4 April 2008

MÚSICA


Cumprindo a minha promessa de fazer um post semanal, sobre tudo o que se pode ligar à Filosofia Zen, aqui fica o 1º.
Sobre A Música.
Admirados?
Não fiquem: a Música é essencial para o nosso equilíbrio.
Ora leiam:
A palavra MÚSICA vem do grego, " musiké" ( das musas ). Por isso, a paternidade da música, tal como a conhecemos hoje, é atribuida aos gregos.
Na mitologia grega, as musas eram nove e tinham por missão proteger as artes, as ciências e os jogos ( desportos ).
A música é, no verdadeiro sentido da palavra, um bálsamo para a alma. Ela conduz-nos ao limiar do espírito. Na pauta de notas da vida trata-se de descobrir a nota de que se é eco, para se poder entrar na solfejação geral e assim dar voz à sinfonia da vida universal.
Uma vez entrados na onda trata-se de seguir o ritmo que nos conduz ao inefável, ao indelével...
Mas não é daí que vem " o dançar conforme a música " :))).
O ouvido é o primeiro sentido já em acção no ventre materno e o último a deixar-nos no fenecer. Através dele o mundo exterior chega ao mais profundo de nós mesmos.
A música cria grande ressonância nos vários areais cerebrais activando uns e desligando outros: desliga o centro do medo e activa o da lembrança, por exemplo.
A música abre as janelas do corpo e da alma: desbloqueia areais cerebrais e ajuda a recordação, aumentando em 30 % a capacidade de armazenagem do cérebro.
Ao ouvirmos música sentimos coisas maravilhosas quer quando estamos sãos quer quando doentes. A música, se não cura, melhora o nosso estado de saúde.
Nos conventos, para entrar num estado de harmonia corporal e espiritual começa-se logo de manhã por cantar o gregoriano.
pimp myspace

O yôga é feito ao som de música. A meditação também deve ser. Idem para as massagens.
A música consegue desatar, em nós, nós psico-fisiológicos e desenvolver forças curativas, como nos revela a harpa de David quando tocava para o seu rei depressivo. Muitos dos curandeiros da antiguidade e modernos, utilizam os seus instrumentos musicais e o seu canto para curar. Também em muitas clínicas ou hospitais se usa a música como elemento sedativo e curativo.
Não só as vacas dão mais leite ao som de música clássica ( é verdade ), mas também as hormonas de stress diminuem no sangue dos pacientes e “surgem menos complicações depois das operações” como testemunham cirurgiões de clínicas em que se usa a música como calmante.
A música estimula o cérebro a predispor-nos para a mudança. A música encontra a sua ressonância no cérebro tornando-o flexível para o experimentável.
Daí a importância da promoção da música na escola e por todo o lado. Todo o educador, pai e mãe, se deveria preocupar por iniciar o educando, o mais cedo possível, na música. Esta aumenta a empatia e a inteligência.
Investigações feitas em clínicas neuropsicológicas na Alemanha chegaram à conclusão de que, com música, a massa cinzenta aumenta e as células nervosas adquirem maiores conexões, melhorando o intercâmbio entre os dois globos cerebrais. Além disso o sistema imune é estimulado e os acessos à memória e ao inconsciente são abertos pela música.
O mesmo se dá através da música litúrgica e da dança no que respeita ao ingresso na mística e no equilíbrio de corpo alma. O ritmo e a harmonia conduzem-nos à vibração e à ressonância com o todo. A música consegue desfazer os encrostações materiais conduzindo-nos ao limiar espiritual em que tudo é relação e amor.
Na vibração forma-se a personalidade.
A medicina chinesa opera muito com os campos energéticos e com o seu fluir. A terapia consiste em restabelecer a harmonia e o fluxo.
Toda a mãe canta instintivamente para a criança que sofre ou que se encontra em desequilíbrio. Segundo investigações feitas por psicólogos, o canto provoca a diminuição das hormonas de stress por bastante mais tempo do que a fala.
No mundo tudo vibra. Até as células cantam conseguindo a ciência distinguir já, entre o cantar das células sãs e o barulho das cancerígenas.


Oliver Sacks, um médico inglês vivendo em Nova Iorque, e conhecido como "o poeta laureado da Medicina"http://www.oliversacks.com/ observou em todas as experiências que fez com pacientes Parkinson e pacientes com problemas de fala, que “a música actua como um precursor exterior”.
Ela deixa no nosso cérebro como que pautas indeléveis que possibilitam o reatar de relações, orgânica ou psicologicamente, interrompidas. É da sua autoria o livro em que se baseou o maravilhoso filme Despertares, com Robert de Niro.
A música ajuda a introspecção e auxilia-nos a chegar ao lugar do silêncio e da quietude em nós, ao lugar da criatividade, do amor divino.
Aí se ouve a voz que segreda no sossego e se repete nas ondas do oceano… Ela pode ajudar-nos a chegar ao nosso meio, ao meio do mundo e a Deus.
A qualquer um, devo dizer.

pimp myspace profile

20 nhận xét :

Carminda Pinho said...

