, lamentou. Já quanto à omissão de auxílio, a "atitude covarde" ficou provada, segundo o magistrado.
Embora, como advogada saiba que sem prova não é possível haver condenação, e também saiba que os juízes só podem aplicar a lei, embora ridícula a pena para este crime não é aquela que é invocada, porque o crime também não deveria ser este.
O monstro agora julgado autonomamente, incorreu nos crimes de ofensa à integridade física qualificada e de um crime de omissão de auxílio, penalizado com prisão até dois anos ou multa.

No entanto, o jovem - diz o Ministério Público (MP) - não estava no local do crime quando o corpo do transsexual foi atirado ao fosso, o que o iliba de responder por ofensa à integridade física, agravada pelo resultado, e ocultação de cadáver.
Mas ficou provado que enquanto decorriam as agressões, o jovem que agora foi julgado "gritava para baixarem as calças ao ofendido porque queria ver se era homem ou mulher".

No fundo, a acusação, no caso o MP, porque Gisberta, morta, não teve advogado de acusação mas só o MP, não se esforçou muito para encontrar as provas necessárias para condenar exemplarmente este assassino.
Porque é isso que ele e o seu bando são. Nem mais, nem menos.
As notícias passaram em nota de rodapé e não mais que 2 minutos nos noticiários. Gisberta não pertencia ao jet-set.
Eu sei que a Justiça é cega, mas não precisava de ser tão cega.

PARA GISBERTA

Eu tenho uma espécie de dever, de dever de sonhar
de sonhar sempre,
pois sendo mais do que
um espectador de mim mesmo,
Eu tenho que ter o melhor espetáculo que posso.
E assim me construo a ouro e sedas,
em salas supostas,
invento palco,
cenário para viver o meu sonho
entre luzes brandas
e músicas invisíveis
Fernando Pessoa

16 April 2008

ÀS VEZES CANSA


As pessoas são interessantes!
Eu gosto de pessoas!
E tomo gosto por elas bem rápido.
Isso não é novidade nenhuma para quem me conhece.
Quem entra na minha vida não costuma ser só mais um, entra por eu ter gostado. Tenho uma facilidade enorme de lidar com diferentes tipos de idéias, conceitos e modos de viver. Acho realmente fácil respeitar isso em cada um. Por mais que eu pense de uma forma totalmente diferente ou não concorde ou discorde com todas as minhas forças de algo, isso não me impede de gostar de alguém.
A novidade aqui está no quanto me tem sido incrívelmente fácil perder o gosto pelas pessoas. Desinteressar - me da compania delas de uma hora para a outra sem sofrer com isso.
Não sem motivo.
Só diminuiu a quantidade deles que eu precisava para isso. Se antes, mesmo com eles, isso me causava um certo sofrimento, agora eu estou cada vez mais prática: não faz questão de mim? Então também não faço de ti.
Não é bom, está é a começar a deixar de ser difícil.
Isso até me causa certa estranheza, já que nunca fui assim.
Na verdade, acho é que não tinha precisado ser com tanta frequência.
E se a prática leva à perfeição...
Amizade unilateral é fácil para a parte que faz menos esforço.
Mas cansa o lado de cá.

15 April 2008

SOU DE SOL, SOU DE MAR...

Há umas semanas atrás entrou-me pelo meu bistrô um comentário de um senhor Ermita, com um blog alojado em http://eremiterioblogspot.blogspot.com/
Como sempre faço, fui agradecer a visita.
Ele voltou mais umas vezes e numa delas convidou-me para um jogo que ia organizar.
Aceitei, mas depois de ver as palavras arrependi-me amargamente:)))
As regras são um pouco complicadas à 1ª, mas depois chega-se lá.
Cada blog inscrito, e por ordem alfabética e rotativamente sugere 3 palavras.
Quando estão reunidas 12 ele publica-as, e com elas temos que escrever um texto em poesia ou prosa e enviá-lo por mail até ao dia estipulado e ele depois publica os textos.
O 1º foi postado dia 12 e as minhas palavras foram: Céu, Azul e Mar.
A minha humilde contribuição aqui fica, mas se quiserem ler alguns textos verdadeiramente notáveis, passem por lá.
Garanto que não se arrependem.





