19 February 2011

AS JURAS QUE QUEBREI


Quando numa sociedade, perante um determinado facto, a maioria pensa e age de uma forma igual, isso é a normalidade. Quem não o faz é anormal, quiçá louco.
Descobri que sou louca e à loucura me tenho remetido, num silêncio quebrado de quando em vez por uns laivos de lucidez.
Nessas alturas juro a mim mesma que da próxima vez farei como os outros. Mas às vezes não aguento.E quebro-as. Ás juras.
Agora, de uma só vez quebro quatro. Quem por acaso aqui passar, provavelmente nem terá paciência para ler um post grande.Tampis, ça m'est égal!

1ª Jura Quebrada - Não falar das últimas eleições.
Não falarei de todos os fait divers que as acompanharam mas há algumas perguntas que me martelam na cabeça e para as quais gostaria de encontrar resposta:
- Mesmo aqueles que não gostam de Cavaco Silva nunca duvidaram da sua honestidade e lisura. Como é que ele não desconfiou que durante a campanha o assunto das suas casas no Algarve viria à baila? Como é que ele não adivinhou que o caso da venda das suas acções e do empréstimo do genro seriam dissecados até à exaustão?
Por fim, porque não esclarece de vez as questões e remete para o site da Presidência da República?

Como é que Manuel Alegre, profissão político, não percebeu que era melhor apresentar-se como independente do que ter o apoio desapoiado do PS?
Como é que não percebeu que a podridão fétida do Partido se lhe colaria?
E assim, sem honra nem glória acabou a sua carreira política. Restam-lhe as trovas...

2ª Jura Quebrada - O Homicídio no Intercontinental.
A vítima não era pessoa da minha simpatia. Não a conhecia e nem tenho nada contra as suas orientações sexuais. Mas,
- se me horroriza a forma como os animais comestíveis são mortos, à paulada ( os coelhos), sangrando ( os porcos), com choques eléctricos os animais de maior porte,
- se sou contra as touradas,
- se pertenço a Associações de Defesa dos Animais
- se evito tanto quanto posso comer carne
- se em noites de temporal o meu coração se aperta pensando nos cães abandonados que vivem na rua, quando olho para o meu, quentinho, dormindo em cima do fofo édredon da minha cama,
Não posso concordar que NENHUM ser humano seja morto daquela forma. Seja qual for a razão, muito menos, por motivos sexuais.
Ouvi a notícia num telejornal. Li-a num jornal. Não corri para as bancas de revistas para comprar todas e babar sobre os pormenores sórdidos. Mas isso sou eu que sou louca, já que a maioria o fez.
Quando perguntavam aos meus filhos o que queriam ser quando fossem grandes, um queria ser palhaço, o outro Presidente da República. Nem um nem outro conseguiram. Felizmente.
O homicida queria ser Famoso. Não queria ser um escritor Famoso. Não queria ser um actor Famoso. Não queria ser um médico Famoso. Não, só queria ser Famoso.
Ora, a Fama tem sempre o seu preço. Ás vezes muito caro. Agora já é. Famoso!
As pessoas normais da sua cidade querem que não seja punido. As pessoas normais fizeram um grupo no Facebook com centenas de assinaturas para que nem seja julgado.
Mas eu que sou louca, sou tenho três perguntas:
- O homicida, enquanto pernoitava em casa da vítima, enquanto usufruia das viagens e presentes facultadas pela vítima, enquanto gozava o Réveillon numa das cidades mais caras do mundo, num dos hotéis mais luxuosos do mundo, nunca percebeu que estava a pagar o preço disso tudo? Ou que teria que o pagar? Que não há almoços grátis? Não queria mais? Que tal bater a porta do quarto do hotel, sair e voltar para Portugal?
- Curioso que ainda ninguém se preocupou com o sofrimento da mãe do homicida. O que irá naquela alma? Porque mãe é mãe. Seja de quem for. Como conseguirá ela equilibrar-se entre o amor imenso e único pelo filho e o repúdio e horror pelo que ele fez?
Mas, claro, isto sou eu e a minha loucura a pensarem as duas. Neste caso têm mesmo que ser as duas.

