5 April 2008

ÀS VEZES SER PAROLO COMPENSA

Passando há dias por um blog amigo, recordei uma situação muito divertida que me aconteceu há uns anos.
Como já devem ter percebido, sou uma pessoa de convicções e assumo-as.
Como assumo os meus gostos.
Quando ainda não era chic gostar do Roberto Carlos, eu já gostava. E assumia.
O meu marido dava-me conta da cabeça, e azucrinava-me dizendo que mesmo as princesas têm o seu lado parolo.
Eu encolhia os ombros e continuava a ouvir os discos do Rei.
Para castigo dele, quando moramos no Brasil, tinhamos uma casa no Morumbi e o nosso vizinho era nem mais nem menos... o Roberto Carlos. Mas isso agora não vem ao caso.
Abrejando como diz uma amiga minha:
A 1ª vez que o Roberto veio a Portugal cantar, ao Casino do Estoril, eu fiquei em pulgas e comecei a usar de todo o meu charme para convencer o dito cujo a irmos ver o espectáculo.
Claro que ele negou veementemente, e de cada vez que eu insistia ele respondia:
- Nem de borla, quanto mais pagando.
E o dia do 1º espectáculo chegou, e os 3 dias estavam esgotados, e eu sem bilhete.
Na tarde desse dia, a minha mãe que como também já sabem é uma senhora com muitas ideias, telefonou-me e disse-me:
- Sabe que vai haver um espectáculo extra do Roberto Carlos? Pode ser que para esse arranje bilhetes.
- E como é que eu convenço o "chato?"
- Tenho uma ideia, disse-me ela. E contou-me qual era.
À noite, quando o "chato" chegou a casa para jantar, eu disse-lhe:
- E se fossemos jantar fora?
- Onde?
- Sei lá. Talvez a Cascais.
- Hum, está bem, vamos lá.
Fomos falando e quando estavamos quase a chegar ao Estoril, com o ar mais inocente do mundo, digo eu:
- Podíamos ir jantar ao Casino.
- Ao Casino? Endoideceu?
- Não, mas para variar...
- Jantar não, mas se quiser, podemos ir beber um aperitivo.
Comecei a achar que tinha uma hipótese!
Mal entrámos, ele percebeu que havia um espectáculo, e digo eu com um ar angélico:
- Olhe, é hoje o espectáculo do Roberto Carlos. Já que aqui estamos, podíamos comprar bilhetes para o espectáculo extra.
E sem lhe dar tempo para responder, arranquei em direcção à sala, onde já decorria o jantar.
Falei com o chefe de sala que conhecia bem porque ia sempre ver os espectáculos de que gostava, e pedi-lhe para me arranjar 2 lugares bons para a última noite.
Respondeu-me que já não tinha nada bom para esse dia, mas que tinha uma mesa óptima naquele dia, porque houvera uma desistência.
Olhei com ar implorador para o meu marido e pedi: podemos? Please, please.
Percebendo que estava numa situação complicada, usou o último argumento capaz de convencer uma mulher:
- Mas os homens estão de smoking e as senhoras de comprido e nós estamos vestidos normalmente.
Encolhi os ombros com ar displicente, embora não me agradasse muito a situação, e minutos depois estavamos sentados e a começar a jantar.
No palco passava-se qualquer coisa a que não prestei atenção só me apercebendo depois que era um sorteio de várias coisas, sendo o 1º Prémio uma viagem ao Oriente.
O saudoso Fialho Gouveia fazia as honras e lá foram saíndo os prémios, até que chegou o momento do sorteio da viagem
As bolas foram saindo e na penúltima diz o meu marido, resmungando:
- Bem podia sair o 7, sempre não era uma noite perdida...
Nesse momento o Fialho Gouveia anunciou o 7, o meu marido levantou-se com o bilhete na mão e disse: É meu.
As luzes acenderam-se, eu fiz-me o mais pequenina possível e ele lá foi em direcção ao palco, atravessando a sala, enquanto se ouviam:
- Olha quem ele é!
- Todos os malandros têm sorte!
Parecia que todos os nossos amigos tinham combinado e estavam lá.
Lisboa/Frankfurt/Singapura/Bangkok/Hong-Kong e retorno pela Rota Polar.
3 semanas com tudo pago.
Yes!
Desde então, todos na família acham a minha parte parola uma coisa cheia de charme.
E claro que a minha mãe ganhou um maravilhoso colar de pérolas cinzentas que o genro lhe comprou na Tailândia.
cool myspace layouts

11 nhận xét :

@nn@ said...

souvenirs ... souvenirs ...
bom sábado para ti

Patti said...

É assim mesmo, uma parola verdadeiramente assumida é sempre recompensada.

Ai as baleias .........

Vou agora para o peixe grelhado e para a sangria, bom fim de semana.

Sophiamar said...

Até fiquei arrepiada! Eu sempre gostei do Roberto Carlos, confesso, e já assisti a vários espectáculos seus em Portugal.
Um dos meus reis da música.

Parola! Com gosto!

Mil beijinhossss

Pitanga Doce said...

Então ias adorar os Cruzeiros Marítimos que ele faz periodicamente. Começou só nas passagens de ano. Agora são mais frequentes.

beijinhos e vai ter sorte assim na "Parolândia" heheh

conhecimento said...

Se isso é ser Parola!? As Mulheres sempre conseguem o ke kerem!
B.F D S.

Outonodesconhecido said...

As manhas que as mulheres têm...Gostei!
E o teu amrido teve a sua compensação...
bjocas

Carminda Pinho said...

Eu gosto de ouvir o Robero Carlos, logo... sou parola! Yes!!!
:)))

Beijinhos

Maria said...

Adorei a estória.....
Destas podes trazer mais, muitas.....
... com ou sem Roberto Carlos. Que confesso não gostar dele, embora tenha os primeiros dois 45 rpm dele, mas isso eram outros tempos.....

Beijinhos

Oliver Pickwick said...

Cara ranheta esse seu marido, hein? Em parte não tiro a sua razão, também não sou muito chegado a Roberto Carlos. De toda a sua longa carreira, gosto apenas de umas oito músicas.
No seu caso, tem toda a razão para ser fã do rei.
Um beijo!

Filoxera said...

Que maravilha!
Isso é que é sorte, ao quadrado!

cm said...

..divertida até na forma de ser contada, fluida como todo o blogue
um abraço