Não me falem do Outono
e de suas folhas caídas.
Muito menos do Inverno
com frio, chuva, vento e tempestade.
E mesmo a Prima Vera é só isso.
Uma prima.
Tudo pela metade.

Sou de países quentes,
sou de paixões,
sou de sol e
sou de mar .

De noites abafadas e
céu estrelado.
E de azul.
Um azul imenso.

Sou de céu.
Sou de mar,
Sou de sol
E dos teus olhos
que me chamam,
e me guiam,
e iluminam,
como um Farol.

Foi numa noite assim
que chegaste.
E vieste
de mansinho
e me tomaste,
e me amaste,
e aquele amor que vivemos
avassalador,
nem o tempo,
nem o distanciamento
abrandaram dele o calor
que a fusão
dos nossos corpos
provocou,
no comungar do extâse
apenas amortecido,
no descanso
do amor vivido.

Sou de céu.
Sou de mar,
Sou de sol,
Sou de amor,
e o erodido tempo,
só fará aumentar
o seu calor.

Sou de céu.
Sou de mar,
Sou de sol,
Sou de amor.

14 April 2008

É HORA DE RESPIRAR


Quanto tempo levamos para deixar de ser o que éramos?
As pessoas mudam algumas coisas, mas quando é que a gente já mudou tanto que já não é a mesma pessoa de antes? Se mudamos uma opinião, ou várias, se mudamos de postura política, se não nos comportamos bem ou passamos a comportar-nos melhor, se deixamos de amar alguém e nos apaixonamos novamente, se mudamos de modo de vestir, cortamos o cabelo, isso tudo não quer dizer que nos tenhamos tornado outra pessoa.
Quando é que isso acontece, se é que acontece? Quando é que a metamorfose chega num ponto em que já não somos uma lagarta mas uma borboleta?
Não sei, sinceramente, mas há um dia em que a gente olha para trás e vê um casulo abandonado, olhamos-no no espelho e vêmos que o avesso tomou conta do dia, ou que há, em algum lugar, uma carapaça abandonada, tal como a de uma aranha que aumentou tanto de tamanho que nela já não mais cabia.
Nesse dia a gente nota que o vento do começo do mundo sopra nos nossos cabelos e eles escalam torres, enroscam-se nos ponteiros do relógio e param o tempo, que tudo é fértil e nas nossas pegadas habitam besouros e formigas.
Então, com muito cuidado, porque é perigoso, é hora de respirar, novamente pela primeira vez.
Pintura de Ronnie de Winter

PARA AS MENINAS

Uma amiga brasileira mandou-me esta "simpatia" para fazermos a Sto António, e perdermos a barriga.
Como sou uma querida, resolvi partilhá-la convosco:

Pegue uma vela branca, um copo d'água e uma imagem de Santo Antônio enrolada numa fita métrica.
Meça com a fita métrica a sua barriga, faça uma marca na fita com uma caneta antes de enrolar a mesma na imagem do Santo.
Coloque tudo isso aos seus pés e deite-se no chão, de barriga para cima.
Toque então com as pontas dos dedos (da mão) nas pontas dos pés (que não devem se afastar do chão), dizendo bem alto:

"SANTO ANTÓNIO, ME TIRA ESSA BARRIGA!"

Notinha: A imagem em baixo, exemplifica. KKKKK


13 April 2008

DIA DO BEIJO

Embora goste de tudo o que são " DIAS DE...", desconhecia que hoje é o Dia do Beijo.
Como passando pelos blogs já todos explicaram as origens do beijo, o que cada beijo significa e tudo o mais que pode ser dito sobre o beijo, não me resta mais do que, embora ache que Dia do Beijo devem ser todos, deixar beijinhos a todos os que aqui passem.

Recados Para Orkut

SOU BRAVA

O pai japonês de uma amiga minha, usando uma daquelas técnicas milenares de medir os humores das pessoas, olhou para mim e declarou:
"tem essa carinha doce, mas é brava!". Sou brava, mas não sou má... Já mordi gente, mas tenho coração de manteiga.
Minha braveza é daquelas desconfiadas, meio teimosa, meio mandona, mas volúvel.
Ou solúvel.
Dissolve em lágrimas, sorrisos, abraços...

