13 September 2008

( 4) 6 MÚSICAS



Nunca fui fã de ninguém, porque abreviatura de fanático, e de fanatismos quero distância. Mas tenho, naturalmente as minha preferências quer quanto a músicas, cantores, artistas de cinema, pintores, etc.
Curiosamente, tive o privilégio de até hoje, ter assistido, ao vivo a espectáculos de todos os grupos ou cantores de quem gosto superlativamente. Sauf, ó ironia triste, àquele que para mim, está acima de todos: Freddy Mercury, com ou sem Queen.
Conheço a sua vida, tenho todos os seus discos e conheço quase todas as letras de cor.
Há uns anos, de um dia para o outro a minha vida mudou.
Na verdade foi de uma noite para uma manhã.
O meu mundo era um quando me deitei e passou a ser outro quando me levantei.
Tudo o que tinha como certo desapareceu. Depararam-se-me situações que nunca pensei viver e tive que tomar decisões dolorosíssimas, sozinha, porque quem as devia ter tomado se eximiu a fazê-lo.
E um ano após tal ter acontecido, jantando num restaurante do qual gostava muito, bebendo uma flute de champagne, senti-me mal e só tive tempo de dizer:
- Vou morrer. Ajudem-me.
Quando tomei consciência do mundo que que me rodeava, não conseguia andar e essa situação manteve-se por 3 longos e muito sofridos meses.
Uma depressão reactiva a tudo pelo que tinha passado, afectou-me o sistema nervoso central e o equilíbrio. Não que tivesse perdido o movimento das pernas: tinha perdido o equilíbrio e só conseguia andar amparada. As coisas mais comezinhas, como deslocar-me à casa-de-banho, eram feitas amparada. Só ao fim de 3 meses de uma via sacra que me levou a médicos de várias especialidades e que não descobriram o que tinha, alguém teve a brilhante ideia de me levar a um psiquiatra em Nova Iorque, que mal soube o que se passava me diagnosticou a doença e me medicou.
Começou aí outra via sacra, que decerto não teria acabado sem a ajuda e apoio de toda a família, sobretudo dos meus filhos.
Foram 2 anos a não poder sair de casa sem ser acompanhada, sem querer sair do escuro do meu quarto, sem sequer querer lavar-me, pentear-me ou sair da cama. Eram ataques de pânico dolorosos que me deixavam inerte.
A pouco e pouco as melhoras foram aparecendo. Uma ida ao cinema era uma vitória. Conseguir fazer um jantar num restaurante, até ao fim, outra. No início só conseguia escolher a ementa e logo tinha que me vir embora.
Passar a alguém, na mesa, um jarro de àgua sem tremer tanto que não o deixasse cair, outra.
E chegou o dia, em que consegui meter-me num avião sózinha e viajar para Nova Iorque. Nem o médico acreditava que o conseguisse fazer.
Por isso, quando oiço alguém dizer que as depressões não existem, que são doença de rico ou que estão na cabeça das pessoas, só me apetece matá-las.
Estão na cabeça, sim, mas são uma doença, que hoje, por a ter estudado exaustivamente, sei exactamente como e porquê acontecem.
Durante esse período, mais do que em qualquer outro, ouvi até à exaustão música e, claro, Queen e Freddy Mercury.
A canção que mais me apaziguava e que por isso hoje está intimamente ligada à minha vida, é The Show Must Go On.

Por isso é, obviamente a minha 4ª escolhadeste desafio.

