30 November 2007

2 CARTAS DE AMOR

CARTA DE AMOR ENVIADA POR GEORGES SAND A ALFRED DE MUSSET
Cher ami,
Je suis toute émue de vous dire que j'ai
bien compris l'autre jour que vous aviez toujours
une envie folle de me faire
danser. Je garde le souvenir de votre
baiser et je voudrais bien que ce soit
une preuve que je puisse être aimée
par vous. Je suis prête à montrer mon
affection toute désintéressée et sans cal
cul, et si vous voulez me voir ainsi
vous dévoiler, sans artifice, mon âme
toute nue, daignez me faire visite,
nous causerons et en amis franchement
je vous prouverai que je suis la femme
sincère, capable de vous offrir l'affection
la plus profonde, comme la plus étroite
amitié, en un mot : la meilleure épouse
dont vous puissiez rêver. Puisque votre
âme est libre, pensez que l'abandon ou je
vis est bien long, bien dur et souvent bien
insupportable. Mon chagrin est trop
gros. Accourrez bien vite et venez me le
faire oublier. À vous je veux me sou
mettre entièrement.
Votre poupée

Esta carta foi escrita entre 1833 e 1834.
Experimentem ver como teria sido escrita hoje.
Para isso, leiam uma linha sim uma linha não, começando em : Je suis toute émue.

Naturalmente que eu prefiro a primeira. Mas eu sou uma romântica!
E vocês?

8 nhận xét :

melgadoporto said...

A minha mãe adorava esta música.
Ouvia vezes sem conta.
Hoje entendo por gostava tanto dela!
“Como jurei
Com verdade o amor que senti ...
Quantas noites em claro passei ...
A escrever para ti ... ...
Cartas banais ...
Que eram toda a razão do meu ser ...
Cartas grandes, extensas, iguais ...
Ao meu grande sofrer ...
Cartas de amor
Quem as não tem ...
Cartas de amor
Pedaços de dor, sentida de alguém
Cartas de amor
Andorinhas, que num vaivém, levam bem
Saudades minhas
Cartas de amor, quem as não tem
Porém de ti
Nem sequer uma carta de amor ...
Uma carta vulgar recebi ...
Para acalmar minha dor ... ...
Mas mesmo assim ...
Eu para ti não deixei de escrever ...
Pois bem sabes que tu para mim ...
És todo o meu viver…
Cartas de amor...”
Tony de Matos

Bárbara Cecília said...

Sou 100% romantica. Antiquada, alguns amigos diriam. Fique bem, tenha um bom fim de semana. Um beijo!

edialeda said...

Diverti-me imenso a ler a versão dos nossos dias, parabéns! Mas também prefiro a original, mais romântica.

Vladimir said...

muito bom...são épocas diferentes logo leituras diferentes, por vezes apenas formais...

«Daí que hoje, enquanto tomava café, no país real, tenha ouvido, na mesa do lado, a seguinte frase lapidar: “este ano não há prendas para ninguém”.»

a.filoxera said...

Estou cansada. Estou sem capacidade de concentração, neste momento, para ler Francês.
Só quis aproveitar para te dizer como admiro esta tua capacidade de vibrares com o Natal.
um xi!

vsuzano said...

gostei das duas versões...

abraço

Olá!! said...

Uma sedução camuflada.... gostei...
;)))

Maria said...

.......:)

deliciosa(s).