16 October 2008

NUA


"Por que essa nudez, que todos trazem consigo desde sempre, agora desterrava só a ela, como se fosse a única a estar nua, a única criatura que pudesse ficar nua sob o céu."


Calvino é antes de mais um poeta, com sua prosa certeira e com uma espécie de sabedoria que diz tudo em poucas palavras, que chega ao âmago sem preâmbulos e deambulações... como o que estou agora a fazer.
Deambulo à procura daquilo que gostaria realmente de dizer hoje, quando penso em algo que sempre evitei: a exposição. Acho que todos sonhamos em estar nus, no meio da rua, e todos a nos olharem. Faz parte do manual básico do Dr. Freud.
Mas esta nudez sonhada e temida, aparece de várias maneiras quando despimos a sisudez da racionalidade e mostramos apenas aquilo que está lá dentro de nós, algures, protegido, escondido.
A revelação é um acto de coragem, mesmo que pareça em alguns casos, de fraqueza. Porque ninguém gosta, mesmo que não assuma, de quem chora pelos cantos, de quem vive à beira das lágrimas, quase a derreter-se.
Porque mostra a fragilidade que também é nossa, ou pode vir a ser, e que tão elaboradamente tentamos ocultar.
Não sei se a nudez é sempre necessária, mas às vezes, sob o céu que nos protege, os olhos marejados até caem bem...
E um abraço também.

27 nhận xét :

Pitanga Doce said...

"os olhos marejados caem bem" e são um alívio. Quem consegue, o tempo todo, fingir que tudo está bem e manter o sorriso engessado das grandes e solitárias estrelas? E não falo das estrelas do céu.

boa noite Bluevelvet

Maria said...

Eu devo andar desfazado no tempo ou no espaço, ou então é ainda o trauma do post anterior... que vi teres corrigido...
Nunca sonhei/pensei em estar nua, no meio da rua, para todos me olharem, ainda que isto faça parte do manual básico de Freud.
Nunca tive problema nenhum em desabar em lágrimas no meio da rua, se me apetecer. Muito menos em ficar com a pintura dos olhos esborratada, por ter chorado.
Não sou uma mulher frágil. Antes pelo contrário. Mas sou uma mulher cheia de fragilidades...
Portanto, choro, beijo e dou abraços sempre que me apetece e não importa onde estou.

Até estou a pensar se terei percebido bem o teu post... ou se estou sob o efeito do de há dois dias atrás...

Beijos

Patti said...

Bom, terás encontrado desta forma um meio de te expores e o que vai dentro de ti, sem te despires na totalidade.
Nem sempre o desabafo, por muito fundo que seja, tem de passar pelo íntimo do nosso ser.
Acho que para isso, nasceu algures a poesia.

BlueVelvet said...

Pitanga,
há quem consiga sim.
Chama-se afivelar máscaras:)
Beijinhos

BlueVelvet said...

Maria,
não percebeste o post, de facto.
O estar nua a que me refiro, não é sem roupa. É sem máscaras.
Para não incomodar os outros com os nossos problemas ou angústias ou medos.( quando despimos a sisudez da racionalidade...)
Beijinhos

BlueVelvet said...

Patti,
mal de nós se só os poetas conseguissem expor-se passando pelo íntimo do seu ser.

Antonio saramago said...

Cada vez mais muita gente vive sob uma máscara, não dando a transparecer o que realmente vive, em contrapartida muitas outras pessoas, não conseguem disfarçar o que lhes vai na alma.
Felizmente que ainda existe muita boa gente,despidas de preconceitos e neste campo TU és uma dessas pessoas DESPIDAS,nuas.
Continuarás sempre a ser igual a ti própria e a tua NUDEZ é o fascinio de quem te lê.

Sunshine said...

E como os abraços caem sempre bem, hoje deixo-te um abraço com carinho.

BC said...

Por vezes é necessário deixar cair a máscara.
É confortável estarmos muitas vezes na ignorância, mas essa ignorância escondida pode não conseguir chegar ao sítio onde nós queremos.
Todo o ser humano precisa de tempo,
tempo para se desnudar.
Tudo isto parece muito confuso, mas
se analisarmos bem, de facto talvez não o seja.
Aquele abraço

1/4 de Fada said...

É muito mais fácil manter uma aparência do que mostrar o que se passa verdadeiramente connosco - não somos julgados e consequentemente não somos condenados nem executados. Raramente mostro o que realmente sinto. Só o faço com algumas pessoas, e nem sempre essas pessoas são os meus amigos ou os meus familiares, porque aí não há o medo do julgamento mas o sentimento de protecção. Às vezes é mais fácil falar abertamente com um estranho do que uma pessoa chegada, daí parte do sucesso dos psiquiatras (claro que o grande sucesso é a formação profissional).

