7 April 2009

(2) CONVERSAS DE VELUDO


Não sou de ter amigas normaizinhas. Não tenho paciência para gente que não tem um pouco de loucura.
Que fazem coisas que ninguém espera ou que gostam de desafiar convenções.
Uma das coisas que faço é, seja onde for, no restaurante mais chic do mundo ou em casa, só como morangos inteiros, à mão. Agarro num, mergulho-o no chantilly e vou dando dentadinhas. Nunca me hei-de esquecer do ar absolutamente escandalizado do chef do Tavares quando me viu fazer isso. E eu tinha 16 anos!
O ano passado quando os Sheiks deram um concerto no Trindade, fui com um grupo de amigos vê-los e caí na asneira de calçar uns sapatos de salto muito alto, partindo do princípio que os senhores nos deixariam à porta do teatro. O que fizeram. Mas à saída, fomos informadas que só tinham arranjado lugar para os carros na Praça do Município.
É sabido que a nossa calçada portuguesa é lindíssima, mas inimiga de saltos altos. A escadaria que desce para o S. Carlos ainda aguentei. Depois, decidi que a única hipótese era tirar os sapatos, e lá fomos, cantando a plenos pulmões os êxitos acabados de ouvir, comigo descalça e de sapatos na mão.
Pois bem, eis que a semana passada, uma dessas amigas me telefonou, e depois dos cumprimentos habituais se sai com esta:
- Então, já começaste a fumar charros?
- .....
- Alôooo, estás aí?
- Estou, mas estou a pensar na resposta.
- Não há nada que pensar. É sim ou não.
- Pois, é não. Nunca fumei charros na vida, nem no meu tempo de adolescente, e não é agora que vou começar.
- Pois não sabes o que perdes.
- Mas olha lá, tu estás boa da cabeça?
- Perfeita. Os dedos é que me doem um bocado, porque dá um trabalhão a enrolar.
- ......
Confesso que comecei a ficar encanitada com a conversa. Se há coisa em que sou o mais fundamentalista possível é no que diz respeito a drogas, e não admito o argumento que erva não é droga, que faz menos mal que o tabaco, e blá, blá, blá.
- Olha lá, mas tu endoidaste? Já imaginaste se o teu marido ou o teu filho descobrem?
- Ah! Acharam uma óptima ideia. Levei um dia até conseguir enrolar o primeiro como deve ser, mas agora até já lhes consigo pôr filtro e tudo. Até forrei uma caixinha em cor-de-rosa com bolinhas ( ela adora bolas), para os guardar. Espera lá que te vou mandar por mail, para veres. Filtro? Em charros? Comecei a achar a conversa surrealista mas lá fiquei à espera de ver o mail. ( a caixinha e os ditos estão na imagem acima).
- Pois, a caixinha está muito bonita, os cigarritos também, mas se queres que te diga, acho isso uma ideia que não me agrada nada e ficava muito contente se te deixasses disso.
Esta minha amiga tem a particularidade de ser muito criativa e de me contar coisas que me põem os cabelos em pé, mas só quando me vê em ponto de rebuçado, resolve desmistificar os assuntos.
Então sai-se com esta:
- He, he, apanhei-te. Tu não me digas que ainda não aderiste à moda.
- Moda?
- Sim, criatura. Dadas as dificuldades financeiras e com o aumento do tabaco, as senhoras desataram a comprar tabaco, mortalhas e filtros, fazem os cigarros, põem-nos num maço de tabaco e em vez de gastarem 3,5€ por dia, gastam 5€ de 15 em 15 dias. Agora faz as contas.
- .....
Fiquei sem palavras. Não sabia se me ria, se me zangava com ela.
Certo é, que ainda que num tom de voz não muito alto dado que não me sentia assim muito à vontade, no dia seguinte lá fui à papelaria da esquina e perguntei:
- Tem tabaco em caixinhas e mortalhas?
- Ah, a Srª Drª também vai aderir à moda????
- Bem, não sei bem se é por ser moda, mas parece que é mais barato.
- Tenho várias marcas, conforme o gosto, e até tenho umas máquinas que fazem tudo sozinhas. É só meter lá dentro o tabaco, as mortalhas e o filtro e sai o cigarrinho já pronto.
- Hum, então dê-me o que for mais parecido com Marlboro, as mortalhas e os filtros.
Ontem passei boa parte do dia a tentar enrolar o cigarito. Mas como saía sempre tabaco, ou de um lado ou do outro, hoje voltei lá e comprei a maquineta.
Já tenho uma caixa de Marlboro cheia de cigarrinhos e são óptimos.
Só quero ver a cara da minha mãe quando puxar de um à frente dela.
Uma coisa é certa:
Nada como a necessidade para aguçar o engenho!

