7 January 2011

EMOÇÕES


As coisas vulgares que há na vida
Não deixam saudades
Só as lembranças que doem
Ou fazem sorrir

É sabido que não sou muito patriota. Pelo menos não deste Portugal que hoje existe. Dum outro, longínquo, quando demos mundos ao Mundo é outra história. Embora por razões mal explicadas até para mim, vibre quando oiço o nosso hino cantado a plenos pulmões, mesmo a parte em que marchamos contra os canhões. Manias!
Depois, há aquelas coisas muito portuguesas, como o queijo da Serra,o vinho do Porto ou um Alvarinho branco para não falar num Quinta do Carmo tinto.
E há o Fado. Ah sim, o Fado!Fui iniciada nas lides fadistas quando tinha 16 anos pelo meu primeiro namorado e grande amor. Cantava-o maravilhosamente. E durante os vários anos em que namoramos, assisti a noites inesquecíveis de "Fadistices" onde ouvi e aprendi os clássicos. Ele e vários amigos reuniam-se para cantar Fado e mesmo quando a vida nos afastou, nunca o esqueci nem deixei de gostar de fado. Se possível passei a gostar mais porque fui aprendendo e descobrindo.

Há gente que fica na história
da história da gente
e outras de quem nem o nome
lembramos ouvir

Tive esta noite o privilégio de estar presente numa dessas "Fadistices", onde o fado é cantado por amadores, que como o nome indica são pessoas que amam...cantar fado.E ouvi-o a ele, de novo. Passados perto de 30 anos. Continua com a mesma voz e a emoção foi igual.

São emoções que dão vida
à saudade que trago
Aquelas que tive contigo
e acabei por perder

Há dias que marcam a alma
e a vida da gente...

Fado "Chuva" da Mariza

24 nhận xét :

Justine said...

Foi então um bom começo de ano! Que assim continue, BV :)))
Abraços

salvoconduto said...

Com um Quinta do Carmo Reserva de 2003, a melhor colheita deles dos últimos anos, até eu cantava o hino nacional! O fado era mais complicado.

Abreijos e bom fim de semana

Fernanda said...

Querida Ana!

Do nosso Portugal e da forma como falas, lembraste-me Migule Esteves Cardoso "Os portugueses só deixam que outros portugueses digam mal de Portugal"
Falaste do queijo da Serra, de Alvarinho, do Quinta do Carmo... e de Barca Velha, esqueceste-te???
Tanta coisa única, até o Fado!

Pois é amiga!
Eu só passei a gostar de Fado quando assisti pela primeira vez ao vivo!
O mundo dos fadistas é algo de transcendente, fenomenal.
Passaste um bom bocado que te lembrou o bem... que bom!

Beijo


PS. Amiga, nem parece teu :)))
Então só posso comentar pela conta Google???
Pronto, está bem :)))

BlueVelvet said...

Querida Ná,
não sabia que só podiam comentar com conta no google.
A única coisa que fiz quando comecei o blog foi não permitir comentários anónimos.
O resto foi o blogger que fez.
Mas hei-de espreitar para ver se há outras possibilidades.
Eu, por exemplo, tenho imensa dificuldade em entrar no teu novo blog. Leva mais de 10 minutos a abrir:(
Beijinhos

ematejoca said...

Eu amo a Alemanha, no entanto, continuo muito patriota.
Vibro e levanto-me quando oiço o Hino Nacional, e apesar de não ter voz, canto também.
Também não esqueço o queijo da Serra e o vinho do Porto.
Quanto ao Fado, prefiro um ópera de Wagner, mas já agora, vou ouvir "Chuva" da Mariza, pois tenho o CD.

Óptimo fim de semana, querida Blue Velvet!

Pitanga Doce said...

ÓÓÓÓ Por amor de Deus! A mulher encontrou com seu primeiro amor depois de trinta anos e vocês vão falar de fados e de Portugal e vinhos e "nãseiquê"?? Ai que quase caí da cadeira, Blue. Meus sais, por favor!

Agora, só chamando o Ivan de novo!

Pitanga Doce said...

Ó ele já está aqui! Até me passo! hehe

Luis said...

Minha Querida Amiga Ana,
Como me reevi ao ler este seu post!Eu próprio sou um amante do Fado e tive alguém na vida que também me incentivou nessas "fadistices" Tinha e tem uma voz quente que nos faz sonhar...
Como a compreendo quando "o# reviu nesse ambiente do Fado. Foi um bom começo de ano sem dúvida!
Um beijinho amigo e muito fadista.

