27 March 2009

BRINCANDO DE MÃE


Conduzia hoje o meu carro quando vi cair da janela do laranja que ia à minha frente, uma boneca.
Assustei-me porque de repente pensei que fosse um bébé. Na verdade, hoje em dia, já poucas coisas me admiram.
Respirei de alívio quando vi que era uma boneca, mas senti uma tristeza estranha quando o laranja passou, eu passei, os outros carros passaram, e a boneca ali ficou, caída e abandonada.
A vontade que tive foi de parar o carro, apanhá-la mesmo já suja , alcançar o autocarro e devolver a filha querida aos braços daquela pequena mãe que estaria em prantos, desesperada.
Mas não sou nenhuma super- mulher com super poderes para conseguir fazer isso tudo num piscar de olhos.
Se fosse com uma filha minha teria suplicado ao condutor que parasse o autocarro para a ir apanhar.
Mas nada disso aconteceu.
Fiquei então a pensar como estaria a pequena mãe? O seu pequeno coração já teria experimentado outras perdas ou essa seria a primeira de muitas?
Uma outra mãe estaria ao seu lado consolando-a, ou seria um pai a dizer que já havia repetido mil vezes para não colocar a boneca na janela?
Como responder que estavam a divertir-se as duas e que ela queria apenas mostrar o mundo à sua pequena filha?
Estaria a pequena mãe imaginando a sua filha, só de fraldas, braços e olhos abertos, atirada numa berma da estrada?
Dá-me uma raiva ver crianças a sofrer.
Mesmo que seja por perderem a sua boneca favorita.

19 nhận xét :

salvoconduto said...

Oh Velvet! Porquê o preconceito? A mãe a consolá-la e o pai a berrar com ela? Ai, ai ai, ai ai....

Não é de por de parte a hipótese de homicídio... E se a pequena, enxofrada com o pai, ou com a mãe, atirou com boneca pela janela fora?

Não pode ser, pois não? Se fosse um carrinho já não me admirava...

Lá estou eu com preconceitos.

Abreijos.

Patti said...

'Tadinha da menina... mas também deixar uma criança de carro com a janela aberta, ao ponto de deixar cair a boneca, também me parece um pouco displicente.

BlueVelvet said...

Salvo,
realmente tens razão. Nem reparei, mas imaginei a mãe a consolá-la e o pai a ralhar.
Penitencio-me por isso:)
Abreijinhos

BlueVelvet said...

Patti,
a boneca caiu da janela do autocarro.
Não de um carro. É que eu chamo "laranjas" aos autocarros.
Bjs

Pitanga Doce said...

Blue, devia ser pequenina a menina ou não teria deixado a "filhinha" assim desprotegida.

Olha, vai à árvore que a música é pra ti.

boa noite

Miepeee said...

Tambem nao gosto nada de ver criancas sofrer, odeio ve-los chorar.
No entanto nao deixa de ser estranho ver uma boneca a cair de um autocarro, afinal as janelas estao em a cima do alcance de qualquer crianca.
Beijinho.

Antonio saramago said...

Também podia ser que a Criança a tivesse atirado fora por já estar farta e querer uma boneca nova!

Rafeiro Perfumado said...

Eu prefiro pensar que a criança que ia a brincar com a boneca disse para esta:
- O quê, queres fazer um piercing? Olha que vais já pela janela! Tens a certeza?!?

:D Beijoca!

Gata2000 said...

A boneca é pouco preocupante porque, não há pai nem mãe que vendo o seu rebento em pranto não vá tntar encontrar outra igualzinha.
Agora o que realmente me assusta é a facilidade com que pais maltratam os filhos, e não estou a falar de uma palmadinha correctiva quando eles se armam em parvos, isso - como dizia um amigo meu a uma sueca escandalizada - é educação. Mas o que se vê por aí não é educação, é pura maldade. Depois admiramo-nos que os filhos na idade adulta maltratem os pais, ou pior façam aos propiros filhos o que lhes fizeram a eles.
O que me doi o sofrimento de crianças e idosos....

Si said...

Tantos 'ses' que podem sair desta história...
E se a menina se fartou da boneca porque já tem brinquedos a mais?
E se a menina mais não fez do que uma perrice por não gostar de ser contrariada?
E se a menina tinha um irmão ciumento que lhe tirou a boneca para a arreliar?
Ou então:
E se a mãe estava demasiado preocupada com o cheque do infantário que tinha passado, mas não iria ter cobertura e nem reparou na menina que deitou fora a boneca para chamar à atenção?
E se a menina deitou fora a boneca porque se apercebeu que os pais tinham dificuldades e não queria preocupá-los com mais uma boca para alimentar?
E se......??

Leonor said...

ena, que ar primaveril!!! a condizer com o tempo, aliás...

e que história tão bonita!

veludinhos

Justine said...

É duro ver crianças a sofrer, sim. Mas um brinquedo é sempre um brinquedo, mesmo que seja uma filha-a-brincar.A criança tem consciência de que é um brinquedo. Duro, mesmo duro, é vê-las, às crianças, sofrer de fome, sofrer de maus tratos, sofrer violações. Temos de relativizar...

tulipa said...

Para a criança é a filha...é o trbalho...e desculpa Justine mas nem sempre é tão fácil para a criança aceitar que é um brinquedo!
Mas tens razão claro!
um abraço
tulipa

f@ said...

Olá ...
adoro este post...
sempre que gosto assim tanto fico suspensa... também me interrogo... mas de nada serve...
gira o mundo á velocidade dos motores e não dos corações...

beijinho gigante

ematejoca said...

Ontem li esta história e achei-a triste ____ e não quis comentar.
Hoje li os comentários e até me ri.

Veludinho, porque razão não troxeste a Rumkugel para comer à hora do chá? Vai buscá-la e todos os outros prémios.
É uma avalanche, eu sei, mas na blogosfera é assim!

Bom fim-de-semana!

Yussef said...

E a criança é quem sofreu por ter a boneca escapado.
Muito perigoso deixar uma criança só numa janela.
Gostei de teu texto.
Voltarei sempre que eu puder.
Abraços

Filoxera said...

Tenho pena da menina...
Beijos.

nuvem said...

A vida é mesmo feita de perdas.
Achei muito bonita a forma como descreveste esta...

Beijinhos

Oliver Pickwick said...

Eu apanharia a boneca e tentaria entregá-la à "mãe".
A propósito, "laranja" é um táxi?
Um beijo!