22 April 2009

PELA CONDUTA ABAIXO


Ando com um problema que espero, a vizinhaça me ajudará a resolver.
O Sebastião, que como sabem é a minha sombra branca, ( há quem tenha uma negra...) é muito meigo. Meigo demais. É assim uma espécie de melga.
Para alguém saber onde estou em determinada parte da casa, basta procurar por ele. Eu estarei a dois passos.
Bastas vezes já aconteceu eu tropeçar nele e quase me esparramar no chão, porque tem a mania de se meter debaixo dos meus pés. E também já tem acontecido de lhe pisar a cauda, coisa a que ele não acha muita graça.
Quando há dois anos e quase meio, o meu fiel companheiro de treze anos partiu para um jardim que eu imagino infinito e cheio de flores, onde pode brincar com todos os amiguinhos que partiram antes dele, a tristeza e a saudade instalaram-se no meu coração.
Assim, foi com algumas reticências que recebi o Sebastião quando os meus filhos me fizeram a surpresa de mo oferecer.
Surpresa tanto maior porque ele é um Terrier do Tibete, cão sagrado do Dalai Lama, a raça mais cara e rara do mundo. Não existem em Portugal e só em Nova Iorque se encontram os melhores exemplares. Por isso, um bébé, com o transporte e o seguro ronda os dois mil euros.
Mas, ou não estivesse ele no coração de Wall Street, o meu filho está sempre pronto para fazer bons negócios.
Descobriu o Sebastian em Nova Iorque, mas tinha um senão: tinha 2 anos e ele sabia que eu queria um bébé. Mas, os donos preparavam-se para se mudar para uma penthouse num prédio que não admitia animais, pelo que o pobrezinho foi para um canil.
Estranhando não ver no elevador a dog-sitter do cão informou-se e soube que o mesmo já estava no canil há 3 meses.
Daí a ir buscá-lo, tratar da papelada e enviar-mo foi um àpice.
Acontece que esperto como é, mal cá chegou, embora assustado com a viagem e com o ambiente desconhecido, tratou de conquistar-me e a toda a família.O que, diga-se de passagem, conseguiu.
Não sei se é pelas mordomias que tem: dorme em cima da minha cama, exactamente em cima dos meus pés, só come ração vegetariana,os biscoitos, também vegetarianos, vêm de Nova Iorque, vai passear no jardim 4 vezes ao dia, tem brinquedos, tem direito a uma fatia de bolo e 2 lambidelas de champanhe em dias de festa, e muitos outros mimos.
Vai daí, que além de estar sempre ao pé de mim, faz palhaçadas quando quer atenção e dá-me linguados que vão do queixo à testa. Ou seja, é meigo. Dá e quer carinhos, a toda a hora.
Ora, li hoje no blog do vizinho Pedro que um casal que estava em processo de adopção, devolveu a criança, porque ela era muito meiga. Segundo parece, dava e pedia muitos carinhos. O que é, evidentemente, anormal numa criança, mais ainda adoptada!!!
Sendo que o Sebastião é um cão, o meu dilema é:
Devolvo-o ou atiro-o pela conduta do lixo?

21 nhận xét :

salvoconduto said...

Atira-o pela conduta do lixo!! O casal, é claro!

Abreijos.

mjf said...

Olá!
Há pessoas que nem merecem ver o Sol ;=(
Quanto ao Sebastião, podes atirá-lo para aqui, para Telheiras, eu fico com ele, já há cá mais dois amores...assim fico com o terceiro :=)
eheheh

beijocas

Miepeee said...

Ja tinha lido essa noticia e como deves imaginar da-me volta ao estomago. Tendo sido adoptada ainda fico pior quando leio estas coisas.
Ha pessoas que nao merecem nada , nem mesmo o carinho de animais.
Beijo daqui ate ai.

pedro oliveira said...

Contiuna a dar-lhe carinhos que ele agradece, e nós também.
Agradecido pela referência.

Peter Pan said...

Linda Amiga:
Um texto que é uma "ternurinha" linda.
Beijinhos de admiração, respeito e pasmo.

p.p./Pena

Lindo. Lindo. Lindo.

f@ said...

O Sebastião é doce como chocolate branco...
e tu és uma ciumenta... pois nem o deixas-te dormir comigo...
lambidelas ao Sebastião...
olha compralhe uma toalha nova com capuz...

beijinhos

Patti said...

O teu Sebastião é um fofo e é para isso que temos animais.
Também li o post do Pedro e realmente não há palavras. Mas se aquele casal não tinha, ou não podia ter filhos, deve ter sido algum castigo.

Gata2000 said...

Há coisas na vida que sinceramente não consigo encontrar palavras para descrever o asco que me causam.
Como sabes tu tens o sebastião, eu tenho a puska, que é o meu "miminho", tem as mesmas mordomias que o sebastião tirando as lambidelas do champanhe e os passeios na rua, mas tem em compensação beijinhos e abraços logo pela manhã do xani que se estendem pelo dia fora desde que esteja por perto dela. é uma rainha, foi adoptada no canil. ora no caso de divorcio...deixa-me cá ver o xani vai para uma das avós e a puska para a outra, deve ser democratico não? e muito menos penoso do que ser devolvido por excesso de carinhos! Credo! Mas que mundo este em que vivemos.

mjf said...

Olá!
Eu já tinha comentado este post ...
Mas pronto, volto a dizer-te que em vez de o mandares pela conduta do lixo, envia-o cá para casa...pois faz companhia aos meus dois meninos peludos que já cá andam :=)

Beijocas

Si said...

