9 February 2009

THE LONG AND WINDING ROAD


Com o passar do tempo é inevitável que a gente mude. Muitas vezes acrescentando algumas qualidades e por vezes perdendo algumas. Fiz um balanço e cheguei a conclusão de que eu era melhor no passado! Triste não é verdade? Eu era melhor, eu era mais pura, mais leve, fui perdendo o entusiamo, hoje tenho mais malícia, às vezes até desconfiança...
Sabem aquele coisa de criança de que no mundo só há flores! Eu sabia perdoar incondicionalmente, amar incondicionalmente, não me preocupava tanto com o futuro.
Eu sei que todos passam por isso! São fases, certo?
O pior de tudo é saber o caminho de volta e não sentir vontade de voltar, apesar de ter a noção do bem que isso faria.
Talvez hoje eu seja menos fútil, julgue menos as pessoas, dê mais valor ao conteúdo do que à aparência!
Não podemos viver a vida inteira sem ter responsabilidades, sem nos decepcionarmos algumas vezes e com isso ficar vacinados!
O que acontece é que com o passar do tempo vamos perdendo a ingenuidade, a pureza! Pode voltar-se ao passado? Não, não pode. Encontrar pessoas e reviver situações com algumas pequenas mudanças, podemos? Não, só em pensamento.
Há tantas coisas que eu nunca mais vou conseguir fazer, situações que nunca mais vão repetir-se.
Há pessoas que eu nunca mais vou ver, músicas que eu nunca mais vou ouvir! Aquela colega com quem estudei? Aquela com quem trabalhei? E aqueles com quem estudei na faculdade? E aquele namoradinho? Aquela casa em que fui muito feliz?
São pessoas e situações que nos ajudaram a escrever a nossa história. Estão sempre guardadinhos no coração, embora não nos lembremos delas a toda a hora!
Porém, não consigo imaginar coisa pior do que viver uma vida estagnada, destituída de mudança e de progresso. A maioria das pessoas lutam contra as mudanças, especialmente se elas nos afectam pessoalmente.
“Todos pensam em mudar o mundo, mas ninguém pensa em mudar a si mesmo”. A ironia é que a mudança é inevitável. Todos têm de lidar com ela.
...Boa sorte nessa longa estrada da vida!

17 nhận xét :

salvoconduto said...

O importante é não nos assombremos do nosso passado e não temamos o nosso futuro.

Abreijos

mjf said...

Olá!
Com a experiência da vida ficamos mais desconfiados...mas talvez mais prudentes, mais tolerantes, mas acima de tudo mais sábios ;=))

Temos de aprender com os nossos erros ;=(

Beijocas
Boa semana

de dentro pra fora.... said...

É verdade ...a mudança é inevitável, mas como vês nem tudo foi mau...estamos sempre aprender, não é!

Beijinhos

Patti said...

Eu penso que todos os dias mudamos um bocadinho que seja e na minha maneira de ser, isso só faz sentido se a mudança for sempre para melhor.

No que me diz respeito e só a mim, não considero que fosse melhor no passado, assim como não me passará pela cabeça dizer, que aos 40 anos, estou plenamente satisfeita comigo e não mudaria nada.

Nós somos evolução e para mim só isso faz sentido.

Depois cada um fará as suas próprias avaliações de acordo com as sua vivências.
Boa sorte também para ti na estrada da vida, que por muito que queiramos já não é tão longa assim.

Si said...

Ai que o Bairro hoje está repletinho de reflexões!
Logo hoje, à segunda feira, que a mente ainda está preguiçosa com o 'off' em que carregámos durante 2 dias, e o 'on' ainda leva tempo a aquecer...
Sobre este texto: Pior do que os buracos, as gravilhas, as curvas apertadas, o óleo derramado, as subidas custosas e as descidas vertiginosas das lombas da vida, será percorrer essa estrada sem nunca ter olhado pela janela para ver o verde dos campos e o AZUL do céu...

Antonio saramago said...

Antes de julgar os outros temos de nos julgar a nós.
Quantos defeitos se pôem noutras pessoas quando na pessoa que os põe existem muito mais.

Todos gostaria-mos de voltar ao passado será?
talvez uns sim, outros não...

Nunca devemos é pensar que somos melhores que outro alguém, podemos é ser apenas diferentes.

su said...

