27 November 2008

THANKSGIVING




Celebra-se hoje, nos Estados Unidos, o Thanksgiving Day!
Por um qualquer erro de casting em que a vida é fértil, estou cá em vez de estar lá, como aconteceu nos últimos anos.
Os críticos das importações de festas americanas não precisam de ficar preocupados, porque esta, de facto, não pode ser importada. Porque não tem nada a ver connosco.
Foi o Presidente George Washington que instituiu o Thanksgiving a nível nacional, para agradecer o fim da Guerra Civil, a liberdade religiosa e também a Divina Providência que protegia toda a Nação.
O Thanksgiving é nos Estados Unidos uma festa quase mais importante que o Natal.
Originalmente começou por ser o dia em que toda a comunidade americana dava Graças a Deus por todas as Graças concedidas ao povo americano.
A tradição de dar Graças continua hoje sob várias formas.
Existe a parte religiosa com Missas que são as mais concorridas de todo o ano, mas a parte mais importante é a reunião das famílias ao jantar.
A festa do Thanksgiving é o feriado mais concorrido de todos.
Celebra-se na quarta quinta–feira de Novembro, na sexta faz-se “Ponte” e prolonga-se até domingo.
Dado que os membros das família estão espalhados por todo o País é o feriado em que todos viajam para se reuniram, pelo que os aviões, comboios e estradas estão esgotados e congestionados.
Antes do início do jantar, o anfitrião diz uma oração em que agradece todas as bênçãos que Deus concedeu nesse ano ao País e àquela família em especial.
A refeição compõe-se obrigatoriamente de perú assado recheado, puré de batata doce ( divino ), vários recheios vendidos à parte e molho de cranberries.
As sobremesas são diversas e deliciosas, sobretudo à base de tartes de abóbora e “peacon” ( uma espécie de nozes grandes ).
Também obrigatórias são as Paradas, ou Desfiles, das quais a mais famosa é a Macy’s Thanksgiving Day Parade.
No primeiro ano que lá passei este feriado foi uma verdadeira loucura e curtição.
Comecei por me levantar às 7 da manhã para não perder a Macy’s Parade, que literalmente pára Manhatten.
É uma coisa fantástica que acorda em nós todos os instintos e recordações infantis.
Imaginem carros enormes com gigantescos bonecos insufláveis, todos figuras da Disney ou outros desenhos animados.
Começa na 77th Street Central Park West e desce a Braodway até Columbus Circle, vira na 34th Street, passando em frente da Macy’s Herald Square. Termina na 7ª Avenida.
A Parade é sempre acompanhada por 10 das melhores Bandas Americanas, entre elas Baker High School, Alabama; Highland High School, Arizona; Riverview High School, Florida; Lassiter High School, Louisiana; Mayfield High School, New Mexico; Corning Painted Post West High School, New York; Warren G. Harding High School, Ohio; Dobyns-Bennett High School, Tennessee and Waukesha North High School, Wisconsin.
O mais divertido foi depois comprar o jantar, começando pelo perú, que trazia uma indicação na embalagem que dizia:- Criado sem stress, o que levou o meu filho a comentar sarcasticamente:- Pode ter sido criado sem stress, mas morreu na mesma, coitado!
E depois queria eu cozinhasse o pobre do bicho à maneira portuguesa, o que recusei, claro.
Mesmo assim, comi só os acompanhamentos e sobremesas, e confesso que senti um dó imenso pelos milhares de perús que foram “papados” nesse dia, por toda a América.
Como costumo dizer, é impossível descrever a Parade, ou passar-vos o sabor e cheiro das comidas, mas deixo-vos as imagens.
Enjoy!

Myspace Graphics

To my son and american family

18 nhận xét :

salvoconduto said...

Eu fico-me pelo perú e até cuido para que ele também não morra de stress. Meto-lhe pela garganta abaixo uma boa dose de aguardente e ei-lo a ir feliz para os anjinhos e, dizem, mais tenrinho para o forno. Recheá-lo era mesmo com a minha mãe.

Abreijos

Maria said...

Desejando também um bom "Thanksgiving Day" ao teu filho e família estadunidense (sim, que americana inclui a América central e latina), podias dizer-me o que é CRANBERRY? É que não sei inglês....

Ou seja, a esta hora, e apesar da crise, vai uma "baita duma confusão" por lá, nas estradas, com engarrafamentos e etc. Digo eu, que nunca lá fui nem quero ir...
Hehehehehehehehe

Beijos

Patti said...

Glu, glu, glu até os ouço aqui depois do teu relato. 'Tadinhos dos bichos!

Este feriado como não tem quase nenhum misticismo à mistura e se dava nas aulas de História, já eu sabia porque se comemorava.
E tb tenho fotos óptimas das paradas, tiradas pela minha irmã e uma prima minha minha que vive e estuda em Boston, vai todos os feriados para lá, porque participa com outros estudantes, nessas paradas.

pedro oliveira said...

