4 January 2010

NAVEGANDO


Vagueio pela blogosfera e encontro-me… inexplicavelmente. Tantas pessoas que sentem como eu… tantos estranhos que partilham dos meus sonhos que julgava tão únicos, que acarinhava porque pensava especiais… Quantos de nós, perdidos pelos quatro cantos do mundo não partilhamos as mesmas experiências… quantas vidas que desconhecemos são o espelho perfeito da nossa…
Todos buscamos amor, quantas vezes no lugar errado. Todos nos forjamos na dor de perder o que as saudades insistem em manter vivo dentro de nós… todos nos refugiamos nas palavras…, companheiras de noites sem lua, nas quais nos escorremos sem pudor…
Todos somos passíveis de sentir medo e solidão, euforia, adrenalina, exaltação e ira. Ninguém é totalmente desprovido de virtudes e está ainda para nascer de entre nós aquele que nunca errou ou infligiu dor aos outros…
Somos seres incompletos, mas impulsivos e orgulhosos, quantas vezes preconceituosos ao invés de dar valor às diferenças, quantas vezes fazendo a guerra porque temos medo da paz…
Quantas pessoas se terão já cruzado comigo na rua, no supermercado, no ginásio, que me compreenderiam tão melhor que qualquer dos amigos com quem vou traçando a minha história, simplesmente porque os caminhos que trilhámos até ali foram análogos?
Quantos estranhos são eu?
E porque insisto em fugir-lhes da vida com a mesma urgência com que fogem da minha… de forma tão inconsequente e fugaz?
Porque insistimos, em afundar-nos na solidão onde pensáramos ter achado refúgio redentor ,quando a cada volta o mundo nos confronta com nós próprios…
na criança que se esconde do medo mergulhando a cabeça debaixo dos cobertores...
no jovem que apoia os passos inseguros de um idoso que cruza já o Inverno da vida e tem por experiência as curvas de um caminho que ainda teremos que inventar a pequenos actos…
nos que descobrem o amor pela primeira vez… nos que perdem alguém pela primeira vez…e descobrem que o mundo é mais que um quebra-luz de sonhos…

18 nhận xét :

josé luís said...

... e ficamos assim, vazios e submersos nessa solidão cheia de outros como nós... até que sem rumo e ao sabor da corrente deparamos com textos belíssimos como este seu - e sabemos nesse instante que podemos estar submersos mas nunca seremos náufragos, podemos estar à deriva mas nunca encalharemos, porque nas palavras dos outros há cartas de marear, nelas podemos içar a âncora que nos prende, no que lemos escrito pelos outros descobrimos uma escrita que sabíamos ser nossa... e as palavras dos outros são afinal os sempre ansiados portos de abrigo.

[obrigado pela partilha... vê como uma palavra vale mil imagens?]

ematejoca said...

Há textos que fazem bater mais depressa o coração... e este é um deles, Blue Velvet!

salvoconduto said...

Uma das vantagens da blogosfera é precisamente essa, podermos encontrar de tudo, mas ao mesmo tempo podermos escolher, nada de imposições.

Abreijos.

pedro oliveira said...

É contra as regras blogosféricas, mas como estou a começar a 200/h só tenho tempo de te enviar um bj e desejar um feliz e óptimo 2010.

Fernanda said...

Amiga Velvet!

Tens razão. Andamos por aí e muitos de nós não nos encontramos por razões absolutamente absurdas.
Porque não sorrimos, porque olhamos só de soslaio, porque são doutro extracto social, porque são mais novas ou mais velhas. POR ESTUPIDEZ!

Adorei o texto.

Hugs.

Carlos Barbosa de Oliveira said...

Um dos fascínios da blogosfera é precisamente esse. Encontramos de tudo, como no hipermercado, fazemos a selecção de acordo com as afinidades e os gostos. Por vezes também procuraos o nosso oposto, talvez para confirmar que realmente não é daquilo que gostamos.
Não conseguiria nunca, é descrevê-lo desta forma deliciosa...
Bom ano again!

paulofski said...

Às vezes, leio coisas em blogues que gostaria tanto de ter escrito e este texto é um desses.

Pena said...

Linda Amiga:
Olhe, simplesmente fabuloso, o que é e escreveu.
Sim! Se calhar já nos cruzamos na rua ao ritmo da vida ignorada. Discreta. Estereotipada, mas sempre terna e amiga.
Parabéns. Um texto delicioso que encanta pela veracidade do mundo e de si.
Beijinhos amigos de respeito imenso.
Sempre a admirá-la

pena

Linda...!

Gata2000 said...

Vou plagiar as sábias palavras de uma música do Rui veloso para te responder com o coração a um texto que toca cá dentro de uma forma, que creio, compreendes: "muito mais é o que nos une, que aquilo que nos separa". Tantas e tantas vezes olhamos para olhos vazios que se nos cruzam na rua, e pensamos que talvez, talvez os nossos olhos tenham alguns dias o mesmo vazio daqueles.
Somos todos muito iguais porque na realidade aquilo que procuramos é amor, carinho, compreensão. E isso pode encontrar-se no virar da esquina, basta termos o coração aberto.
O meu está aberto para ti minha linda blue velvet.

