11 September 2008

7 ANOS DEPOIS - PARA QUE NUNCA SEJA ESQUECIDO




Estava sentada no Ayer, o meu cabeleireiro de toda a vida, com a cabeça no lavatório já meia lavada, quando a menina que me atendia interrompeu o trabalho e me deixou sentada na cadeira.

Achei estranho e mais estranho achei quando ela me chamou com voz alterada:
- Ó sôtora, venha cá. Já viu? Estão a atacar a América.
Pensei para comigo: - coitada, não sabe o que diz. Atacar a América! Como se fosse possível.
Mas levantei-me, com os cabelos todos molhados e dirigi-me à sala onde estava a televisão a tempo de ver um avião entrar por uma da torres do World Trade Center.
Pensei:- Meu Deus, que tragédia. Como pode um acidente destes acontecer?
Mas não era um acidente. Fiquei ali especada, com a àgua a escorrer-me pelas costas, a ver o fumo, as pessoas todas brancas a fugir, quais fantasmas sobreviventes de um mundo que acabara de desaparecer, sem saber o que pensar, sem perceber o que se estava a passar, sem sequer me lembrar que tinha lá um filho.
Só quando o meu telemóvel tocou e ouvi uma voz soluçante que dizia:- Mom, estão a atacar Nova Iorque , mas eu estou bem - é que percebi que algo para além da minha compreensão estava a acontecer.
De facto, os nova-iorquinos e quem lá estava pensou que a cidade estava a ser atacada.
Lembro-me que as lágrimas começaram a rolar-me pela cara abaixo e não pararam mais.
Comecei a ver pessoas a atirarem-se das torres, depois a desmoronarem-se, e a cada minuto repetiam as imagens dos aviões a entrar pelos edifícios dentro.
Não é filme, repetia eu. Não é filme.
Não era, mas por mais que reveja aquelas imagens, parece-me sempre que é a 1ª vez que as estou a ver.
Obriguei o meu filho a apanhar o 1º avião para Portugal e quando o vi são e salvo, agradeci a Deus. Mas percebi que ele tinha um olhar de incredulidade que nunca lhe tinha visto.
Não me interessam para nada as teorias que desde aí se montaram e desmontaram para encontrar os verdadeiros culpados daquele horror.
Aquele foi um acto que envergonha toda a Humanidade.
O Mundo, como o conhecíamos, nunca mais foi igual depois do nine eleven.

28 nhận xét :

Pedro Branco said...

É verdade. Nunca mais nada foi igual e os americanos fizeram questão de ir construindo esta "verdade"... Arrepiei-me no dia 11 de Setembro de 2001, sim. Mas depressa me foi passando o arrepio à medida que ia percebendo as verdadeiras verdades, mas sobretudo, de cada vez que outras imagens similares passavam por mim, só que sem tanto espectáculo. E a lista é enorme....

RENARD said...

It will never be the same! A planned attack to kill civilians is beyond any vendetta.
It's inhumane and sick.
But then again, when the EUA decide to invade countries they have no right to and kill thousands of innocent people, the world doesn't seem as shocked.
I always try my best not to be biased and I'm not agreeing with what was done, but America had it coming sooner or later...

A kiss and, I'll never forget either...

Vekiki said...

Foi horrível. Demasiado horrível e inesquecível! Também tinha pensado escrever sobre isto...inevitável!
Bjs

Justine said...

Este acontecimento foi mais uma prova de que a loucura humana é desmesurada e não tem limites!

RENARD said...

Eu sei que só fazem falta os que cá estão. Mas a partir do momento que há investimento emocional da minha parte, dói sempre alguma coisa.
Mas realmente não tenho memória de ter tido um comentário ou acção que podia ter levado ao silêncio das ditas pessoas...
Enfim, nada a fazer senão, continuar em frente...
Afinal de contas, tenho cada vez mais, outras pessoas interessantes a entrar na minha vida, como por exemplo, tu. :)

Um beijinho

Cecília said...

Não há comentários possíveis para um choque tão grande...7 anos depois, loucuras imensas depois cometidas por americanos, iraquianos, afegãos, etarras, israelitas, palestinianos, iranianos, judeus, árabes, ortodoxos, cristãos, muçulmanos, curdos, russos, tchechenos......e o Mundo ainda não aprendeu!!!

BC said...

Olá blue Velvet.
Por agora não venho comentar nada,embora o assunto de hoje seja
uma coisa para nunca esquecer.
Mas venho só agradecer a visita e a porta estará aberta sempre
Obrigada
Isabel

pedro oliveira said...

