13 November 2008

DE MÃOS DADAS


“He will shield you with His wings.
He will shelter you with His feathers.”

(Psalm 91:4)
Há 15 dias o meu pai foi sujeito a uma intervenção cirúrgica para remoção de uma catarata. Embora estivesse assustado não o mostrava, e só quando a enfermeira lhe disse para tirar a aliança de casamento que usa há cinquenta e muitos anos, refilou com uma impaciência que não lhe é comum.
Lá foi, devagarinho mas muito direito, apoiado na bengala de que nunca se separa. Acho que sentir o punho encastoado em prata na palma da mão lhe transmite uma segurança que as pernas já trémulas, lhe negam.
Quando me chamaram para ir ter com ele à sala onde recuperava, encontrei-o falando animadamente com a enfermeira, mas quando me ajoelhei para ficar à altura do seu rosto, encostou a cabeça no meu ombro, e como uma criança, com voz de choro contido, murmurou-me ao ouvido:
- Custou tanto, filha.
Com os olhos rasos de àgua, ajudei-o a levantar e respondi-lhe como teria respondido a um dos meus filhos:
- Sim, mas agora já passou e vamos fazer um belo lanche.
Saímos da Cruz Vermelha e ao atravessar a rua para o parque de estacionamento, deu-me a mão e apertou-a.
Dei por mim a pensar em todas as vezes que atravessara a rua de mão dada com ele.
Eram as mesmas mãos. A minha e a dele.
Mas antes era a dele que me protegia, agora era a minha que o protegia a ele.
Fez 85 anos há dois dias e mesmo frágil como está, enquanto o tiver sei onde está o meu porto de abrigo.

24 nhận xét :

Donagata said...

Custa tanto, não custa? Admitirmos para nós mesmas que estas mãos que nos protegiam, que eram os nossos portos de abrigo, aguardam agora a nossa protecção.
Comovi-me.
um beijo grande.

Carminda Pinho said...

Blue,
imagino o quanto te emocionaste a escrever este post.
Não consigo acrescentar mais nada.
Um beijinho de parabéns, ao teu pai.

Veludinhos para ti...

Antonio saramago said...

Quantos filhos se manifestam nos dia de hoje sobre os seus Progenitores como tu o acabas-te de fazer?
é uma Operação que dizem ser fácil, mas o certo é que também a minha Rosinha sofreu um bocado com ela, o importante é que ele agora vai recuperar bem na graça de DEUS!

Patti said...

Brilhante Velvet!
Conseguiste muito brevemente, sem ser piegas, lamechas ou intimista, traduzir todo o amor, o medo do término da vida, a emoção para o papel.
O passado, o presente e ainda o futuro.

Muitos parabéns!

Tretoso Mor said...

Veludinho,

É curioso como so papeis se invertem naturalemnte com o decurso do tempo.

Mas aquilo a que chamaste "porto de abrigo", é uma função que se mantém inalterada, seja em que momento for.

tretices azulinhas para ti.

http://tretas-da-vida.blogs.sapo.pt/

vovó said...

que felicidade ainda o teres!
é por essas e por outras... percebes-me blue;)?... ainda não tive vagar par te enviar mail, desculpa!
boa recupareção para o teu Papá :)!
beijocassss
vovó Maria

Si said...

Tenho a sorte de na vida ter tido dois pais e duas mães. Um, já partiu, (o meu sogro, o marido da 'Aurora'), os outros espero tê-los comigo ainda por muitos anos, porque também foram sempre o meu porto de abrigo. E as mãos do meu pai, grandes e fortes, ainda hoje me fazem sentir menina...

Carlos Barbosa de Oliveira said...

É nestes momentos que percebemos que os ciclos de vida se cumprem em rituais miméticos, geração atrás de geração. Infelizmente nunca pude usufruir de um momento como esse com o meu pai. Talvez por isso, vibreio demais com este post.
Conchinhas

Maria said...

Beijos azuis....

Pitanga Doce said...

Há coisas, então não ha´? Hoje pela manhã fui com o meu pai que tem a mesma idade do teu ao oftalmologista e adivinha. Tem que operar a vista direita. Ele não quer, e eu não posso contrariá-lo. Precisa ser uma decisão dele. Ele sabe o quanto é simples, mas...agora somos nós quem lhes guiamos. Mas ele não quer guias porque é orgulhoso e trabalha e dirige e "pinta o sete" e conta histórias aos netos e... é o Primeiro dos Reis.

beijos Blue

Mary said...

Os nossos Pais são o que de mais valioso a vida nos oferece!!
Que possas sentir a mão do teu Pai por muitos e longos anos...junto à tua!
Parabéns por esse amor Bluevelvet!

Beijinho

Filoxera said...

Parabéns atrasados. Aproveita cada dia da vida. Dele e tua.
Beijos.

Rafeiro Perfumado said...

É uma profissão para toda a vida, a de Pai, e das poucas que é sempre desempenhada com um sorriso nos lábios. Tudo o que possamos retribuir de volta será sempre pouco.

Um beijo!

1/4 de Fada said...

Os pais são um farol na nossa vida. O meu continua a ser o Homem da minha vida - e Édipo não é para aqui chamado. Ainda hoje, com 75 anos, continua a ser o homem mais bonito que conheço, e não sou a única a achar, a minha filha é exactamente da mesma opinião (é claro que também é suspeita).
Cuida bem do teu, amiga.

duarte said...

amor... incondicional
simplesmente amor.
que todos os filhos sejam como a blue.
duarte um pai que ama.

mfc said...

A minha mãe também tem 85.
Um grande beijo para ti.
Fizeste um post lindíssimo.

Paula Crespo said...

Um porto de abrigo, sem dúvida.
Belo post! :)
Bjs

Alexandre said...

Blue,

que texto lindo, ficou muito comovido - sim, os nossos pais são o nosso porto de abrigo - ainda bem que os temos... lindo!!!!!!!

Muitos beijinhos aos dois!!!!

BlueVelvet said...

Obrigada a todos que por aqui passaram.
Beijinhos

salvoconduto said...

Então e para mim que só cheguei agora não há nada? Nem um aperto de mão para me sentir mais seguro?

Abreijo, que se mantenha por mais uns anos ao teu lado!

BC said...

Claro que os papéis se vão invertendo ao longo dos anos, mas as mãos continuarão a ser sempre as mesmas, e o amor também.
As melhoras do papá e que tudo vá correndopelo melhor
ABRAÇO
ISABEL

Sorrisos em Alta said...

Espero que daqui a muitos anos a minha filhinha pense assim.
É que há pais que se esquecem dos filhos, por terem uma gaja nova....

Beijocas

pedro oliveira said...

Os meus pais estão na casa dos 65 anos e já começo a ver neles o ar cansado de uma vida de trabalho dura, agravada, no caso da minha mãe, pela diabetes que agora lhe quer tirar a capacidade de visão.
Está na hora de lhes devolver tudo o que me deram e bem merecem.

Luís Galego said...

porto de abrigo, é uma expressão que me é muita cara, e que neste contexto faz TODO O SENTIDO...um beijinho comovido...