IN THE END

In the end these things matter most:
How well did you love?
How fully did you love?
How deeply did you learn to let go?
Buddha

12 April 2008

SPAGHETTI AL PESTO À MINHA MODA

Como o prometido é devido, aqui fica a 1ª receita vegetariana que prometi.
É muito fácil de fazer, não demora nada, pode até ser servida num jantar de amigos carnívoros e é uma delícia.

PARA O PESTO ( para 2 pessoas)
1 molho de folhas de mangericão fresco
1 embalagem de pinhões ( à volta de 150 gramas )
4 dentes de alho grandes
Azeite q.b.
Sal q.b.

Colocar na 1.2.3. ou qualquer misturadora, os alhos descascados, os pinhões e as folhas de manjericão, bem lavadas :))).
Juntar 3 colheres de sopa de azeite e bater tudo.
Quando estiver em papa, verificar o sal e a consistência e ir juntando um pouco mais de azeite até ficar com a consistência de molho grosso.
Reservar.

Cozer o spaghetti ou qualquer tipo de massa de que se goste, porque vai bem com todas.
Cuidado com o sal, dado que o pesto já tem algum.
Depois de cozida passar por àgua fria, juntar o molho e levar a lume brando só para ajudar a envolver.
Enfeitar com uma folhinha de mangericão e acompanhar com um excelente vinho tinto.

À minha moda
O meu toque consiste em acompanhar com courgettes amarelas salteadas. Juro que é uma delícia.
Faz-se a conta a meia courgette por pessoa.
Corta-se em fatias finas com a própria casca.
Numa frigideira tipo Tefal, pôe-se um fio de azeite suficiente para saltear as rodelinhas.
Tempera-se com uma pitada sal e de pimenta moída na altura.
Serve-se numa travessa à parte como acompanhamento.

Notinhas:
A quantidade do molho de pesto é aumentada, na proporção, dependendo do número de pessoas.
As courgettes só podem ser das amarelas. As verdes não são apropriadas para esta receita.
Podem polvilhar de queijo, mas o que vai melhor é o emmental ralado.

Espero que gostem, e
BON APPÉTIT!

(11)NÃO RESISTI

BOM PARA AS MENINAS SE RIREM.

E OS MENINOS TAMBÉM, IAC, IAC, IAC

PARA TODOS

Recados Para Orkut
PARA TODOS OS QUE ME VISITARAM E RECLAMARAM PELO DESAPARECIMENTO DOS VOSSOS VELUDINHOS, INFORMO QUE TENHO ESTADO SEM NET:))))
OBRIGADA POR RECLAMAREM. É SINAL QUE ME LEÊM COM ATENÇÃO.
BEIJINHOS E BOM FIM-DE-SEMANA PARA TODOS

11 April 2008

MAIS OU MENOS

Podemos morar numa casa mais ou menos
Numa rua mais ou menos
Numa cidade mais ou menos
E até ter um governo mais ou menos.

Podemos dormir numa cama mais ou menos
Comer um bife mais ou menos
Ter um carro mais ou menos
E até ser obrigado a acreditar mais ou menos no futuro.

Podemos olhar em volta e sentir que tudo está mais ou menos.
Tudo bem.
O que não podemos mesmo, nunca, de jeito nenhum:
É amar mais ou menos
É sonhar mais ou menos
É ser amigo mais ou menos
É namorar mais ou menos
É ter Fé mais ou menos
E acreditar mais ou menos.
Senão corremos o risco de nos tornarmos uma pessoa mais ou menos.

"Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim". (Chico Xavier)

10 April 2008

NÃO DEVO, NÃO POSSO, NÃO QUERO

Há muito tempo que não vejo telejornais.
Primeiro porque sempre me recusei a ter televisão na sala, depois porque não quero que não se possa falar durante a refeição e last but not the least, não quero saber mais de más notícias.
Nunca há uma boa notícia.
Só tristeza, só desgraça, só mundo virado de ponta a cabeça.
Então decidi, como diria uma amiga minha: não devo, não posso, não quero.
Mas a minha mãe, sempre ela, invectiva-me, porque sou uma irresponsável em não me pôr a par do que se passa no Mundo, porque fico uma ignorante, porque não sabe para quê que gastou rios de dinheiro com a minha educação!!! ( Ah, pois é...)
Aí, que hoje resolvi ouvir o telejornal.
E fiquei a saber que:
Israel se prepara e prepara o povo para um ataque maciço de mísseis... e o enviado especial da Sic termina com esta frase fantástica: Israel prepara-se para o apocalipse.
Assim, como se dissesse, os grapefruits vermelhos de Israel, estão cada vez mais doces.

De seguida, fico a saber que na audiência de hoje, para tentar um acordo entre os pais de acolhimento e o pai biológico da Esmeralda, não fora possível chegar a conclusão nenhuma, entre outras razões porque a criança, de 5 anos, se recusou a sair do carro, nem sequer para
cumprimentar o dono do espermatozóide que fecundou o óvulo da mãe ( porque é só isso que ele é).
Ficou marcada uma nova tentativa para dia 29.
Será que vão usar um guindaste para arrancar a criança do carro, na próxima vez?

Para terminar, sou informada que a Carolina Salgado, a tal dos fellatios, foi internada mas não se sabem as razões.
E pergunto eu: O quê que temos a ver com isso? Eu quero lá saber se ela foi internada, se tem um senhor de idade que a sustenta, se escreve (?) para revistas...
Sabem que mais? A minha mãe que me perdoe, mas agora são pelo menos mais 3 meses sem ver telejornais.
Já dei para este peditório.

PARA A GI...PARABÉNS




E não indo distribuir prémios tão cedo, aqui fica só um para a Gi, por 3 razões:
1ª Presentinho de anos
2ª Porque ela merece
3ª Porque sim

NINGUÉM MERECE

Há muitos meses atrás, descobri este vídeo e pus no meu outro blog.
Vim a descobrir mais tarde que o dono o tinha retirado, " por direitos de autor"
Fiquei pior que estragada.
Hoje descobri-o de novo e não resisti.
Espero que gostem tanto como eu gostei.

SONHAR É ACORDAR-SE POR DENTRO

Na minha rua há um mercadinho.
Fui eu que lhe dei esse nome. Não é um supermercado, nem uma mercearia. Não sei porquê pus-lhe o nome de mercadinho, e assim ficou.
As frutas sabem a fruta. As cenouras a cenouras e os grelos são mesmo grelos. Lá não há aquela coisa de à 2ª feira não haver legumes frescos. Não sei de onde vêm, mas as alfaces são repolhudas, tenras e verdes.
E as empregadas, todas raparigas novas, são de uma simpatia comovente, quando pensamos que começam a trabalhar às 7 da manhã e só terminam às 8 da noite, para ganharem o ordenado mínimo nacional.
Adiante.
De todas elas, havia uma de quem gostava especialmente. O seu nome era Ruth e embora soubesse que ela escrevia Rute eu sempre o imaginei escrito como na Bíblia.
Estive cerca de 2 meses sem lá ir e ontem fui.
Procurei-a e não a vendo, perguntei por ela.
- Já cá não está. Foi-se embora.
- Foi? Mas porquê? Despediram-na?
- Não. Foi ela que se depediu.
- Mas porquê?
- Foi atrás do sonho dela.
Agradeci, fiz as minhas compras e vim para casa com aquelas palavras a martelarem-me na cabeça.
Atrás do sonho...atrás do sonho...
E dei por mim a pensar:
Ainda há quem sonhe!
Pior! Ainda há quem vá atrás do seu sonho.
Desejo, sinceramente que o atinja.
Só por sonhar, já merece.


