12 June 2008

ABENÇOADO STO ANTONINHO... DE CHOQUE


Não tenho devoção por santos, nem gosto de ajuntamentos.
No entanto, o Sto. António tem um lugar especial na minha vida, por ser o santo da devoção da minha mãe, que ainda por cima colecciona imagens dele, toda a espécie.
Claro que eu tenho contribuído e muito, porque de todos os Países que visito é certo e sabido que trago um Sto António para a colecção.
Sei até que Sto António nasceu em Lisboa, a 15 de Agosto de 1195 e morreu em Pádua a 13 de Junho de 1231 porque a minha mãe se passa quando dizem que nasceu em Pádua e conta logo a história toda.
Ou, se está com os azeites, diz só:
Nasceu não, morreu!
Daí que não entenda bem porquê que se comemora em Lisboa o dia da sua morte, e não o do seu nascimento.
E também que, ao contrário do que se pensa, Sto António não é o santo padroeiro da cidade de Lisboa, mas sim São Vicente.
Enfim, choses!
Por razões que desconheço é costume invocá-lo para ajudar a encontrar objectos perdidos, numa oração conhecida como responso, e certo é que, sempre que perde alguma coisa, lá diz a minha mãe o responso e a coisa aparece.
E isto, garanto eu, é verdade.
Bom, mas tirando tudo isto, que aliás já me levou meio post, não sou devota de Santos ( só de N. Sra. de Fátima e sob a Sua protecção pus os meus filhos quando nasceram), e odeio ajuntamentos.
Pois, eu sei que me estou a repetir, mas é que estando aqui, agora, sentada ao fresquinho enquanto escrevo, ainda não me esqueci do susto que apanhei faz exactamente hoje um ano.
Então foi assim:
Há muitos anos que não ia a Alfama comemorar o Sto António. Desde antes de se beber Caipiroska em vez de sangria, imaginem.
Vai daí que o ano passado um grupo de amigos me convenceu a ir para Alfama.
E onde jantamos perguntei na minha santa inocência?
LÁ, responderam eles.
Nem fiz mais perguntas, mas decidi que levava o meu carro, que nestas coisas gosto de estar livre e poder bazar quando não quero mais.
Pois não sabia é que não ia querer mais às 9 da noite.
É que não estão bem a ver:
Sardinhas nem cheirá-las, as ruas cheias de gente bêbada àquela hora, e só via banquinhas com fulanos com garrafas térmicas a venderem caipirinha e caipirosca.
Cada vez aumentava mais o magote de pessoas, deu-me uma fúria e resolvi meter-me no carro e sair dali.
Andei uns 20 metros e fiquei literalmente ilhada por uma mole imensa de gente, na sua maioria de idades compreendidas entre os 16 e os 25 anos.
Todos de garrafa de cerveja ou copos de plástico com um líquido que pretendia ser a bebida brasileira, nas mãos.
Rodearam o carro, começaram a abaná-lo, uns sentaram-se em cima do capot, outros batiam nas portas...o pânico apoderou-se de mim.
Freneticamente pensei que devia estar maluca, porque não me lembrava se o seguro cobria aquilo ou não, mas algo me dizia que actos de vandalismo não estavam incluídos.
Foram seguramente os 15 minutos mais aflitivos da minha vida.
E de repente, oiço um ruído que se sobrepunha ao da multidão, e como naquele milagre do Rio Jordão, abriu-se uma clareira e à minha frente apareceram dezenas de polícias de choque, vestidos a rigor e batendo cadenciadamente com os bastões nos escudos transparentes.
Ladearam o carro e escoltaram-me até ao Martim Moniz!
Lá chegada, só me lembrava dos meus Sto. Antónios de menina, na aldeia, saltando a fogueira e queimando a alcachofra.
Não sei se foi milagre de Sto. António, mas que desde essa noite ele ganhou mais uma devota, lá isso ganhou.
Só não me peça é que vá aos Santos Populares.

15 nhận xét :

Pitanga Doce said...

Olha, ia convidar-te pro São João das Fontainhas, mas já não vou.

beijos e vai um martelinho? hehe

Carminda Pinho said...

Foi um stº antónio que te deu ahahah!!!
Também não gosto de arraiais de stº nenhum, sardinhas só no restaurante, porque em casa...ui o cheiro!!!

Um bom dia para ti, seja ele de que santo fôr.

Beijos

Um Momento said...

