28 January 2008

O SEGREDO DO CASAMENTO

Stephen Charles Kanitz nasceu em São Paulo, é Bacharel pela Universidade de S.Paulo e tem um MBA por Harvard.
É consultor de empresas e conferencista.
Em 1974 foi um dos precursores de análise de risco e crédito com o seu artigo "Como Prever Falências" , o qual ficou conhecido como o Termômetro de Kanitz. A Análise de risco abriu a possibilidade de crédito a pequenos empresários e pessoas mais pobres, antes dispensada somente aos mais ricos da população, ou seja, aos que não precisavam.
Em 1975 criou a edição anual “Melhores e Maiores” da Revista Exame, determinando as empresas com melhor desempenho global de cada ano, iniciando no Brasil o movimento conhecido como 'benchmarking'. Isto 6 anos antes de Tom Peters fazer o mesmo nos Estados Unidos em 1981, com o seu livro "Em busca da Excelência".
Em 1992 foi um dos líderes que disseminou o conceito de Responsabilidade Social, criando o primeiro site de voluntariado, www.voluntarios.com.br e o primeiro site de doações on line na internet, o www.filantropia.org.
Em 1995 criou o “Prémio Bem Eficiente” , que anualmente premeia as 50 melhores entidades beneficentes do Brasil.
Há pouco tempo foi convidado para fazer uma conferência sobre “ O Segredo do Casamento”, e, embora aparentemente essa não seja a sua especialidade, disse o que abaixo transcrevo.
Meus amigos separados não cansam de me perguntar como eu consegui ficar casado trinta anos com a mesma mulher.
As mulheres, sempre mais maldosas que os homens, não perguntam a minha esposa como ela consegue ficar casada com o mesmo homem, mas como ela consegue ficar casada comigo.
Os jovens é que fazem as perguntas certas, ou seja, querem conhecer o segredo para manter um casamento por tanto tempo.
Ninguém ensina isso nas escolas, pelo contrário.
Não sou um especialista do ramo como todos sabem, mas, dito isso, minha resposta é mais ou menos a que segue:
Hoje em dia o divórcio é inevitável, não dá para escapar.
Ninguém aguenta conviver com a mesma pessoa por uma eternidade.
Eu, na realidade, já estou em meu terceiro casamento - a única diferença é que me casei três vezes com a mesma mulher.
Minha esposa, se não me engano, está em seu quinto, porque ela pensou em pegar as malas mais vezes do que eu.
O segredo do casamento não é a harmonia eterna.
Depois dos inevitáveis arranca-rabos, a solução é ponderar, se acalmar e partir de novo com a mesma mulher.
O segredo no fundo, é renovar o casamento, e não procurar um casamento novo. Isso exige alguns cuidados e preocupações que são esquecidos no dia-a-dia do casal.
De tempos em tempos, é preciso renovar a relação. De tempos em tempos, é preciso voltar a namorar, voltar a cortejar, voltar a se vender, seduzir e ser seduzido.
Há quanto tempo vocês não saem para dançar?
Há quanto tempo você não tenta conquistá-la ou conquistá-lo como se seu par fosse um pretendente em potencial?
Há quanto tempo não fazem uma lua de mel, sem os filhos eternamente brigando para ter a sua irrestrita atenção?
Sem falar nos inúmeros quilos que se acrescentaram a você, depois do casamento.
Mulher e marido que se separam perdem 10 quilos num único mês, por que vocês não podem conseguir o mesmo?
Faça de conta que você está de caso novo.
Se fosse um casamento novo, você certamente passaria a frequentar lugares desconhecidos, mudaria de casa ou apartamento, trocaria seu guarda-roupa, os discos, o corte de cabelo e a maquiagem.
Mas tudo isso pode ser feito sem que você se separe de seu cônjuge.
Vamos ser honestos: ninguém aguenta a mesma mulher ou marido por trinta anos com a mesma roupa, o mesmo batom, com os mesmos amigos, com as mesmas piadas.
Muitas vezes não é sua esposa que está ficando chata e mofada, são os amigos dela (e talvez os seus), são seus próprios móveis com a mesma desbotada decoração.
Se você se divorciasse, certamente trocaria tudo, que é justamente um dos prazeres da separação. Quem se separa se encanta com a nova vida, a nova casa, um novo bairro, um novo círculo de amigos.
Não é preciso um divórcio litigioso para ter tudo isso.
Basta mudar de lugares e interesses e não se deixar acomodar.
Isso obviamente custa caro e muitas uniões se esfacelam porque o casal se recusa a pagar esses pequenos custos necessários para renovar um casamento.
Mas, se você se separar, sua nova esposa vai querer novos filhos, novos móveis, novas roupas, e você ainda terá a pensão dos filhos do casamento anterior.
Não existe essa tal "estabilidade do casamento", nem ela deveria ser almejada. O mundo muda, e você também, seu marido, sua esposa, seu bairro e seus amigos.
A melhor estratégia para salvar um casamento não é manter uma "relação estável", mas saber mudar junto.
Todo cônjuge precisa evoluir, estudar, aprimorar-se, interessar-se por coisas que jamais teria pensando fazer no início do casamento. Você faz isso constantemente no trabalho, por que não fazer na própria família? É o que seus filhos fazem desde que vieram ao mundo.
Portanto, descubra o novo homem ou a nova mulher que vive ao seu lado, em vez de sair por aí tentando descobrir um novo e interessante par.
Tenho certeza de que seus filhos os respeitarão pela decisão de se manterem juntos e aprenderão a importante lição de como crescer e evoluir unidos apesar das desavenças.
Brigas e arranca-rabos sempre ocorrerão: por isso, de vez em quando é necessário casar-se de novo, mas tente fazê-lo sempre com o mesmo par.
Imaginem se fosse especialista na matéria!




