20 August 2008

OS "WHAT IF'S" DA VIDA




Porque é que a vida não pode ser como nos filmes onde há sempre tempo de voltar atrás e corrigir os erros à custa de um esforço de vontade? Porque é que não podemos ter sempre certezas, mas antes viver mergulhados nas nossas dúvidas? Porque é que não nos apaixonamos, quais protagonistas de novela, logo no 1º capítulo, com a certeza de que tudo vai valer a pena porque no fim tudo acaba bem?

Porque é que os desencontros não podem ser somente temporários? Porque é que a cada curva do caminho não há um atalho que nos leve de volta ao ponto de partida? Porque é que nem sempre tudo tem solução? Porque é que temos que errar para aprender se seria tão mais fácil nascermos já ensinados? Porque é que continuamos a insistir em bater com a cabeça contra a parede se a primeira tentativa é suficiente para comprovarmos que dói?

Porque é que passamos metade da vida a pensar quando devíamos agir e outra metade a agir sem pensar duas vezes, irreflectidamente? E porque é que essa abordagem é tão eficaz para uns e só serve para complicar a vida dos outros?

Porquê insistirmos em magoar-nos e prolongar o nosso sofrimento lutando por sonhos impossíveis? Porque é que ao longo do trilho não há simplesmente tabuletas a indicar os becos sem saída que só nos farão perder tempo, e os sentidos obrigatórios onde, cedo ou tarde, iremos cair? Porque não acertar à primeira, mas somente depois de tentar 1001 combinações inúteis que só servem para nos desgastar o espírito, minar a confiança e estilhaçar o coração?

Porque é que a pessoa com quem estamos destinados a acabar não surge logo na nossa vida para ficar? Porque temos que nos submeter ao método da tentativa-erro? E, no fundo, porquê tantos porquês? Porquê esta capacidade, esta necessidade de nos interrogarmos, de nos torturarmos com os “E se” se no final tudo o que temos são factos imutáveis contra os quais de nada nos valem os argumentos?

31 nhận xét :

titofarpas said...

Mas isso é que é a vida...
Estás bem?
Beijos

Maria said...

Pensei que já tinhas passado a idade dos porquês... :))))

Falando sério, sem estes porquês (e outros) a vida não tinha graça nenhuma...

Beijinhos azuis

Carlos Barbosa de Oliveira said...

Tenho um primo, mais velho do que eu, que depois de casar pela primeira vez e não ter dado certo, costumava dizer que as pessoas deviam vir com um desenho na testa que só encaixaria com a pessoa que lhe estava destinada. Sempre defendi - e continuo a defender- que assim a vida não teria piada nenhuma!
Viver é, para mim , sinónimo de risco e aventura e só assim vale a pena. Temos desgostos, sofremos, choramos, rimos, amamos e odiamos, sem hora marcada.
O imprevisto é o sal da vida. Talvez o mundo que preconiza seja o Céu, mas confesso que se assim for, não sei se gostaria de lá viver!
Conchinhas e beijinhos

1/4 de Fada said...

Apesar de não termos certezas de nada e não podermos voltar atrás, podemos reconhecer os erros e não os repetir, ou pelo menos tentar não o fazer. E a aprendizagem existe para quem a quiser aproveitar, disso não tenho a menor dúvida, infelizmente é um processo duro, mas as tabuletas vão aparecendo, construídas por nós, quando menos esperamos há uma que surge, vinda como se fosse do nada. Mas se o nosso caminho fosse linear, se não fosse percorrido com os constantes "e se", seria o nosso caminho? Não seria um caminho tão monótono e e sem graça apesar de apelativo por ausência de sofriento? É aqui que começam a surgir as minhas dúvidas... E será que há uma pessoa com quem estamos destinados a acabar a nossa vida, assim caída do céu? Esse destino não seremos nós que temos de fazer alguma coisa para o criar? Sentados no nosso canto, protegidos dos males do mundo, vamos conseguir ser felizes, sós ou acompanhados?
Desculpa Blue, respondi-te com um outro post de "e ses", mas este é um assunto em que penso muitas vezes.
Beijos.

Parapeito said...

..".Alguem disse um dia...que a vida assim que nascemos é sempre uma interrogação...só é exclamação no dia em que morremos ".

***

f@ said...

Porquê? Ora essa ... tu bem sabes a resposta...
Porque a vida é Fado... e de en fado... e seria mto enfado e sem en canto se assim não fosse...
Porque até os atalhos mais estreitos e escuros são sempre caminhos para lugares mtas vezes En(c)anta dores....
vai um fadinho...
...
"...Oh tempo volta p'ra trás,
Traz-me tudo o qu'eu perdi
Tem pena e da-me a vida
A vida que eu já vivi
Oh tempo volta p'ra traz
mata as minhas esperanças vas
Vê que até o próprio sol
Volta todas as manhas
Vê que até o próprio sol
Volta todas as manhas
Porque será que o passado
E o amor são tão iguais
Porque será que o amor... "
beijinhos das nuvens

BlueVelvet said...

