18 October 2010

DE REPENTE


De repente, na enorme mesa onde toda a família se reunia, o meu pai na cabeceira, estava seguido de mim, dos meus filhos e da minha neta.
Poucas pessoas têm a sorte de poder reunir 4 gerações de uma família e eu, se quisesse escrever um livro sobre a minha vida tinha ali um protagonista para cada capítulo.
De repente, apercebi-me que ambos os topos, o meu pai com 85 anos e a minha neta com 2 meses tinham adormecido.
Encontraram-se ambos no mesmo plano das almas boas e inocentes.
Se por um lado há uma vida que começa, no reverso há uma cujo fim inexoravelmente se aproxima.
E eu, não sei lidar nem com uma coisa nem com a outra.
E não quero que me digam, de repente:
É a vida!

13 nhận xét :

salvoconduto said...

Claro que é a vida! A fazer fé no relato da composição da mesa, uma vida cheia.

Abreijos.

Pitanga Doce said...

Não vou te dizer o que não queres ouvir. Temos sorte parecidas. Quando Julinha chegou, alguém partiu e assim o sorriso não acabou. Sabe Blue, não faz tantas perguntas. Não questiona tanto. Só te deixa levar. Fica muito mais fácil.

beijos pitangueiros

Mie said...

Nem todos podem reunir tantas geracoes e isso e algo simplesmente fantastico.
Parabens pela neta, deve ser linda como a avo :))
Beijo daqui ate ai.

Luís Coelho said...

Mas tudo isto é vida e tão difícil de acontecer.
As famílias já não se reúnem assim.
Recordo a casa dos meus pais onde juntavam toda a família.
Quatro filhos, dez netos e cinco bisnetos.
Que saudades desses encontros e tanta vida junta nessa história.

de dentro pra fora.... said...

Sem ser resposta repentina...é mesmo a vida, mesmo que certas coisas(como o fim de uma, possa estar eminente)nos façam não querer pensar sequer nelas...é mesmo assim,tudo tem começo, meio e fim...vamos aproveitar ao máximo o durante.


Beijinhos

ematejoca said...

E eu, que não sei lidar com a morte de uma pessoa muito querida, mesmo que dias depois nasça uma outra, e, também não quero ouvir:
É a vida!!!

paulofski said...

Na vida há momentos tão saborosos que os queremos eternos.

:)

Rafeiro Perfumado said...

Pior era se te dissessem "foi a vida".

Beijinhos!

Justine said...

Não sabes mas vais aprender, BV! Nunca sabemos, até que as situações se nos apresentam e nós, mulheres e mães, aprendemos tudo!!
Aproveita bem esses momentos magníficos! Eu não tive essa felicidade...
Abraços

Carlos Barbosa de Oliveira said...

Gostei de voltar a encontrá-la pelo meu Rochedo, nesta hora de regresso a casa. Sei bem do que fala no seu post. A minha mãe vai ser trisavó muito em breve e isso já me fez pensar muito sobre o assunto.

Antonio Saramago said...

OLA!
Finalmente reapareces-te e com agrado cá estou contigo.
Por muito que nos custe admiti-lo,a existência é sempre curta.
A grande verdade é que somos duas vezes criança e todos esperam uns pelos outros no reino da paz!

jefhcardoso said...

Não, não direi. Também me estupefaz a vida que chega, a vida que parte...
Abraço!

Sobre comida que deprime, fibromialgia que ataca, mulher que estressa... leia o http://jefhcardoso.blogspot.com e tire suas próprias conclusões. Boa semana! Abraços!

“Para o legítimo sonhador não há sonho frustrado, mas sim sonho em curso” (Jefhcardoso)

Nenúfar Cor-de-Rosa said...

Eu digo: é a ternura dos teus sentimentos, o aconchego da família e a beleza dos dias que passam :-)) Beijinho!