1 January 2008

DESAFIOS CINÉFILOS - FILMES DA MINHA VIDA

A Jasmim de ( http://jasmimdomeuquintal.blogspot.com/) lançou-me o desafio de nomear os 5 filmes que mais gostei até hoje.
Por um momento, respirei de alívio, pensando: Uf, não tenho que nomear ninguém!
Grande engano.
Se num caso " entre les deux, mon coeur balance ", no outro, sou eu própria que balanço.
O cinema é para mim, mais do que um ludicismo ( acho que inventei um neologismo...), é uma fonte inesgotável de ensinamentos. Portanto, como vou eu escolher os 5 filmes de que mais gostei até hoje?
É que no gostar está tanta coisa incluída! Há os que gostei muito mas não posso dizer que me marcaram, há os que me marcaram mas que não foram até os que mais gostei, portanto isto é deveras complicado.
Mas, o que tem que ser tem muita força, e portanto vamos lá, embora contornando um pouco a questão.
Deixando de fora: Blue Velvet ( naturalmente)Cinema Paraíso, Les Uns et les Autres, O Piano, O fabuloso Destino de Amelie, Gato Preto, Gato Granco, O Clube dos Poetas Mortos, Os Condenados de Shawshank, A Cidade de Deus, Forrest Gump, The Rose, Rosa Púrpura do Cairo, Fala Comigo, A Cidade dos Anjos, Morte em Veneza, Perfume de Mulher, Annie Hall, Manhatten, The Bridges of Madison County, Uma História Simples, Shadowlands, O Paciente Inglês, a Insustentável Leveza do Ser, e tantos, tantos outros, The Winner is :
Out Of Africa, provavelmente o filme da minha vida, por Africa, pela fotografia, pelos actores, porque é real, pela frase de abertura " I Had a Farm in Africa " e pelas cenas que ficaram na minha memória para sempre.

Moulin Rouge, o musical do meu tempo de que mais gostei. Pela música, pela dança, pela côr, pelo onirismo.

Dead Man Walking, por razões diferentes: independente da performance de Susan Sarandon e Sean Penn, queria ver este filme logo quando saiu, mas fui adiando, adiando, porque tinha que me sentir disponível para o ver. Adiei tanto que saiu de cartaz. Vi-o então em casa com o meu filho mais velho e quando acabou, sem uma palavra, caímos os dois nos braços um do outro e chorámos longos minutos. Foi um momento de comunhão de sentimentos e intimidade que não esquecerei nunca.
Depois, e tão ou mais importnte, porque este filme mudou a minha posição em relação à pena de morte e mudou as minhas certezas inabaláveis, de então, até hoje.
Ainda é uma questão em aberto.

WHEN HARRY MET SALLY, a comédia da minha vida, com a tal cena que, acho, ficará para sempre, como a maior bofetada de luva branca que as mulheres ( todas nós :) ), podemos dar aos homens convencidos de que são verdadeiras " sex machine".

MYSTIC RIVER , o roteiro , baseado no romance homónimo de Dennis Lhane, que já tinha lido, não estragou o livro, antes pelo contrário. O momento em que dão a Sean Pean a notícia da morte da filha de Jimmy (Sean Pean) valeu-lhe, com toda a justiça, o Óscar de Melhor Actor, embora, Tim Robbins (Vencedor do Oscar de Melhor Actor Secundário) e Kevin Bacon estejam numa verdadeira "competição" (no sentido saudável da palavra) de interpretação. A dureza necessária da realidade atinge-nos e abana-nos. Tim Robbins faz o alienado e abalado pela violência dos lobos humanos que gostam de uma "carne fresca". Sean Pean é alguém que poderíamos chamar de ex-mafioso, mas que não perde a sua honra. Kevin Bacon é um polícia mais contido do que estamos habituados a ver, mas nem por isso menos problemático. O entrelaçar das três diferentes personagens mostra -nos os diferentes lados do ser humano e as suas diferentes reacções diante dos dramas que enfrentam. A direcção de Clint Eastwood é magistral. Os filtros utilizados para dar a cor, ou melhor a falta de cor, com a predominância do azul e cinza quando a acção parece sempre acontecer de noite, ou perto dela. A banda sonora, cola-se ao filme e é assinada, surpreendentemente, pelo próprio Eastwood. Não só a qualidade técnica é vista mas todo o envolvimento contido nas metáforas e analogias constantemente presentes. Um exemplo interessante é o detalhe do anel contendo um crucifixo de padre no dedo de um dos seqüestradores pedófilos no início do filme, uma crítica à incrível onipresença do mal. Embora haja quem ache que é um filme dentro do género policial, entendo que é muito mais que isso: propõe - nos reflexões a cada instante. Enquanto se lê as legendas os pensamentos voam em paralelo tentando achar explicações para os factos. Os valores e a justiça perdem a sua utilidade numa sociedade na qual o mal está sempre preparado para levar a melhor.
Cconclusão final: será que o mal e o bem são mais relativos do que parecem?


