1 August 2008

SÃO ROSAS, SENHOR


Ontem à noite fui jantar com um dos dois homens da minha vida.
O outro está chegando amanhã...
Há quem não tenha nenhum, eu tenho logo dois:))
A noite estava óptima: quente com uma ligeira brisa.
Rumámos ao rio e escolhemos a zona das Docas.
Havia o folclore habitual: os turistas, os vendedores de bonequinhos mecânicos, os casais de meia idade que tinham ido apanhar o ar fresco da noite.
De cada restaurante saía uma música diferente sendo que o que se ouvia era uma mescla de tecno, ritmos latinos e rock.
E os vendedores de rosas.
São um fenómeno curioso, porque de Paris a Roma, passando pelo Mexico ou São Paulo há vendedores de rosas em todo o Mundo. Será que é porque ainda vai havendo Amor?
Durante muito tempo, em Lisboa e arredores pareceia que o negócio estava monopolizado pelos indianos, mas hoje em dia, também os emigrantes dos países de Leste pululam pelas zonas onde pensam poder fazer o seu negócio.
É sabido que tal como quando vamos a Marrocos, à Tunísia ou à Turquia se discute os preços de tudo, com os vendedores de rosas a técnica é nem olhar para eles.
Se não houver contacto visual talvez escapemos.
Mas, mesmo assim, não nos livramos de que nos sigam e insistam, insistam, insistam.
É um jogo em que cada uma das partes sabe exactamente quais são as regras.
Pois ontem, entre os vários que por lá andavam, havia um que em vez das monótonas rosas vermelhas ( não sei porquê que nunca gostei de flores vermelhas. Acho que é uma fé...), tinha um ramo de lindas rosas amarelas umas e côr de chá outras.
Pelo inusitado da coisa fixei os olhos nos ramos e claro que ele se aproximou imediatamente e começou com a ladaínha do preço. O meu filho, ( pensavam o quê? que colecciono homens? ) olhou para mim espantado e quando percebeu que eu queria as rosas lá começou a discussão dos preços e o facto é que vim para casa com os braços cheios de flores.
Vínhamos caminhando, eu toda florida, quando comecei a reparar no ar enjoado com que os casais se afastavam dos vendedores que passavam.
Mas houve um que me chocou especialmente.
Era um casal jovem. Supostamente deveriam estar de bem com a vida, mais tolerantes porque ainda menos sofridos.
Olharam para o vendedor com um ar de desprezo que me espantou. Mas o que me revoltou, foi o gesto com a mão que a rapariga fez para o afastar.
Como se estivesse a afastar alguém com uma doença contagiosa, ou um ser inferior que não devia, nem podia respirar o mesmo ar que ela.
Que diabo! O homem não estava a roubar. Não a ofendeu. Limitou-se a mostrar-lhe um ramo de flores.
Será que ela tem a certeza de que nunca terá que se socorrer de uma profissão assim para sobreviver?
O que lhe dá o direito de olhar assim um seu semelhante?
Cheguei a casa e dispus as minhas rosas nas jarras, espalhando-as pela casa com carinho.
Com o mesmo carinho com que teria abraçado todos os vendedores de rosas do mundo.

32 nhận xét :

Antonio saramago said...

ROSAS!!!!A FLÔR MAIS LINDA, seja no jardim , seja em casa e para quem ainda tem o previlégio de ter uma ROSA em CARNE E OSSO como eu!!!
Quase não precisa de outro PERFUME.

1/4 de Fada said...

Algumas pessoas sentem-se com todos os direitos do mundo, Blue. Compreendo perfeitamente o que sentiste.

Jotabê said...

Eu ‘odeio’ esses gajos das rosas!

‘Odeio-os’, por me revelam. Revelam-me como, o esquecido, o não-romântico, o insensível, etc.

Sempre que me aparece um fulano desses, martela-me logo na cabeça a fatal frase: “PORRA, esqueci-me de lhe comprar uma flor”.

E depois fico naquele dilema, que no fundo não é dilema nenhum, em qualquer dos casos sai sempre reforçada a tese da minha falta.

Se compro, “...não te lembraste não foi? A sorte é estes rapazes aqui por perto.”, se não compro, “...irra que forreta que estás hoje!”, forreta, e logicamente, esquecido, não-romântico, insensível, e o etc. também.

