18 January 2010

( 10) TOU DANADA!


Vivo num País onde não escolhi o Governo. É o mal das democracias, ou como há quem lhes chame, as ditaduras das maiorias.
O Presidente não tem poderes, o Tribunal Constitucional não inconstitui ( calculo que isto seja um neologismo, mas que se dane), o povo não referenda e o Governo vai desgovernando, ora chegando-se um bocadinho à direita, o que não me incomoda, ora chegando-se um bocadinho à esquerda e aí já me incomoda e muito.
E quando eu já pensava ter visto tudo, mesmo já depois de aprovada a lei do casamento entre homosexuais, eis que leio que haverá casamentos desse tipo nos Casamentos de Sto António.
Aí passei-me. Estou danada, furiosa, furibunda. Claro que Mr. Costa nunca me enganou, mas enough is enough.
Abençoada Maria Antonieta que quando lhe diziam que o Povo não tinha pão, mandava darem-lhe croissants. E daí? Croissants franceses, quentinhos, estaladiços nunca fizeram mal a ninguém. Bem pior era o imperador Júlio César dizendo: "Ad populum panis et circensis" e atirava-os aos leões.
Mas péssimo mesmo é o nosso que nos dá circo e tira-nos o pão.
Circo, palhaçadas, fantochadas ou o que lhe quiserem chamar.
Então agora os "noivas" de Sto António casam debaixo do alto patrocínio dos anunciantes, do erário camarário e de Sto. António Padroeiro de Lisboa!!!! Só podem estar a gozar connosco.
E andaram tantos e grandes homens a guerrear para fazer disto um País.
Razão tinha Eça quando dizia que “Isto não é um País é um sítio, e ainda por cima mal frequentado!”
Por mim, já só tenho medo, como o Obélix, que o céu me caia na cabeça.
Fui!
Mas fui muito danada!

31 nhận xét :

Pitanga Doce said...

E será que "os noivas" vão vestidos de noivas? Arre! Olha o Santo Antonio a cair do altar!

Imperator said...

noivas ou noivos de santo antónio... então e o direito de ser-se igual no casamento?

e então os casais, hetro, que se casam só no civil, a tradição religiosa vai-se dissipando no ar felizmente e outros valores vão se instalando, uns melhores outros piores outros assim assim.

casamento é casamento, e é por essa dita instituição contratual que duas pessoas se unem adquirindo vários direitos e deveres, passando pelo principal direito/dever de comunhão de cama mesa e habitação.

todos nós todos sabemos que a lei para entrar em vigor tem de primeiro ser promulgada pelo PR e correr o seu prazo de "vacatio legis" e após ter passado esta traquinada toda entrará em vigor.

Sendo a Câmara Municipal uma instituição pública, recusar um casal com o fundamento que são do mesmo sexo, estão a violar a lei e a CRP desde o simples direito de igualdade de tratamento, a descriminar duas pessoas, facto que a dita CRP ao que parece também não permite a descriminação seja por credo religioso, simpatias politicas, sexo...

boa semana

salvoconduto said...

No que ao casamento pela igreja diz respeito, passo, quero lá saber, cada um que se amanhe. No que à tua costela de direita diz respeito apenas comento que não se pode ser perfeita em tudo. Mas já quanto àquela questão do erário camarário deixa que te diga, não são os homossexuais contribuintes como tu? Ou será que por o serem estão isentos de taxas e derramas?

Abreijos.

kakauzinha said...

Bluezinha, nas notícias disseram que os tais casamentos não iriam ser efectuados, por respeito à Igreja Católica. E era só o que mais faltava, acho que a Santíssima Trindade descia a toda a velocidade e dava uma coça valente ao povoléu, ao (des) Governo y sus muchachos, aos gays e mais alguns! O Santo António deve estar a respirar de alívio… e nós também. A União de Facto seria suficiente. Casamento civil soa-me a algo asteróide. Casamento religioso e adopção… bem… sou totalmente contra. Ámen!

:))****

pedro oliveira said...

O Eça está sempre actual, sinal que este projecto de país está cada vez mais na mesma.
bj e boa semana

Si said...

Ao que sei, a autarquia já voltou com a palavra atrás.
Como disse num outro blogue, acho bem, uma vez que, como acontece com a união entre sexos opostos, os direitos conquistados pela nova lei, são adquiridos pelo casamento civil e não pelo religioso.