Minha querida Blue,
hoje passo a correr, já fui ao "euzinha" e como este texto é um bocadinho longo passo por cá amanhã. É que tenho o correio atrasado...maldita net!!!
:) Beijos

Leonor said...

Blue
muitos parabéns pela qualidade e quantidade de informação deste post (já perdi algum sobre este assunto?)
já fiz yôga zen e gostei bastante, fiquei aliás surpreendida por me ter dito tanto. Tentei saber mais e ainda comprei uns livros, mas acabei por não ter tempo para me dedicar ao assunto e entretanto deixei de frequentar essas aulas e tenho pena.mas gostei bastante do que li e fico à espera do resto
beijinhos

conhecimento said...

Nada melhor para alimentar a ALMA, que uma boa música.

melgadoporto said...

Blue Velvet porque te perdes... ou te escondes por detrás destes escritos longinquos... gostava do anterior caminho... hoje acho que estás sem caminho. Desculpa mas tinha que o dizer.
;-)

Blue Velvet said...

Querida Carminda,
ora aqui está uma leitora atenta: foste a 1ª a descobrir o Euzinha:)))
Mereces um miminho. Vou pensar nisso.
Para já, beijinhos e veludinhos

Blue Velvet said...

Leonor,
não perdeu nada, não.
Foi o 1º.
Ainda bem que gostou.
Beijinhos e veludinhos

Blue Velvet said...

Conhecimento,
é verdade. A música é um alimento.
Dias Felizes

Blue Velvet said...

Melgadoporto,
lamento que seja a sua opinião.
Não me sinto nada perdida.
Alíás, a música é uma das coisas que me ajuda a encontrar-me.
Dias felizes

Olá!! said...

Zen ando eu a fazer há uns dias ;)))
Raio de Zon
Beijosssssssssssssssss

Bernardo Moura said...

A música é tão fascinante não é?
Bom fim-de-semana!
Bjs

Mary said...

Adoro música...faz bem em qualquer momento!
Até mesmo quando estamos em momentos Zen...
beijocas

Maria said...

Hehehehehe
Também sei do "euzinha" há um tempo... só que sem tempo para o visitar quando o conheci, LOL
Desatenta eu?
Adoro música. Nem sei o que seria de mim, de nós, sem música....
(da outra parte nem falo...)

Beijinhos Blue

Pitanga Doce said...

A música sempre me acompanhou desde pequena. Meu pai ouvia música clássica enquanto trabalhava. Os meus momentos mais importantes têm música especial. Alegre ou triste.
Não conheço ninguém que não goste de uma melodia a embalar os sonhos. Mas há "músicas e "músicas". Surgiram por aí pelo mundo uns ritmos que vendem discos e que eles chamam de música, mas não é!

beijos, Blue

Manuel Damas said...

Voltei!
Beijinhos...
:))))))))
( e quero todos os meus cetins em atraso...)

Alexandre said...

A música é tão fundamental para mim que confesso que nunca tinha pensado de onde vem. Apenas me deleito ouvindo aquilo que gosto! Mas é importante que saibamos como tudo começou!

Muitos beijinhos!!!

f@ said...

Adorei... tem música o teu post...mta qualidade... quando meu filho nasceu comecei a fazer os ouvidinhos dele escutar música classica à mistura com caixinha de música... o resultado foi dos melhores.... o Filipe nunca chorava e nunca me deixou acordada de noite....
Vai às Nuvens ler a história nova... dá + trabalhito pois tens que alterar o zoom para ler mas vais ver que vale a pena... beijinhos musicados das nuvens e bom fim semana

melgadoporto said...

Imensas desculpas.
Tens toda a razão! Eu só não tinha notado ao lado.
“Aquilo que dizem de mim, nada me diz respeito!”
Nem devia ter a ousadia de algo ter dito.
Mas sou assim.
Dias felizes para ti também.

Blue Velvet said...

Para todos os meninos e meninas que vieram depois,
BEIJINHOS e VELUDINHOS

Blue Velvet said...

Caro Melga, não leu bem o que lá está escrito: o que dizem de mim, não me diz repeito.
O que isso siginfica é que não me interessam tricas e intrigas e as conversinhas mesquinhas com que algumas pessoas gostam de perder o seu tempo.
Gosto e aceito qualquer crítica, desde que construtiva.
Tenho a maior simpatia pelos comentários que me tem deixado.
Apenas não entendi em que escrever sobre a Música ou o meu gosto por ela faz com que esteja perdida.
Embora não goste de melgas:). é sempre bem vindo.
Beijinhos e veludinhos

Maria said...

A música é uma forma de pensar e é uma forma de vida.
Gostei muito do texto os meus parabéns.

:)