24 January 2008

BEIJEM, BEIJEM MUITO


Poucas coisas na vida real me comovem às lágrimas hoje em dia.
Desde que assisti em directo à guerra do Golfo e o meu filho mais novo me perguntou que filme era, e sempre que vejo o ataque às Torres Gémeas e eu própria acho que é um filme, desenvolvi uma carapaça que, feliz ou infelizmente, às vezes descubro é muito fininha.
Às histórias que envolvam crianças, idosos e animais continuo absoluta e totalmente vulnerável, mas esta que agora vos conto, deixou-me em lágrimas e é de lágrimas nos olhos que a escrevo.
Toca-me profundamente por várias razões.
Caiu-me nas mãos através de um livro que Noelle Chatelet, ex - professora de comunicação na Sorbonne e irmã do ex - primeiro ministro Daniel Jospin, escreveu e que se chama Le Baiser d'Isabelle.
Em Novembro de 1995 Isabelle Dinoire, uma francesa divorciada e mãe de duas adolescentes, tentou suicidar-se com comprimidos.
Ao vê-la inanimada, o seu cão Labrador entrou em pânico e de tanto a abanar e depois morder, decerto tentando que a dona acordasse, desfez-lhe a cara.
Isabelle foi encontrada com vida e submetida ao 1º transplante da face, no Mundo.
A dadora também se tinha suicidado.
A cara de Isabelle era praticamente inexistente tendo no lugar da boca um buraco.
Hoje tem uma cara nova, diferente da dela, mas em que quase não se notam as cicatrizes. ( Embora possua as fotografias que mostram o seu rosto desfeito e como ficou após as várias operações a que foi submetida, não as mostro, por demasiado chocantes).
Por estar inconsciente, Isabelle não se pode opor a que o seu cão fosse abatido, dado que não pode explicar, em tempo, o que se passara, facto com o qual lida mal.
Logo que voltou para casa comprou outro cão ao qual chamou ANGEL.
Diz ela que foi o único ser que não fugia quando via o seu rosto desfigurado.
Como se podem aperceber, até aqui limitei-me a relatar factos, mas há várias coisas nesta história que me comovem.
Perturba-me sempre saber que alguem se suicidou ou tentou, porque, ao contrário de muita gente, não entendo que quem o faz seja maluco.
Acho que quem chega ao extremo de atentar contra a própria vida, deve estar num sofrimento insuportável.
Perturba-me também que coincidentemente a dadora também se tenha suicidado.
Choca-me que o cão tenha sido abatido.
Mas o que mais me perturba é que Isabelle, embora tenha que fazer uma medicação fortíssima até ao fim da sua vida para evitar a rejeição do transplante, embora possa comer e beber perfeitamente, embora possa fazer a sua vida normal, o músculo orbicular, o do contorno da boca que permite aos bébés mamar, ficou irremediavelmente danificado.
Isabelle nunca mais poderá beijar ninguém!
Uma coisa tão simples, tão vulgar, um beijo. Já pensaram?
E se nunca mais pudessemos beijar quem amamos? Os nossos filhos. Os nossos pais. Os nossos amigos. O amor da nossa vida.
E no entanto, tantas, tantas pessoas negam esse simples gesto que às vezes pode salvar o nosso dia, pode ajudar-nos a enfrentar com mais coragem algo difícil, pode dar-nos a certeza de que somos importantes para alguém, pode inundar o nosso coração de alegria, de sol, de Paz.
Quantas e quantas vezes não ansiamos já por um beijo que nos foi negado?
Quantas pessoas acham lamechas, amaricado, peganhento, sinal de fraqueza, dar beijinhos ?
Pensem nisso.
Pensem se nunca mais pudessem dar um beijo a ninguém.
E aproveitem.
Beijem, beijem muito.

O beijo é flor no canteiro ou desejo na boca?
Tanto beijo nascendo e colhido na calma do jardim
nenhum beijo beijado (como beijar o beijo?)
na boca das meninas e é lá que eles estão
suspensos invisíveis

21 nhận xét :

Pekenina said...

Estou estupefacta. Não tenho mesmo palavras. És um exemplo de mulher em colocar estes textos aqui. Parabéns!
BEIJO!*

Maria said...

Acompanhei esta estória na comunicação social, mas desconhecia este último pormenor(maior) do beijo...

Um beijo pra ti.

Manuel Damas said...

Isto por aqui é tudo muito bonito.
Desculpe, mas vieram-me as lágrimas aos olhos.
Um beijo.

Alexandre said...

O tema do beijo é sempre actual e pertinente! E é bom lembrarmos situações complicadas, felizmente diferentes das nossas! Sempre fui apologista do beijo, é tão fácil, é barato e se não dá milhões, pelo menos faz pessoas felizes e mais equilibradas.

A falta de beijos pode ir ao extremo: uma antiga colega minha no Expresso dizia que não beijava os filhos e nunca os aleitou por opção para não «se apegar demasiado aos filhos» e vice-versa!

E depois são pessoas cultas!!!

A sensatez acho que está no íntimo de cada um, independentemente da cultura e da formação.

Por isso, beijem muito mas muito mesmo! E em todo o lado e ... as pessoas certas!!!

Sol da meia noite said...

Confesso que me faltam palavras para comentar este post.
Sei que me entendes.
Li, reli e amei a sensibilidade que a cada palavra imprimiste.