Mas percebo perfeitamente a parte do abraço. Um dos problemas que eu tenho é que, como me consideram uma pessoa forte, ninguém acha que preciso de apoio, procuram sempre o meu. Acaba por ser de uma grande solidão.

RENARD said...

My Lady:

How this thought of yours moved me...
I didn't cry. Actually my eyes have been quite dry lately. Guess they're just tired as I am...
But yes... It's scary being naked. Taking off your masks and showing our true frail selves. But sometimes it's all we have left to show people that we're only human and not as strong as they think.
As you know, I'm not one for masks, but lately I've been obliged to wear one and can only be naked at home when I'm alone.
As it goes against my personality it's actually quite uncomfortable.
Have you ever noticed how small babies love being naked and cry hard and loud when they are being dressed???
That's my point! Our true nature is to be naked... If we were all naked, we'd all be the same...
But we live in difficult times. In a world of "dog eat dog". If weakness is sensed, as in the wild, we're easy prey...
Come to think of it, damn it's a sick world... Getting worse by the second... Hope stayed in Pandora's box...

Big hug and thanks dear

f@ said...

Nu vens...
assim te descalças, desnudas e danças á chuva…
"lava-se" a “máscara” com água pura, escorrem as tintas desbotadas …
pinta-se de novo com as cores do coração…
Beijinhos das nuvens

1/4 de Fada said...

Regresso, encontro um dos mitos de que mais gosto e uma pergunta que me tem assombrado ultimamente: será que a esperança ficou mesmo na caixa? Sou mesmo eu a questionar-me desta maneira? Eu que tenho a mania que sou optimista? Que acho que nasci num dia em que as estrelas brilhavam? O que é que está realmente a acontecer que anda a deixar-me assim? Tragam-me o manual básico do dr. Freud, por favor. De preferência com uma actualização ao século XXI.

Tretoso Mor said...

Veludinho,

Falo por mim.
É difícil despir a alma sem ser em privado.
Acabo por o fazer, lentamente, no meio das TRETAS que vou escrevendo no meu Burgo e nos comentários a terceiros.

Nunca deixarei de estar coberto por um véu mas, quem para ele souber olhar descobrirá o que tapa.

A transparênia crescente desse véu assusta-me pois deixa-me irremediávelmente desprotegido, qual streeper perante o seu público.

Talvez seja da idade, mas já não me consigo cobrir como antigamente.

Não tenho vergonha, mas sinto-me desprotegido.

Tretices grandes para ti.

http://tretas-da-vida.blogs.sapo.pt/

Maria said...

Então eu corrijo o comentário: ando sempre nua no meio da rua! E por onde quer que vá!

Beijos

Carlos Barbosa de Oliveira said...

Bem, já percebi a razão de só ter conseguido entrar aqui agora: o meu computador é muito púdico e só depois da meia-noite`aceita falar de nudez.
Agora a sério. Excelente texto, para abordar o tema da falta de sinceridade das pessoas e das máscaras que envergam para se disfarçarem. Costumo dizer que vivemos na era do " masi vale parecê-lo do que sê-lo".
As pessoas têmcada vez masi dificuldade em assumir-se como são.Optam por criar uma imagem que case bem com o meio ond se movem.O mais grave de tudo e que as transtorna é tudo fazerem para não deixar fluir as emoções.
E há quem viva assim a vida inteira. Sem que nunca lhe caia a máscara

BlueVelvet said...

António,
sempre gentil.
Beijinhos

BlueVelvet said...

Sunshine,
obrigada pelo teu abraço.
Hoje caiu especialmente bem.
Beijinhos e um abraço para ti também

BlueVelvet said...

BC
não é de facto tão difícil assim.
É uma questão de postura.
Beijinhos

BlueVelvet said...

1/4 de fads,
então um abrçao para ti.
Jázinho.

BlueVelvet said...

Renard,
probably we should all have stayed inside Pandora's box.
Kisses and hugs

BlueVelvet said...

TretosoMor,
não te sintas desprotegido.
Estarás sempre protegido pelo manto da verdade.
beijinhos

BlueVelvet said...

Maria,
sua descarada!
Serious mode: isso sei eu. Não és pessoa de máscaras.
Beijokas

BlueVelvet said...

Carlos,
pois claro.
Já abe que este é um blog decente.
Bolinhas no canto esquerdo só depois da meia noite:))
Serious mode: Não caem porque já se colaram. As máscaras, quero dizer.
Beijinhos

Filoxera said...

De todas as vezes que há olhos marejados, deveria haver abraços...
Beijos.

Paulo D'Auria said...

De Calvino até hoje só li "O barão nas árvores", que está na lista de meus livros preferidos! O cara é fera mesmo!!!

Oliver Pickwick said...

É uma bonita seqüência. O Calvino que se refere deve ser o Italo, não?
Lá embaixo, a expressão "sob o céu que nos protege", me lembrou um grande filme de Bertolucci intitulado aqui no Brasil "o céu que nos protege".
Um beijo!