A mudança reflecte-se em tudo nas nossas vidas e ao nosso redor: desde o aspecto físico de nós mesmos ao aspecto físico dessas tais coisas, da Natureza ela-própria, para além da mudança interior que se vai operando em nós, de acordo com o olhar que detemos sobre tudo isso. Depois, como dizes, amealhamos as experiências que são autênticas catapultas para nos levar à dita mudança...não falo de evolução...ainda não descobri se é realmente. mas prefiro pensar que são também fases essenciais para conseguirmos viver o melhor possível no dia-a-dia...e as recordações estaraão sempre lá no nosso cantinho secreto.

E agora deixo-te um desafio na Teia, só para abanar com este teu texto...eheheheheh...
:)

Bjs grandes em fio.

BC said...

O passado faz-nos pensar e termos muitas vezes saudades de muita coisa.
Mas estamos no presente e amanhã mesmo já é passado, e a vida tem que seguir.
O IMPORTANTE É ESTARMOS BEM CONNOSCO.
E isso temos que ir aprendendo ao longo dos anos conhecermos as pessoas, mas levamos bofetadas (oh se levamos)e desilusões e aprender a separar o trigo do joio.
E a estrada está à nossaf rente é só percorrê-la e mesmo que alguns dias nos pareçam escuros o sol vai aparecer.
Beijo
Isabel

1/4 de Fada said...

As mudanças é que dão colorido à vida... se ela fosse sempre igual seria péssimo. Assim temos hipóteses de ir melhorando as coisas, ou pelo menos de aprender, até mesmo com o que de muito mau vai acontecendo.

Tretoso Mor said...

Veludinho,

Não sei o que se passa, mas os meus comentários perdem-se no éter!...

Bom, tentando repetir o que escrevera:

Há dias postei o seguinte:
"A vida só pode ser compreendida olhando-se para trás, mas só pode ser vivida olhando-se para a frente".

Entretanto, é preciso fazer-se tamém o que a Si recomenda, não nos esquecermos de apreciar o que está à nossa volta.

Tretices azulnhas para ti.

Justine said...

Nós vamos sempre mudando,todos os dias, mesmo que se não dê por isso. E mudar é bom, envelhecer é bom, reviver pela memória o que se viveu, mas ver tudo isso com os olhos da distância é bom, mesmo que seja nostálgico. Mas o que é verdadeiramente bom é saber que novas oportunidades vão aparecer, novas pessoas vão surgir, cada dia é um dia novo a viver intensamente.
Boa sorte na tua estrada, BV!

tulipa said...

Com a vida vamos amadurecendo tornando-nos mais frios, seguros inseguros...uns medos vão dando lugar a outros....
um abraço
tulipa

Filoxera said...

Mudamos, por nossa iniciativa nuns casos, por força das circunstâncias noutros, mas mudamos sempre. Há a saudade umas vezes, outras a expectativa...
Muito boa sorte para ti. Mereces!
Beijos.

Carlos Barbosa de Oliveira said...

O comentário que escrevi deu erro. Vou tentar resumir de novo.
É inevitável que em determinados momentos paremos para fazer uma reflexão e olhar o passado. O importante é que não o façamos com nostalgia e aproveitemos cada um dos períodos da nossa vida na sua plenitude. A patir de determinada altura é difícil encarar o futuro com a mesma vitalidade, mas pior ainda, é vivermos de ecordações, porque isso mata.
É por isso que admiro tatopessoas como o Agostinho da Silva ou o Manoel de Oliveira.
Conchinhas

Pitanga Doce said...

Se não mudamos por nossa vontade, é a vida qu nos muda. Apanhamos cá cada safanão que temos que "ser de circo" para manter o lirismo. E o pior é que só lembramos do passado das coisas boas. Mas também houve desencontros, bater de portas, "juras de nunca mais" e tal...

Mas estamos aqui e precisamos seguir em frente, mesmo que isso custe.

Agora um recadinho a Patti: aos quarenta anos não se muda NADA!! Somos uns biscoitinhos, ó menina.

Sofá Amarelo said...

Ainda hoje quando fui à Baixa tive uma dissertação interior análoga: e pensei em como locais vulgaríssimos por vezes podem trazer-nos lembranças - boas, em princípio - e fazer-nos recuar até uns anos atrás quando tudo - realmente - era mais puro e inocente...

Patti said...

Biscoitinho? Ah 'cousa mai' linda!