Todos os dias aprenedemos alguma coisa, basta estarmos atentos e com vontade de o fazer.
Essa do criado sem srtess,está fantástica. Happy Thanksgiving para ti,mesmo na terra do perú bêbado.

Po
Vilaforte.blogs.sapo.pt

Vekiki said...

Velvet, obrigada por esta bela informação sobre o Thanksgiving que todos conhecemos dos écrans mas que não sabemos o que significa. Com todas estas "americanices" que vais postando, só me abres mais o desejo de ir até ao outro lado do Oceano! Beijos enormes

Tretoso Mor said...

Veludinho,

O cheiro da comida é divinal, no dia de Acção de Graças (penso que é esta a tradução para português)

Para ser franco a alimantação nos EUA, nunca foi o meu forte, mas esse é um dos dias ... que se come bem. LOL

Quando vinha de lá, telefonava a pedir o seguinte:

Um café para a chegada;
Um cozido à Portuguesa ou uma feijoada, para a primeira refeição;
Um vinho Português, para acompanhar a refeição!
Uma cerveja Portuguesa para, à tarde, matar a sede!...

Isto diz tudo quanto à minha "aproximação" aos manjares de lá. LOL

Tretices azulinhas para ti

http://tretas-da-vida.blogs.sapo.pt/

Leonor said...

Agora sempre posso perceber a importância destes dias... que só vejo nos cinemas, mas sempre, sempre com belissimas imagens da Mesas postas... e o que eu gosto de um peru bem feito e temperado!!!

Dias de acção de graça até poderiam ser importados... e com benefício também para a instituição familiar.

Bom Dia de Acção de Graças (cá ou lá, o que importa é que nos lembramos. e comemoramos)

beijinhos

Si said...

Concordo com o Tretoso. Deve ser o único dia em que os estadunienses (concordo, também) comem em condições, ou pelo menos (vá lá, sejamos justos)em que a comida deles é mais parecida com a nossa.
Mas esta festa tem, realmente, o seu quê, quando consegue juntar famílias que habitam, no mesmo país, mas a milhares de quilómetros de distância.
E pela duração dos dias de festa, acho que a devíamos importar. Imediatamente!!

Antonio saramago said...

Só posso desejar muita e boa diversão!!!

Xanda said...

Tudo de bom linda blue, passei p/ apenas enviar bjnhs, desculpa não passar por cá mais vezes.
Abraço ternurento.

Poemas de amor e dor said...

Boa tarde,

Já tinha ouvido falar desta comemoração e agora percebo o perdão concedido a um peru que era acusado e condenado o à morte sem culpa formada. Valeu-lhe um senhor que não deixa saudade. Quanto ao seu blog vou continuar por aqui a ver e ler.
Saudades
Rogério Simões

1/4 de Fada said...

Em primeiro lugar, um beijinho para ti, por não poderes estar com o teu filho neste dia. O post está uma delícia, apesar de conhecer as razões do dia, gostei muito da tua descrição, quase senti o cheiro do peru! E do molho de cranberries, que delícia. Provei por duas vezes o menu do Thanksgiving, a primeira era miúda, em Hong-Kong (deveria dizer King-Kong, mas só tu é que ias perceber, não é?) e outra em Paris, já adulta, e adorei tudo.
P.S. Tens outro desafio, portanto vê lá se te animas com umas músicas alegres.

Carlos Barbosa de Oliveira said...

Never say never again, my friend!
A perspicácia e subtileza da sociedade de consumo, nesta fase de hipeescolha, é bem capaz de um qualquer dia conseguir o "milagre" da exportação. Talvez seja apenas uma questão de oportunidade...

Rafeiro Perfumado said...

Não pode ser importado? Também o Halloween não podia, e aí está ele de pedra e cal. Mais uns anitos e começam a aparecer canecas, canetas e almofadas com esse tema, vais ver...

Beijo!

Justine said...

Pois sente-se bem pela tua descrição que estás com o teu coraçãozinho por lá...
Embora nunca tenha vivido esta festa, ela é-me familiar por tanto a ver descrita em flmes, e sinceramente, a única coisa que invejo e que não conhecia é o tal puré de babata doce, que vou já provar amanhã...))

Justine said...

BlueVelvet, já procuraste as ditas-cujas naqueles "super-mercados" chineses, indianos e africanos do Martim Moniz? Já lá as encontrei...são deliciosas!

BlueVelvet said...

Maria,
o que tu sabes, já a mim me esqueceu:))
E tu sabes que não sei como se diz cranberry em português?
Quer dizer, no dicionário diz que é arando, mas juro por tudo que nunca vi arando nenhum.
Portanto não me deixes mal vista.
Para mim, cranberries são cranberries e acabou-se.
Beijokas

Maria said...

E já viste MIRTILHOS?
(arando, uva do monte, mirtilho...)
hehehehe


:))))