21 November 2008

ESCREVO PORQUE ESCREVO


Vai chegando a noite e sinto vontade de escrever, não sei exactamente porquê. E não sei também o quê. Aqui acabam saindo palavras desconexas...Palavras que penso e sinto... Sem sentido quando no papel, mas na minha cabeça montam perfeitamente o quebra-cabeças que ninguém consegue terminar.
Textos feitos a meio da madrugada, acompanhados pelo escuro da noite e do silêncio onde só se escuta o arranhar da caneta no papel. A música que acabei de ouvir ainda zunindo na cabeça não me permite ouvir os meus pensamentos. A mão descontrolada, escreve à rapidez da luz para não perder nenhum detalhe. Os olhos não piscam e o coração dentro do peito parece apertado, batendo ao ritmo de vários pensamentos que parecem não ter lógica. No meio de turbilhões de emoções, aperto com força a caneta nos dedos devido à velocidade das palavras despejadas e a respiração finalmente volta ao normal. E aí está mais um sentimento que passou e teve que ser escrito por não caber em mim.
Um texto sem rima, sem forma de poema e sem fio condutor.

29 nhận xét :

Vekiki said...

Velvet, és tu e eu. Parece que estamos no mesmo "comprimento de onda". Beijos.

Tretoso Mor said...

Veludinho,

Escrever o que sentimos é falar para connosco, para que mais tarde alguém nos possa compreender.

Escrever, é desabafar aos ouvidos de uma folha em branco, pela voz de uma caneta.

Escrever, é deixar a raiva amordaçada, nas palavras espalhadas pelas linhas de um papel.

Escrever, é dizer que o Amor existe, em silêncio, mas da forma mais sublime; Simplesmente, escrevendo-o.

Tretices azulinhas para ti

Si said...

Então foi por o meu post ser em 'poema', ou melhor, ter umas rimas pelo meio, que não passou lá por casa??
Pois, logo vi...cachet de comentadora residente é no que dá...
Agora quem amua sou eu, 'prontos'!!!

P.S. E que trabalheira essa de ainda usar caneta de aparo...eu é logo directamente nas teclas, não vá na viagem entre o papel e o écran se perder alguma letra pelo caminho.....

Donagata said...

Mas belo e sentido.
beijos

Oliver Pickwick said...

"Escrevo porque escrevo". Como advogada, sabe muito bem que este é um argumento fraco, não-cartesiano. Se acaso o utilizasse num tribunal, a parte contrária o levaria ao mesmo destino dos antigos cristãos, o Coliseu.
No entanto, como escreve bem, o aceito de bom grado, desde que, é claro, continue a escrever.
Um beijo!

Carminda Pinho said...

Blue, mesmo que seja desta forma, escreve, escreve sempre, nunca deixes de escrever.
E até que este "escrito", consegue dizer-me tanta coisa...
Mas se calhar, sou eu que imagino coisas que...:)

Beijinhos veludinhos

Antonio saramago said...

Tás a precisar do FDS? E vão dois!!!
Nem sempre se pode ter a imaginação a funcionar na planitude e quem gósta de te ler, lê tudo e sempre!!!

Patti said...

Experimenta colocar uma música e descreve-lhe as texturas. Todos somos sensíveis a ela, só que a sentimos mas nunca a escrevemos.
Experimenta. Nem que seja para inventar uma história.

BlueVelvet said...

Vekiki,
já fui à tua casinha e já vi a razão do teu comentário:)
Beijinhos

BlueVelvet said...

Tretoso,
escrever é isso tudo, sim.
Mas também tem que haver quem saiba ler nas entrelinhas. Como tu.
Veludinhos azuis e bom fim-de-semana

BlueVelvet said...

Si,
mas eu comentei o post. Deve ter-se perdido nalgum Triângulo das Bermudas:)
Até porque os comentadores residentes recebem por avença.
Adoro escrever com caneta, mas confesso que os posts escrevo directamente.
Foi uma figura literária, digamos assim.
Beijinhos de mim para Si

BlueVelvet said...

Donagata,
obrigada.
Beijinhos

BlueVelvet said...

Oliver,
então continuarei.
Mesmo que algum malvado me queira atirar aos leõs.
Beijinhos

BlueVelvet said...

Carminda,
ainda bem que te disse.
Sinal que compreendeste...
Beijinhos, amiga

BlueVelvet said...

António,
obrigada.
Sempre gentil.
Bom fim-de-semana para ti

BlueVelvet said...

Patti,
ponho uma música a falar? Não sei se sou capaz. Quem é mestre nisso és tu:)
Beijinhos

pedro oliveira said...

escrever é um acto que normalmente, pelo menos eu achava, que está associao á solidão,mas que a blogosfera transformou num acto de partilha.Continua a partilhar connosco esse teu escrever porque escreves, nós gostamos.
Po
Vilaforte

Filoxera said...

Escrever é obedecer a um impulso que é, por vezes, um apelo.
Beijos.

duarte said...

desabafos?
haja teclas,haja papel,haja canetas,haja voz e sobretudo haja palavras que vão e voltam,numa dialectica constante.
feliz de quem tem amigos.
duartenovale

duarte said...

ok,i made a comment... it didn't appear... am i wellcome?
duartenovale.blogspot.com

Justine said...

...mas escrito com a finura e elegância com que só o coração sabe escrever!
Beijo de bom fim de semana
(a foto daquele aparo é um encanto...)

Rafeiro Perfumado said...

Preocupou-me saber que tens uma caneta que arranha, jove... ;)

Também tenho um bocado de escritor impulsivo, chato é que muitas vezes me dá no trabalho.

Beijoca!

salvoconduto said...

Discordo do último parágrafo e sei bem que tenho razão.

Abreijo.

Ovinho Estrelado said...

Escreves porque escreves, não.

Escreves-te. O que torna as coisas substancialmente diferentes, certo?

Beijo, bom fds

*

Pitanga Doce said...

Um desabafo que não se consegue controlar. E por que não?

beijos em noite tão barulhenta!

LeniB said...

Todos os textos têm uma forma; mas melhor do que a forma é o seu conteúdo.
Devemos sempre escrever, sempre...
bjs

Luís Galego said...

ainda que sem rima, ou seja lá o que for, uma coisa é certa, aqui habita a qualidade das palavras e dos gestos....bjs

Sorrisos em Alta said...

A noite é inspiradora (quando o cansaço ou o sono não a vencem). O dia, tem demasiado "ruído exterior" (de que nos esquecemos, numa casa isolada na praia...)

Beijos para ti

salvoconduto said...

O que abusou das caipirinhas está mesmo passado. Se calhar não eram caipirinhas genuínas ou não leu o decreto-lei brasileiro. Eu até que o avisei. Bem feito!

Abreijos