"Empty spaces - what are we living for?
Abandoned places - I guess we know the score...
On and on!
Does anybody know what we are looking for?
Another hero - another mindless crime.
Behind the curtain, in the pantomime.
Hold the line!
Does anybody want to take it anymore?
The Show must go on!
The Show must go on!
Inside my heart is breaking,
My make-up may be flaking,
But my smile, still, stays on!
Whatever happens, I'll leave it all to chance.
Another heartache - another failed romance.
On and on!
Does anybody know what we are living for?
I guess i'm learning
I must be warmer now...
I'll soon be turning round the corner now.
Outside the dawn is breaking,
But inside in the dark I'm aching to be free!
The Show must go on!
The Show must go on! Yeah!
Ooh! Inside my heart is breaking!
My make-up may be flaking!
But my smile, still, stays on!
Yeah! oh oh oh
My soul is painted like the wings of butterflies,
Fairy tales of yesterday, will grow but never die,
I can fly, my friends!
The Show must go on! Yeah!
The Show must go on!
I'll face it with a grin!
I'm never giving in!
On with the show!
I'll top the bill!
I'll overkill!
I have to find the will to carry on!
On with the,
On with the show!
The Show must go on.
(música e letra – Queen)






Nota: Fadinha desculpa, mas há coincidências incontornáveis.

35 nhận xét :

Filoxera said...

É verdade!
A vida é assim.
Beijos.

Fátima André said...

Minha querida,
sei do que falas, não porque tenha alguma vez dado tamanha queda, mas porque por ciscuntâncias profissionais vivo rodeada de pessoas que já passaram por situações identicas. Se bem que com a minha mania de ser "missionária", tem-me conduzido à exaustão nos últimos tempos.
Obrigada pelo teu testemunho. Ainda bem que conseguiste superar os obstáculos. Fico muito feliz.
Um grande beijinho e um sorriso tribal :))

ZE said...

Folgo em saber que é humana!Essa depressão foi uma lição de vida que a fortaleceu e deve/deveria fazê-la ver as coisas de forma diferente. De que lhe valeram os óculos caros e marcas "exóticas" nessa altura?
Dá para perceber que é uma mulher forte e lutadora mas, nunca se "enalteça" demasiado. Na vida e na morte, somos todas iguais.
Esse indiano que a acompanhou na sua crise é de facto um "fenómeno"!

Sandra Daniela said...

Sinto na pele daquilo que fals... não dessa forma tão grave como o teu testemunho... Mas sei o quanto as pessoas por vezes não conpreendei, o quanto batalhamos para nos ergurmos!

Também gosto muito dessa múscia!!

... the sow must go on!!!


Beijinhos

Sunshine said...

Olá querida Blue Velvet!
Tinha saudades de te fazer uma visita, mas a disponibilidade tem sido pouca :(
Com mais tempo levarei os prémios e responderei aos desafios. Em relação ao desafio por ti formulado, tenho muito gosto em o aceitar...o problema é o tempo: não sei quando o conseguirei realizar.
Durante toda a minha vida convivi de perto com a depressão, mas sempre considerei que estaria imune a esta doença... até ao dia que me foi diagnosticada uma depressão reactiva. Felizmente com "consequências" bem mais leves que as tuas.
Só alguém com muita força consegue sair do "buraco negro" em que estiveste e relatar esta vivência do modo como o fizeste.
Beijinho com muito carinho

1/4 de Fada said...

BlueVelvet, é claro que sei muito bem do que estás a falar e compreendo a coincidência da escolha, porque tem tudo a ver com a situação. Aqui não há desculpas a pedir e olha que acredito pouco em coincidências. Com isto não estou a referir-me à coincidência do post, mas a tudo o que lhe está "colado". Saíste de fininho do meu quarto e eusaio de fininho agora, porque não há comentários possíveis. O único é de uma enorme compreensão e ao mesmo tempo de grande felicidade pela "coincidência" de vidas, porque se prova que é possível vencer situações muito más.
Um grande beijo.

sagitario said...

velvet.
obrigada pela sua visita no meu cantinho, sei que não consigo cumprir a oração, mas tentar não custa, era bom que conseguissemos, mas o ser humano é imperfeito e as leis da moral são perfeitas.
Lamento os seus problemas de saúde e faço ideia pelo inferno que passou, aliás entendo perfeitamente, pois já tive muitos doentes com esse problema e outros com outros bem mais graves, por isso estou por dentro e sei o sofrimento que causam.
Mas felizmente superou foi uma questão de força de vontade e claro o apoio dos familiares e amigos é duma importância extrema.
um bom fim de semana
tudo de bom para si

JC said...