Xi, querida amiga

FM said...

Olè... com Sol!

Carminda Pinho said...

Velvet,
já conhecia parte desta história verdadeira. Mas desconhecia por completo que a senhora foi mordida pelo seu próprio cão, que a tinha tentado reanimar depois desta se ter tentado suicidar...
Pffffffffff...respiro fundo e, penso... há acontecimentos inexplicáveis...

Olha amiga, vou começar agora e, é já por ti...beijos muitos de amizade que seja virtual não tem importância nenhuma, afinal acabamos por ficar a conhecer melhor as pessoas com quem comunicamos aqui, do que muita gente "amiga" que vemos todos os dias.

Mais beijos :)

Oliver Pickwick said...

Eu me lembro do caso dessa senhora, acompanhei pelos jornais. É realmente uma série de fatalidades.
Ás vezes é necessário postar artigos desse tipo, Velvet, a fim de que possamos refletir e concluirmos como os nossos problemas são pequenos.
Beijos!

parvinha said...

Bom dia Blue, belo post, parabéns.
Acho que não serve como alguém citou para ver como os nossos problemas são poucos, acho sim que há grandes exemplos de coragem, e de força, quando o mal bate a porta, vamos buscar força e coragem sei lá onde com ajuda de pessoas também, óbvio!
Por isso trabalho na minha área e gosto tanto de ajudar.
mil beijos para ti

Jotabê said...

De facto impressionante.
Eu lembro-me deste caso, lembro-me também na altura que foi divulgado e em relação à atitude do cão da senhora, ter recordado um episódio cá de casa quando um Serra da Estrela que eu tinha, atacou o meu filho mais novo, igualmente na cara, felizmente sem graves consequências.

Impressionante também é essa constatação da impossibilidade de beijar, realmente, a vida sem beijos fica substancialmente mais pobre, apesar de haver muita gente que se furta a essa manifestação de carinho, e também é certo que temos a tendência em desvalorizar actos tão simples, como dizes.

Eu sou por tendência bastante beijoqueiro, de forma que..

Uma beijoca

ps. Gostei muito deste post e da sensibilidade nele contida

susy claro said...

Obrigado por este texto tao sentido... e que nos faz pensar nas coisas que às vezes tomamos por certas...

Waldorf said...

Eu beijava-te se me deixasses!!!
Estou aberto a outras propostas!

Olá!! said...

Tal e qual, Oliver...
Por vezes a nossa "montanha" de problemas e um grão de areia comparado com situacões como esta.
Sou sensível a ela, mas fico a pensar... a senhora que se tentou suicidar provávelmente por não conseguir encarar a vida como estará agora com este problema acrescido???? Fico a pensar...
Beijo Blue Velvet

Spectrum said...

É perturbador este texto, Blue. Deixei um link para este texto no meu blog.
Beijo

Angel said...

Bem BlueVelvet...realmente é uma historia daquelas...que nos dá a volta e poe-nos a pensar...eu por norma já sou muito beijoqueira..mas olha que ainda vou ser mais..;)um beijinho

Outonodesconhecido said...

oh veludinho tu surprendes-me. Apesar da história triste adorei o teu blogue. E sim vou beijar ainda mais.
Um bj

Som Do Silêncio © said...

Fiquei de coração apertado quando acabei de ler o teu post.
Não bastasse já o drama horrível que ela passa, e nunca mais poder beijar?
Eu adoro beijos beijos e mais beijos, para mim é impensável não poder dar um beijo.
Um beijo te deixo minha querida

Statler said...

Um relato que comoveu o meu coração de pedra.

O beijo, também não convém andar por aí a dar beijos por dá cá qualquer coisa, senão cai na vulgaridade e o beijo nao se quer vulgar!

Não beijo porque não me apetece.

XupaNuPipi said...

Apetece.me partilhar com todo mundo...isto é do meu tempo, lol

http://www.myvideo.de/watch/2847221

Quanto ao post- Um beijo é um segredo que se diz na boca...beijos!!!!:-))

samuel said...

E o primeiro beijo vai para... Blue Velvet!
Pelo post, cuja história conhecia da TV francesa, já que sou o tipo de fanático francófilo que até "papa" debates, mas sobretudo para selar o pedido de desculpa pela azelhice e distração de ainda não ter posto o "Blue Velvet" na coluna de blogs do Cantigueiro, asneira que estará sanada nos próximos 20 segundos.

Abreijos

MIMO-TE said...

Ai, Blue,

Eu sabia deste caso, mas sem os contornos que nos relatas. Tens toda a razão quem tenta o suicídio está muito doente e a verdade é que pode acontecer com qualquer um. A depressão quando não tratada é uma das causas e é verdade para se chegar aí é porque simplesmente já não se suporta o sofrimento. Bem sempre que te comento vou-me desnudando. A verdade é que já assisti a vários casos, não vou falar, mas penso que as doenças do foro psicológico são muitas vezes as mais dolorosas. Quanto ao cão, de raça Labrador, é sem dúvida das raças mais calmas e inteligentes, são os cães usados para acompanhar crianças e adultos com problemas de cegueira, não comento.

Quanto ao rosto dela, eu vi as fotos e felizmente a medicina tem feito vários progressos. Não sabia do pormenor do musculo labial, mas perante tudo isto, só espero que esta mulher consiga amar.

Bjo
Mimo-te