8 nhận xét :

Sol da meia noite said...

Gostei imenso de ler.
Penso que básicamente o que leva à ruptura, é o pânico da opressão. É o sertr-se preso a algo que antriormente era bom e deixou de o ser, porque começou a sufocar. E nessa fse, em vez de se corrigir o que está a funcionar mal, foge-se, abandona-se, destrói-se.

Beijinhos

MIMO-TE said...

Eu vou deixar de te ler! :) Não comento.... Vai ao meu blog PFV.

Bjoca
Mimo-te muito

parvinha said...

Muito certo, mas nós mulheres somos mais lutadoras, criativas, intuitivas!
Lá estou a divagar...
beijo doce

Spectrum said...

Bem, eu sou suspeito para falar sobre a matéria; já me separei 3 vezes....

Olá!! said...

Que ele fala bem, ou escreve, é um facto, que devemos "mimar" o casamento é outro, mas há casos e casos e nenhum é igual a outro...
Inconstancia é a ordem do dia, devemos reflectir muito antes de partir para a separação que na maioria é inevitável. Que se repita o erro duas vezes, ainda estou como o outro, agora 3... fora de questão...
Beijos

Jotabê said...

sinceramente, nãoquero ser desmancha prazeres, nem minimizar a teoria do senhor, mas parece-me uma forma animada de se referir ao 'deixa andar', que é um sinónomo de tentar desesperadamente, utilizando todos os recursos, quebrar a rotina

mas não deixo de admirar esta forma de encarar o casamento, fosse ela exequível

também gostei do 'arranca rabo'

:)

..joca

Um Momento said...

Simplesmente segredos que cada casal devia descobrir por si só...
Na vida, na uniao , nem tudo é perfeito
Cabe a cada um de nós manter a chama acesa, dar vida ao momento, ao relacionamento...
Tenta-se, na esperança de que resulte...
Mas tentar não basta... tem que se querer... e quando um dos dois não quer, não adianta mesmo...
Muito bom Post Minha Doçura , muito bom!

Deixo um beijo GIGANTE!!!

(*)

Oliver Pickwick said...

Não sabia que o Kanitz também versava acerca de casamentos. Pelo menos tem bagagem, trinta anos casado com a mesma mulher. Há bons conselhos e sugestões no artigo, no entanto, é um assunto atrelado a referenciais, impossível, portanto, generalizá-lo.
Beijos!