22 March 2008

ALGO ESTÁ PODRE NO REINO DA DINAMARCA



Eu não seria quem sou, se num dos poucos sítios onde posso gritar a minha indignação, não o fizesse.
Aqui.
Nem somos um reino, nem estamos na Dinamarca e está tudo podre.
A começar pela paz podre em que vivemos.
Com um ano mais, esta "espécie" de aluna, de jovem, de rapariga cometeu mais do que um crime previsto e punido no C´digo Penal.
Assim, como coitadinha só tem 15 anos a coisa fica por isso mesmo, ou seja, nada.
É nestas alturas que me pergunto, se as nossas mentes abertas não se abriram demais.
Não contrariamos as criancinhas para não ficarem traumatizadas.
Não dizemos "porque não", porque temos que explicar aos filhos as razões do não.
Vivemos em democracia, e à luz disso, qualquer um pode insultar impunemente uma qualquer figura de Estado, e o atingido tem que sorrir, sob pena de ser acusado de não ter fair play.
Os ricos estão cada vez mais ricos, os pobres são cada vez mais, e mais pobres.
O desemprego aumenta.
A inflacção é o que se sabe.
A Educação está como está.
Da Saúde nem vale a pena falar: são doentes que caiem das macas, são parturientes que dão à luz nas ambulâncias, são bombeiros sonolentos que atendem chamadas do Inem...
A criminalidade urbana aumenta em flecha.
Meti tudo no mesmo saco?
Pois meti.
Haja RESPEITO, senhores.
Respeito pelos pais.
Pelos professores.
Pelos mais velhos.
Haja VALORES.
A família, base de qualquer sociedade quase não existe.
São divórcios.
São trocas de casais.
São relações sexuais começadas absurdamente cedo.
A TRADIÇÃO. Um povo que não respeita as suas tradições e que não as vive, prolongando-as, é um povo com tendência a perder a sua identidade.
Esta aluna, se é que se lhe pode chamar isso, que espécie de educação teve?
Que exemplos viu em casa?
Que família tem?
Vai-se abrir um inquérito?
Mas que inquérito? O que falta saber e ver, depois de ver estas imagens?
Já que não pode ser punida pela lei, porque não expulsá-la e não permitir que se matricule, durante uns anos, num estabelecimento de ensino?
Porque uma coisa é certa: ela não quer aprender e não quer estudar.
Faça-se a sua vontade e dêem lá o telemóvel à menina, não vá ela ficar traumatizada.

6 nhận xét :

Carminda Pinho said...

Blue,
acabei de ver este vídeo no " A Barbearia do Sr. Luis".
Já tinha ouvido a notícia mas ver,
ó minha amiga...
Se eu estivesse no lugar da professora nem sei o que faria, valha-me Deus...
As salas de aula cheias destas "fanchonas" é assim que um "educado" aluno trata uma colega, para que o deixe filmar, deviam era fechar para balanço.
Estas criaturazinhas deveriam ter uma punição exemplar.
Mas que falta de paciência que eu já tenho para isto...

Beijos

PS: Se a Lisa's passar por aqui diz-lhe que a Amigona deixou recado para que ela lhe "abra a porta". Se não te importares, claro!

Filoxera said...

Indignante!
Já vi e revi várias vezes nos noticiários e incomodou-me e exasperou-me. Não se faz nada? Ponha-se a menina a fazer serviço comunitário, de preferência dentro da própria escola. E um castigo daqueles a que antigamente se recorria, tipo escrever 100 vezes no quadro "não voltarei a desrespeitar os meus professores" também não seria desjustado...

Bernardo Moura said...

Vivemos momentos complicados.
Não sei quando é que a nossa sociedade vai melhorar, temo que só tenha tendência para piorar.
Acreditemos que sim!

Maria said...

Já vi este vídeo umas dez vezes. Continuo a ficar chocada de cada vez que o vejo.
Até onde? Até quando?

Um beijo

Oliver Pickwick said...

Sou mais a metodologia do meu tempo: ou estuda, ou leva pau.
Beijos!

Manuel Damas said...

A minha pedagogia é diferente!
Além de que sou filho e neto de pedagogos...
Que tal dois valentes estalos???