14 October 2007

GOZO

Dado que a poesia de Maria Teresa Horta, tem em certos casos, conexão por temas, não me parece que se possa vislumbrar o que nos quer transmitir, senão se lerem, pelos menos alguns de cada tema.
Assim, de GOZO, aqui ficam alguns.

Espero que vos dê muito Gozo.

GOZO I
Linho dos ombros
ao tacto
já tecido

Túnica branda
cingida
sobre as espáduas

Os rins despidos
no fato já subido
as tuas mãos abrindo a madrugada

Linho dos seios
na roca dos sentidos
a seda lenta sedenta na garganta

a lã da boca
cardada no gemido

e nos joelhos
a sede que os abranda

Linho das ancas
bordado
de torpor

a boca espessa
o fuso da garganta




GOZO VI
São de bronze
os palácios do teu sangue

de cristal absorto
ensimesmado

São de esperma
os rubis que tens no corpo
a crescerem-te
no ventre ao acaso

São de vento são - são de vidro
são de vinho
os líquidos silêncios dos teus olhos

as rutilas esmeraldas que
sózinhas
ferem de verde aquilo que tu escolhes

São cintilantes grutas
que germinam
na obscura teia dos teus lábios

o hálito das mãos
a língua - as veias


São de cúpulas crisálidas
são de areia

São de brandas catedrais
que desnorteiam

(São de cúpulas crisálidas são de areia)

na minha vulva
o gosto dos teus espasmos




GOZO IX
Ondula mansamente a tua língua
de saliva tirando
toda a roupa...

já breves vêm os dias
dentro de noites
já poucas.

Que resta do nosso
gozo
se parares de me beijar?

Oh meu amor...
devagar...
até que eu fique louca!

Depois... não vejas o mar
afogado
em minha boca!

6 nhận xét :

cõllybry said...

É tudo isto e pode ser muito mais, depende de e como se gosta...gostei deste belo poema...

Doce beijo

Sol da meia noite said...

Temas que realmente se completam, complementam. Sensações em momentos que se encaixam...
Fantástico ler assim de seguida ...
Um sentir profundo.

Beijinhos!

Jasmim said...

Não conhecia a poetisa.
Gostei

Jasmim said...

Em resposta ao teu coemntário no meu jasmim: comovemo-nos com estas situações, mas na prática os er humano é egosita e por isso só pensa em si.
Ando demasiado fragilizada, uns dias parece que arribo mas logo de seguida dou dois passos para o fundo por isso tudo me comove.
Bjocas e tudo de bom.

Fernando Torres said...

Envolvente. Simplesmente envolvente.

U Ó Mãe Que Dava Pulos said...

"na minha vulva
o gosto dos teus espasmos"

acho uma imagem linda!
Já agora: eu sou pelo slow em quase tudo...
isto de andar tudo a correr e a usar e descartar não me interessa.
Quanto à comida teremos gostos e hábitos diferentes mas também não podemos ser todos iguais, pois não? Ainda bem senão não havia nada para descobrir!
Bj