I DREAM OF MY PAINTINGS, AND THEN I PAINT MY DREAMS.
Vincent Van Gogh

COISINHAS INTERESSANTES


TÊM MEDO DE ANDAR DE AVIÃO?
MUITO MEDO?
PIORA QUANDO HÁ TURBULÊNCIA?
ENTÃO VÃO AO LINK ABAIXO E VEJAM COMO É INTERESSANTE.
É MESMO. JURO:)))


PARA QUEM GOSTA DE GUSTAV KLIMT


Klimt, o pintor austríaco cujas pinturas com algum teor sexual vieram revolucionar o estilo de arte dos finais do sec.XIX e início do séc XX, que se por um lado foi reconhecido em Paris, mas condenado na sua Viena natal devido ao estilo provocatório das suas obras, é retratado num filme interpretado por John Malkovich que passa na RTP1 no próximo domingo, às 00.45.
Só para saberem.

COMO ACORDARAM HOJE?









Pensativo?




Photobucket

Enérgico?




Photobucket

Nas Nuvens?





Photobucket

Preguiçoso?






Photobucket
Cansado?


Photobucket
Raivoso?




Photobucket
Alegre?




Photobucket
Furioso?



Photobucket
Apaixonado?



SEJA COMO FOR QUE SE SINTAM HOJE, DESEJO UM DIA FELIZ

Eu vou estar muito ocupada este fim-de-semana com festas e aniversários

Aqui fica aquele abraço para todos!

Bom Fim-de-semana


Photobucket










9 April 2008

SPAM, SPAM, SPAM


No dia 31 de Março de 1993, 2 advogados americanos enviaram aquele que é considerado o 1º e-mail spam na história da internet, oferecendo os seus serviços para mais facilmente tratar da documentação para obter o green card nos Estados Unidos.
SPAM é, hoje em dia, a designação universal atribuída a correio electrónico normalmente composto de mensagens enviadas em massa, sem o prévio consentimento do destinatário, para vários endereços em simultâneo e quase sempre de teor comercial e publicitário.
Geralmente os spams, têm um carácter apelativo e na grande maioria das vezes são incómodos e inconvenientes, tornando-se assim num problema grave, pois as mensagens são mandadas continuamente.
Há uns anos atrás, por vezes a nossa conta de correio electrónico ultrapassava a respectiva quota e perdíamos mensagens realmente importantes por causa do Spam. O problema diminuiu com a criação de filtros anti spam e com o aparecimento do mail do Google que tem uma enorme capacidade de armazenamento.
É dificil avaliar a quantidade de SPAM em circulação, mas sabe-se que tem vindo a aumentar continuamente.
Em qualquer caso, se é aborrecido recebermos os tais mails, é bem divertida a história do aparecimento do termo SPAM.
Originalmente, SPAM foi o nome dado a uma marca de fiambre picante (Spieced Ham) enlatado, fabricado por uma empresa norte-americana que vende o produto desde 1937. É curioso como o nome de uma marca de comida enlatada se tornou sinónimo de uma das piores pragas da Internet.
E isso aconteceu quando o grupo de comediantes Monty Python, num sketch de televisão “Monty Python´s Flying Circus” , na década de 70 (ver video), encena uma cena surreal num restaurante em que todos os pratos do menu incluíam SPAM. A empregada de mesa descreve aos clientes os prato, repetindo a palavra “spam” para sinalizar a quantidade de fiambre que é servida em cada prato. Enquanto ela repete “spam” várias vezes, ouve-se um coro de Vikings cantar uma canção, cuja letra se reduz praticamente à palavra “spam”. Naquela cena, “spam”, era algo não desejado, que estava em todo o lado e dificultava a comunicação.
Por uma associação de ideias, alguns utilizadores começaram a relacionar a irritante e repetitiva música “spam”, com as mensagens também irritantes e repetitivas que bombardeiam as nossas caixas de correio electrónico mandadas por alguns utilizadores que anunciam produtos ou ideias e assim nasceu o termo SPAM, que hoje em dia já tem uma pasta própria nas nossas caixas de e-mail.

Em http://spamalot.spam.com/go/game/ têm um jogo divertido do Mundo Spam.







