17 November 2009

(2) POST MUITO PESSOAL



Na base da abertura do Bluevelvet esteve o meu grande, enorme, imenso gosto pela escrita.
Desde que me lembro que escrevo e até tenho artigos publicados em jornais e revistas. Então porque não aproveitar este caminho imenso, cheio de desafios que é ter um blog?
Achava eu, naive que sou, que tinha muitas coisas para dizer, mails giros que me enviavam, posições e opiniões que queria manifestar sobre os mais variados assuntos, nacionais e internacionais.
Rapidamente me apercebi que os mails corriam na net à velocidade da luz, e que não tinha a menor graça publicar coisas que já todos tinham lido.
Mais rapidamente ainda percebi que não queria meter-me em polémicas políticas. Aproveito os blogs dos vizinhos para lá deixar a minha contribuição nas polémicas levantadas. Foi por isso que resolvi abrir outro blog, o surfinginthewind, blog que quase ninguém lê, mas que me dá imenso gozo ter. Lá, desbundo à vontade, faço o gosto ao dedo com os vídeos, os mails, as críticas políticas que me apetece. Julgo que devo ter muito poucos textos meus.
Esses ficaram para o Bluevelvet.
Mas a Bluevelvet de hoje não é a mesma mulher de há dois anos e tal atrás.
Eu era uma mulher feliz, que gargalhava, hoje mal sorrio, que sonhava, que confiava nas pessoas, agora limito-me a dar-lhes o benefício da dúvida, sofri desilusões que bem se escusavam, e algumas bem que doeram, sobretudo a última porque era o colo onde me aninhava em noites de vendaval e aprendi que ao contrário daquilo que apregoam, a solidariedade só serve para as grandes causas. Quando é preciso estender a mão a alguém que está mesmo ao nosso lado, vira-se a cara como quem não quer nada, assobia-se para o alto e segue-se em frente. Afinal, para problemas já nos bastam os nossos, não é mesmo?
Mas de um blog solto ao vento na imensa blogosfera, vieram os leitores que se tornaram fiéis, alguns, que mesmo sem conhecer, se tornaram amigos de quem sinto a falta, apareceu um condomínio onde dei comigo a morar, e de repente tornei-me a Blue.
Fiz um post insurgindo-me quanto a chamarem-me assim, já que eu tinha muito mais de Velvet do que de Blue. Seria premonição?
Agora tenho um dilema:
Se quando comecei o Bluevelvet não percebia nada deste mundo, pelo menos para o abrir, bastou-me seguir as instruções.
Mas como se recomeça um blog sem livro de instruções? Como se renovam os afectos? E existem? Escrevo para quem? Como? Porquê?

Agora quando saio de casa e venho aqui… presto mais atenção às pessoas… quantos de entre aqueles com quem me cruzo foram, são ou serão EU?

18 nhận xét :

mjf said...

Olá!
Blue, dói-me o coração com esse teu estado de sofrimento e desilusão:=(
A vida tem altos e baixos, tu apenas estás numa fase menos boa.
És uma Mulher de garra e não vais baixar os braços.
Amanhã tudo pode mudar, optimismo é essencial para vivermos esta vida de loucos:=))
Estou contigo, deste lado.

Beijocas

Patti said...

Ultimamente tenho vindo aqui dizer 'Bem-Vinda'.
Tem sido, na verdade, um vai e vem; o teu. E os silêncios dos outros costumo respeitar e nem sempre tenho de os entender ou questionar. Senão respeitar e aceitar.
O que nos move a uns e a outros, aqui ou noutro qualquer lugar, só a nós diz respeito. Cada vez mais.

Levo este espaço como algo pessoal, que me satisfaz, diverte e me enriquece pela oportunidade de escrever. E pela partilha com os outros condóminos.
Preciso de intervalos de vez em quando. E faço-os.

O teu BlueVelvet, deves levá-lo da maneira que mais te aprouver. O principal serás sempre tu e não os outros. Quem quiser que se chegue.

E perguntas tu porque escreves. Ora Velvet, esse é que é o gozo da coisa: cada dia é por um motivo diferente!

Bem-vinda (de novo).
:)

de dentro pra fora.... said...

O recomeço faz-se aos poucos, com tempo o tempo que precisares...
vem, nós(falo por mim é claro)estamos por cá.
Se for preciso colo, também se arranja qualquer coisinha, nem que seja um sorriso(o meu) que não vês mas que sei que sentes.

