21 December 2009

COMEÇOU OFICIALMENTE O INVERNO

Há milhares de anos que a humanidade festeja o nascimento do sol como sendo o acontecimento mais importante da Terra. O chamado Solstício de Inverno acontece anualmente no período que varia de 17 a 25 de dezembro, dependendo do ciclo solar de cada ano.Este ano , a comemoração desse data é a 21 de Dezembro. Muitas adaptaçoes e má interpretações históricas foram realizadas pela nossa civilizaçao, com base nessa data tão importante.A comemoraçao do solstício de inverno foi totalmente modificada e readaptada pelo Império Romano e as geraçoes subsequentes e esse Império. Foi em Roma que o solstício passou a ser conhecido como sendo a data fixa do nascimento do Salvador da Humanidade, do filho de Deus e nao mais do Sol, filho da Luz.

Foi no ano de 336 de nossa era, que o Imperador Romano Constantino I, aproveitando os festejos do solstício da luz, anunciou aos povos do Império a nova religião de Roma e contou a historia de seu Salvador. Essa religião tomou como base para sua formaçao, muitas das valiosas e preciosas informaçoes mais antigas. O nascimento do filho humano de Deus na Terra na mesma data do nascimento do sol, foi uma dessas adaptaçoes feitas para a nossa era. Roma simplemente usou uma data que já existia como festejo tradicional dos povos e criou um novo motivo para as pessoas de todas as religiões continuarem a comemorar.

Desde que Roma modificou os motivos dos festejos, o solstício perdeu o seu significado real e com o tempo, este festejo passou a ser comemorado como o "Nascimento do filho de Deus", essa data que hoje conhecemos como Natal.

É o historiador romano Plínio quem melhor nos relata detalhadamente as cerimónias solenes dos druídas no sul da Inglaterra e da Gália quando apanhavam o visco, planta rara sem raízes na terra, de suposta origem divina ou criada pelos relâmpagos. O visco dos carvalhos era considerado especialmente forte em virtudes mágicas, pela sua raridade e porque se acreditava que mantinha a força da folhagem perene da árvore. Segundo Plínio, no Solstício de Inverno os druídas faziam uma procissão à floresta até encontrarem a planta sagrada e o sumo-sacerdote, todo vestido de branco, subia à árvore e cortava a planta com uma faca ou foice de ouro. O visco não podia tocar no chão e era aparado para um pano de linho branco.
Então os druídas levavam-no para o templo, depositando-o na pedra do altar durante três dias. Na madrugada do quarto dia, mais ou menos correspondente ao nosso dia de Natal, o visco era retirado do altar, cortado em pedaços e distribuído pelos crentes. As bagas eram guardadas pelos sacerdotes a fim de serem usadas para tratar diversas doenças.

Os druídas não eram os únicos a considerar o visco uma planta medicinal sagrada. Durante a Idade Média as populações rurais acreditavam que o visco só podia ser colhido em certas datas e de maneira especial para que o seu poder curativo e protector fosse assegurado: tinha de ser sacudido e deitado abaixo da árvore, sem tocar no chão, o sol tinha de estar em Sagitário (no mês anterior ao Solstício de Inverno) e a lua tinha de estar cheia.

Era considerado como uma panaceia universal e usado para todos os males, desde as simples dores de cabeça até à epilepsia, e a realidade é que as pesquisas modernas revelam que o princípio activo do visco é eficaz no tratamento das doenças nervosas e da tensão arterial elevada. No entanto, é interessante notar que a maior parte das suas bagas são venenosas e recordar a história que se criou para explicar esse facto: há uma lenda que diz que o visco era uma árvore como as outras todas, mas que a sua madeira serviu para fazer a cruz em que Jesus foi executado; a partir daí o visco foi banido da Terra, deixando de ter raiz, passou a ser parasita de outras árvores para sobreviver e o seu fruto tornou-se venenoso.
O visco não era utilizado só para tratar as doenças, também era usado para afastar a feitiçaria ou a má vontade das fadas e como antídoto contra todas as influências malignas: se fosse pendurado à volta da casa, esta ficaria protegida contra o fogo e outros acidentes; como se acreditava que o visco era produzido pelos raios, teria a virtude mágica de proteger as casas das trovoadas. No norte da Inglaterra era hábito os lavradores darem visco à primeira vaca que desse à luz a seguir ao dia de ano novo porque acreditavam que deste modo ficaria assegurada a saúde do gado e teriam uma boa produção de leite durante o ano. Na Suécia penduravam um ramo desta planta no tecto da sala de estar ou nos estábulos por acreditarem que assim neutralizariam o mau olhado dos trolls.
Tendo sido sempre associado a mitos, magia e folclore que remontam ao nosso passado pagão não é de surpreender que hoje em dia o clima de intolerância por parte dos fundamentalistas cristãos tenha levado a proibi-lo em muitas igrejas. No entanto estas memórias fazem parte das nossas raízes. Há quantos milénios os nossos antepassados decoram as suas casas com ramos de azevinho, hera, pinheiro e visco?


O visco é muito utilizado nas decorações de Natal na Europa e nos Estados Unidos e o casal que passar debaixo do ramo de visco deve beijar-se. A origem desta tradição remonta aos tempos antigos em que quando numa floresta se encontravam inimigos debaixo de alguma árvore com visco, as armas deviam ser pousadas e havia tréguas até ao dia seguinte.


5 nhận xét :

josé luís said...

miss veludo,

um óptimo solstício para si, um inverno sem muito frio... e muitas passagens por baixo do visco!

ematejoca said...

Conhecia só uma parte do que tu contas aqui sobre o solstício de Inverno e o Nascimento de Jesus.
Segundo dizem os historiadores o Jesus histórico devia ter nascido em Agosto. De qualquer maneira, o Natal é para mim a festa mais bonita do ano. E o meu sonho de um Natal Branco está a tornar-se um pesadelo! Aqui reina o CAOS!!!
Ontem esperava 8 convidos e só apareceram 2, porque vieram a pé.
Fecharam os aeroportos, e receio que a minha filha mais velha não possa vir do Porto até cá.

Um beijinho e até mais logo!

Pitanga Doce said...

"COMEÇOU OFICIALMENTE O INVERNO "

E aqui o VERÃO! E este promete, viu? Minha Nossa Senhora!!!!
"Jesus me abana"! hehe

beijos e blim blom blom!

salvoconduto said...

Pois hoje já apanhei de tudo, trovoada, neve e chuva. E a acabar o dia SECA, porque me lembrei de ir comprar mais uma prenda.

Abreijos.

Unknown said...

Também publiquei um post sobre a chegada do Inverno.
Beijos.