Notinha: Se forem aos Estados Unidos, não comam nada da marca Spam. É intragável. Eu experimentei:)

7 April 2008

AS EMOÇÕES E SUA FAMÍLIA


Enviado por uma amiga brasileira chegou-me às mãos um livro muito interessante que aconselho.
Chama-se A NOSSA VIDA EMOCIONAL, e a sinopse diz o seguinte:
Considerando a existência de graus de parentesco entre as emoções, são distinguidas nesta obra as oito principais famílias, cada uma regida pela sua emoção-mãe – a alegria, o amor, a ira, o medo, a repulsa, a surpresa, a tristeza e a vergonha – formas de vida constituintes da nossa condição humana. Sobre cada uma das emoções-mãe é feita uma associação a uma narrativa tradicional e a uma obra cinematográfica, sendo também apresentada uma perspectiva científica baseada em estudos de conceituados investigadores. Um livro com carácter essencialmente prático que visa dar ao leitor algumas estratégias de gestão para que possa viver de forma mais consciente as suas emoções.»
Mas o que torna o livro interessante é o facto de os autores dividirem as EMOÇÕES MÃE e ligarem-lhes o esto da família.
Ora vejam:
A ALEGRIA
Família: Felicidade, Alívio, Contentamento, Orgulho, Prazer Sexual, Entusiasmo, Excitação.
AMOR
Família: Amizade, Confiança, Aceitação, Bondade, Adoração

IRA
Família: Cólera, Fúria, Raiva
MEDO
Família: Ansiedade, Nervosismo, Preocupação, Desconfiança
Repulsa
Família: Aversão, Desprezo, Troça, Nojo

Surpresa
Família: Admiração, Espanto, Choque
Tristeza
Família: Dor, Desalento, Solidão, Melancolia
Vergonha
Família: Culpa, Embaraço, Desgosto, ArrependimentoAutores: A nossa vida Emocional de Luís Miguel Neto e Ivete Azevedo


PARA A FA

A 11 da Janeiro a Fa entrou na Blogosfera com o VENTO CONTRA A CARA em http://ondasnasnuvens.blogspot.com/.
A 29, por um feliz acaso fui lá parar e fiquei apaixonada. Deixei-lhe um comentário em que lhe dizia que achava a pintura dela soberba.
Fiz até um pequeno post divulgando o seu blog. Assim sendo niguém me poderá acusar de fazer este post por outras razões que não sejam trazer para aqui pintura de que muito gosto.
Aliás os slides shows com as pinturas dela são públicos e todos os podem ver.
Isto dito, quem é a Fa?
Bom, ela diz: Inquieta e apressada, impaciente, inconformada e teimosa,insensata, instável, aventureira, imprevisivel. in tudo. mas tolerante e sensivel... E, Gosto mto das minhas gatinhas e de dormir...
Mas o que ela não fala é da sua imensa generosidade e do seu amor pelos animais que a faz fazer coisas assim:... Um dia apanhei na rua um Dobarman velhinho e mto doente que nem se levantava do chão... tinha tantos males que em alguns casos para fazer certos testes até na clinica veterinária havia quem se risse de mim... O Strauss ficou bem e fiquei com até ao fim (durante 3 anos). Foi há mtos anos mas cá em casa ainda pensamos e falamos dele...
Da sua extrema sensibilidade que a leva a ter gestos que aquecem a alma e de vez em quando me levam a ter uma pequena esperança no meu semelhante...
E pinta assim:




Escolhi ao acaso, porque gosto de tudo o que ela pinta. Posso até gostar mais de uns do que de outros, mas gosto de todos.

Aqui têm um dos vários slides shows com a sua pintura








Temos muitas coisas em comum e une-nos o amor aos animais e o fascínio pelas nuvens.
Há tempos, sem nenhuma razão que não fosse o carinho, fez um prémio para mim, com o meu Garfield, e hoje, só porque sim, ofereceu-me o Prémio Sensibilidade, criado e pintado por ela, de propósito para mim.

De caminho, fez o Prémio das Nuvens, para quem lá anda com a cabeça.


Não sei o que fiz para merecer uma amiga assim.
Nunca a vi, mas sei, de um saber de certeza feito, que ainda um dia lhe vou dar um abraço de agradecimento por me aquecer a alma.