5 May 2008

VOANDO


Voando de volta à santa terrinha.
O dever chama-me.
Mas isso agora não interessa nada.
O que interessa é que vou voando.
Literalmente.
E se há coisa que gosto de fazer é voar.
Não tem a ver com o cliché da liberdade. Ou terá. Nem sei bem. Não sei descrever o que sinto quando voo.
Talvez tenha a ver também com a minha paixão por nuvens e com o sonho impossível de um dia, tocar numa. Caminhar em cima daquela coisa branca que imagino fôfa.
Para além dos aviões, e já nem sei quantas horas de voo fiz até hoje, nem em quantos diferentes modelos de aviões andei, a primeira experiência radical que tive, foi em Natal, num ultra-leve.
Lembro-me que o grupo de amigos com quem estava me chamou maluca e outras coisinhas semelhentes, e que ao descolar da praia, ainda ouvi a voz do meu marido que divertido, gritou:
-Qual é a senha do cofre???
Voar sentada numa cadeirinha mínima e desconfortável, em biquini com uma t-shirt por cima e descalça é uma sensação estranha.
E como descolei da praia o voo foi quase todo sobre o mar.
Esticava a mão e tinha...nada.
Só percebi que não era perfeito quando anos mais tarde, me lancei da Pedra Bonita, de asa delta.
E quando aterrei, e os meus filhos disseram em uníssono:
-Agora nós, mãe!
Voar de asa delta é seguramente o mais próximo que se pode estar de um pássaro.
Não há o ruído irritante do motorzinho do ultra leve. Aliás, não há ruído nenhum. O silêncio é absoluto se não contarmos com os batimentos do coração.
A Pedra Bonita é uma montanha com cerca de 700 metros de altitude, situada na Barra da Tijuca no Rio de Janeiro.
Lá em cima, tem uma rampa e enquanto nos vestimos e preparamos para o voo, temos sempre uma vózinha que nos diz: Ainda podes desistir!
E vai dizendo, e nós vamos ouvindo sempre achando que podemos desistir.
Sucede que quando começamos a correr na rampa, a determinada altura ela acaba, e o próximo passo que damos...é o no vazio.
Sem retorno.
Mas aí o medo já passou e fica uma indizível e inexplicável sensação de milagre.
Temos aos pés o Rio de Janeiro em toda a sua beleza, o mar, a Floresta da Tijuca, o céu e as nuvens.
Aquela história de "o céu é o limite" é a ali.
Nos aviões, sobretudo nos de grande porte, a parte que mais gosto é quando o avião parado no principío da pista, abre os motores, toda a fuselagem estremece e começa a corrida para a descolagem.
O avião vai comendo a pista adquirindo velocidade, e num supremo esforço, eleva-se, e nós com ele.
E com isto já dei quase a volta ao Mundo.
Nova Iorque/Rio/Lisboa.
Nada como começar a escrever para a imaginação voar.
Lisboa, here I go!

25 nhận xét :

Patti said...

E eu também já voei contigo nessa cadeirinha na Pedra Bonita.
Deve ser uma sensação fantástica, ver aquele verde todo e o mar em frente.
Uma das coisas que ainda gostava de fazer se a vozinha do 'ainda pode dessitir' não for mais forte.
Tu voltavas lá e iamos com a Pitanga!

BlueVelvet said...

Combinado Patti.
Tu, eu e a Pitanga.
Ganda Pinta!
Até a savezinhas paravam para ver três pássaros como nós.
Não pássaras porque não me ficava bem :))))
Beijinhos e veludinhos axuis

f@ said...

Olá ... "voar" ... o céu e as nuvens beijinhos

mjf said...

Olá!
Corajosa...eu não me aventuro a tais voos...
Medo...muito medo.

beijocas
bom regresso

Pitanga Doce said...

E as meninas ficam aqui a fazer combinações e nem me dizem nada. Também adoro os asas-delta que descem mesmo na praia aonde vou. E tenho até história: quando os meninos eram pequenos tivemos que sair correndo porque um "voador" menos treinado ia caindo em cima das pessoas e só ouvimos os gritos de : "Sai da Freeente"!
Só uma coisinha, Blue: A Pedra Bonita fica na Gávea, porque está antes do túnel Zuzu Angel que separa a Barra de São Conrado, lembras?

Quando voarmos eu quero ficar com a asa-delta cor de laranja e amarelo porque reluz ao Sol. Pode ser?

Até parecemos as Super Poderosas dos desenhos animados. Docinho, Lindinha e Florzinha. hehehe

beijos

Bernardo Moura said...