Li com atenção o seu post e fiquei admirado com a força que teve para vencer as vicissitudes que a vida por vezes nos confronta.
Muita força porque ainda vais conseguir chegar mais longe. Chegar onde ambiciona.
Beijinhos

Sorrisos em Alta said...

Da maneira como nos contas as tuas coisas... qualquer dia alguém está a cantá-las!!

;o)

Um sorriso pela tua força

BlueVelvet said...

Filoxera,
é mesmo.
Beijinhos e bom fim-de-semana

BlueVelvet said...

Fátima André,
obrigada pelo sorriso tribal:))
Beijinhos para ti e bom fim-de-semana

BlueVelvet said...

Sandra Daniela,
é preciso passar por elas, infelizmente.
Beijinhos e bom fim-de-semana

BlueVelvet said...

Sunshine,
lamento que tenhas passado por algo parecido.
Ainda bem que também já ultrapassáte.
Cá fico à espera do resultado ao desafio.
Beijinhos e bom fim-de-semana

BlueVelvet said...

174 de Fada,
obrigada pela compreensão.
Beijinhos, amiga e bom fim-de-semana

BlueVelvet said...

Sagitário,
obrigada pela visita e pelas suas palavras de apoio.
Beijinhos e bom fim-de-semana

BlueVelvet said...

Zé,
este blog não permite comentários anónimos, tão só porque não gosto de pessoas que não dão a cara.
Mas aceita todo o tipo de comentários: os que concordam comigo e os que discordam. Não tenho um blog para me enaltecer, nem para quem me lê me dizer que sou óptima.
Também não publico comentários de pessoas que têm blogs abertos só a convidados, convidados esses dos quais não faço parte.
Da mesma forma que não convido para a minha casa "real" pessoas em cuja casa não sou vem vinda.
Mas como desde que tenho este blog só uma vez não publiquei um comentário, não por discordar da minha opinião mas porque era ordinário resolvi publicar o seu, até para lhe responder:
1º Manda a mais elementar boa educação que a 1ª vez que se visita alguém na sua casa, não se seja desagradável.

2º Você não me conhece, não sabe quem sou, do que gosto ou o que penso. Assim sendo, não lhe reconheço qualquer "apport" para me vir dar lições de moral. Não é problema seu se uso óculos caros ou se tenho gostos exóticos.
Muito menos, tem que folgar porque sou humana.
Portanto, infere-se que fica contente quando alguém sofre, ainda por cima por uma doença. É daquelas pessoas que acha que o sofrimento faz crescer as pessoas? Então sofra muito e de preferência, antes de fazer comentários a posts, LEIA-OS. Não sei onde foi buscar "um indiano" no meu post...
Não se incomode a deixar mais nenhum comentário porque não o publicarei.
Fique mal e com muito sofrimento, para crescer muito.
BlueVelvet

BlueVelvet said...

JC,
obrigada pelas suas palavras, e queira Deus que tenha razão:))
Beijinhos e bom fim-de-semana

BlueVelvet said...

Sorrisosemalta,
eu faço a letra e tu a música:))
E quem canta??
Beijinhos e bom fim-de-semana

Sandra Daniela said...

uiii... lol
Essa resposta foi forte e bem dada!

:-)

P.S: Depois de reler o meu comentário, é que reparei nos erros ortográficos... perdoa... sou trapalhona mesmo! lol

Antonio saramago said...

Com letra minha e música do meu Mano.
Vai por mim, que não te engano!!!

LeniB said...

Compreendo bem pelo que passaste. O importante é termos sempre a capacidade para nos erguermos e continuar em frente, sempre de cabeça erguida!
bjs

f@ said...