Claro que ‘odeio’ os gajos das rosas, como me odeio a mim próprio. É aquela forma de odiar muito própria e cheia de valor sentimental.

:)

beijoca, e já agora uma margarida, (pessalmente não gosto muito de rosas, é de rosas e cravos. Não sei explicar porquê, é como não saber explicar porque é que um dos meus filhos gosta tanto de bacalhau cozido e o outro odeia)

BlueVelvet said...

Que sorte tens António: uma rosa só para ti e que não murcha.
Lindo o teu amor por ela.
Beijinhos

BlueVelvet said...

1/4 d Fadas,
pois é. Até ao dia em que lhes desaba o mundo em cima, e percebem que somos todos, Pó, Terra e Nada.
beijinhos linda

Jotabê said...

Estás a ver, até aqui no blog esses gajos das flores me perseguem e revelam. Nunca te tinha enviado uma flor, e só de falares deles a a sua influência deixam a nu esta minha lacuna, mais uma vez.

‘odeio’ esses gajos

:|

:)

mais uma beijoca, e já agora mais uma flor vá lá, uma qualquer.

BlueVelvet said...

Jotabê,
e eu adoro-te.
E não te conheço.
Adoro os teus comentários. Dás-lhes sempre uma volta surpreendente e cheia de humor.
Então uma Margarida para ti e bom fim-de-semana

Pekenina said...

Há pessoas que não conhecem a palavra "valores". É triste..

Rocket said...

são extremamente maçadores. maçam tanto que quase fazem esquecer a beleza das flores...


beijos

sagitario said...

foi uma situação entre muitas que acontecem na noite.
Gostaria de partilhar uma cena que se deu comigo também nas docas:

a primeira vez que lá fui foi para festejar o dia do meu aniversário e já tinha cinquenta anos, mas umas amigas fizeram-me essa surpresa, claro como gosto de dançar não me fiz rogada, a certa altura dirigiu-se a mim um jovem como uma rosa na mão e vinha a chorar, pensei que já tinha bebido, mas enganei-me ele estava sóbrio, então disse-me muito delicadamente que a sua mãe estava inválida e que era da minha idade e como não o podia levar com ele queria ofertar-me a rosa em sua homenagem.
Claro fiquei comovida e só me restou desejar-lhe toda a sorte do mundo.
Isto quer dizer que nem só os vendedores de flores são pessoas a quem a sorte não os favoreceu, mas há sempre muita gente que na noite afoga as suas mágoas, pena é que não paremos para pensar

Maria said...

Gostei especialmente deste teu post.
Vá lá saber-se porquê.....
:)))

Beijinhos azuis

Sunshine said...

Lindo post, cheio de ternura. Nunca entendi o tipo de desprezo revelado pela rapariga... se calhar se fosse um cachorrinho abandonado teria algum gesto de carinho. Não tenho nada contra o carinho para com os animais abandonados, mas faz-me impressão os "seres" humanos serem capazes de terem comportamentos antagónicos para com os seres da mesma espécie e para com os de espécies diferentes.
Beijinhos com raios de Sol

macaw said...

pois é nina, infelizmente há pessoas que pensam ser superiores (não sei bem em quê) e fazem questão de o mostrar!

bom para ti que recebeste flores!!! ;)

também não me importava de receber uma rosa...

bjocas ;)

f@ said...

Este post é um poema com roseiral, botões mtas rosas abertas e mtas pétalas no chão…
As minhas preferidas, abertas ou fechadas são as vermelhas aveludadas e escuras ou as brancas…
e suave en canto de encontros com os olhos perfumados..
No trabalho eu tenho sempre uma taça de pétalas na água para quebrar o gelo da porcelana e dos números…
tem rosas com caule até às nuvens…
Mandei-te uma que vais gostar vai colher no teu mail que enviei para lá com beijinhos das nuvens

JC said...

Rosas, são as minhas flores preferidas. Oferecidas depois de um jantar especial muito mais bonitas e aveludadas se tornam.
Quanto à menina que recusou e, de certa forma repudiou quem andava a ganhar a vida de uma forma honesta, pode ser que nunca precise de o fazer, mas como estamos, o que hoje é amanhã já não é. E quando isso acontece temos que procurar tudo o que esteja ao nosso alcance para podermos ganhar a vida honestamente.
Blue como é maravilhoso podermos ter filhos que nos querem tanto.
Beijinhos. Muita força.

