9 April 2009

INFÂNCIA


Houve um tempo em que eu acreditava que algodão doce era nuvem com açúcar.
Houve um tempo em que eu acreditava que as bonecas, os brinquedos e os peluches tinham vida própria e despertavam quando eu adormecia.
Houve um tempo em que eu acreditava que o mundo era um lugar lógico e seguro, e que até podiam acontecer coisas más de vez em quando, mas que no fim, tudo acabava bem.
Houve um tempo em que eu acreditava que as pessoas que amamos nunca morriam, nunca envelheciam, ficavam sempre iguais, à revelia do tempo.
Houve um tempo em que eu acreditava que os adultos sabiam tudo, não tinham dúvidas nem medos, e não erravam nunca.
Houve um tempo em que eu acreditava que se fechasse os olhos e pedisse com fé algo que desejasse muito, isso acontecia.
Houve um tempo em que eu acreditava que quando crescemos nos tornamos livres e podemos tudo.
Foi-se esse tempo.

24 nhận xét :

salvoconduto said...

Ainda me custa a acreditar que algodão doce não é nuvem com açúcar, quem é nos pôs assim?

Abreijos

Emigrante said...

Seria bom que esses sentires nos acompanhassem pela vida.
Quão mais sorridentes seriam as manhãs, os encontros e desencontros e acasos da vida.
Nunca quis crescer. Por isso no meu íntimo me sinto tão "pequenina".

Boa Noite

Teresa A.

P.S.
Obrigado pela tua espressividade... de sentires

Patti said...

Olha que fofo está o teu template!

Olha que há coisas, que ainda são deste tempo e ainda consegues alcançar.

Feliz Páscoa e atenção à vigilância!

Donagata said...

Todos já tivemos um tempo desses...
mas perde-se sempre. Porque será?
Custa tanto brincar aos crescidos...

Antonio saramago said...

Vão-se os Anéis mas ficam sempre os dêdos e nós com a vida vamos sempre aprendendo, mesmo aquilo que nunca desejaria-mos de aprender.
É pena que o tempo nos roube a nossa liberdade de CRIANÇAS!!!

Miepeee said...

Espero que nao percas a capacidade de acreditar.
Todos nos acreditamos em muitas coisas que depois percebemos que nao era bem assim,no entanto vale sempre a pena continuar a acreditar que ha pessoas boas e lindas , como tu por exemplo :)
Beijo daqui ate ai.

pedro oliveira said...

Cara amiga,

Esse tempo nunca acaba tem é assim uns upgrades(?)que nos fazem diferentes,e fazem acreditar em outras coisas que mais tarde necessitam elas também de ir à máquina de lavar...
Excelente Páscoa para ti e família
bjs

Angel of Light said...

Olá querida veludinha azul!

Estou de volta, após um período de recolhimento.

Houve um tempo... e será que não consegues que esse tempo volte novamente? Onde anda a tua Criança Interior? Fá-la renascer... É tão bom...

Deixo-te luzinhas mensageiras de cor prata da Mãe e douradas do Pai.

Beijinhos de Amor e Luz!

Si said...

Os sonhos são substituídos por outros, as crenças também.
Guardamos sempre o que de melhor nos ficou da infância, mas crescemos, aprendemos, vivemos e todos os dias ficamos diferentes do dia anterior.
Não somos mais do que o reflexo daquilo que o nosso corpo faz instintivamente. Quando há uma obstrução, protege-se, procurando sempre caminhos alternativos.
Cada dia, é um recomeço. : )

Gata2000 said...

E agora acreditamos em tão pouco....

Sunshine said...

É o problema de se crescer: vão-se embora as ilusões e o problema é que não são substituídas por certezas. Mas existem adultos que conseguem olhar a vida com olhos de criança, quem me dera saber como o fazem.
beijinhos com raios de sol

Pitanga Doce said...

Foi não, Blue. Ainda há coisas que podemos fazer, só que elas mudaram de importância na escala.

beijos e Boa Páscoa!

BC said...

É sempre bom recordar, eu não acho que voltar ao passado seja mau, pelo contrário___________regressarmos às origens e sentirmos os bons momentos que passámos, que mal tem, não acho que seja saudosismo ou pieguice_________é simplesmente bom!!!
Boa Páscoa para ti!
Beijinho
Isabel

sagitario said...

olá velvet,
lindas as suas recordações de infância e é realmente a nossa infância que nos molda o caracter, pois quem tem uma infância feliz jamais esquece e muitas vezes é lá que vai recarregar energias.
Mas quero desejar-lhe uma BOA PÁSCOA, com muita LUZ, PAZ E AMOR.
um abraço de amizade

lua prateada said...

E ...quase tudo se vai amiga...
Passei para deixar o desejo de uma Páscoa Feliz e, que o sangue que o Nosso Jesus derramou para nos salvar NUNCA seja em vão que saibamos todos reconhecê-lo como nosso SALVADOR !....
Beijinho com carinho.

SOL

f@ said...

Tinhas uma varinha mágica chamada sonho... ainda tens espero que transformes a galinha dos ovos de ouros em coelhinho branco e macio...

feliz páscoa e
bijinho

carlota said...

Pois foi, foi-se esse tempo.
Eu até há muito pouco tempo ainda vivia com alguma crença infantil de achar que tudo corria bem, que tudo se resolvia, e que se desejasse muito algo acabaria por conseguir.
Até há muito pouco tempo atrás eu vivia com uma leveza que nunca mais na minha vida vou voltar a ter...não gostei da forma como fui obrigada a ver as coisas de outra forma, nem gosto da forma como as vejo agora...espero que o tempo suavize isto.
Beijinho
Carlota

Ps. comentei-te o teu comentário no meu blog :)

Sofá Amarelo said...

Pois eu ainda acredito nesse tempo e em tudo o que escreveste... o tempo não tem tempo, tem o tempo que lhe quisermos dar!

Muitos beijinhos, Blue. Boa Páscoa!!!

Carminda Pinho said...

Blue, não me digas que não há alturas em que sentes, por instantes... que voltaste à infância?!
Vá lá...miúda!
:)

Beijos

LeniB said...

Acredito que ainda haja tempo para acreditar...bjs

Filoxera said...

É mesmo assim. Caso contrário, não terias amadurecido...
Beijos.

Maria said...

Ainda bem que esse tempo se foi.
É sinal que cresceste e hoje és Mulher!
(ai, ai, ai...)

Um beijo

Oliver Pickwick said...

O fim da infância nem sempre é o melhor de nossas vidas. Mas aposto que ainda acredita que algodão doce é nuvem com açúcar. Apenas tem vergonha de admitir.
Um beijo!

Paula Crespo said...

Ou, como escreveu o outro: No tempo em festejavam o dia dos meus anos...Seja. Mas, e fazendo apelo ainda a referências várias, cito estas sábias palavras, cantadas por Ivan Lins: Desesperar jamais
Aprendemos muito nesses anos
Afinal de contas não tem cabimento
Entregar o jogo no primeiro tempo
Bjs