Beijinhos

Sabes que sempre gostei de te tratar por Blue, não por te sentir blue, mas porque achei mais carinhoso, só deixei de o fazer a teu pedido.
Cà pra nós...para mim és sempre a Blue :)

Justine said...

BV, cá para mim, e tenho de partilhar isso contigo, um blog recomeça-se tal como se começam os dias, a vida: um passo a seguir ao outro, sem olhar para trás, com determinação e força e coragem. E as coisas vão acontecendo. Como escreveu A.Machado - sem querer citar, mas é esse o sentido- "el camino se hace caminando"
Abraço apertado

Gata2000 said...

Para mim a escrita é uma forma de catarse, nas piores alturas da minha vida agarrei-me à caneta e aos blocos de notas, escrevinhei em post its, e por vezes mesmo nos papeis ranhosos que cobrem os tampos das mesas nos restaurantes. Nunca escrevi para ninguém, apenas para mim, os visitantes foram chegando e criando raizes alguns deles, foram-se estabelecendo ligações, laços fortes de amizade com pessoas que nem se conhecem. Sejas Blue ou Velvet, para mim seras sempre a BlueVelvet, e terás sempre o meu colo para te aninhares caso queiras, porque sou como tu, já fui e certamente serei.
E porque te gosto, mesmo sem nunca te ter visto, e assim daqui te deixo um pedido, não pares de escrever, nem de dar notícias, sejam elas em forma de lamento ou sorriso.

m.a.r.o. said...

Olá. Sou como muitos, um leitor anónimo deste seu sítio.
Divirto-me com ele e muitas vezes faz-me pensar naquilo que sou, naquilo que às vezes gostava de ser...
Mas não percebo a relação entre o mesmo e esta sua, aparente, perda de felicidade.
Fiquei confuso. Daí este me comentário de... solidariedade

Si said...

Todos nós não somos uma só coisa, não nos definimos por uma atitude ou sentimento. Somos a soma disso tudo e mais alguma coisa, umas vezes 'Velvet', outras 'Blue', outras 'Bluevelvet', outras apenas 'Marias Constância/Inconstância', como escrevo hoje lá na minha casa.
E é essa diversidade que nos torna únicos.
Quanto ao escrever para alguém, não precisa, a vantagem dos blogs está aí. Fazê-lo ou não está na decisão, vontade e gana de cada um. E o porquê e quando nem precisa de ser explicado. É, e pronto.
Beijinhos

salvoconduto said...

Gostava de ter lido est post sem os comentários que me precederam. Até parece que foi encontrada a fórmula para as tuas dúvidas. Não amiguinha, vais ter que ser tu a encontrá-las. Pela minha parte, egoísta que sou, quero a tua presença, simplesmente porque gosto dela. Estejas ou não à janela continuarei a passar e de certeza que num dia de sol como hoje lá estarás tu a acenar.

Abreijinhos.

BlueVelvet said...

M.A.R.O.
seja bem vindo e não precisa de passar anónimo.
Só para esclarecer a sua confusão: não foi o blog a causa da perda da minha felicidade.
Acontece é que, ao contrário de outras pessoas, cuja atitude respeito,nunca foi minha intenção fazer do meu blog um diário, menos ainda um repositório dos precalços da minha vida.
Assim que, quando começo a perceber que estou a escrever posts que só aborrecem as pessoas, páro o blog. E este ano já o parei e recomecei várias vezes. Isto, para não o fechar, porque quando o fizer, será de vez.
Espero que tenha ficado mais esclarecido. E volte sempre.

Pitanga Doce said...

Escreves para quem??? Escreves para ti, para mim, para quem vier. Escreves para exorcisar os fantasmas que andam por aí, para contar alguma coisa boa ou para não bater em alguém em dia de fúria.

Escreve BlueVelvet! Escreve que a gente lê!

beijinhos pitangueiros

Carlos Barbosa de Oliveira said...

Os blogs escrevem-se especialmente para nós próprios, como já um dia disse no Rochedo. Pessoalmente é assim que me sinto bem. Se as pessoas gostam, encantado. Se não gostam, paciência. Como já disse o salvo, cada um deve encontrar o seu caminho. Foi aqui que a conheci e é por aqui que quero continuar a encontrá-la. Por isso, vou continuar a bater à porta, à espera que me abra a porta.
Beijinhos

BC said...