3ª Jura Quebrada - A Idosa encontrada morta 9 anos depois de morrer
Em tempos idos, no Japão, os velhos ( eu nunca uso esta palavra mas sim idosos), eram levados para a mais alta montanha perto da sua cidade natal, para morrer. Algo assim como se fazia aos leprosos. Mas isso era antigamente!
Seria? Será?
Uma sociedade que não cuida dos seus idosos é uma sociedade doente e por muito que me custe reconhecer, um caso destes nunca aconteceria na sociedade judaica ou por exemplo na India. Por lá, a palavra dos mais velhos é respeitada porque consideram que são mais sabedores. Por lá, as famílias vivem em comunidade. As mais das vezes os filhos quando casam ficam a viver com os pais.
Mas nós somos muito mais civilizados. Nós não temos idosos, temos velhos. Imprestáveis. Um empecilho. Doentes. Alguns quase surdos ou cegos. Enfim, uma chatice. Melhor mesmo abandoná-los à porta dos hospitais e não voltar para os ir buscar. Ou depositá-los como lixo em lares que de LAR, só têm a palavra.
Não falarei da atitude da GNR. Nem das autoridades. Nem da família. Não quero conspurcar o meu blog.
Mas tenho uma perguntinha, decerto fruto da minha loucura: - Os jovens de hoje pensam que não vão ser, um dia, velhos?
E agora vou recolher-me à minha loucura, num mundo onde

A terra gira ao contrário
e os rios nascem no mar!

18 nhận xét :

Justine said...

Tu sabes que não é loucura. Tu sabes que basta olhar à volta e ver como estamos rodeados de pulhice, corrupção, falsos valores ou melhor dizendo, ausência de valores.E sabes como é preciso denunciar tudo isso, de todas as maneiras possíveis.
Mas também sabes que a solidariedade ainda existe, que há gestos fraternais todos os dias, e que nós, os que sabem o que ética significa, lutamos todos os dias por um mundo mais justo e humanizado. Poderá não ser na nossa vida. Mas será, um dia.
Portanto, vamos lá largar a amargura, arregaçar mangas e olhar o futuro com esperança.
Abraço

Antonio Saramago said...

Antigamente dizia-se que ah e tal,etc e cães de caça e tudo a mesma raça e agora como é? Que mais juntamos? A Politica concerteza!
E vergonhoso só saberem morder uns nos outros e é que nem sequer lavar roupa sabem.
Sobre a seg questão, não me vou pronunciar porque sou Ribatejano,mas tendo muito carinho pelos animais domésticos.
Sobre o Assassinato,lamento que se ande ajuntar dinheiro para o efeito,quando se devia de faze-lo e isso sim para causas realmente necessárias.
Por muito humanos que seja-mos,não podemos deixar de repudiar atitudes destas,por as razões e mais algumas,não há que fazer injustiças destas e lá diz o velhinho ditado de que cada um tem o que merece,mas nunca ninguem merece morrer desta maneira.
Está louco?
Pensava que estava em Portugal?
Já terá acordado para a realidade da justiça Americana?

VÉLHINHOS,pessoas que devem ser acarinhados como se crianças se tratasse,é-se criança duas vezes,mas os velhinhos que jánão têm a notita para dar aos filhos,etc.etc.já não fazem falta e então são um estorvo.
Tal como dizes,será que as pessoas não pensam que também vão chegar a velhos?
NESTA PORCA DESTA VIDA SEMPRE EXISTIRÁ SELVAJARIA!

Nilson Barcelli said...

Voltaste em grande...
As tuas perguntas não são de louca, mas antes de uma pessoa que está completamente lúcida.
Os 3 temas que abordaste dão pano para mangas e, comentá-los, dada a sua natureza, é quase impansável.
Ainda assim, direi telegraficamente:

Cavaco: é um provinciano serm rasgo nem inteligência; casa bem na mediocridade reinante...
Homicídio: se perguntassem ao povo português se o assassino devia ser castigado ou não, a maioria diria que não (não tenho a certeza, mas é um feeling...). Eu votaria não, porque a morte não teve razão. Aparentemente o assassino perdeu o tino... loucura temporária, talvez. Mas, como tu, também não concordo com a morte de ninguém.

Idosa encontrada morta: acho que o número de casos vai aumentar exponencialmente. Pela simples razão de que as pessoas morrem cada vez mais tarde, numa altura em que os próprios filhos já são quase velhos quando isso acontece e, por isso, já se estão "nas tintas" para tudo o que acontece à volta deles. E os netos e sobrinhos "estão noutra"...

Devias ter publicado 1 loucura de cada vez... tive que sintetizar e talvez não tenha dito exactamente o que penso... Enfim, loucuras...

Beijos, querida amiga.