Donagata said...

Gostei do que li. Mesmo danada continuas a escrever com graça. Mas diz lá que não ficava giro, no meio daquela piroseira geral dos noivos de Sto. António (desculpa se te ofendo mas é a minha opinião. Julgo que poderia haver o mesmo "empurrão" aos noivos sem a parte de show off e ainda por cima má...)um casalinho , ou dois, vá, de gaysinhos muito assumidinhos? Dava um ar vanguardista!!!!
Estou de acordo com quase tudo o que disseste à excepção das esquerdas e das direitas. Não sou de lado nenhum em particular mas olha que as direitas também têm feito cá um serviço, mesmo até como oposição que valha-me Deus!

Deixo-te a cópia da resposta ao meu teu comentário no meu blogue para o caso de andares fugida como eu tenho andado.

Mas, como vês, estou aqui e és das primeiras pessoas que visito. Diz-te algo???

Bluevelt, obrigada pela compreensão. E sei também como te deve ter sido doloroso ler algo que te trouxe à memória coisas que, naturalmente, preferias não recordar mas não estão nunca esquecidas. Mas julgo que, por vezes, faz bem. É uma forma de catarse. Para mim, embora me custe muito escrever sobre os que partem, funciona como um desabafo.

Beijos.

BlueVelvet said...

Pitanga,
pois não sei.
A sorte é que o Carnaval é em Fevereiro e o Sto António em Junho.
Que ele nos dê paciência.
Beijinhos

BlueVelvet said...

Imperator,
já que se dá ao trabalho de tão bem explicar o processo pelo qual passam as leis, chamo-lhe só a atenção para uma frase sua. Sua, não minha:
...casamento é casamento, e é por essa dita instituição contratual que duas pessoas se unem...
Omitiu 3 palavrinhas que estão na lei: duas pessoas, DE SEXOS OPOSTOS...
Mas, a questão do meu post nem era sobre os ditos casamentos, mas sôbre a sua inclusão nas Noivas de Sto. António.
Imagino que o tenha lido na diagonal...

BlueVelvet said...

Kakauzinha,
que bom ver-te por aqui.
Amén, amiga.

BlueVelvet said...

Pedro,
pois, para nosso mal o Eça está cada vez mais actual.
Bjs

BlueVelvet said...

Si,
mas nos casamentos de Sto. António há os civis e os religiosos.
É claro que a existirem só poderiam ser civis, mas ainda assim, acho que Sto. António cairia do altar.
Beijinhos de mim para Si

BlueVelvet said...

Donagata,
obrigada pela tua visita num momento que te sei tão difícil.
Mas, se leres a minha resposta ao Salvo perceberás melhor a minha posição.
Beijinhos amiga

BC said...

Então já somos duas, e não vale a pena dizer muita coisa, amiga.
É triste o que se passa, mas vamos caminhando.
Beijocas

Fernanda said...

Amiga Blue Velvet,

Estás danada e com razão. Essa dos Gays irem casar no dia de Santo António só pode ser "gozo"...eu nem acredito !!!!!!!!!!!!!!!!
Até o Santo via sentir-se agoniado:))) para não dizer enojado:))))

Que mais virá por aí???

Amiga, tens no Rau um selinho de Mulher Poderosa para ti.
Espero que aceites, será para mim uma honra.

Beijinhos,

salvoconduto said...

Juro que não fui eu que apaguei daqui nada, ou foste tu que utilizaste lápis e logo a seguir a borracha?

Abreijos.

Carlos Barbosa de Oliveira said...

Volte! Volte e acalme-se, porque já foi feito o desmentido dessa notícia que também me indignou. Não pelos mesmos motivos ( sou a favor do casamento entre homossexuais), mas pela tradição dos casamentos de Santo António.
Eu sei que as tradições se vão perdendo e que agora as noivas de Santo António já não precisam de ser virgens para participar na cerimónia. Houve uma saudável adaptação à realidade dos tempos e isso pareceu-me positivo (embora tenha dúvidas se o padroeiro terá regido bem à alteração). Depois o casamento deixou de ser obrigatoriamente na Igreja, o que já não me pareceu tão bem, na perspectiva do Santo que, pela sua condição gostaria que todos os consórcios que ocorram sob o seu apadrinhamento, tenham lugar na Igreja.
Já quanto a incluir casamentos entre homossexuais, paeceu-me demasiado mau gosto e uma afronta aos crentes. Há limites à modernidade, não é de bom gosto afrontar os católicos. Mesmo num país constitucionalmente laico.

josé luís said...

sendo as "noivas de santo antónio" uma iniciativa ligada à igreja católica, não estou bem a ver como é que os gays lá cabem...
talvez criem uma secção especial, tipo "noivos de santa antónia"... ;-)

Pepe Luigi said...