Xiça!!
Não queria estar na tua pele mesmo...
Lembrei-mo do Euro há 4 anos quando a minha filha me pediu para ir festejar para a baixa no penúltimo jogo...Bem...
>Nem te conto o que aconteceu ao meu carro...só que eu não tive escolta policial...
Quanto a ir ver os Santos Populares...fico-me pela televisão e nem sempre...
Quanto ao Sto António...é mais um Santo a juntar a tantos outros porque eu realmente...de santa não tenho nadinha( brincando)

Um beijinho e ...hoje é(?) dia de Stº António:))))))))))

Um beijo Doçura minha e tem um bom dia ( que por acaso é... sexta feira 13:P)
:)))))))))))

(*)

f@ said...

Quando é feriado na capital ... eu tb faço... lollllsss....
Onde te meteste que nunca + te vi? Ai!!!
Acho que é feriado para ti... mas nunca sei bem as datas nem as horas...
Sto A´ntónio me ajude que não penso fazer nadita hoje....
beijinhos das nuvens

f@ said...
This comment has been removed by the author.
Mary said...

Viva o Sto. António e Viva o S. João...
Viva a PSP com o bastão pela mão :)))))
(inspirada numa história real ;)))))
Beijinhos Bluezita

Cris de Bourbon said...

Querida, que sufoco passastes. Tambem passei por um parecido, só que era somente uma pessoa, bebada, a quebrar todo o nosso carro, com a familia dentro. No final das contas o prejuizo foi so material, e não sei como os vidros nao estilhaçaram em cima da gente e fomos atingidos por aquele louco com um objeto em punho. Aliás, sei sim. Devemos ter sido protegidos por um terço que permance sempre pendurado no retrovisor interno do carro. Mas foi um grande susto tambem, um trauma pro resto da vida.

Estou aqui feliz da vida de saber da sua devoçao por Nossa Sra de Fatima, minha amada Mãe. Que feliz. Ano que vem vou a Fatima, se Deus quiser. É um sonho. Um grande sonho. Também gosto de Santo Antonio. E amooooo São Francisco de Assis. Amo, amo, amo. São meus tres santos de devoção. Olha aí mais afinidades...

beijooooooo

Gi said...

Houve tempos em que apreciava. Não importava o local da festa, importava a companhia. Com a idade vem o comodismo e o cansaço. Não há paciência para andar em fila a pedir "um bocadinho de com licença" para passar. Pagar por uma sardinha o preço de um quilo, apanhar com o cheiro em sovaquinho de uma multidão entusiasta (isso o pior de tudo), esperar não sei quantas horas que as marchas. A tradição talvez ainda seja o que era. Eu é que não :)


Um beijinho

Filoxera said...

Com as feras em casa, não lerei isto hoje.
Beijos.

Carminda Pinho said...

Stº António de Lisboa
faz um milagre dos teus,
hoje nascia o Pessoa,
olha quem se esqueceu...Santo Deus!
:)))
Beijos

1/4 de Fada said...

Estou para aqui apavorada só de ler! Tenho uma claustrofobia incrível, detesto multidões, imaginem se me acontecia uma dessas... Sardinhas nem vê-las, não são coisa de que goste muito, por isso, santos populares não são, definitivamente, para mim.

Sol da meia noite said...

Achei piada ao início do texto, o modo como a tua mãe defende que Santo António nasceu em Lisboa. Podia-se ter juntado com a minha... Contava ela que um dia, ela e um grupo em amigas, em Roma (isto no tempo de Pio XII), ouviram dizer que existia a Igreja de Santo António de Pádua, porque o Santo tinha nascido e morrido em Pádua. Parece que todas elas se passaram e a coisa esteve séria... :-))))))

Pois eu também não voltava a ir... milagres não estão sempre a acontecer... :-)

Jinhos, amiga

Angel of Light said...

Olá minha querida!

Isso é que foi mesmo um grande susto. Mas, não tendo piada nenhuma, adorei como contaste o episódio.

Já não vou a Alfama há muitos anos... desde que os filhos nasceram, já lá vão uns 9 anos, e nem sabia que agora vendiam caipirinhas... É muito triste ver que o nosso povo, até naquilo que é costume e tradicional, se deixa "violar" por costumes de outros povos. Enfim... no comments!

Bom fim-de-semana!

Beijinhos de Amor, Paz e Luz!

Patti said...

Oh coitada da Blue!
Que grande cagaço.
Mas safaste-te bem. E já viste que chic, ser salva por uma escolta?

Nunca fui aos santos populares me Lisboa, porque prefiro os arraiais mas pessoais pela zona onde moro. Tudo se conhece e não há confusões.

kakauzinha said...

É nessas alturas que devíamos ser a Wonder Woman ou então chamar o Super-Homem e dar uma ganda carga de porrada nesses valdevinos!

Bem, mas afinal apareceu a polícia de choque e eles todos fardados até ficam giros, cof cof cof...

Santo António, eu tornei-me devota nos anos 80, um dia conto-te.

Bisous bleus****