Titofarpas,
já pensaste que essa frase" é a vida" só é dita quando acontece uma desgraça ou uma fatalidade?
Beijinhos

BlueVelvet said...

Maria,
acho que não vou nunca passar essa idade:))
Pequenina era até conhecida pela menina dos porquês.
Nunca fui de abrir galinhas para ver o que lá estava dentro, mas sempre quis saber a razão de tudo.
Continuo a querer.
As mais das vezes sem resultado nenhum...
Beijinhos

BlueVelvet said...

Carlos,
também gosto de risco e adrenalina mas é em desportos, de preferência radicais.
Ao sal das lágrimas, prefiro o do mar.
Beijinhos

BlueVelvet said...

1/4 de Fadas,
por aqui os comentários grandes são muito bem vindos.
E gosto de pessoas que se interrogam e rebelam:))
Beijinhos

BlueVelvet said...

Parapeito,
grande frase.
Não conhecia.
Beijinhos

BlueVelvet said...

Fa,
então está bem
Vou ver se descubro esses caminhos para os tais lugares en cantados:))
Beijinhos

D.Antónia Ferreirinha said...

Eu não te sei responder atodos esses porquês, mas concordo com alguem que li em cima, que sem alguns deles, a vida não teria graça.
Beijinho.

sagitario said...

minha amiga,
O belo só existe, porque existe o feio.

Só há amor, porque o desamor também existe e por ai fora, mas também é com os erros que cometemos, que nos aperfeiçoa-mos e valorizamoa as coisas simples.

Antonio saramago said...

Porque a vida é mesmo uma incógnita.
Quer queira-mos ou não admiti-lo, temos de ser nós a fazer pela vida.
Há quem nasça de CÚ PARA O AR, mas até nem essas pessoas têm tudo o ke é de bom na vida.
PS/Obrigado pelas tuas dicas, todas as dicas são importantes, mas sabes uma coisa!!
Tanto marrei...que já sei colocar os links, os ultimos ke tenho já fui eu que os coloquei.

Patti said...

Penso que a luta que a vida nos trás, esses 'se's', interrogações, dúvidas etc, é que nos fazem dar mais valor às alegrias e à própria vida.
Claro que também desejamos e muito, que tudo corra certinho, sem tristezas, agonias e sobressaltos. Mas como nem tudo depende de nós, a solução estará em dar um passo de cada vez, viver o dia a dia da melhor forma que conseguirmos e gozar aquilo que temos.
Interrogações, são sinais de inteligência e de um inconformismo saudável. Aprende-se e evoluí-se quando nos interrogamos, mas nem tudo tem resposta.

BlueVelvet said...

Patti,
apanhaste o espírito da coisa.
Não quis parecer arrogante, mas já que o disseste também sou da opinião que só se interroga tanto quem é inteligente.
Sorte dos outros que não têm estas angústias.
Beijinhos

PS: Atenção que não estou a chamar burros aos outro comentadores:))

Patti said...

O meu comentário foi estritamente pessoal e nem sequer li os restantes.
Nem eu pretendo ofender quem se interroga menos e opta por uma postura mais calma, descontraída e se calhar bem mais feliz, do que aqueles que se questionam. Será também uma postura inteligente.

O melhor é sempre o equilíbrio. Questionarmo-nos sim, mas aproveitando o que a vida nos vai proporcionando.
Tudo com conta, peso e medida.

Antonio saramago said...

Sobre BURROS, há quem só lhe falte as orelhas!!

lino said...

Porque ainda não foi descoberto o GPS da vida. Lá chegaremos, mas desconfio que não é no meu tempo.

Beijos

Sunshine said...

Porque pensei que já tinha o guião da minha vida alinhavado e a certa altura das filmagens alguns actores desataram a improvisar e alteraram o filme por completo?
Gostava de uma vida mais sem graça, mas em que houvesse mais certezas, preferia a rotina do que este olhar para a frente e não ver nada...Gostava de ter a certezá que um dia irá aparecer aquele com quem irei partilhar as minhas rugas.
Beijinhos com raios de Sol

BlueVelvet said...

Patti,
é claro que foi pessoal e a minha resposta ao teu foi porque estou mais em consonância com a tua opinião.
É claro que há respostas que nunca encontramos, mas há pessoas que têm mais facilidade que outras em, ou não fazer as perguntas ou em resignar-se com a falta de respostas.
Sei que a vida não é um mar de rosas, mas às vezes podia ser menos complicada.
Só isso.
Beijinhos

BlueVelvet said...