Muito lindo Blue, concordo contigo plenamente.
Comigo passa-se muitas vezes o mesmo, já me apeteceu dsistir tantas vezes, tantas vezes.
Escrevemos para quê, para quem, para nós,já é importante uma realização própria, mas anima-te, existem fases na vida muito chatas, concordo mais uma vez contigo.
Eu desde o Verão como deves saber também tenho tido algumas chatisses e venho muito menos, só capaz de ir escrevendo, mas não comento, tenho pouco tempo, mas muitas vezes penso que só aparecem quando eu apareço não por vontad própria.
SORRI, VIRÃO DIAS MELHORES E O CAFÉZITO QUANDO É QUE ESTÁS DISPONÍVEL???
Beijo
Isabel

pedro oliveira said...

Existem milhares de blogs por aí, visitamos centenas,mas regularmente só lemos meia duzia, um duzia talvez, e porquê? porque há algo que nos atrai no que se escreve e como se escreve. O mais interessante é qeu os lemos não porque os editores são nossos amigos ou conhecidos, lemos porque as pessoas que estão por detrás das palavras se revelam e nos tocam de uma forma ou de outra.
É o teu caso.
bjs

Carla said...

Ao longo deste longo blogopasseio fui encontrando tantas opiniões e ideias consonantes com as minhas. Aqui e ali sinto-me a ler-me e isso faz-me enriquecer, querer mais e mais. Têm de tudo, uns mais pessoais, outros um tanto irónicos, corriqueiros ou banais, todos eles têm valor, todos têm alguém entre a cadeira e o monitor que os refresca. Gosto de blogopassear e de deixar uma opinião, a minha razão. É evidente que nem sempre me revejo no que foi escrito, foi publicado, mas também seria utópico agradar a todos. Salvo raras excepções, abstenho-me. O que procuro neles, é aquilo que tento pôr no meu: a minha identidade, os meus sentimentos, a partilha de experiências interessantes, parte de um quotidiano comum a tantos outros. Espero encontrar neles algum brilho, algum encanto, algum humor, algum estilo, alguma poesia e muita interioridade. Têm que ser sentidos e ter sentido.

Já não tenho desculpas, terei que cá voltar mais vezes.

:)

paulofski said...

Ups... então não é que deixei o comentário com a conta da minha esposa por estar a usar o seu computador!!!

Em vez da Carla quem escreveu o comentário anterior foi este morcão!

Tite said...

Bluevelvet,

De facto só tens que dizer aos teus amigos virtuais como queres ser tratada.

Blue dá muito jeito mas tem mais a ver com tristeza, melancolia... coisas assim.
Se queres mesmo ser a Velvet, apesar de mais comprido a escrever, tratar-te-emos como tal.
Afinal, percebi agora que estás numa fase de "veludo" muito delicada e nós respeitamos mas, no que me toca, gostaria que optasses por um tecido mais... "linho", aguenta mais os maus-tratos é igualmente nobre e apresenta uma juventude eterna.

Que achas????

Beijossssss

josé luís said...

olá,

não sei bem como vim parar ao seu blog, mas sei que escreve para mim quando escreve para si (não é afinal isso o que fazemos quando as palavras já não cabem em nós e têm de ser passadas para o papel/ecrã?), tenho outras dúvidas mas essa não...;-)
muitas vezes também não sei o que fazer com o meu "palavrog" (é assim que lhe chamo), e que é muito bebé ainda, tem pouco mais de meio ano, não sinto inspiração, ninguém comenta, penso em acabar com ele...
mas depois, no meio desta trama, dou por vezes com palavras vestidas de veludo azul e sei que há nisto algo de espelho, não sei bem explicar - e, quase como por milagre, lá volto a juntar uma letra aqui, outra ali, agrupo palavras e construo frases e por fim até me assusto por pensar que daqueles meus temores nasceu um texto qualquer...

posso chamar-lhe miss veludo?

Teresa said...

Blue! (Sim, que eu fui das iniciantes a tratar-te por blue!! Por ser preguiçosa!)

Por tanto que já por aqui te vi passar... Estás mais que perita em coisas e loisas de blogosfera... e mais não digo.

Beijo estrelado*