Deve ser uma senasação mesmo porreira. Tenciono saltar de pára-quedas este Verão em Évora.
Bj

1/4 de Fada said...

Aí está uma coisa que eu gostava de fazer... Acho que teria coragem! deve ser o mais parecido que há com voar...

Maria Clarinda said...

E como eu te entendo...já andei de asa delta(com o monitor claro) precisamente partindo daí da Pedra Bonita ,para a praia de S.Conrado...
Beijos mil, e continua a voar!!!

Pitanga Doce said...

Assim não vale! Até a Maria Clarinda já voou e eu não??? Vou tomar providências no próximo Verão que agora os ventos são ao contrário. heheh

Pitanga Doce said...

Assim não vale! Até a Maria Clarinda já voou e eu não??? Vou tomar providências no próximo Verão que agora os ventos são ao contrário. heheh

Coragem said...

Temos menina radical tá visto, pois acho muito bem, eu nem morta ehehhehehe.
Gosto muito de sentir os pés em terra firme.
Mas admiro quem o faça, na verdade deve ser fantástico, esticar a mão e sentir o nada.
Beijinho

Maria said...

Votos de boa aterragem, ou aterrissagem, em Lisboa... :)))

Até já, então.
Beijos

f@ said...

lolololololsss ... não há emoção sem medo... há um processo de envolvimento arrepiante que fascinas antes durante e depois... beijinhos das nuvens

Sol da meia noite said...

... e nas asas das tuas palavras fui voando, amiga!

Beijinhos

Patti said...

Ouvi dizer que as combinações já estão avançadas?
Nomes escolhidos, cor das asas decididas?
Ok Blue, podes ser a Docinho e tu Pitanga fica com a asa amarela.
Eu quero ficar com uma asa azul da cor do mar, para quando aterrar dentro de água passar desapercebida e não ser gozada pela galera de São Conrado.

conhecimento said...

Espero bem que nuncapartasuma ASA!
É tão acolhedor pousar neste teu canto

de dentro pra fora.... said...

Ui!! eu cá tenho medo de alturas..
Acho que só mesmo se for em sonhos, e mesmo assim acho que vira pesadelo :))

Mary said...

Bluezinha, eu também adoro experiências radicais!!! Nunca andei de asa delta, mas já "voei" bastante!! Acho que voar faz-nos bem, seja em que sentido fôr. Tirar os pés da terra por uns instantes e deixar-nos ir...onde o vento nos levar :))))
Que bom...
Espero que esteja tudo bem e sê muito bem vinda!!!!
Beijos para ti

Ka said...

Blue,

Eu sou uma medrosa assumida no que a esse tipo de geringonças diz respeito...lol

Beijinhos

ps - andei ausente mas estou de volta :)

Pitanga Doce said...

PATTI, estás enganada quanto a escolha da cor porque quando desceres toda torta (hehe) eu e a Blue já vamos estar na areia a gritar Sai da Freeente que lá vem a Patti!

beijos às duas

Gi said...

Nope! Não me apanham numa coisa dessas. Só a imaginação deixo subir o resto tem que ficar com os pés bem assentes no chão :)

Tardei mas cheguei, hoje vai ser dia de visitas. Gostei deste teu novo formato, está bonito e a música mesmo adequada ao espaço.

Um beijinho e boas viagens :)

Patti said...

Oh menina Pitanga, mas não vou torta nada.
Porque me agarro bem agarradinha ao jeitoso do rapazinho da asa, o qual vou escolher a dedo antes de tudo!

E vocês vão ficar com uns tipos carecas e desdentados de tanto baterem com os queixos no chão depois das terraplanagens na fofa areia da praia.

Hahahahhahah

Pitanga Doce said...

OLHA, ESTAMOS BEM DE ACOMPANHANTES! TEMOS O HOMEM DO FAROL QUE É UM GATO E MAIS UM INSTRUTOR DE VÔOS QUE É UM JEITOSO. SOMOS OU NÃO AS PODEROSAS?

Ó BLUE, ESTE BLOG ESTÁ SENDO ESCRITO A TRES? DOCINHO, FLORZINHA E LINDINHA
. hehehehe

Patti said...

Blue, tens de fazer um post chamado: Voando II.

jasmimdomeuquintal said...

A imaginação é meio caminho andado para a vida...Gostei de saber que andaste por estes voos.Quanto ao reactivar do Jasmim,foi num dia de nostalgia; ando a ver qual será o que fica: jasmim ou comecardenovo.
Bjocas