Feliz 2010.
Beijinhos

Pitanga Doce said...

Por incrível que pareça vou usar a expressão "passei só para deixar um beijo" o que na blogosfera é pecado motal. É que está uma confusão dos diabos aqui em casa e não posso te ler agora, mas quero que saibas que vim.

RESUMO: VIM AQUI DIZER QUE NÃO POSSO VIR, ENTENDEU? NEM EU. hehehe


volto amanhã e explico.


beijos Blue e atura-me que te quero bem, pa!

Patti said...

E é mesmo como dizes. navegando por aqui encontramos muitos pensamentos, vidas e experiências com as quais nos identificamos. Entre estranhos e conhecidos, todos um dia passamos por situações idênticas.
Por isso muitas vezes, estas navegações blogosféricas, são uma espécie de partilha, mesmo que não lhe façamos referência nos comments.

Pitanga Doce said...

Blue tu fazes as perguntas e tens as respostas. Porque insistir em afogar na solidão se há tantos por aí iguais a nós. Há que dar o primeiro passo. Olhar com olhos de ver, é um deles. Não ter vergonha ou medo de dizer que puxa o cobertor para cobrir o rosto. Talvez o outro também o faça.

Procurar quem nos ouça. O máximo que pode acontecer e nos dizerem NÃO!

beijos em dia fusco.

Si said...

É de facto muito interessante esta afinidade entre perfeitos desconhecidos.
Talvez porque as palavras escritas, antes de nos saírem da cabeça para os dedos, passam primeiro pelo coração.
A este mesmo propósito, um dia escrevi num post 'estranho mundo este em que o silêncio diz tanto'.
E não é que é mesmo?
Beijinhos

pvnam said...

«........mini-spam........»
SEM ARMAS DE ALTA TECNOLOGIA NÃO HÁ DEFESA/SOBREVIVÊNCIA POSSÍVEL
Todos Diferentes! Todos Iguais!
{TODOS os povos - quer os de maior, quer os de menor, rendimento demográfico - devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no planeta}


---> É preciso abrir os olhos!
---> Ao contrário da colonização europeia nas Américas... os islâmicos (entre outros) são uns PREDADORES INSACIÁVEIS... logo, na Europa nunca irão existir reservas!

---> Os Judeus - já andam 'nisto' há milhares de anos - mostram-nos aquilo que é óbvio: sendo a corrida demográfica a estratégia de conquista... mais eficaz da História da humanidade {vejam este blog: http://tabusexo.blogspot.com/}... e face à existência de predadores insaciáveis.... só existe uma forma de dissuasão capaz de resistir a «guerras de desgaste demográfico»: ARMAS DE ALTA TECNOLOGIA.
---> Milícias e outras coisas do género... são patetices te imbecis!... Visto que, sem a dissuasão das armas de alta tecnologia... não há defesa/sobrevivência possível!
NOTA: Os territórios mais pequenos... têm de se coligar com outros... contra o inimigo comum: os predadores insaciáveis que estão numa corrida demográfica pelo controlo de novos territórios.

---»»» Conclusão: antes que seja tarde demais, há que mobilizar aquela minoria de europeus que possui disponibilidade emocional para abraçar um projecto de Luta pela Sobrevivência... SEPARATISMO-50-50... e coligação contra o inimigo comum: os predadores insaciáveis...


P.S.
-> Só os OTÁRIOS [PNR's e afins] é que não vêem que os negociatas-fáceis... não são de confiança... e depois andam por aí a espernear feitos parvos...

P.S.2.
-> Algumas civilizações podem acabar... mas o mundo não vai acabar..., dito de outra forma: COMO É ÓBVIO, quem [um exemplo: os nativos europeus] não constitui uma sociedade sustentável [média de 2.1 filhos por mulher] procura infiltrar-se em qualquer lado...
-> Os negociatas-fáceis são manhosos: não só procuram infiltrar-se em qualquer lado... como também, são INTOLERANTES para com a preservação das Identidades Étnicas Autóctones!

BC said...

É verdade, são as realidades da vida, mesmo não mostrando todos nós temos os nossos senãos, bem problemáticoa por vezes, mas nem sempre passamos tudo cá para fora, e então continuamos a SONHAR.
bEIJO

Pó de Estrela said...

Pois é. olha que eu, apesar de já ter apanhado umas sapatadas, tenho encontrado também bons amigos...Como tu!

Beijos

Licas said...

Olá!
Um dia passei e escolhi ficar.
Não me arrependo mesmo nada e vou continuar a deliciar-me e a reflectir sobre os textos que nos ofereces.
Desejo-te um óptimo 2010.
Que ele venha recheado com as tuas escolhas preferidas.
Um beijinho
Licas

Tite said...

Os teus balanços continuam a deliciar-nos, tal a afinidade que sentimos com o que sentes.

Uma coisa tenho a certeza. Só visito os blogues com que me identifico e se percebo que são problemáticos fujo.
Para problemática estou cá eu na minha intimidade e não quero tornar a vida difícil a ninguém.

Quanto mais alegria e força de viver encontro mais procuro aproximação.
Não tenho saúde para doenças nem depressões. O que eu quero é conviver se possível com Avós gaiteiras como eu.

Beijossssss