BlueVelvet said...

Querida Justine,
que bom ver-te por aqui. É sempre um privilégio contar com a tua visita. Quanto à solidariedade ainda existir, amargamente te digo que não a tenho sentido muito. Mas isso, deve ser porque sou louca.
Muitos beijinhos e volta sempre.

BlueVelvet said...

António,
viva!Bom Lê-lo.
Não pude deixar de sorrir com as suas perguntas:
Pensava que estava em Portugal?
Já terá acordado para a realidade da justiça Americana?
Veludinhos para si.

BlueVelvet said...

Nilsson,
que bom ler-te.
Não fiz vários posts de propósito. Como calculas tinha muito mais a dizer sobre cada um dos assuntos, mas já tanto foi dito e escrito que quis focar só aquilo que me chocava mais em cada um.
E disseste sim, o que pensavas.
Bom fim-de-semana

salvoconduto said...

A loucura herda-se, dos filhos e dos amigos. A minha única preocupação é que alguém encontre remédio para ela, até lá passeio por ela, pela minha e às vezes, quando voltas, também pela tua.

Abreijos.

Luis said...

Minha Boa Amiga,
Quebrar juras desta forma não é loucura e lançou perguntas muito sensatas que necessitavam de ser postas aos "comuns dos mortais" que esses sim andam meio tresloucados... Continue assim que eu aprecio muito esse tipo de "loucura" que nos faz ficar a pensar!
Um beijinho amigo.

ematejoca said...

Tenho tido tantas saudades tuas, minha querida Blue Velvet.
Amanhã queria mandar-te um @-mail, mas com o teu regresso, é então melhor, que recebas minha mensagem directamente.

Comento o que li hoje à noite, agora já estou com um pé fora de casa.

Volto já!

sagitario said...

só posso dizer que assino por baixo.

Por vezes acho que não pertenço a este mundo onde as pessoas só são felizes com a inflecidade dos outros e pensam que há raças superiores e inferiores entre a humanidade.

Como tudo seria mais fácil se todos se unissem para praticar o bem, só tinhamos todos a ganhar.

Adorei o seu post e disse neles muitas verdades, por issso continue e deliciar-nos com os seus belos textos.

Muita luz e muita paz

ematejoca said...

Neste dia mais do que nunca,
desejo-te, Blue Velvet, tudo o que há de melhor no Universo,
e que os teus sonhos sejam todos realizados.

Beijinhos de Parabéns!

Feliz Aniversário!

BlueVelvet said...

Querido Salvo,
sempre presente! Que bom.
Embora não deixe comentários leio todos os teus posts.
Quem sabe um dia, os rios deixem de nascer no mar e eu volte a esta casa e às casas de quem gosto e que sempre me receberam bem.
Abreijinhos

BlueVelvet said...

Luis,
um beijinho para si também.
Obrigada pela visita.
Veludinhos para si

BlueVelvet said...

Ematejoca,
também tenho muitas saudades tuas.
Talvez consiga dar um saltinho à tua casa. Com esta coisa da net, fica perto.
Muito obrigada por te teres lembrado dos meus anos. Fiquei muito sensibilizada.
Obrigada querida Teresa:)

BlueVelvet said...

Sagitário,
Namasté!

Carlos Albuquerque said...

Sempre que li e ouvi o que por aí foi aparecendo sobre os três temas aqui abordados, chegaram-se-me as palavras de Pessoa: “…Tirem esse lixo da minha frente! Metam-me em gavetas essas emoções! … Tudo isso é letra que mata, não o espírito que dá a vida…”
Não foi o que agora me aconteceu ao ler esta crónica de vida (não lhe chamarei post!).
Li, parei, respirei fundo, e voltei, lentamente, à procura das palavras e ao que elas tinham para dizer, e disseram! Confesso que virei algumas do avesso por me ter parecido estar ali, ainda, algo por encontrar…
Parabéns, Blue Velvet, por esta lúcida crónica de vida escrita com o que de melhor os sentimentos têm. Será lindo, por certo, o mundo onde “A terra gira ao contrário
e os rios nascem no mar!”
--
PS – Por onde para a 4ª jura quebrada?

Filoxera said...

Tens razão em tudo o que aqui referes, mas notei que falta uma jura quebrada, certo?
(boa escolha musical).
Bom fim-de-semana.

C NARCISO said...

Olá BlueVelvet.
Calma. Há mais gente louca como a BV...
Até mais.