Também li o mesmo post e fiquei siderada...
E faço minhas as palavras do Salvo!
(Nem há pachorra com gente dessa, credo!)

de dentro pra fora.... said...

oLHA EU JÁ OUVI MUITA COISA...MAS DEVOLVER UMA CRIANÇA POR SER MEIGA DEMAIS, É DEMAIS MESMO...
OUVI NAS NOTICIAS UM DESTES DIAS, QUE FORAM DEVOLVIDAS MUITAS CRIANÇAS QUE SUPOSTAMENTE IRIAM SER ADOPTADAS, MAS QUE AO FINAL DE ALGUM TEMPO OS 'PAIS' ENCONTRARAM 'DEFEITOS' NA ADAPTAÇÃO DOS MESMOS Á FAMILIA, INCLUSIVÉ UM PORQUE NÃO SE DAVA COM O CÃO OU VICE-VERÇA, PODE ISTO??
SERÁ QUE AS PESSOAS NÃO PENSAM?
TRAZEM PARA DEPOIS DEVOLVER! O MELHOR É NÃO TRAZER...ENFIM, HÁ COISAS QUE ME INTRISTECEM PROFUNDAMENTE...

BEIJINHOS

ematejoca said...

http://baumgartl.blogspot.com/

Há aqui a prova, do que tu és uma das minhas amigas virtuais preferidas... e sem arrepios!!!

Li este texto hoje de manha, mas quero-o comentar com tempo.

HUG FOR YOU, BLUE!

1/4 de Fada said...

Mas tu tornaste o cão vegetariano? Oh Blue Velvet! Bem tens que lhe dar uma montanha de miminhos!!!

Carlos Barbosa de Oliveira said...

Já tinha lido a notícia e a minha reacção foi idêntica à do Salvo. Quem devia ir para o canil era o casal.

Sandra Daniela said...

Eu já tinha lido a noticia... è triste ver como a sociedade está a ficar baralhada no que diz respeito á sua propria escala de valores, no bom senso e sei lá mais o quê...


...dou-te uma 3ª hipótese,que tal mandares para Aveiro, fazer companhia a uma caniche?? (só não tera direito ao champanhe!)...Eu costumo ir apenas passear a minha 3 vezes... mas não seja por isso:- vou mais uma!!! E brinquedos, também não faltam! Costumo até dizer, que se alguém de novo entrar na nossa casa, vai pensar que existem crianças!! alem de brinquedos, até uma pequeno cobertor anda ás vezes a fazer companhia á dita cadela, como se de uma fralda se trata-se! Interno-me???

Henrique ANTUNES FERREIRA said...

Azulinha

Quanto mais conheço os homens - mais gosto dos cães. Nem preciso de aditar o nome do autor da frase que cito. Quid juris?

E aparece lá de novo pela Minha Travessa, o que desde já te agradeço.

Qjs

Donagata said...

Adorei tudo neste post. A forma como o Sebastião aí foi ter, a habilidade de conquistar todos (até já eu fiquei apanhada), as suas mordomias e, sobretudo, o teu oportuno sentido de humor(um tanto negro, convenhamos), no paralelo que estabeleces com a mais acabada das parvoíces. Haja paciência.

Grace Olsson said...

JESUS AMADO...
eu sei e posso dizer do carinho qeu vc trata o Sebastiao, pois convivi com os dois ai em Lisboa.

Coméqueé?devolver a crianca?por esse motivo?e o que esse casal é, hein???UNS NEUROTICOS...VOU LÁ LER QUE QUERO VER ESSA HISTORIA..BJS E DIAS FELZIES

sagitario said...

olá velvet, realmente os animais dão-nos muito trabalho, mas são tão puros que nos ensinam a não ser egoistas.
Só que é preciso conhecer-lhe as manhas eles tentam sempre dar-nos a volta e se lhes fazemos as vontadinhas todas, depois exigem sempre mais e acabam por ser eles a mandar nos donos.
Há que haver um meio termo, pois o dono é que deve manter a ordem na capoeira.
um abraço e uma festinha para o sebastian americano

ematejoca said...

O Sebastião, a tua sombra branca, é o Brad Pitt dos caes. É lindíssimo.
O meu Casimir também é muito meigo. É também uma espécie de melga. Eu tropeço nele constantemente, porque também tem a mania de se meter debaixo dos meus pés. E também dorme na minha cama.
Um dia conto a história dele. Tenho tantas historias para contar, mas de ano para ano aumenta a minha dificuldede de escrever na nossa língua.

Não posso, nem quero acreditar
o procedimento desse casal, que devolveu a criança, porque ela era muito meiga. Ontem já tinha lido este teu texto, mas não deixei comentário, porque estava muito chocada.

Há mais um prémio cheio de magia no "ematejoca azul", mas como o recebi da Isabel Cabral, também já o deves ter.

Boa noite e sonhos azuis!

Vekiki said...

Olá Velvet! Não tenho sido uma BlogoAmiga fiel e mereço que me castigues! Mas as coisas não andam fáceis cá por estas bandas e o tempo não estica! Estive cá hoje e ralhei comigo própria por andar a perder as palavras que tens escrito ultimamente. São para elas os meus beijos. Para ti os meus parabéns. Quanto ao que me pediste no comentário ao Post do lanche surpresa, está descansada! Seguirá por mail :)
Bjs