9 October 2009

DIVÓRCIOS


Já muito se escreveu sobre o destino dos guarda-chuvas esquecidos no cinema e das luvas deixadas no vão das cadeiras dos transportes públicos. É também uma espécie de Triângulo das Bermudas que, estou certa, acolhe aquilo a que chamo de "meias descasadas". Estas meias sem par vagam solitárias durante muito tempo até serem atiradas para o lixo de modo desumano.
Não basta, contudo, constatar o problema - urge também investigar as suas causas. Eu quero crer que a minha máquina de lavar roupa não mastiga meias, uma vez que faria mais sentido que o electrodoméstico devorasse o par e não apenas um dos "cônjuges".
A lógica é elementar: se é apetitosa uma meia com a Betty Boop desenhada junto à barra, por que raios é que a máquina podendo engolir o casal, devoraria apenas um pé?
Tenho defendido este raciocínio ultimamente, embora haja na literatura dos têxteis dos membros inferiores registo de outras hipóteses.
Autores pós-Marklianos argumentam, por exemplo, que a sucção de uma meia obedece a uma lei matemática associada ao raio do tambor da máquina e à velocidade da centrifugação. Eu não entendo nada disso e, portanto, prefiro mudar de assunto e levantar outra questão deveras pertinente: o papel central que as meias desempenham nas sociedades modernas e na reprodução sexual.
Nos Estados Unidos ( e eu própria fazia isso quando os meuss filhos eram pequenos) é muito comum que se peça à visita que retire os sapatos à entrada, para evitar a dispersão de lixo urbano pela casa. O mesmo acontece por ocasião de uma festa, sobretudo quando o apartamento em causa é forrado com alcatifa clara (algo relativamente comum em Nova Iorque). Quer isto dizer que na hora de vestir a roupa para o bailarico, a escolha das meias passa a ser mais importante do que a dos sapatos. Não basta serem novas e limpas - elas, as meias, TÊM de dialogar com as demais peças de roupas, quer na cor quer no padrão. Se forem divertidas, melhor ainda.
Mas atenção: não confundir "divertidas" com "aparvalhadas". Há seres (neuróticos, na minha opinião) que recorrem a modelos que indicam qual é o pé direito e o esquerdo. Ou que usam um par para cada dia da semana, respeitando sempre a relação calendário/meia, como naqueles conjuntos de sete horrorosos panos de cozinha que as nossas tias nos ofereciam no Natal.
O que mais me incomoda nisso tudo é que, aparentemente, as máquinas de lavar roupa NÃO comem (ou fazem desaparecer, dependendo da hipótese que se queira adoptar) elementos dos pares de meias aparvalhadas - reservando a sua gula ou fúria para as meias giras ou chics. Isto parece-me um grave problema pois o bom gosto destes electrodomésticos destrói a vida de vários casais de meias que tinham tudo para ser felizes e em contrapartida, oferece vantagens competitivas às meias aparvalhadas.
Ao que parece, as meias parolas não se divorciam.
Nós, desta forma, tendemos a usar com maior frequência em eventos sociais justamente as meias mais divertidas ou trendy (eu tenho alguns pares, confesso). É que costumam ser estas as únicas com aspecto de "novas" que sobram "casadas" no fundo da gaveta.
O que me preocupa é que este facto pode reduzir drasticamente a chance de cada um de nós impressionar um dos convidados da festa e como consequência, não vir um dia a transmitir os nossos genes para a próxima geração.

9 nhận xét :

Sonia Schmorantz said...

Confesso que estas "meinhas" ficaram lindas nas imagens, mas não me atrevo a usar não, rss
Um texto interessante e divertido!
beijos

Antonio saramago said...

Mas que grandes comparações, as voltas que deves ter dado á Moleirinha, para arranjar tão dicertido texto.
Eu quero Divorciar-me, queres meter-me na tua máquina de lavar?

Patti said...

Também em tempos escrevi um post sobre as meias que se perdem e a dificuldade que é depois emparelhá-las correctamente, principalmente as dos homens todas pretas e azuis escuras; quase iguazinhas.
Agora esse pormenor das festas é que ainda não me tinha inteirado totalmente. Bem fisgada Velvet.



(E sim, vamos tentar eu e o CBO, quinzenalmente às sextas fazer uma crónica com um tema).

salvoconduto said...

EStou baralhado. Se venho pela porta principal o último post que vejo é o do dia 8. Se venho pela lateral deparo-me com estas meinha todas. Já fiz refresh uma data de vezes.

Venho cá mais logo ver quem anda aqui a atizanar o teu cantinho.

Abreijos

BlueVelvet said...

Salvo,
a baralhada sou eu. Tinha posto a data de publicação a 9 de Setembro.
Coisas de loira!
Obrigada por avisares.
Abreijinhos

Tite said...

O que eu me diverti a ler este texto.
Claro que andei a imaginar a quem poderia caber esta carapuça de meias parolas, mas isso são outros 300.

Bom FdS

pedro oliveira said...

Pois cá com o je é só meihinha preta,mas de vez em quando ao fds uso umas cheias de bonecos...
vídeo no vf que vais gostar de ver.
bjs

Carlos Barbosa de Oliveira said...

Não tenho desses problemas. Como o Pedro, só uso meia preta e está sempre a andar Mas se todos fossemos assim , não teríamos oportunidade de ler este divertido texto!

salvoconduto said...

Assim está melhor!

Abreijos.