25 April 2009

PORTUGAL RESSUSCITADO


Depois da fome, da guerra
da prisão e da tortura
vi abrir-se a minha terra
como um cravo de ternura.

Vi nas ruas da cidade
o coração do meu povo
gaivota da liberdade
voando num Tejo novo.

Agora o povo unido
nunca mais será vencido
nunca mais será vencido

Vi nas bocas vi nos olhos
nos braços nas mãos acesas
cravos vermelhos aos molhos
rosas livres portuguesas.

Vi as portas da prisão
abertas de par em par
vi passar a procissão
do meu país a cantar.

Agora o povo unido
nunca mais será vencido
nunca mais será vencido

Nunca mais nos curvaremos
às armas da repressão
somos a força que temos
a pulsar no coração.

Enquanto nos mantivermos
todos juntos lado a lado
somos a glória de sermos
Portugal ressuscitado.

Agora o povo unido
nunca mais será vencido
nunca mais será vencido.

José Carlos Ary dos Santos

(Caxias, 26 de Abril de 1974)

14 nhận xét :

mjf said...

Olá!
Já passaram 35 anos, desde o 25 de Abril de 74...foi um dia de esperança e alegria para a democracia ... Hoje a democracia, anda tão escondida :=(
A esperença mantem-se....

Beijocas
Bom fim de semana

salvoconduto said...

Eu vi as portas da prisão abrirem-se de par em par e vir sair de lá um Homem que contava 23 anos de prisão que único crime que cometera fora a liberdade do seu pensamento. Esse Velvet, respondendo ao teu post de há dois anos era um dos BONS, outros cruzo-me com eles todos os dias na rua, nas empresas e nos centros de emprego...

Independentemente de tudo Abril valeu, e muito, a pena!

Abreijos.

Carminda Pinho said...

Nada será como em 1974 mas, já vi o povo (de que faço parte) mais desunido do que actualmente.
É preciso que nos unamos mais, sob pena de levarmos com outro ditador outra vez.;)
Viva Abril!
Beijos

Emigrante said...

Olá Blue

Curiosamente, já nesta quase meia idade, o 25 de Abril, este ano, parece um pouco "mais rejuvenescido".
Temos de deixar que, a astnia tipica da primavera, não continue a invadir-nos...

Beijokas

Teresa

Maria said...

O Ary foi o Poeta da Revolução.
A esta hora, há 35 anos, estava com um nervoso miudinho, ainda...
Vais descer a Avnida ou nem por isso?

Beijo

Justine said...

Canto contigo, e com os outros milhões que não esquecem!
Um bom dia para ti, amiga, e VivAbril:))

Oliver Pickwick said...

Enquanto o livro não vai, pra você:

TANTO MAR
(Chico Buarque)

Versão 1975Sei que estás em festa, pá
Fico contente
E enquanto estou ausente
Guarda um cravo para mim

Eu queria estar na festa, pá
Com a tua gente
E colher pessoalmente
Uma flor do teu jardim

Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei também quanto é preciso, pá
Navegar, navegar

Lá faz primavera, pá
Cá estou doente
Manda urgentemente
Algum cheirinho de alecrim

Versão 1978Foi bonita a festa, pá
Fiquei contente
E inda guardo, renitente
Um velho cravo para mim

Já murcharam tua festa, pá
Mas certamente
Esqueceram uma semente
Nalgum canto do jardim

Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei também quanto é preciso, pá
Navegar, navegar

Canta a primavera, pá
Cá estou carente
Manda novamente
Algum cheirinho de alecrim

Um beijo!

sagitario said...

foi há 35 anos que ousamos sonhar e que jamais deixaremos de o fazer,

f@ said...

25 de A B R I L... TODOS OS DIAS...

É POR ESTE MÊS QUE CANTA COMO JC ARY QUE O CORAÇÃO DOS PÁSSAROS TEM + ALEGRIA E O CHILREIOS DÃO SOM ATÉ AOS CRAVOS...
...
PERFUME DE LIBERDADE

BEIJINHOS

QJ said...

passaram-se tantos anos, e ainda falta fazer tanta coisa, embora muitas liberdades tenham sido adquiridas num dia como o de hoje, mas de verdade muitas liberdades ainda estão para conquistar.

e para muitos hoje.. é só mais um feriado, não fazem qualquer ideia do significado do dia de hoje

Hoje comemora-se a LIBERDADE!!!!

Sunshine said...

Encontro-me desencantada com o rumo que a liberdade conquistada há 35 anos tem tomado.
beijinhos com raios de sol

Donagata said...

Gosto do poema, gosto do autor e, claro, do seu significado.
Beijos.

Vekiki said...

:)
Esta é uma daquelas músicas que ainda sei de cor. Que cantei na altura própria e que de vez em quando ainda me vem à cabeça! Como "A cantiga é uma Arma". lembras-te? 25 de Abril, sempre!!!

FM said...

Onde andará o Povo? Escondido? Envergonhado? Preocupado com outras "guerras"? Ou à procura de outros "cravos"?
Beijos.