19 nhận xét :

Donagata said...

Tem ainda uma vantagem, se não tiver a maquineta, claro. É que enquanto tenta enrolar o cigarrito e o tabaco escorrega pela mortalha e vai tentando aperfeiçoar a técnica, já passou o tempo de fumar um cigarro. Um a menos...

Adorei o post anterior. Também eu gostava de uma prateleira de afectos. Às vezes faz cá uma falta.

Beijos e uma boa semana.

ematejoca said...

Só agora é que chegou essa moda a Portugal? Há anos que há aqui mulheres e homens que usam essa maquineta e dizem que os cigarros sabem melhor. Tenho uma amiga, que sempre a conheci, fazendo cigarros em toda a parte. A maquineta está sempre com ela. Fazer cigarros também é para ela um vício.
Eu nunca fumei, mas achei o texto com piada e suspence.
Boa noite! Bom dia!

Miepeee said...

A moda tambem pegou por aqui mas ainda nao tive oaciencia para aderir e a diferenca de precos e muito maior tendo em conta que um maco de tabaco custa 5 euros .
Um dia destes experimento!
Beijinho daqui ate ai.

Antonio saramago said...

A tua Amiga, enganou-te bem, estavas quase a entrar em paranóia e afinal toda essa conversa para te dar o conselho de poupares uns trocos.
No tempo do meu Paizinho, era esse o tabaco que se fumava e com ele eu aprendi a fazer os cigarritos e mediante isto que aqui contas, talvez eu também vá optar por esse esquema.
Sobre as tuas palavras de eu andar desanimado, é verdade que sim, mas tudo passará mesmo não sendo as amêndoas que me adocem a bôca.
Sapatinhos de salto bem altinho, não só tem a desvantagem de deixarem uma Donzela descalça em qualquer momento menos previsto como fazem muito mal á Coluna.
Comer morangos ( Á PORTUGUESA)e tudo o mais de que muito se gósta, cada um faz figuraa por si, é como comer um Franguinho assado, não tem goso estar a comê-lo com requinte.
Já agora nmão te esqueças de que as am~endoas não se comem com talher!!!!
FELIZ PÁSCOA...

Si said...

Ainda cheguei a fumar desses, no tempo em que ainda fumava, antes de ganhar juízo....
Habilmente enrolados pela maquineta, nas mãos de Mr. Clooney, que eu nunca consegui acertar lá muito.
São muito mais suaves, muito mais baratos, mas a verdadeira vantagem, é, de facto, a pausa que se faz entre um e outro, pelo que o segredo está em não os fazer de 'empreitada'...

f@ said...

A CAIXA É GIRA...
e os cigarros todos elegantes...
tuo mesmo a ver a tua figura na tabacaria... e aposto que compraste os tubos e não as mortalhas... uma caixa de marlboro!!!! eu tenho uma caixinha de lata aos quadradinhos mto gira... se tu comprar-te o material certo podes cr~es que além de fumares menos tb fazem mto menos mal á saúde.... se usares papel de arroz...

curso de fumo em 5 lições...
embora eu tenha deixado o vício ainda sei fazer....

Beijinhos

de dentro pra fora.... said...

Uma exelente ideia para quem fuma, o restante sempre dá para as férias, ou outras coisas mais...
tenho de falar aqui ao meu 'chefe':)


PS: olha já anulei aquela coisa que supostamente empatava la em casa, espero que agora esteja melhor, obrigado pela dica

carlota said...