Ás vezes eu acho a vida mto "ingrata".... e fico a re moer
nas coisas que acontecem e a encher-me de pontos de interrogação... mas nunca obtenho resposta... e da música .. das cores e das nuvens faço a "bengala" para andar sempre...
tudo passa mas nunca se sura as feridas...
beijinhos das nuvens

Cecília said...

Dizem que as coisas na vida que não nos matam nos fazem mais fortes...algumas serão, mas outras, como a tal "doença" que muitos não acreditam existir, deixam feridas fundas, às vezes impossíveis de sarar...
Não quero comentar aqui o que passei, nem tão pouco estabelecer comparações....apenas desejo reforçar o seu apelo para a compreensão da depressão, sobretudo no que toca à formação de clínicos de psiquiatria, cuja função, no diagnóstico precoce dos quadros depressivos majors ou minors, deveria ser muito mais direccionado para a interacção com o doente e muito menos na aplicação de terapêuicas medicamentosas exageradas e desiquilibradas

Cecília said...

ups, queria previsualizar e publiquei, sem querer....

Como já não sei o que disse na última frase e para terminar, aqui fica um beijinho, o desejo de um bom resto de fim de semana e o obrigado por homenagear um dos maiores músicos do séc. XX que também me deu algumas ajuditas...

mjf said...

bluevelvet
O importante é que saís-te de uma situação dolorosa , tives-te uma depressão , que já lá vai, e és hoje uma Mulher maravilhosa ;=)

Beijocas

sagitario said...

há mulheres ricas e ricas mulheres, quando se consegue ser as duas coisas então temos uma mulher ideal.
Eu digo Mulher com convicção, pois senhoras e dondocas há muitas, mas Mulheres infelizmente há ainda muito poucas, mas lá chegaremos e no seu caso estamos a falar de uma MULHER

Sorrisos em Alta said...

Fiquemo-nos com a tua letra. Não vamos arruinar a coisa logo à partida! É que eu já passei a fase em que dava música!
;o))

um sorriso

Patti said...

Pois é BlueVelvet este comment tinha-me passado, mas não o post que o li e achei muito do género de experiência da Fada.

É um post muito pessoal e não me senti à vontade para comentar.

A depressão deve ser das experiências e doenças do foro psicológico, piores que há.
Principalmente porque é incompreendida por todos.

Ainda bem que recuperáste e que essa recuperação partiu de ti própria e da tua vontade.

Só fala de borla quem não sabe o que diz.

Meg said...

Blue Velvet,
Mão amiga tem-me encaminhado para aqui, talvez não inocentemente, verifico agora pelo tema do post.
Blue Velvet... já lá vai ano e meio
e não tenho tido a ajuda de nenhum indiano (Freddy),ahahah! desculpe-me a gargalhada pela insolência do comentário.
Adiante, para lhe dizer o quanto me fez bem ler este seu depoimento.
E quanto às pessoas que dizem que não há depressões, junto-me a si... apetece-me desancá-las porque não sabem o que dizem,

E à amiga comum que me mostrou este caminho, um dia destes saberá.

Um abraço

Oliver Pickwick said...

Ora, Blue! Pois saiba que sou seu fã. ;)
Um beijo!

Vekiki said...

Só hoje consegui vir ler o que havia em atraso...sorry! A net esteve lenta e a ir-se abaixo...
Esta música é das minhas preferidas também. Aliás Freddie Mercury é um MUST cá em casa. Love of my Life é indispensável e imperdível!
Beijos

BlueVelvet said...

Patti,
não tenhas dúvida. Só fala quem não passou por ela.
Beijinhos

BlueVelvet said...

Meg,
seja bem vinda.
Também conheço o seu blog e volta e meia passo por lá.
Depreendo que tenha passado por algo semelhante.
Desejo que já esteja bem.
Beijinhos

BlueVelvet said...

Oliver,
obrigada.
Também sou sua.
Beijinhos

BlueVelvet said...

Vekiki,
Love of my life é realmente imperdível.
E tantas outras.
Há pessoas que nunca deviam desaparecer.
Beijinhos