Leonor said...

e é tão bom voltarmos a coisas boas... a passagem dos anos também traz essas possibilidades...

Bom ano novo, Blue!

Chousa da Alcandra said...

Ubi bene ibi patria.
Tamén se fai país amando os froitos da terra.

Beijos dende a PortuGaliza

kakauzinha said...

Querida Bluezinha,

Faço minhas as tuas palavras. Tudo! Só junto mais umas iguarias e mais alguns gostos, mas temos tantas e tantos que seria uma lista sem fim. É a nossa riqueza.

O Fado! Não é à toa que o tenho bem destacado lá no estaminé, também da Mariza, "Ó gente da minha terra". É da minha Lisboa, não podia esquecer. E o outro cantado pelo Carlos do Carmo e o Paulo Gonzo. Faz parte da nossa pele, de tradições que queremos manter, daquele nosso Portugal maravilhoso. Não importa que uns manchem o seu nome, a terra está aqui, bem nossa, bem lusa.

Lindo este teu post, lindo! Letras cantadas com o coração. Uma chuva de amor à nossa pátria e a tudo o que temos de Bom.

Beijinhos azuis:))****

Filoxera said...

Lembra-me o fado que o Camané canta: "Moreendo os dois de saudade, temos toda a eternidade para pôr à saudade fim"...
Beijos.

A.S. said...

Reviver emoções é sempre um momento muito intimista e ao mesmo tempo libertador!
Sou do Porto, mas com profundas raízes no litoral minhoto, mais axactamente Vila Praia de Àncora... e também gosto de Fado...:)

Fernanda said...

Querida Ana!

Ainda não fui ver se conseguiste modificar para que eu comente com a minha ID da wordpress.
A vantagem é que assim entras directamente ao clicar no meu Avatar.

Amiga, o facto de teres dificuldade em entrar no meu Blog, que é comum a algumas pessoas, não se pode dever ao facto da página estar mais ou menos pesada.
Tenho um só post por página!!!
Tudo leva a crer, que seja um problema dos computadores dos que não conseguem entrar.Não sei explicar!!!! Sinceramente.

Como estás de saudades do teu amado filho que está na cidade que nunca dorme???
beijinhos

amigona avó e a neta princesa said...

Querida blue apesar da ausência sei que estás por aqui...vim matar saudades...
beijos...

nacasadorau said...

Amiga Ana!

Venho ver se o "fado" mudou :)
Joke! Adoro a Mariza e este tema em particular.

Vou ver como entra o comentário.

Beijos com sabor a mel de rosmaninho, mesmo...
O José está de cama com uma gripe danada, a mim só me doí um nadinha a garganta.

http://graceolsson.com/blog said...

Ana, esses momentos sao unicos. tente reviver cada dia mais e sentir a beleza do passado em juncao com o presente que vc bem merece, amiga
dias felizes

Silenciosamente ouvindo... said...

Há muito tempo que não nos visitamos.
Vim matar saudades.
Tenho um novo blogue, http://sinfoniaesol.wordpress.com
Beijinho/Irene

Silenciosamente ouvindo... said...

Há muito tempo que não nos visitamos.
Vim matar saudades.
Tenho um novo blogue, http://sinfoniaesol.wordpress.com
Beijinho/Irene

Gata2000 said...

Eu sou muito Portugal, deste e de outro que houve no passado mas que nunca conheci, sou hino, e vinho e fado e pessoas, e luz e céu e o Tejo aqui plantado, sou dos pregões, dos cafés, da doçaria, do galo de Barcelos e do futebol e das artes e das coisas boas que sempre fizemos e continuamos a fazer.
Como em tudo na vida em Portugal há coisas boas e coisas más, mas é o meu país, a minha terra as minhas origens e onde vou buscar a força, sempre que preciso olho o mar e ganho ganas, já tentei fazer o mesmo a olhar outros mares, nenhum me afaga como o nosso.

Ana Martins said...

Boa noite Ana,
há realmente dias que marcam a vida da gente, e este marcou-a sem dúvida.

Beijinho,
Ana Martins

nacasadorau said...

Olá Ana!

Deixo-te um abraçooooooooooooooo
apertado e terno.
Sentes???

Brown Eyes said...

Muito bonito este teu post. Gostei muito, muito sentido e com uma simplicidade complexa.

Alberto Ó said...

O Fado de Portugal
tem o choro de uma guitarra;
tange de dor por estar mal
dum mal ao qual se agarra.