E os nomeados são:
O Melhor Blog sobre o Nada
Fundamentalidades
Sol da Meia Noite
A Minha Nuvem
Notas Soltas

12 nhận xét :

Olá!! said...

Boas escolhas
Beijo

nuvem said...

Partilho o gosto por cinema e gostei igualmente de todos os filmes que escolheste referir. Vamos ver se arranjo tempo para responder ao desafio... não anda fácil :)

Espero que este ano novo continue a trazer-te inspiração e criatividade para poderes brindar-nos com a tua escrita. Mil beijos e um Feliz 2008.

João Cordeiro said...

Belissímo gosto.
Identifico-me com muitos dos que falas.


Um beijo sonhador e fico à espera da promessa ;-)

Pekenina said...

A minha cultura cinematográfica, cinéfila, o que lhe quiseres chamar é terrível =/ Nem o Mulin Rouge vi ainda...é triste... :(

Gi said...

Bom gosto :) , só me lembro do nome dos filmes (a maior parte) quando os vejo escritos, durante o resto do tempo dão-me "brancas" :)

Um beijinho

Outonodesconhecido said...

Outros tantos que também me marcaram muito.
Bjocas e até amanhã.
jasmim

a.filoxera said...

Muitos filmes fabulosos!
Beijos.

Sol da meia noite said...

Xiiiii... Agora é que me tramaste! É que não tem filme que me convença a vê-lo até ao fim... Cinema passa-me ao lado.
Vou ter que te pedir mil vezes perdão e fugir daqui antes que me apanhem e me obriguem a ver um...
Fui...
*

Oliver Pickwick said...

Cara Velvet, vou lhe adiantar os meus filmes preferidos. Embora acredite que, em apenas cinco filmes, por certo cometerei muitas injustiças. Mas vamos lá, eles não estão em ordem de preferência:

1)Cidadão Kane (Citzen Kane), de Orson Wells;
2)As Vinhas da Ira (The Grapes of Wrath), de John Ford;
3)O Sétimo Selo (Det Sjunde Inseglet), de Bergman;
4)Os Sete Samurais (Shichinin no Samurai), de Kurosawa;
5)A Sombra do Samurai (Kagemusha), de
Kurosawa.

Assisti a todos os indicados da sua lista, e, com exceção de Moulin Rouge, todos são ótimos filmes. É que não gosto de filmes musicais, o único que realmente gostei foi All That Jazz.
Beijos!

Um Momento said...

Hum??
Mas eu havia comentado este post...
Ai...para onde enviei eu o comentario????
O_o
Bem deixa lá
Adorei as tuas escolhas e sinceramente tive vontade de rever alguns:)))
Parabéns pelo desafio e muitos parabens aos teus agraciados
Toma...
Apanha este beijinho direitinho ao teu coração

(*)

FM said...

Bons Filmes. Parabéns pela escolha... Já agora sugiro que vás ver o novo do Tom Hanks, fui ver hoje em antestreia e gostei...
Bom 2008!

Blue Velvet said...

Obrigada às lindas meninas e aos lindos meninos que por aqui deixaram os seus gostos cinéfilos.
O que eu já me ri com os comentários : há de tudo, parece uma salada russa: desde as que fogem com medo que a obriguem a ir ao cinema ( hehe Sol ) ao verdadeiro rato de Cinemateca ( Mr. Oliver, pois claro).
A propósito, Oliver, obrigada por ter respondido ao desafio, mas era NO SEU BLOG que era suposto responder.
Você gosta mesmo de subverter o sistema, não é? Lol
FM, irei ver sim. Obrigada pela dica.
Nuvenzinha, pára um bocadinho por aqui, vá lá.
Beijinhos a todos