27 January 2010

...




Houve dias em que eu não cabia no estreito do mundo. Era como se eu estendesse os braços dançando liberta, e as minhas mãos estabanadas derrubassem vasos, estátuas, louças, milhares de coisinhas delicadas e mais ou menos preciosas que se fossem espalhando em cacos ameaçadores pelo chão.
Ás vezes eu pisava-as, cortava a planta dos pés e ia pisando o chão esbranquiçado com os pés ainda a sangrar. Deixava as minhas pegadas ao longo do caminho, pegadas tortas, pegadas livres.
Doía, mas eu chorava baixinho para esquecer a dor, para esquecer as feridas, para nascer de novo, livre como um passarinho.
Tenho cortes não cicatrizados que volta e meia voltam a doer e as lágrimas rolam sem que eu perceba, mas eu abro os braços de novo e danço, danço rodando a saia e despenteando os cabelos, porque preciso ir mais longe, já não aguento mais a pequenez das coisas, não aguento mais a mesmice da vida quotidiana.
Nada disso me serve. Ainda não sei para onde ir, mas sigo em frente, porque sei que não posso ficar.
Sei que mereço mais, e não me contento com o que a vida me dá.
Já não sou uma menina assustada, encolhida num canto, à espera que a vida me convide para dançar.
Já não enfeito os meus dedos com anéis coloridos, não espalho flores desbotadas nos meus cabelos loiros e a vida não me sopra nos ouvidos, delicada, doce.
Mas convida-me.
Convida-me e eu vou. Seja música ou seja silêncio, seja cinza ou seja cor, seja medo ou seja vontade, seja alegria ou seja dor.
Seja lá o que for, eu vou.


Will you catch me if I fall??

14 nhận xét :

salvoconduto said...

Vai! Mas se te pões a pensar que somos assim tipo rede da Marlene, aquela do trapézio, é melhor desiludires-te. Cada tombo que dês é por tua conta e risco. Também só assim é que vale a pena.

Vai, vai que eu volto amanhã, mais não prometo.

Abreijos.

Justine said...

Vai, pois. Isso chama-se viver. Com quedas e voos, com feridas e alegrias...

josé luís said...

miss velvet:
go ahead and dance away!
remember that old bowie song:

"If you say run, I'll run with you
If you say hide, we'll hide
Because my love for you
Would break my heart in two
If you should fall into my arms
And tremble like a flower"

you may stumble - but you'll never fall...





[and, just for the record, if i could dance i would invite you!;-)]

de dentro pra fora.... said...

Há golpes que magoam, doem já quando pensamos estarem curados...a vida é mesmo assim um caminho a seguir, até podemos parar por algum tempo para restabelecer forças ou pelo menos tentar, mas ´que aceitar o "convite" vai que eu também vou...

Patti said...

Mais um post pessoal e muito intimista, dos difíceis de comentar. Mas estou com a Justine,percalços e compensações, idas e vindas assim se faz a vida.

josé luís said...

ah, of course, i forgot to post the link:

http://www.youtube.com/watch?v=Z1AUCFXNamQ

... let's dance!

Si said...

Ir, sempre.
O pior que poderá acontecer é viver no eterno arrependimento de não ter ido.

Carlos Barbosa de Oliveira said...

Don't think twice!

Pitanga Doce said...

Eeeessa é a Blue Boop. Vestidinho curto, salto alto e lá vai ela! Convite da vida pra dançar? Muuitos! Na sexta feira vai haver um lá na árvore mas não abras muito a boca. Não digas alto o que vais pensar na hora, por favor, sim? Então tá.

beijos de quem gosta da Betty e da Blue

BlueVelvet said...

Ó Salvo,
obrigadinha. E eu a pensar que podia cair no teu colinho:)
Abreijos

BlueVelvet said...

José Luís,
just for the record o que eu já dancei e pulei com essa música. Mas não pode dançar porquê?
Let's dance and get lost!
Veludinhos

BlueVelvet said...

Patti,
o que eu gosto é dos teus comentários aos posts difíceis.rsrsrs

BlueVelvet said...

Pitanga,
tu és o fim da picada.
Um dis destes ainda faço um post sobre ti.
Pena não te conhecer, mulheri!
Beijinhos

Sunshine said...

Eu vou, mas não quero cinza, posso ir a medo, mas vou...se cair will you catch me?
Os golpes abrem, mesmo quando pensámos que já fecharam, vezes demais. Hoje disseram-me que ficam para sempre e olho-me ao espelho e vejo os meus por lá e uma gota de sangue teimosa, não me quedo por lá. Já aprendi que a gota seca e sigo, sei que voltará e que continuarei a seguir.
beijinhos com raios de sol