Sol da meia noite said...

Minha querida, começo por dizer que o texto está fantástico.
E em se tratando de rosas, está duplamente fantástico. É curioso... gosto muito de rosas, mas não das vermelhas. Acho mesmo que gosto de todas menos das vermelhas. E não sei dizer porquê...

Pois a maneira como certas pessoas desprezam os seus semelhantes, não tem qualificação. Demais a mais em se tratando de pessoas que lutam para ganhar a vida da forma sabem, que podem, que de momento conseguem...

Acho que grandes questões aqui levantas, na parte final do texto.


Beijinhos, amiga * *
:-)

Filoxera said...

(tens, na abertura dos comentários, publicidade ao meu antigo trabalho)

Resisto sempre a estas flores em ambiente de restaurante;-))
Beijos.

Antonio saramago said...

É feio um Homem dizer que AMA a sua companheira,que não se consegue ver sem ela?
muitos beijinhos para ti, que também és uma linda FLOR num Canteirinho caseiro.B.F.S.

BlueVelvet said...

Olá Pekenina,
que bom ver-te por aqui.
É triste e revoltante.
Beijinhos e bom fim-de-semana

BlueVelvet said...

Mr. Rocket, não entendeu o espírito do post:))
Que eles são chatos, é verdade, mas isso não é razão para serem maltratados...
Vá lá, compre lá umas rosinhas para a sua amiga.
Mas vermelhas não, please
Beijinhos resmungão

BlueVelvet said...

Sagitário,
obrigada pela visita e pelo que contaste.
Comovente.
Veludinhos azuis

BlueVelvet said...

Querida Maria,
sei exactamente das razões que te levaram a gostar deste post.
Fico feliz que tenhas gostado.
beijinhos e bom fim-de-semana

BlueVelvet said...

Sunshine,
é verdade.Não dá para perceber.
Beijinhos com raios de sol

BlueVelvet said...

Kakaw querida,
fico tão feliz por te ver por aqui, que até te mando umas rosas.
deixa o endereço:))
Beijinhos linda, e bom fim-de-semana

BlueVelvet said...

Fa,
não sabia que gostas de rosas vermelhas.
Para a próxima já sei.
Obrigada pela linda rosa azul que me ofereceste.
És uma querida

BlueVelvet said...

JC,
obrigada pelas suas palavras de incentivo.
Beijinhos e bom fim-de-semana

BlueVelvet said...

Sol, que engraçado.
Já somos duas então.
E obrigada pelas tuas palavras.
Beijinhos e veludinhos azuis

BlueVelvet said...

Filoxera,
eu também.
Mas foi uma noite especial.
Beijinhos amiga

BlueVelvet said...

António,
obrigada pelas gentis palavras.
E é lindo o amor que devotas à tua Rosa.
Beijinhos e veludinhos azuis

jasmimdomeuquintal said...

Olá Blue
Gosto muito de rosas. Quando cheguei tinha dois botões a abrir (amarelas);duas brancas bem abertas e bonitas e uma vermelha pronta para colher amanhã.
Quanto às pessoas... a vida há-de ensinar-lhes; não ensina sempe?!
Bjocas e bom fim d esemana.
Aproveita os teus filhos
E que dizem eles do teu blogue?

Alexandre said...

As rosas em mim já fizeram milagres: já ofereci rosas artificiais a pensar que eram verdadeiras e só o descobri alguns anos mais tarde! Já ofereci rosas que provocaram uma polémica e quase iam acabando com um namoro, que não o meu! Já ofereci rosas à pessoa mais importante da minha vida, a minha mãe, e só tenho pena que ninguém alguma vez me tenha oferecido rosas...

Paula Crespo said...

Pois eu gosto de rosas. E não só, também de outras flores. E gosto das vermelhas. E tenho a dizer que fiquei com um nó na garganta quando acabei de ler este post e com vontade de, também como tu, abraçar todos os vendedores de rosas do mundo. Ah, e já agora, de oferecer rosas ao Alexandre, a quem nunca ninguém ofereceu rosas...
Que querem? deu-me para o sentimento, agora...!
Bjs