Olá
O que tu foste lembrar-me...eu tenho uma maquineta dessas de enrolar cigarrinhos, onde andará ela?
Nos meus tempos de mocidade usei e abusei de "charros" e tambem fumava tabaco normal.
Depois deixei-me disso completamente e apenas fumava "Cartier",que comprava no free shop do Aeroporto, sempre que viajava. Hoje em dia e já há uns anos que deixei de fumar e a verdade é que me sinto muito bem assim. De vez em quando numa festa ou jantar apetece-me dar umas passas e ai saco um ou dois cigarros ao meu marido mas não passa disso.
Esta tua história veio lembrar-me tantas histórias divertidas...agora vou ver se encontro a maquineta de enrolar e se encontrar vou comprar aquele tabaco que cheira a chocolate e fumar uma cigarrada...depois logo se vê
Beijinho
Carlota

Patti said...

Ai rapariga, ainda bem que deixei de fumar antes desta moda do enrola.

É que não me estou nada a ver...

Gata2000 said...

Lindo, lindo!! Adorei, se não me tivesse proposto a deixar de fumar -coisa que tenho feito com algum sucesso, desde Junho do ano passado, com uns 2 ou 3 deslizes, aderia à moda!

Sempre fui contra drogas, como tu, acho que porque tenho medo de experimentar certas coisas, não vá gostar. Mas há uns 5 anos atrás fui a Amesterdão com uns amigos, todos os meus amigos fumam erva ou coisas do genero, e lá fomos nós a uma coffe shop, um sitio onde podes fumar droga, mas nã podes beber bedidas alcoolicas - preciosismo que eu achei delicioso. E achei, qundo em Roma, sê romano, posso dizer que experimentei drogas aos 30 anos, dei umas "passas" num cigarro, já tratadinho, enrolado, com filtro e tudo que vinha dentro de uma embalagem, tipo "candy", e que dizia: "Support your local dealer!"
Além das passas do cigarro comi um "space cake", história que temnho de postar um dia destes, porque é hilariante, sabia lá eu o que isso era, afinal não passa de um bolo de chocolate, onde dizem há também umas sementes de droguitas. Posso afirmar com toda a convicção que não me senti nem um bocadinho diferente e ainda tive de carregar em ombros um jovem amigo que se dedicou a explorar ao máximo as virtudes de estar num local onde as drogas são não criminalizadas!

Pitanga Doce said...

Eu nem vou comentar. Começo a fazer discursos chatos, a mostrar fotos de pulmões e depois apanho um chinelo...e te bato sem parar. hehehe

bom dia Blue!

Leonor said...

crise a quanto obrigas!!! (mas vou mandar este post aos meus amigos que fumam:))

veludinhos

Carlos Barbosa de Oliveira said...

Tive uma maquineta dessas quando tinha os meus 20 anos. Era giro ao princípio, maas depois cansei-me.

samuel said...

Se não tivesse, subitamente, deixado de fumar (pouco antes de por muito pouco, quase ter deixado de existir) seriam esses os meus cigarros agora. :-)))

Abreijos

LopesCa said...

LoL que moda
Eu prefiro ... não fumar :)

salvoconduto said...

Já não há gajos como antigamente. Então em vez de irem buscar o carro e apanharem-te à porta do Trindade fizeram-te ir a pé, de sapato de salto alto até à Praça do Município? Ou será que já estavam janados?

Abreijos.

eu, do alto do meu salto said...

ehehehe
O que a necessidade faz a um(a) viciado(a)!
:) :)

Filoxera said...

Esse é dos provérbios que eu mais uso...
Beijos.

Oliver Pickwick said...

Conhecidos aqui no Brasil como "legume", ou "cigarro-de-palha", quando ao invés de papel utiliza-se palha seca de milho para confeccioná-lo.
Por alguns instantes imaginei que aderira ao reggae e outros hábitos da Jamaica. ;)
Um beijo!