Bleza e sinceridade na sua forma crua e nua com que faz as suas descrições.

BlueVelvet said...

Salvo,
juro que não mexi em nada. Nem dá para mexer. Publiquei direitinho o que escreveste.
Que raio estás tu a querer dizer?
Eu hein, agora deu-lhe para isto.
Vai ver o homem é do norte:)
Abreijinhos

BlueVelvet said...

Carlos,
muito obrigada por vir explicar em duas linhas o que eu levei um Post e mais não sei quantos comentários a tentar.
Nada como escrever bem!
E nem precisou da Brites nem do Sebastião.
Obrigadinha, compadre.

BlueVelvet said...

JOsé Luis, ainda bem que apareceu que já pensava que tinha emigrado com uma alheia:)
Veludinhos

BlueVelvet said...

Pepe Luigi,
pois seja muito bem vindo, obrigada e volte sempre.
Veludinhos

carpe vitam! said...

acho que seria interessante, para variar! mas como já estão a pensar nisso se a lei ainda nem sequer foi promulgada? qual a fonte dessa notícia?
mas se puder, satisfaça a minha curiosidade, não consigo entender no que é que dois homens participarem nesse evento a afecta. se forem duas mulheres, já lhe parece bem?

salvoconduto said...

Se leres a resposta de deste à Donagata verá que está lá escrito isto: "Mas, se leres a minha resposta ao Salvo perceberás melhor a minha posição."

Resposta ao Salvo? Where?

Sou do Norte ou serei míope?

BlueVelvet said...

Salvo,
foi bruxedo.
Não acredito nisto. Respondi-te com um comentário que ocupava uma página. Não sei o que aconteceu.
Hoje já estou muito cansada mas amanhã tentarei refaz~e-lo.
Desculpa.
Abreijinhos

BlueVelvet said...

Salvo,
revirei o PC de ponta a cabeça e nada. O comentário escafedeu-se, portanto, por ser para ti, cá vou eu tentar responder-te como fiz ontem:

Salvo,
palpita-me que comeste uma barrigada de tremoços que te provocou uma indigestão e daí este comentário.
Acho até que não percebeste qual a razão do meu post ou que o leste na diagonal. Mas enfim, vamos lá.
Acho pouco delicada a forma como te referes aos casamentos católicos. Afinal, se queremos que nos respeitem, devemos respeitar os outros.
Já quanto à minha costela de direita a coisa fia mais fino. Não sei onde a foste descobrir. Não acho que pelo facto de gostar dos Estados Unidos ( País) e ter ficado contente por o Obama ter sido eleito que tenho uma costela de direita.Só não acho é que sejam o Eixo do Mal e que tudo quanto acontece de mal no Mundo seja culpa dos americanos. Como também não acho que por escreveres como escreves sôbre os americanos sejas um extremista islâmico.
Mas o meu post não era sôbre isto.
Ao contrário do que parece teres inferido, não tenho nada contra os homosexuais puros e duros.Mas, para Paradas Gay, fantochadas, desmunecados, larilas e etc...para esses, de facto, não tenho pachorra.
Tive o enorme privilégio, de ainda bem nova, ter conhecido bem o Ary( e logo aí fiquei vacinada)e tenho vários amigos homo, pessoas felizes, realizadas, úteis à sociedade e isso é o que me interessa.
Há muito que deixou de me interessar se os homosexuais o são por doença, geneticamente ou por opção. Tanto me faz. São-no e ponto final.
Aliás, uma amiga minha de infância tem 4 filhos: 2 raparigas e dois rapazes. O mais novo, aí pelos 8 anos começou com uns tiques e atitudes estranhas. Cresceu e aos 18 anos era um perfeito desmunecado. Como se vê, 4 filhos, um diferente.Porquê???? Não sei. Ninguém sabe.
Mas também não era esta a razão do meu post.
Lá chegaremos, mas antes, quero dizer-te que o Brasil, País de "pretos", de violência, de corrupção, etc, etc,veio beber aos nossos códigos todas as leis pelas quais se regem. Só que fizeram-no melhor. Assim, eles já tinham uma figura jurídica chamada " Contrato de União Estável" que se aplicava aos casais que estando à espera do divórcio queriam legalizar a sua união, até para protegerem os filhos, caso já os houvesse, e agarraram nessa figura e adaptaram-na aos homosexuais. Assunto resolvido.
Mas nós que não temos violência, nem favelas, nem desemprego,nem corrupção, nós que somos um verdadeiro Paraíso sem problemas nenhuns, tínhamos como prioridade resolver este, que era um problemão. Só para rir, mas enfim.
Mas também não era esta a razão do meu post.Picáste-me, agora tens que me ler...
A razão do meu post tem a ver com os Casamentos de Sto ntónio, tradição que vem desde a minha meninice e que, julgo foi o João Soares que repescou, e bem,e com o facto de ter sido noticiado que iria haver casamentos gay nos Casamentos de Sto. António. Ora pois, e porque não no Santuário de Fátima?
Sabendo, e não estou a ajuizar da bondade dessa atitude, que a Igreja condenou os casamentos gay, é evidente que esses casamentos, a realizarem-se, só poderiam ser uma provocação. Os gays que realmente façam muita questão de casar, vão discretamente a um Registo Civil, assinam o papelinho e está feito.
Agora, misturados com As Noivas de St. António, não!
Da mesma forma que respeito os outros credos, crenças e religiões, desde que sejam DO BEM, e não metam bombistas à procura de 100 virgens, quero que respeitem as minhas.
Era este o tema do post. Se não me expliquei bem, culpa minha.
Quanto à minha costela, já devias saber que nem de direita nem de esquerda: sou vegetariana.
Abreijinhos

BlueVelvet said...

Carpe Vitam,
imagino que a sua pergunta seja mera retórica, mas vou responder-lhe na mesma:
É claro que o sexo me é indiferente.
Tanto me chocaria o casamento de lésbicas como de gays misturados nas Noivas de Sto. António.

salvoconduto said...

Lá vamos nós outra vez, acusares-me de falta de respeito ao casamento católico é obra. Disse e mantenho que quem quiser passar por esse ritual que o faça, não é indispensável para ser declarado casado. Ser ateu, como sou, não é sinónimo de intolerante.
Digo como sempre tenho dito que AS religiões têm sido responsáveis por algumas das tragédias no mundo e por isso as quero afastadas de mim.
Outra questão que pus em causa foi aquela tua referência ao erário camarário, tsq, tsq.

Acabas mencionando que tens ou tiveste amigos homossexuais, não se pega pois não? Já agora, um dos meus grandes amigos é padre, Marílio Faria, pároco de Canelas, Penafiel e tudo o que normalmente aqui critico da igreja discutimos durante centenas de horas de boa convivência, mas sem ter que ir alguma vez a uma missa dele. Como vês as coisas não são assim tão lineares. Deixa-os lá casar, em que é que isso atrapalha a tua felicidade ou os teus direitos?

Abreijos, "canhotos" :)

BlueVelvet said...

Salvo,
atrapalha o respeito pela Igreja, pelo sacramento do casamento e por Sto. António.
Também tenho amigos padres. Até foi um bispo que me casou, imagina, e farto-me de mandar vir com eles sôbre os despautérios deste Papa e outros quejandos. Mas isso não me retira o respeito que, como figuras da Igreja me merecem.
Abreijinhos "canhotos"

carpe vitam! said...

Não eram perguntas de retórica, gostaria mesmo de saber qual a fonte dessa notícia e porque é que a choca tanto. Já percebi que está danada, mas no meio de tudo que já foi escrito, ainda não consegui encontrar a explicação. No que é que o casamento entre pessoas do mesmo sexo a afecta afinal? Consegue explicar como se eu tivesse 6 anos? Assim de uma forma simples e concisa, se não der muito trabalho.