A imagem mais marcante para mim foi ver as pessoas deseperadas a saltar para a morte.
O mundo ficou pior,muito pior desde a guerra preventiva do Sr. Bush e dos amigos que se deixaram ir na cantiga.

PO
vilaforte

pedro oliveira said...

A imagem mais marcante para mim foi ver as pessoas deseperadas a saltar para a morte.
O mundo ficou pior,muito pior desde a guerra preventiva do Sr. Bush e dos amigos que se deixaram ir na cantiga.

PO
vilaforte

Druiel said...

Sim foi muito mau, foi péssimo ...
Pessoalmente só tenho pena que outros atentados à Humanidade não tenham tido tanta cobertura televisiva e tanta promoção e tanto marketing.

Morreram mais pessoas em Darfur isto para não falar de outras situações no Mundo. Como o Tibete e tanto haveria para mencionar.

O que seria hoje de Timor se o Massacre de Santa Cruz não tivesse sido captado pela câmara do Jornalista?

Nine eleven, third twelve ... todos os dias, todos os meses do ano são datas de envergonhar.

Desculpa Blue, mas pessoalmente é que já não tenho paciência para recordações do nine eleven.

Beijinhos

Carlos Barbosa de Oliveira said...

Obviamente que também fiquei impresionado! Regressara de Washington uma semana antes e quando me disseram o que estava acontecer, fiquei especado diante do televisor. Depois ( foi inevitável), lembrei-me de outro 11 de Setembro, em que o crime foi perpetrado por mãos americanas.
Por isso, hoje, recordo os dois no meu cantinho!

Patti said...

Ainda há bocado disse no Rochedo, que desde há sete anos para cá que se faz a pergunta, onde estavas no 11 de Setembro?

BlueVelvet said...

Pedro,
sei a que se refere.
Mas seja o que for que esteve por trás desta atrocidade, não a torna menor.
Veudinhos azuis

BlueVelvet said...

Renard,
I understand what you mean.
Nevertheless it's a nightmare come true.
Hugs

BlueVelvet said...

Vekiki,
inesquecível, pelas piores razões.
Beijinhos

BlueVelvet said...

Justine,
é verdade.
Pensámos que a máxima loucura se tinha atingido com o Holocausto.
Afinal....
Beijinhos

BlueVelvet said...

Renard,
pela parte que me toca, muito obrigada.
Sempre que investimos afecto dói mais. Sei bem do que falas.
Beijinhos

BlueVelvet said...

Cecília,
não aprendeu e nem sei se virá a aprender algum dia.
Beijinhos

BlueVelvet said...

BC,
obriga pela visita.
Vou aproveitar e entrar sempre que puder.
Volta sempre.
Beijinhos

BlueVelvet said...

Pedro,
essas imagens também me ficarão na retina para sempre.
Um horror.
Veludinhos azuis

BlueVelvet said...

Druiel,
tens razão, lamentavelmente.
Os GRANDES do mundo não percebem.
Veludinhos azuis

BlueVelvet said...

Carlos,
como lhe disse no seu post, ambas as datas são para recordar e lamentar.
Beijinhos

BlueVelvet said...

Patti,
então já sabes a minha resposta.
Beijinhos

1/4 de Fada said...

Para responder no sentido do teu post, eu lembro-me tão bem, estava sozinha em casa, sentada na secretária a trabalhar imagens com um programa de desenho, que era a minha mania da altura, quando o meu ex-marido me telefona para ligar a TV depressa. Quando vi as imagens não queria acreditar no que estava a contecer, parecia aquelas pessoas que quando o homem pisou a lua pela 1ª vez afirmavam que tinha sido tudo fabricado na televisão... Levei um pedaço a cair na realidade.

Antonio saramago said...

Pior ainda é nunca esquecer-mos o TERRIVEL!!!
Valeu a pena CRISTO andar a pregar da forma que andou?

Fátima André said...

BluVelvet,
quando puderes passa pela minha sala de aula. Deixei lá um SORRISO para ti que podes levantar... para animar o arranque de ano, pós-férias.
Beijinhos e Sorrisos :))

Parapeito said...

Foi mais um episodio horrivel no meio de tantos...realmente o homem nao aprende...como disse Albert Einstein : ''Não sei como será a terceira guerra mundial, mas sei como será a quarta: com pedras e paus.''

*******

Filoxera said...

Isso é verdade, mas também já cansam, aqueles discursos norte-americanos da luta pela defesa da liberdade e da democracia, quando eles próprios têm exemplos flagrantes de violações da liberdade.
Beijos.