27 September 2007

A MENINA SWINGA???


Quando me meti na Blogosfera fi-lo pelo simples prazer de escrever.

Sempre escrevi e com 16 anos trabalhava num jornal muito respeitado lado a lado com grandes jornalistas de hoje.

A vida deu voltas, mas continuei a escrever.

Depois o Blog saltou o muro da minha intimidade para o círculo de amigos e familiares, e agora já vou tendo um grupinho que me lê.

Daí que sempre oscile em me expor ou simplesmente comentar os acontecimentos que todos os dias nos chocam, nos enternecem, nos revoltam, enfim, nos fazem pensar.

Também quando comecei a navegar, descobri que há Blogs generalistas, e outros que estão voltados sempre para um mesmo tema.

E eu, que me orgulho de ser muito "desalinhada" descobri que há Blogs só de sexo e alguns da mais reles pornografia. Só lá vai quem quer, é óbvio, mas há os que lá caiem, como eu, por mero acaso. Portanto, devia haver um aviso, ou uma bolinha no canto superior esquerdo ( ou direito, tanto faz), ou mesmo um filtro, para que os incautos, como eu, não aterrassem de barriga e sem colchão de espuma... Ainda por cima, quem os escreve, dá-se ao luxo de filtrar os comentários, para só lá deixar os que lhes fazem salamaleques.

Enfim, há gostos para tudo, e eu não tenho nada com isso. Como costumo dizer: desde que não me obriguem, tudo bem.

Tenho um amigo americano, que passa a vida a dizer-me para me provocar:- I'd rather have great sex, than bad romance. Ao que eu respondo, invariavelmente: What's wrong on having all of it?

Bom, mas voltando ao tema deste escrito, não há nada mais na moda do que swingar, e antes de continuar, não resisto a contar uma história que me aconteceu há uns anos, numa saída à noite para jantar com um piqueno por quem estava caidínha de todo.

Ia o jantar a meio, era a 2ª vez que saíamos e de repente, entre uma garfada de carpaccio e um golo de Kaipirosca, eis que ele me pergunta: E a menina swinga?

Com a maior calma respondi: - Bem, dado que não são ritmos do meu tempo, prefiro o rock.

Acho que nunca mais me vou esquecer da cara dele. Olhou para mim como se eu fosse um ET. E insistiu: - Sim, mas não estou a falar de música.

E eu: - Ah, não?

É de outra coisa...

Pois, então, não sei o que é.

Vai daí ele explicou-me tudo e mais alguma coisa, a saber:

O que é ser swinger? O que é o swinging?O termo swing, em inglês, significa baloiçar ou variar entre duas coisas.Nesta acepção, swinger é todo aquele que tem relações sexuais fora do casamento, mas com o conhecimento, concordância, colaboração e muitas vezes ajuda do seu cônjuge. É a chamada pimenta do casamento.

Só os membros de um casal podem ser swingers já que é necessário o conhecimento e concordância do outro cônjuge.

Existem casais swingers com vários “formatos”:• os que praticam swinging a dois (e não necessariamente ao mesmo tempo) com um dos membros do outro casal ou com um individual;• os que praticam swinging a três (formando trios com qualquer dos sexos) com um dos membros do outro casal ou com um individual;• os que praticam swinging a quatro (ligando-se apenas com outro casal swinging) em que todos os membros estão sempre juntos ou não;• os que praticam swinging com mais de um casal em simultâneo (em várias combinações possíveis).

Qualquer casal pode ser swinger? Nem pensar. Apenas os casais felizes.

E muitas mais coisas que não retive, porque em bom rigor estou muito mais preocupada com o que se passa no Sudão do que com isto. Mas, fiquei a achar que com estes tópicos, já me safava em qualquer conversa.

Aviso à navegação: não sou santa e não quero ser. Adoro malandrices. Acho que entre 2 pessoas vale tudo menos tirar olhos.

Agora, seja a dois, a três ou a quatro, tanto se me dá, para mim é um bacanal. Bacanal lembra-me Nero. Nero lembra-me o Coliseu de Roma. Nada de bom portanto.

Depois é uma actividade muito redutora, coisa que não gosto. Então só os casais felizes é que podem swingar? Mas isso é uma injustiça. Afinal, os infelizes é que deviam precisar de se animar um pouco. Ter novas experiências. Quem sabe, trocar o marido ou a mulher por um parceiro de swing. Ah, não pode ser! Esqueci-me que isto tem regras.

Então e a pimenta? Bem, se fosse com a senhora minha mãe, era uma desgraça. A senhora é alérgica. Dá tantos espirros que se não tomar logo um remédio, tem um ataque de asma. Ora, um ataque de asma no meio daquela confusão de braços, pernas,pirilaus, línguas e não sei mais o quê a senhora ainda morria sufocada.

E depois há aquela coisa da concordância do cônjuge. Como é que é? Antes do 25 de Abril é que as mulheres precisavam de autorização do marido para levar os filhos para o estrangeiro. Portanto, se o cônjuge não autorizar, adeus swingada. Ora isso não é justo. Alguém precisa de autorização para ir ao cabeleireiro, ao football, ao supermercado, à sessão da tarde do Quarteto? Sim, porque os swingers acho que isso é uma actividade normal. Logo, tão normal como ir a um dos sítios atrás mencionados.

É que não há normal assim assim, mais normal ou menos normal.

Ou é ou não é.

E tem mais: sou adepta fervorenta da frase do Churchill que afirmava que " quando se faz uma coisa, que se faça bem feita". Ora, alguém me explica como é que se faz um linguado a um homem que não se conhece, enquanto outro nos penetra não sei bem em que orifício, enquanto outra mulher nos chupa os mamilos, e no meio disto tudo ainda espreitamos pelo canto do olho o que o nosso autorizado cônjuge está a fazer e a quem? Desculpem lá, mas alguma coisa fica por fazer...

Conclusão nº 1: Nunca swinguei com o meu potencial namorado, ele nunca chegou a ser meu namorado, mas eu aumentei e muito, a minha cultura geral.

Conclusão nº2: Os potenciais interessados ficam já a saber que o que gosto mesmo é de um ramo imenso de rosas chá, que só para chatear são difíceis de encontrar e caríssimas. Em último caso, podem ser amarelas. Vermelhas, nunquinha. E por favor,nunca compradas no restaurante a um indiano.

Conclusão nº3: Last but not the least: quando sairem com um/uma desconhecida, o que está a dar, não é a velha frase " A menina dança?" é " A menina swinga?"

5 nhận xét :

Anonymous said...

Pois não sei se a menina swinga mas sei que esta a escrever cada vez melhor ! Bravo, continue que achamos graça !

um abraço
anna bensassy collongues

Anonymous said...

Olhe, (aqui trata-se tudo por você, certo?), e para quando o post sobre o Sudão?....

A.

Luís Galego said...

este post merece de facto um enorme ramo de rosas...parabéns!!!

cõllyrby said...

Quando se descobre o gosto por escrevar é como vicio mas salutar...belo texto

Doce beijo

Filoxera said...

Escreves lindamente e não só: ainda nos actualizas.
;-))