20 April 2008

CONTO FÊMEA


Enquanto saía da cama parecia-me meio distante, apesar dos olhos fixos em mim.
Notei-lhe um certo desconforto confirmado pela sua incapacidade de falar alguma coisa... qualquer coisa.
Esbocei um sorriso, mas naquele momento ainda estava adormecida demais para qualquer gesto. Ele continuava parado na porta, olhando fixamente para alguma parte do meu corpo pouco coberto. Mas eu não conseguia captar bem a direcção daqueles olhos que pareciam mirar os meus, e num instante pareciam procurar as minhas mãos, mas bem poderiam ser as minhas coxas.
Isso, eram as minhas coxas.
Mas não dizia nada, olhava -me e o seu rosto eram olhos, olhos, olhos.
Olhei à volta e cobri-me quanto pude. Fui puxando o lençol do chão e da ponta da cama desfeita.
Nesse instante, eu já meio corpo para fora, ele gritou ao lado, para que eu parasse e ficasse naquela exacta posição.
Parei, desconcertada. Pensei que aquela era nova.
Ele foi-se aproximando, foi chegando perto, muito perto, quase dentro. E percebi os seus olhos fixos na posição que as minhas coxas ocupavam ainda há pouco.
Entrecoberta pelo lençol de riscas claras lá estava, reluzente, a gravata de seda estampada com pequenos brazões, presente da mulher no último aniversário. Não podia voltar pra casa sem ela, já tinha gasto mais de ¾ de hora à procura dela.
Se ela desse pela falta, já se sabe como seria...
Acabei de deslizar pelo lado da cama, puxei o artefacto e entreguei-lho. Ele já estava atrasado, tentava escapar há algum tempo, mas não tinha coragem de cortar o clima vendo-me espreguiçada entre os lençóis.
Com os olhos já bem abertos pude observar aquela figura com a camisa devidamente abotoada, meias e sapatos nos pés e umas calças pretas numa das mãos, posicionada na frente do seu corpo.
Levantei-me e enquanto vestia o meu roupão de seda, pensava que as boxers tinham bolas, mas ele não.

13 nhận xét :

Maria said...

Não me faças rir assim a esta hora, Blue....
Acordo os vizinhos.......
LOL
hehehehehehe

Beijinhos

Sol da meia noite said...

Só tu mesmo... :-)))

Amei ler!!!

Jinhos

Vladimir said...

muito bem escrito e descrito com um toque real muito acentuado...são coisas da vida...

f@ said...

Ai se eu coloco aqui um conto fêmea... ai ai... das nuvens para as ondas do mar ...para o fundo do mar... encalhava num recife de corais ... continua tu que eu sou um perigo...beijinhos das nuvens

Pitanga Doce said...

Se os homens soubessem a figura que fazem quando têm vestidas as cuecas e meias, sem as calças...por mais lindos que sejam, não há romance que segure.

Estou pensando como seria essa "nova posição". hehe

beijinhos e já vi mail.

Pitanga Doce said...

Deixei um comentário mas não sei se seguiu.

f@ said...

LOL... nunca reparei nisso que a Pitanga é mto boa observadora...
hum tenho mto em que pensar deve ser isso ando distraida com as nuvens...
beijinhos

conhecimento said...

Que adoramos comer coxinhas com os olhos é bem verdade!!!!

Sunshine said...

Adorei ler a história...a última frase está fantástica.
Onde param os homens com bolas, bem por aqui diz-se "com tomates"?
Beijinhos

Carminda Pinho said...

Ahahahah!!!
Tá demais...
Ó pra mim a rir à gargalhada aqui só e, a olhar para o monitor...até pareço tolinha. Lol

Beijos

Coragem said...

maravilhoso, eu cá para mim até acho que este fascinio do homem por boxer's com bolas, é precisamente para camuflar a falta delas eheheheheheh
Beijinho

Filoxera said...

Inspirada, hein? Gostei.
Estou sem internet, vim só ao pc emprestado publicar um post e informar-te. Espero que não demorem muito mais a arranjar a avaria.
Beijos.

Cloe said...

Ola! Gostei muito dos seus textos. Gostaria de conversar com voce sobre a possibilidade de te citar em um trabalho de faculdade. Faço Jornalismo aqui no Brasil e pesquiso sobre literatura virtual.
Me mande um email pra conversarmos melhor, pode ser?

cloecasablancas@gmail.com

Parabens pelas belas palavras.
Beijos
Cloe