Lino,
bem me ri com o seu comentário.
GPS da vida...bem giro.
Se houvesse comprava já.
Veludinhos azuis

BlueVelvet said...

Sunshine,
também eu, amiga,também.
Um bocadinho menos de adrenalina neste carrossel da vida também me agradava mais.
Mas parece que não dá para escolher...
Beijinhos e veludinhos

carlota said...

Pegando no GPS da vida, do Lino que achei uma ideia muito á frente (nos meus tempos de menina a palavra internet nem existia e agora é um ver se te avias),
Pois bem não sei se compraria o tal GPS, afinal quando estamos a ler um livro ou a ver um filme se alguém conta o final o interesse fica logo pela metade.
O Ser humano precisa desses desafios e contrariedades da vida para andar para a frente.
Pela lei da Selva o homem é o ser mais indefeso...imagina um bébé abandonado numa selva, é provavelmente a cria com menos hipoteses de sobrevivência.
A necessidade de sobreviver obrigou o Homem a puxar pela cabecinhas e consequentemente a desenvover o cérebro.
Na vida é essa necessidade de estar bem, de evoluir, de sermos felizes,de ter um amor, etc, que nos faz lutar por um lugarzinho ao Sol.
Se fosse tudo programado como num GPS ficavamos sentadinhos á espera
porque já sabiamos que no dia tal, se fossemos pelo caminho tal, iamos dar de caras com o amor da nossa vida ou com a possiblidade de ser muito bem sucedidos num negócio. Não digo que fosse mau mas acabava por ser tudo muito monótono e não dariamos o valor que damos hoje ao que de bom nos acontece.
Por outro lado, o GPS tb nos ia avisar daquilo que de mau nos poderia acontecer, a nós e aqueles que amamos e isso seria muito angustiante, principalmente quando não poderiamos fugir disso como da morte...seria terrivel saber com antecedência a morte de todos aqueles que gostamos...acho mesmo que impossivel de suportar.
O ideal seria mesmo termos a nossa intuição muito mais apurada e ter a capacidade de conseguir distinguir melhor o trigo do joio. Neste caso a possiblidade de sermos mais feliz aumentaria ser se tornar monotóno e a emoção da descoberta de algi bom não desaparecia.
Para 1º comentário neste blog acho que me alonguei, peço desculpa.
Mas achei muito pertinente este post

BlueVelvet said...

Carlota,
seja bem vinda!
Se fosse residente na casa saberia que o tamanho dos comentários não é moderado:)))
Obrigada pela visita e pela sua opinião.
Volte sempre
Veludinhos azuis

Justine said...

O ser humano não tem mesmo remédio nem cura, pois não?
E se não fôssemos assim, teria alguma piada??
Abraçinho

Girafa cor de rosa said...

Sublime este teu post!! E tanto me diz nesta fase da minha vida:))!!

De facto é assim a vida, cheia de desencontros e peripécias, mas é isso tudo que nos faz crescer e ir ao encontro do que mais necessitamos à medida que vamos amadurecendo...e se de facto não fosse assim...teria alguma piada?? Este é o desafio da vida!! é constante a mudança que ela nos propõe, vamos caminhando...temos que estar despertos, atentos e virando o rumo (tentativa-erro - sim!!) doi, mas quando nos levantamos, somos mais fortes e conscientes e sabemos melhor, pelo menos, o que não queremos!!

Beijos

BlueVelvet said...

Justine,
eu à espera que alguém me desse uma resposta, e tu ainda me deixas mais 2 perguntas:)))
Grande peste!
Beijinhos para a Donadele

BlueVelvet said...

Olá Girafinha,
obrigada pela tua visita e pelas gentis palavras.
Sabes que quando estive no teu cantinho, pensei dizer-te para vires ver este post, mas depois desisti:(
Ainda bem que gostaste.
Beijinhos

Alexandre said...

Talvez porque na vida as coisas tenham que ser difíceis para lhes darmos mais valor! É claro há sempre a tentação de desejar que as coisas sejam mais fáceis - eu próprio desejaria - mas a minha experiência de vida - em especial nos últimos 2 anos - mostrou-me que parece que as coisas acontecem a seu tempo, que as coisas mais importantes estão «programadas», é só preciso estar muito atento para delas usufruir.

Apesar de algumas quebras continuo a achar que alguém está a olhar por cada um de nós, não sei se são os nossos avós, outros nossos antepassados, só sei que eu tenho que agradecer os «acasos» da minha vida... não sei a quem, mas agradeço!

A ti tb, Blue, agradeço, um beijinho muito grande!!!!