29 October 2008

NÃO ENTENDO



Não entendo.
Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender.
Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo.
Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito.
O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice.
Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco.
Não demais: mas pelo menos entender que não entendo.
Clarice Lispector

Dois rapazes, um de 20, outro de 18 anos foram presos sem fiança, no Estado americano de Tennessee por planearem matar a tiro 88 negros e decapitar 14, após o que tentariam assassinar o senador Obama.
São ambos skinheads neonazis, e os números 88 e 14 são simbólicos na comunidade que prega a supremacia branca:
88= Heil Hitler;
14 é o número de palavras da frase: "Devemos assegurar o futuro de nossa raça e um futuro para as crianças brancas"

Tudo o que quero: não entender.

18 nhận xét :

mfc said...

Há uma frase brilhante do Woody Allen que diz: "A estupidez é muito mais fascinante que a inteligência. É que a inteligência é limitada, ao passo que a estupidez não o é!"

Está tudo explicadinho, né?!

Maria said...

Eu sei que começas com um pequeno texto de C. Lispector.
Devo dizer-te qque fiquei logo com dor no estômago quando vi a foto.
Passados estes momentos, o que eu gostaria mesmo era que tu quisesses, pelo menos, entender um pouco... ou entender o que não entendes...

Beijos e, mais uma vez, parte lá a oerna....

BlueVelvet said...

mfc,
é verdade.
O Woody Allen tem quase sempre uma frase, parentemente simples, mas que genialmente se aplica.
Veludinhos azuis

BlueVelvet said...

Maria,
para além do que o poema diz, só posso acrescentar uma coisa:
por mais que tentem explicar-me o que passa na cebça destes monstros eu não vou entender.
E nem quero, simplesmente porque não tem explicação.
E nem se diga que isto acontece porque é nos Estados Unidos, porque como sabes, talvez melhor do que eu, estes grupelhos estão a aparecer cada vez em maior número, em todo o lado, Europa incluída.
Portugal incluído, talvez mais encapotados, mas estão.
Beijinhos

Maria said...

É claro que não é a oerna que eu quero que partas, mas a perna, mesmo!
Tem explicação sim, Blue Velvet. E não é só nos EUA, é também cá, e no resto da Europa. E TEM EXPLICAÇÃO!
Um dia destes falamos sobre isto.
Por agora deixo-te em paz....

Beijos e tudo a correr bem!

Antonio saramago said...

Eu penso que nunca iremos conseguir entender o porquê destas monstruosidades.
FILMES!!!!
Talvez aqui resida um grande factor para a prática da violência e de actos tresloucados.
Éuma vergonha este mundo!!!
Será que haverá realmente outro?

Patti said...

O ódio é sempre incompreensível. Mas depois chego à conclusão que também odeio. O preconceito. Que encerra nele todos os piores defeitos do Homem.

Vekiki said...

Não posso entender!
Não quero entender!
Será que estes "meninos" alguma vez viram ou leram tudo o que se passou durante a loucura hitleriana? Será que nada lhes toca lá dentro quando veêm milhares de pessoas - homens, mulheres, Crianças - a serem mortas sem razão nenhuma para além da raça?
Será que são normais?
Não!!!!!!!!!!!!!!!!!

Si said...

Os extremismos, radicalismos e fundamentalismos sempre me fizeram muita confusão, pela incapacidade aparente que os seguidores desta ou daquela filosofia demonstra em raciocinar pelas suas próprias cabeças. De seres pensantes, cultos e inteligentes - porque só uma capacidade cerebral significativa consegue absorver toda uma infinidade de livros religiosos, regras, ódios e paixões - passam a autómatos simples que obedecem a uma só voz, a um só líder, a uma só doutrina, sem questionar nem duvidar.
Não é só nos EUA, de facto, que se mata, se tortura, se suicida, indiscriminadamente, por amor a uma causa apaixonada, que no fim de tudo, se resume apenas à intenção pérfida de interesses económicos. Disso há aos pontapés pelo mundo fora.
Vá lá a gente entender isto....

sagitario said...

os rapazes são fruto da educação que tiveram é preciso não haver pessoas destas mentalidades em pleno seculo XXI, pois queremos pessoas e não monstros

Carlos Barbosa de Oliveira said...

Percebo o que quer dizer mas desculpe, discordo. Não querer entender, fingir que não se entende, ou desvalorizar essas questões é o que quase todos andam a fazer, enquanto estes movimentos(?) se fortalecem. Talvez um dia acordemos e seja tarde, porque já estarão de tal forma dissiminados que será difícil pará-los.
A Democracia tem por vezes estes enganos. Por isso não é o sistema perfeito.

Tretoso Mor said...

Veludinho,

Não entendo nem o fundamentalismo, nem o terrorismo.

Nem quero entender!

Tretices compreensivelmente azulinhas para ti

BlueVelvet said...

Maria e Carlos,
quando pus o poema fi-lo porque embora pareça um simples trocadilho, não é inócuo.
"Não entendo.Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender."
Embora as razões que estão subjacentes ao aparecimento desta gente sejam por mim conhecidas, isto é tão absurdo...que ultrapassa qualquer entender.
O que eu não quero entender são as razões que eles possam invocar, tomando aqui a palavra entender como compreender, concordar. Entender que não entendo alegra-me e tranquiliza-me, portanto, porque entender, no tal sentido figurado, seria já de algum modo, ficar próxima das razões deles.
E Carlos, a prova que não desvalorizo e não ignoro a situação, e que a mesma me procupa, é que fiz este post.
Só que não quis fazer um longo post, nem limitar-me a reproduzir uma notícia.
Por isso recorri à subtileza do poema da Clarice Lispector.
Beijinhos aos dois

f@ said...

Não há como entender o ser humano a menos que se passe a usar prefixos…
Discriminação racial sob as os moldes + cruéis, pura barbárie…
daí a minha tb total incapacidade de entender… tudo se passa aos olhos do mundo e assim é “aceite” impunemente, mtas vezes com direito a aplausos por parte de quem tem o poder para sancionar… reeducar…
Estas e outras práticas terroristas são a violação de todos os direitos fundamentais e a sua recusa.
Mas temos tb as formas de terrorismo passivo… aquelas que fazem a “nossa” “compaixão” por serem tantas vezes abordadas e nunca resolvidas só palestras congressos sobre solidariedade…
Enfim a penas ser es desu manos…

Beijinhos das nuvens

Oliver Pickwick said...

Tem razão, Velvet. Quando a insanidade extrapola os limites, melhor mesmo não entender.
Um beijo!

BC said...

Chegámos a um ponto de insanidade que não se explica, que realmente por vezes é melhor ser ignorante.
Mas também se o somos deixamos que estas e outras coisas continuem a acontecer e isso é desastroso.
Abraço

PS.
Já tive uma explicação do meu filho para aquilo que aconteceu, que não sabia que se pudesse fazer
depois explico-te, É SEMPRE BOM APRENDER.

Gui said...

É uma realidade dramática esta. O mundo vive com uma espada suspensa sobre a cabeça, enquanto houver gente desta. O mundo não está livre de cair nas mãos de um outro Hotler ou de um Estaline qualquer.
É arrepiante.

AnaMar said...

Entendo esse "não quero entender".
Demasiado monstruoso. Também tenho destas recusas intelectuais em "aceitar" coisas tão negativas, brutais... Mas existem infelizmente e é bom que se saibam, que não se esconda o horror, porque só sabendo se pode acabar com ele.

Abraço.