6 April 2009

UMA PRATELEIRA DE AFECTOS

Olhava as prateleiras da minha despensa:

Esparguete, arroz, várias farinhas, alguns enlatados, poucos, especiarias, cereais, chocolates, azeite, enfim aquilo que é necessário para cozinhar aquilo que alimenta o nosso corpo.
Estava ali a olhar, tudo muito alinhado, por secções, com caixas todas da mesma cor.
Já tinha comido uma barrita de cereais, fruta, um iogurte, não era bem fome que eu sentia.
Era assim como que uma falta.
Descobri que preciso de mais uma prateleira onde possa pôr frascos. Frascos de formas diferentes, de várias cores e rótulos de letras gordas:
Cheiro dos meus filhos, bebés acabados de sair do banho.
Perfumes que marcaram várias fases felizes da minha vida.
Cheiro do mar.
Cheiro das noites africanas.
Cheiro de livros.
Cheiro da relva acabada de cortar.
Cheiro do pelo da cabecinha do meu James.
E sons? Será que consigo engarrafar sons? Sons de aviões a levantar voo, de ondas a bater no casco de um barco, de ventos enfunando velas, do batuque do samba que me faz saltitar os pés, sons de beijos repenicados, sons, sons de corações batendo um contra o outro num abraço apertado.
Descobri. Quero uma prateleira só de afectos.
É isso que falta na minha despensa para me poder saciar quando sinto estas faltas.

23 nhận xét :

BlueVelvet said...

Ai do vizinho/a que me diga que me manda o Ambrósio com um Ferrero-Rocher!
Veludiiinhos

salvoconduto said...

Prometo estudar uma solução, mas só se me garantires que os afectos não ficam trancados na despensa.

Abreijos.

BlueVelvet said...

Salvo,
prometo que não.
Aliás não viste que um dos frasquinhos dizia:Salvo?
Abreijinhos

ematejoca said...

Também me faz falta uma dessas prateleiras quando sinto saudades dos tempos passados com os seus cheiros e sons.

Eu pensei, que só tinhas um filho, que estava nos Estados Unidos.

Quem é o James? Um cãozinho?

Desejo-te uma semana muito feliz com todos os cheiros e sons dos bons momentos.

Antonio saramago said...

OLÁ!!!!BOA SEMANA..

Miepeee said...

Que bela ideia a tua.
Sabes que eu consigo sentir cheiros que nao estao presentes ha muitos anos.
Num desses frasquinhos colocava os abracos da minha mae, esses sim fazem-me tanta falta.
Beijinho daqui ate ai.

mjf said...

Olá!
Como eu te entendo...
Adorava poder ter , nem que fosse uma caixinha pequenina, com o cheiro da minha filhota...
Assim agarro-me aos peluches e almofadas dela :=)

Beijocas
Boa semana

Branca said...

Também preciso de umas prateleiras assim...seria muito bom ter estoques de afetos guardados!

Boa semana!

de dentro pra fora.... said...

Sabes que é ua exelente ideia, se conseguires arranjar dizes-me como, adorava ter uma igualzinha,hum! até já me estou a imaginar a saborear todos eles, um por um :)

BEijinhos

Patti said...

Ora aí está, uma ideia genial!

Que texto mais apetitoso, Blue!

Gata2000 said...

E tens isso tudo num prateleira cá dentro, num lugar só teu onde podes de vez em quando aceder, apenas num fechar de olhos. E num sorriso. :) Miaus

Girafa cor de rosa said...

Lindaaa!! Que texto magnífico, que sentimentos nos despertas!! Todos nós (falo por mim) desejávamos o mesmo, nunca tive foi tal ideia e acho-a soberba...embora saiba que não é assim...quando esses pequenos milagres acontecem, temos que os aproveitar bem e é esse mesmo o significado que têm...não se podem engarrafar nem enfrascar, apenas na nossa memória, no nosso coração, na nossa alma. Por isso, tira a tampa de um desses "frascos" quando sentires falta de alguns desses sons, cheiros...recorre às tuas memórias e produz muitas mais para que nunca te faltarem!! Um beijinho com votos de uma Páscoa plena de alegria:-))!!

Si said...

Então e a sua vizinhança?? A tal que faz parte da sua teia de afectos?
Também vai ser posta na prateleira, engarrafada que nem tintol, rolhada que nem asti, para ser libertada que nem génios e depois fazer 'puff'???
Naaaaa senhora, Sedona Velvet, fáxavor de a plantar é no seu jardim, onde se pode ver o sol e crescer, em vez de a prender em garrafas arrumadas em prateleiras sufocadas e poeirentas.
'Despenso', óviu??
Beijinhos!

Pitanga Doce said...

Uma prateleira de afetos? Não há marceneiro que te a construa.

Para isso ajeita-se mais um baú, feito em cestaria.

Engarrafar sons? Não sei se consegues. Talvez mantê-los nos ouvidos seja melhor. Chegam mais rápido ao coração.

O que conta é saberes que tanto cheiros como sons estão guardados em ti e ninguém os pode roubar.

bom dia Blue

BC said...

Não concordo com os afectos engarrafados, minha senhora os afectos têm que se soltar como os passarinhos de preferência noutros seres vivos.____________________tudo o resto podes engarrafar, os sentimentos, os sorrisos os afectos e coisas do género aplicam-se logo, de preferência fresquinhos.
Beijocas
Isabel

Leonor said...

ora aí está uma construção a ser pensada com todo o carinho e ainda maior disponibilidade! Também quero!

Boa semana, veludinhos

f@ said...

Tenho uma dessas mas com caixinhas...
pois é não são vedadas... o que é importante para mim... ficam apenas os afectos fieis...
os frascos tb funcionam e são belos mas não os deves fechar mto...

beijinho

Carlos Barbosa de Oliveira said...

Os afectos não podem estar presos em frascos, mas sim livres para poderem espalhar todo o seu perfume.

Carlos Barbosa de Oliveira said...

Os afectos não podem estar presos em frascos, mas sim livres para poderem espalhar todo o seu perfume.

Rafeiro Perfumado said...

Essa de ter frascos com os cheiros dos filhos parece-me perigosa... ;)

Beijoca!

Maria said...

Li-te esta noite. Estive para sugerir uma garrafa de moscatel roxo, mas não o fiz. Voltei agora para ver a tua prateleira. Fiquei a pensar onde guardo os meus afectos. E seguramente não é numa prateleira da despensa. É no peito, no coração...

Beijo

Filoxera said...

Tenho um móvel, tipo vitrine, que é a vitrine sentimental. Contém objectos que só para mi têm valor: trabalhos escolares dos meus filhos, lembranças de viagens (minhas ou trazidas por amigos), um ou outro objecto oferecido, pequenos pertences do meu pai.
Quanto aos cheiros, afectos, etc, guardam-se na memória, no coração.
Ainda sinto o dos meus filhos quando bebés de meses, o rasto de tabaco que o meu pai deixava para trás quando saía de cachimbo na boca e outros.
Combinamos para breve um reabastecimento dessas faltas, boa?
Eu ligo.
Beijos.

BlueVelvet said...

Para os queridos vizinhos/as que me responderam que guardam os cheiros, os sons e os afectos no coração, eu também.
E não estão mortos. Bem pelo contrário.
Todo o post era algo lúdico e onírico.
Obrigada a todos que passaram aqui.
Veludinhos azuis